Textos na Categoria 'Corpo e Alma'

Precisamos Continuar Vivendo

560Comentário: Em um dos videoclipes sobre a perda de um ente querido, você disse que precisa continuar vivendo e aceitá-la, e que pode até sentir alegria na vida apesar do fato de um ente querido ter se perdido.

Tanya escreve para você: “Tendo perdido um filho de 25 anos, posso, como mãe, continuar vivendo, aproveitando a vida? Para mim, pessoalmente, a vida acabou – eu simplesmente existo, não há alegria. Antes, todos os meus amigos tinham inveja de como eu era alegre, sempre sorrindo e rindo. Tudo acabou há cinco anos. Estou vivendo e esperando minha hora de conhecer meu precioso filho”.

Resposta: Acho que você não deveria viver assim. Você pode tentar senti-lo mesmo agora, no estado em que está. Não importa que estejam em mundos separados. Isso significa que você deve tentar se elevar um pouco acima de si mesmo, e começar a sentir que esse seu amor e sua atitude em relação ao seu filho a levam ao nível em que pode senti-lo. É sobrenatural, mas, em geral, é normal. Nós apenas temos que empurrar um pouco os limites de nossa percepção.

Eu também aconselho você a tentar continuar tratando as pessoas como você fazia antes, e da maneira que gostaria de tratar seu filho agora. Você verá o quanto isso a ajuda e o quanto realiza seu amor materno não reivindicado.

Você deve se envolver em ajudar os outros. Dessa forma, ajudará a si mesma e ao seu filho e a superar essa barreira que supostamente existe entre vocês.

Pergunta: Você está dizendo que não há barreira?

Resposta: Não há barreira. É apenas em seus sentimentos.

Pergunta: Se é dado a uma pessoa, significa que ela pode, se quiser, superar essa barreira?

Resposta: Sem dúvida, ela pode.

Pergunta: Em outras palavras, não nos são dados obstáculos que não podemos superar?

Resposta: Correto. O homem é criado para que possa alcançar seu desenvolvimento espiritual mais elevado onde não há barreiras e todos os seus desejos são realizados positivamente.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 25/10/21

Vale A Pena Baixar O Ego?

963.6Nas Notícias (Times of India): “Baixos níveis de estresse e ansiedade são observados entre as pessoas que experimentam …  na diminuição da atividade nos lobos frontais, alcançada durante a meditação. Trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, os lobos frontais, processando informações e eventos complexos o tempo todo, quando experimentam uma atividade de baixa a nenhuma durante a prática de meditação ou oração, mergulham no reino da iluminação, onde não há estresse, aborrecimento ou preocupação. A atividade mais baixa no lobo frontal está ligada aos “sentimentos de entregar-se completamente a própria vontade”, afirma Andrew Newberg, neurocientista e autor de The Metaphysical Mind: Probing the Biology of Philosophical Thought. Quando nossa mente egoísta se submete completamente a algo infinito e maior que ela mesma, ela experimenta a iluminação0.”

Minha Resposta: Certamente, porque uma pessoa apaga tudo dentro de si em geral. Ela reduz muito seu ego e meio que se dissolve.

Este é um estado incorreto porque ao mesmo tempo que anula seu “eu”, sua personalidade, ela quer estar em um estado passivo de fusão com o ambiente na forma de um elemento inanimado.

Comentário: Os cientistas, no entanto, chamam esse momento de equilíbrio e proximidade com a natureza.

Minha Resposta: Claro que se eu me transformar em uma pedra, estou perto da natureza. Pelo contrário, se eu sou um egoísta que quer conhecer, descobrir, sentir e experimentar, isso já é um “eu” existente na natureza em sua forma individual.

É errado rebaixar seu ego porque é contra o progresso, contra o desenvolvimento, contra a evolução e contra a própria natureza. Isso nos aproxima do nível inanimado. Nós simplesmente não temos saída, assim chegamos a um estado de equilíbrio, paz, um estado imperturbável.

