Como Podemos Medir Devoção: Por Quantidade Ou Por Qualidade?

Pergunta: É dito que a grandeza de uma pessoa é medida de acordo com a sua responsabilidade, se ele é dedicado apenas à sua cidade ou ao seu país, ou até mesmo pelo mundo inteiro. O que se entende por “dedicado à sua cidade, ao seu estado e pelo mundo?”

Resposta: Devoção significa que nós atribuímos todas as partes de nossa alma ao que parece externo a nós mesmos. Fazemos isso, embora eles estejam afastados de nós por um grande desejo egoísta, pela indiferença e pelo desejo de lucrar às custas dos outros, de ser mais importantes do que os outros, de evitar o sofrimento causando dor nos outros.

Se eu utilizar todo o meu ego como um meio para alcançar a adesão com os outros, para que cada um e todos eles juntos se tornem mais importantes para mim do que eu mesma, isso significa que eu estou dedicada a eles como aos meus próprios filhos e que estou pronta para dar-lhes tudo. Eu transformo o meu ego, que me separa dos outros, em doação de acordo com a minha altura.

Se eu posso me relacionar desta forma apenas para aqueles que estão perto de mim ou para os vizinhos que vivem na mesma cidade em que vivo, isso não significa que eu sou muito grande. No entanto, isto requer um grande esforço para perceber o mundo inteiro como meus parentes. Afinal, para começar, estas pessoas estão distantes de mim. Há um grande ego entre nós, uma quantidade muito maior. Por isso, requer uma intensidade muito maior, uma maior grandeza, a fim de superar o ego.

Parece que é apenas uma questão de quantidade, mas a quantidade está relacionada com a qualidade. O conceito de quantidade não existe na espiritualidade, só qualidade. No entanto, a qualidade é feita de quantidade, assim como o software do computador que, graças à sua capacidade da memória pode oferecer opções totalmente diferentes. A diferença é, na verdade, a quantidade de células de memória que operam, mas esta quantidade torna a diferença qualitativa. Graças a esta diferença, eu posso entender, sentir e perceber mais.

Graças a esta quantidade adicional, eu começo a entender o Criador. O número de neurônios em nosso cérebro e as ligações entre eles determinam nossa capacidade cognitiva, o que significa que a quantidade está relacionada com a qualidade. Ainda assim, não é como imaginamos. Não podemos calcular a medida em que nos devemos expandir em largura, a fim de alcançar algo em grandeza. Estes conceitos são relacionados, mas ainda não podemos trabalhar com esta fórmula.

Nós não vemos a fórmula certa uma vez que a nossa percepção não é integral, não é analógica. É digital, discreta. Tudo é segmentado -1 ,2,3-enquanto na espiritualidade, tudo é de acordo com um cálculo circular e não um cálculo quadrado como em nosso mundo. É por isso que não podemos simplesmente contar a quantidade de amplidão/largura e grandeza/altura, e dizer como é que deve ser.

Todo nosso esforço é quantitativo, como se fosse possível medi-lo em quilogramas, mas, depois, ele eleva-se para Ein Sof (Infinito) e é incorporado em Malchut de Ein Sof, em nosso MAN, e em resposta que recebemos MAD. Assim, todo o nosso esforço retorna a nós de maneira integral, analógica, e não mais de forma digital. A nossa conexão constante com Ein Sof é adicionada a esta conexão e isso atrapalha o nosso cálculo.

No entanto, é graças à conexão com Ein Sof, a partir do qual tudo retorna a nós, que temos a oportunidade de trazer, cada vez mais, o nosso esforço a Ein Sof e guardá-lo na caixa correta. Então, nós curamos todo o sistema pelo nosso esforço pessoal, mesmo pela menor ação! Nosso esforço não insere um pequeno cubo na estrutura geral, mas espalha-se por todo o Ein Sof.

Então, quando o outorgamento de Ein Sof retorna a nós, faz mudanças reais em nós e nos eleva para o próximo nível. Embora vemos nossas ações como digitais e limitadas, quando atingem Ein Sof e retornam para nós, elas constroem uma forma integral analógica em nós, que é semelhante ao Ein Sof.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabala 26/07/13, Escritos do Baal HaSulam

Comente