Guiar As Crianças Para A Vida Real

Dr. Michael LaitmanO nosso sistema de educação deve trabalhar em um filão da nossa própria vida. Nós não devemos dizer absurdos e mentiras às crianças ou pintar um falso mundo para elas. Todo brinquedo deve orientar a criança para a vida real e a análise correta da mesma. Cada detalhe deve ser um pequeno exemplo das realidades do grande mundo. Nós devemos mostrá-lo à criança gradualmente, mas endo em mente que é o mundo real e não uma ficção.

Para preservar a criança, eu traço limites para ela, mas ao mesmo tempo dou-lhe liberdade dentro destes limites. A criança aprende a ser um ser humano com suas ações nestas condições restritas e seguras. Aos poucos, os limites se expandem, e, gradualmente, o ser humano é formado dentro dela.

Além disso, eu não lhe ofereço soluções pré-definidas, mas apenas um exemplo limitado. Eu não monto para ela os “blocos de cubo” interconectados, mas apenas defino um padrão a ser seguido, e deixo-a com a liberdade de fantasiar e criar. Às vezes, eu mesmo preparo enigmas, truques e armadilhas para ela, de modo que ela seja capaz de aprender com os erros. Somente assim eu prepararei a criança para a vida.

Como eu posso lhe oferecer todas as soluções com antecedência? Pelo contrário, nós crescemos a partir de nossas experiências em enigmas e exercícios, tentativas e erros. A memória deles cria a abordagem correta na criança, e assim ela sabe por onde começar e como resolver um problema. No final, se ela errar, isso será apenas porque ela foi pega de surpresa e não esperava tal reviravolta nos acontecimentos.

Cada nova etapa começa exatamente assim: ela é nova e imprevisível, e a criança erra. Porém, enquanto a criança está nela, ela aprende com seu fracasso e se beneficia com isso.

Da Discussão sobre a Educação 29/09/10

Comente