No entanto, em princípio, é necessário avançar até o ponto em que usamos claramente todo o nosso egoísmo, tudo o que pode aparecer deve ser revelado e desenvolvido em nós, e em um pico tão egoísta de sentimentos e mente, estamos em equilíbrio com a natureza.

Pergunta: Isso significa que é o desejo que afeta o trabalho do cérebro? Quanto mais você desenvolve o desejo, mais ativamente o cérebro começa a trabalhar e servir ao desejo?

Resposta: O cérebro existe apenas para perseguir o desejo. Se o desejo tem uma tarefa a cumprir, o cérebro nos ajuda a ser preenchidos com o que desejamos.

De KabTV, “Close-Up. Anamnese”, 19/02/10

O Que Uma Pessoa Sente Antes Da Morte?

627.2Pergunta: Médicos e enfermeiras de hospitais e hospícios dizem que, na maioria das vezes, antes da morte, as pessoas admitem a alguém de seus entes queridos que as amam. A frase “eu te amo” é pronunciada pela maioria dos pacientes moribundos. Várias pessoas têm a sensação de que isso é o que elas perderam na vida.

Até mesmo um materialista como Steve Jobs escreveu em sua carta final: “Valorizem o amor por sua família, amor por seu cônjuge, amor por seus amigos. Tratem-se bem. Valorizem os outros”.

O que você pode dizer sobre o fato de uma pessoa antes da morte dizer “eu te amo”?

Resposta: Uma pessoa antes da morte começa a sentir algo do mundo da verdade. Ela não é apenas iluminada pelo futuro, ela escapa do egoísmo do passado. Afinal, o que significa a morte? Em primeiro lugar, significa a morte do nosso egoísmo. Se ela adquire algo depois disso é outra questão.

Pergunta: Isso é algum tipo de limite entre se importar apenas com você e sair para um espaço completamente diferente? E há uma pequena verdade aí.

Resposta: É pequena, mas é aqui que começamos a alcançá-la e um novo mundo se abre.

Pergunta: “Eu te amo” é essa verdade?

Resposta: Sim, é aqui que começa. Do fato de que agora você sente que não amou e o que significa realmente amar.

Pergunta: Eu sinto neste momento que vivi para mim mesmo, amei apenas a mim mesmo?

Resposta: Muito!

Pergunta: O que há nesta última confissão, neste clamor, nesta oração?

Resposta: A pessoa percebe que toda a sua vida em seu egoísmo foi basicamente errada. No entanto, há quem diga o contrário: “Beba, fume, festeje, tire tudo o que puder da vida”. É sério. Eu ouvi isso. “Não leve mais nada em consideração! Satisfaça seus desejos”.

Comentário: Esta é uma reviravolta interessante. De repente, do romântico “eu te amo” para isso…

Minha Resposta: Este não é um romântico “eu te amo”. Isso é o que uma pessoa realmente sente. Estes não são sentimentos românticos de “eu amo – eu não amo”.

Pergunta: Isso é uma iluminação de tal verdade?

Resposta: Sim.

Pergunta: Ainda assim, você poderia me dizer o que está por trás de “Eu te amo”?

Resposta: Depende de que tipo de pessoa está dizendo isso.

Pergunta: Mas na verdade, o que está por trás da frase “eu te amo”?

Resposta: Eu te amo significa que eu quero me sentir como algo inexistente que só te preenche e se alegra com a tua realização.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 29/11/21

Um Buraco Na Alma Do Tamanho Do Criador

534Uma pessoa tem um buraco na alma do tamanho de Deus, e todo mundo o preenche da melhor maneira possível (atribuído a Jean Paul Sartre)

E a noção de um “buraco em forma de Deus” atribuída a Pascal:

O que mais esse anseio e esse desamparo proclamam, senão que outrora existiu no homem uma verdadeira felicidade, da qual tudo o que agora resta é a marca e o rastro vazios? Isso ele tenta em vão preencher com tudo ao seu redor, buscando nas coisas que não estão a ajuda que não pode encontrar nas que estão, embora ninguém possa ajudar, visto que este abismo infinito só pode ser preenchido com um objeto infinito e imutável; em outras palavras, pelo próprio Deus (Blaise Pascal, Pensées VII).

