Sobre a Punição

Pergunta: O que é a punição? É o sofrimento neste mundo, a falta de desejo de união, ou apenas uma sensação desagradável?

Resposta: Isso sempre depende da pessoa. Precisamos perceber que os quatro níveis da natureza – o inanimado, vegetal, animado e da fala – existem por meio da Luz que se derrama sobre o desejo. Fora destes quatro tipos de desejo, apenas o da fala (ser humano) é capaz de responder propositadamente ao nível da Luz.

Enquanto o desejo cresce, o Kli (receptor) começa a sentir como se não correspondesse à Luz. A natureza sofre em todos os seus níveis, devido à falta de adesão e da incapacidade de alcançá-la e  naturalmente, o homem sofre mais. Primeiro de tudo, seu desejo é maior e mais suscetível, mas o mais importante, o fim da cadeia está nas mãos dele. Ele tem a capacidade de realizar a adesão e trazer o resto dos níveis com ele.

O sofrimento do nível humano gradualmente nos traz para a realização da escolha. E quando o homem começa a compreender que os problemas são causados por sua inatividade, será possível falar de recompensa e punição. Tudo o que já aconteceu não desempenha um papel no presente, porque a verdadeira categoria de recompensa e punição sempre correspondem ao objetivo: correção.

Ou o homem começa  compreender que o Governo Superior opera no mundo e usa recompensa e punição, a fim de direciona-lo corretamente para o objetivo, ensinando-o através de consequências negativas e positivas, como os pais ensinam seus filhos em nosso mundo. Então tudo o que acontece adquire um efeito nos meus olhos. Punição, apenas, como recompensa, é uma correção, e o jeito de aceitá-la depende de mim.

No entanto, só será capaz de aceitá-la corretamente em um grupo, o local onde o Governança Superior precisa ser realizada. Recompensa e punição são inseparavelmente ligadas à minha participação no grupo, a garantia mútua. Eu examino a recompensa e punição tão precisamente quanto possível e me relaciono com eles da mesma maneira: eu preciso de ambos, a fim de manter corrigido o tempo do percurso após o tempo. Essencialmente, ambos são recompensas.

No final, descobrimos uma coisa simples não há punição, e todo estado é dado com o propósito de usá-lo em toda sua extensão, a fim de aproximar-se da Luz.

Da 1a. parte da Lição Diária de Cabala de 21/10/10, “Eu Sou o Primeiro e eu Sou o Último”

Comente