Minha Resposta: Sim, apenas o Criador pode preencher esse buraco com Ele mesmo.

Pergunta: Isto é, devo pedir ao Criador para preencher este buraco em mim?

Resposta: Sim, para que Ele próprio preencha este buraco com Ele mesmo.

Pergunta: Como isso pode ser feito?

Resposta: Este é o negócio Dele.

Pergunta: A sensação do buraco é uma sensação de vazio? O que é isso?

Resposta: É uma sensação de que realmente me falta o Criador.

Pergunta: Uma pessoa deve sentir que não tem o Criador?

Resposta: Sim. A fim de preencher o buraco que o Criador inicialmente criou nela.

Pergunta: Isso significa que o Criador a criou de propósito?

Resposta: Nosso egoísmo absorve tudo como um buraco negro e somente o Criador pode preencher esse buraco negro com Ele mesmo.

Pergunta: Eu devo dizer a Ele: “Venha preencher este buraco, não posso mais viver assim”?

Resposta: Eu devo dizer: “Eu Lhe peço, eu exijo que o buraco negro em mim que Você criou, Você o preencha, porque não posso fazer nada sobre isso!”

Este é o nosso ego. Somente o Criador pode preenchê-lo.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 15/11/21

O Desenvolvimento De Uma Semente Espiritual

232.08Pergunta: O corpo humano morre junto com todos os seus desejos terrenos. O que acontece com o desejo, que é chamado de ponto no coração?

Resposta: Nada. Se uma pessoa não desenvolveu esse desejo, ele existe nela em seu estado rudimentar, permanece na forma de um ponto, como uma semente. Como podemos dizer de um grão não enterrado que nele há vida? Eu pego este grão, moo e como. Mas posso plantar no solo e algo crescerá a partir dele.

Isso significa que tudo depende se estou trabalhando para cultivar algo desta semente espiritual ou da vida espiritual. Ela existe em mim em potencial, mas estou desenvolvendo-a? Eu dou a essa semente um útero, por assim dizer, no qual ela possa se desenvolver e nascer? É nisso que me tornarei uma pessoa, mas já uma nova, em um mundo diferente.

Se eu crio um ambiente especial em torno de semente (o desejo pelo superior), um grupo, aulas de Cabalá e esforços de disseminação, eu a visto com uma casca na qual ela se desenvolve e começo a sentir seu desenvolvimento.

Esse desejo se torna cada vez mais volumoso. Sinto nele todos os tipos de qualidades e vários movimentos. De repente, através dele, começo a ver um mundo completamente novo, novas sensações e novos relacionamentos.

Como na vida material, o feto se desenvolvendo dentro da mãe não tem conexão com nosso mundo e simplesmente existe em um espaço fechado, então primeiro eu passo por esse período de desenvolvimento espiritual intrauterino. Então eu nasço e começo a me sentir existindo de uma forma diferente, me desenvolvo no mundo espiritual.

Nele passamos pelos mesmos estágios que em nosso mundo, só que aí não morremos porque nos fundimos. Começamos a nos fundir com nossas almas, nossos desejos expandidos, aprimorados e desenvolvidos. Quando nos conectamos, então, como células no corpo, começamos a transferir umas para as outras tudo o que só podemos e intercambiar mutuamente.

É quando nosso corpo comum ganha vida e se sente acima de si mesmo. Assim como as células do corpo agem apenas para que o corpo exista, nossas almas existem para manter a vida acima de si mesmas e, por isso, elas existem.

De KabTV, “Close-Up. Mistério da Esfinge”, 05/02/10

Devemos Ser Eternos!

712.03Comentário: O homem sempre buscou uma forma de prolongar a vida. Ele acreditava que sua vida deveria ser eterna.

Minha Resposta: Precisamos alcançar isso! Só precisamos ir para um nível diferente de vida. O homem realmente deveria ser eterno. Nós temos que ser! Precisamos disso e a Cabalá pode nos ajudar.

Mas para isso o homem deve se elevar acima do nível animal. Um animal não pode ser eterno. Dois mil anos ou três mil anos de existência ainda não é a eternidade.

A pessoa deve pensar em como alcançar a eternidade durante sua vida. Não depende de quantos anos ela viverá, mas da intensidade com que, ao trabalhar sobre si mesma, se corrigirá da maneira certa, se elevará acima de seu egoísmo e alcançará seu estado espiritual acima do estado animal egoísta.

Então o nível do homem se desenvolverá nela e ela sentirá sua vida eterna perfeita, que realmente existe.

Acho que chegaremos a esse ponto. Teremos outro remédio que nos corrigirá por dentro e nos elevará acima do nível do egoísmo, acima de todos os problemas. Como resultado, nos tornaremos completamente saudáveis.

De KabTV, “Close-Up — Anamnese”, 19/02/10

Abra O Mundo Superior Aqui E Agora!

527.02Pergunta: As religiões não falam sobre o valor desta vida. Siga mais mandamentos e você irá para o céu. Em princípio, essa abordagem anula completamente a mente e todas as perguntas?

Resposta: Não, essa abordagem é boa para o esquema social normal da sociedade. Mas eles realmente não dizem que há valor nesta vida, apenas além de suas fronteiras.

Mas a Cabalá diz algo diferente: você deve alcançar o seu mundo neste mundo. Abra o mundo superior aqui e agora, e você descobrirá que está na eternidade, no infinito, na perfeição.

Este mundo espiritual está aqui. Nós não o sentimos. Expanda esse órgão dos sentidos em você, abra-o e, a partir dele, você verá o mundo superior. É seu. E quando seu corpo morrer, você nem sentirá que está morrendo.

Ao desenvolver um nível superior, automaticamente paramos de sentir o anterior porque começamos a sentir o fluxo da vida em um nível diferente.

De KabTV, “Close-Up – Mistério da Esfinge”, 05/02/10

Quando A Vida Terá Valor?

79.01Pergunta: De acordo com a Cabalá, um humano é uma alma. É assim que todos os Cabalistas se relacionam, tanto com os eventos que estão ocorrendo quanto com os humanos. Por que então esse conhecimento não nos foi dado desde o início? Por que apenas um pequeno número de pessoas tem dúvidas sobre o sentido da vida, sobre o desenvolvimento espiritual?

Resposta: Devemos nos desenvolver desde nosso ponto de partida, do ponto de luz que explodiu no volume do universo e o desenvolveu por quinze bilhões de anos. Cinco bilhões de anos atrás, a Terra começou a se formar a partir de uma nuvem gasosa, depois a natureza inanimada, vegetal, animal e humana.

Este é um processo de desenvolvimento contínuo e devemos participar dele. Não temos ideia de como todos esses estágios de desenvolvimento devem finalmente acontecer.

Hoje, quando estudamos a história da humanidade e seu desenvolvimento de geração em geração, não podemos fazer nada. Somos obrigados a seguir o caminho gradual do nosso desenvolvimento. Nós podemos apenas acelerá-lo.

Agora a Cabalá está sendo revelada ao mundo, pois estamos nos perguntando sobre o sentido da vida. As gerações anteriores não perguntaram sobre isso. Elas estavam satisfeitas com as religiões. Após a morte, haverá o paraíso; vai haver algo bom, ou estou vivendo para o bem dos filhos, para que se sintam bem. Essas respostas eram suficientes para nós e de alguma forma nos acalmávamos.

A geração atual não se acalma. Mas está apenas começando a se desenvolver e, é claro, ainda não é capaz de exigir uma resposta urgente à eterna questão sobre o sentido da vida. Mas já existem milhões. Portanto, a Cabalá é revelada.

Se agora explicarmos às pessoas o sentido da existência e como alcançá-lo durante esta vida, ela adquirirá valor.

De KabTV, “Close-Up. Mistério da Esfinge”, 05/02/10

O Pico Da Vida E Seu Desvanecimento

760.4Pergunta: Baal HaSulam escreve em seus artigos que uma pessoa chega a uma sensação de vazio interior no final da vida e deixa este mundo em desespero e desesperança interior: “O que foi tudo isso, para quê?”

E o que acontece com essa percepção depois que seu corpo morre?

Resposta: Nada. Ele fica desesperado. Além da habitual existência animal, surge nele a pergunta: “Para quê, por quê?” Esse sentimento de fim está conectado ao ponto no coração, ao microdesejo que temos, e ao desenvolvê-lo, podemos sentir o próximo mundo superior, o universo geral.

Pergunta: Ter esse desejo é que dá à pessoa o medo da morte?

Resposta: Não, os animais também temem a morte. Eles também tentam evitá-la, lutam com todas as suas forças para sobreviver. Afinal, os animais, assim como os humanos, gradualmente enfraquecem e morrem. Quando sentem a morte se aproximando, deliberadamente se distanciam dos outros, vão embora e morrem. No deserto, praticamente não vemos essas cenas, mas é assim que acontece.

É o mesmo com o homem. Ele quer se afastar do mundo todo porque na sua velhice ele não percebe mais, quer viver sossegado em seu canto até que desapareça completamente.

Isso acontece porque ele está perdendo gradativamente o contato com este mundo. Seus órgãos sensoriais não funcionam mais como antes.

Pergunta: Por que tudo está organizado dessa forma? Por que o curso da vida está piorando?

Resposta: Depois de quarenta anos, a vida começa a desaparecer. Seu pico está no período entre trinta e quarenta anos. Até os trinta anos, tentamos nos identificar de alguma forma, e dos trinta aos quarenta nos realizamos.

Não estou falando de cientistas, compositores ou personalidades criativas que continuam a se realizar. Há até pessoas entre eles que, por meio de suas qualidades especiais, alcançam o maior desenvolvimento aos sessenta anos. Os cientistas, por exemplo, acumulam uma enorme massa de informações e conhecimentos durante 60 anos de suas vidas. Para onde eles iriam? Não há aposentadoria para eles.

Mas uma pessoa comum empenhada apenas em cuidar de seu corpo, de sua vida comum, ela sente depois de quarenta anos que não há praticamente nada pelo que se esforçar, ela tem que pensar em como continuar existindo com calma, simplesmente existindo e gradualmente desaparecendo.

De KabTV, “Close-up. Mistério da Esfinge”, 05/02/10

Onde A Vida Real Está Se Escondendo?

712.03Pergunta: O que é a vida de acordo com a Cabalá? O que nos dá a sensação de estarmos vivos?

Resposta: De acordo com a Cabalá, o volume do universo em que nos sentimos hoje e chamamos de nosso mundo é uma parte muito pequena de todo o universo.

Ficamos nele por um certo tempo, vivenciamos vários eventos para acumular algumas informações especiais e, em seguida, saímos desse estado para entrar em um superior e começar a sentir o volume total do universo em sua verdadeira forma, não o nosso mundo, mas o universal, o que é chamado de mundo superior que inclui o nosso.

Portanto, na Cabalá, nossa existência em relação a todo este volume é considerada um sonho, uma sensação pequena e não óbvia da vida real. A vida real é completamente diferente do que sentimos hoje.

Na prática, só experimentamos nossa existência animalesca porque tudo o que fazemos é servir ao nosso corpo animal para que se sinta bem e confortável. Procuramos dar-lhe todos os prazeres que deseja absorver e tornar tudo o mais confortável possível para ele.

Imagine que seu amado animal de estimação mora ao seu lado e você cuida dele o tempo todo; esta, em princípio, é a nossa vida. Assim como os animais, queremos ter filhos, queremos que eles se sintam bem, trabalhamos para garantir o seu futuro. Nos animais, isso se manifesta muito claramente no nível instintivo. Sua preocupação com eles próprios e com a geração futura é o principal, além do essencial para a existência, como comida e abrigo.

Portanto, a esse respeito, somos animais em nosso mundo em relação ao mundo superior, onde somos chamados de “homem”.

De KabTV, “Close-up. Mistério da Esfinge”, 05/02/10