Para Que O Grão Caia No Solo Preparado

231.01Pergunta: Parece-me que você difere um pouco de lição para lição. Sua conexão com o Rabash funciona aqui?

Resposta: Funciona com o Rabash, bem como com o Baal HaSulam e todos os grandes Cabalistas do passado.

Sinto que estou na ponta de toda essa cadeia e estou passando seu conhecimento a você. Portanto, sinto minha responsabilidade e sempre sinto o quanto posso abrir e o quanto não posso.

O Baal HaSulam escreve sobre isso em “Revelando uma Porção, Cobrindo Duas”. E eu sinto isso. Portanto, naturalmente, por um lado, sou um pouco diferente a cada vez, como se me revelasse um pouco, jogasse a próxima carta Cabalística. Mas, por outro lado, mantenho algo na reserva porque tudo isso deve ser dosado muito estritamente, gradativamente.

Hoje estamos falando sobre o que não falamos há seis meses. E isso se manifesta porque o grão cai no solo preparado. Mas a cada vez é preciso preparar o solo de novo, e aí lançar o grão.

Pergunta: O espectador que assiste e ouve nossos programas ajuda a preparar esse solo?

Resposta: Sim. Talvez indiretamente, mas ele participa conosco. Esse é seu mérito e sua recompensa. Ele verá como essa participação aparentemente passiva o atrai e puxa para o nível espiritual.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 21

O Propósito Da Nossa Vida

912Pergunta: Como o propósito de uma pessoa está relacionado com o trabalho de sua vida?

Resposta: Em princípio, uma pessoa deve entender que não tem nada a fazer na vida, exceto existir normalmente, mas no sentido muito comum da palavra. Ou seja, todo o seu trabalho deve ser o de se munir de tudo o que é necessário, exatamente o que é necessário.

E todo o resto, toda a sua força, conhecimento e oportunidades, doe para criar rapidamente a conexão certa com outras pessoas e alcançar o nível do Criador, ou seja, a interconexão completa. Nessa conexão integral, nos encontramos existindo de uma forma completamente diferente, em um nível diferente, em uma matriz diferente. Este é o propósito da vida.

Como resultado de nosso desenvolvimento terreno, chegamos a um estado que nos empurra para o próximo nível de existência.

De KabTV, “Videoconferência”

O Ambiente É Mais Forte Do Que O Hábito

528.02Pergunta: Existe alguma conexão entre um hábito e a influência do ambiente sobre uma pessoa?

Resposta: O ambiente tem um grande impacto nas pessoas.

Pergunta: O que funciona melhor: o ambiente ou o hábito?

Resposta: O ambiente é mais forte. Ele pode mudar nossos hábitos porque há muitas qualidades em uma pessoa com as quais você pode brincar: ódio, amor, honra, fama e principalmente vergonha. Portanto, a influência externa do ambiente é um meio que transforma uma pessoa.

Sob a influência do ambiente, uma pessoa pode fazer tudo de forma rápida e correta.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 25/06/21

Quando Todas As Necessidades Perdem Valor

538Pergunta: Vivemos em uma época em que a maioria das pessoas tem tudo o que precisa. Como nossas necessidades básicas são atendidas inicialmente, não é mais necessário monetizar o trabalho da sua vida, certo?

Resposta: Depois de um certo período histórico, talvez daqui a algumas décadas, chegaremos a um estado em que os robôs trabalharão em nosso lugar, e as pessoas, em princípio, não precisarão mais de dinheiro, fama ou mesmo conhecimento, porque todos isso perderá valor devido à falta de sentido.

Aos poucos, deixamos de ver o sentido do nosso desenvolvimento corporal e entendemos que tudo está chegando a um beco sem saída, inclusive a ciência. O que revelamos na natureza é, na verdade, um caminho que nos leva ao beco sem saída do desenvolvimento, a uma crise global. Tudo é muito mais amplo e em um nível diferente.

O egoísmo se desenvolve de acordo com certos graus, e agora chegou ao ponto em que se fechou. Ele se dobra, torna-se uma pequena aldeia e, finalmente, vai nos forçar a nos conectarmos, embora não queiramos.

Aqui podemos chegar a uma conexão ou impulsionados por vários sofrimentos, incluindo guerras e destruição, ou percebendo que é necessário porque é a implementação do programa da criação.

De KabTV, “Videoconferência”

“A Privacidade Está Superestimada?” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “A Privacidade Está Superestimada?

Uma nova proposta de lei em Israel quer colocar câmeras de detecção de rosto em espaços públicos. O objetivo da iniciativa é ajudar a polícia a reduzir os níveis de criminalidade e violência. Por outro lado, as organizações de direitos humanos dizem que essas câmeras violam gravemente o direito das pessoas à privacidade, pois permitem que a polícia nos rastreie em qualquer lugar.

Quando fui informado sobre a ideia pela primeira vez, minha reação instintiva foi “E daí?” E, de fato, o que o Estado pode descobrir sobre mim, que sou humano? Admito que não acho isso assustador, pois acho que é assim que temos que nos relacionar com as pessoas: como egoístas completos. “A inclinação do coração do homem é má desde a sua juventude” (Gênesis 8:21) não é um adágio bíblico, é a verdade Isso é realmente quem somos, então o que a polícia pode descobrir, que somos quem somos?

Na verdade, não é que tenhamos medo de que nossos segredos sejam conhecidos; é que não confiamos nas pessoas que os conhecerão. Várias vezes na minha vida, eu me vi deitado nu enquanto dez ou mais médicos pararam ao meu redor, olharam para mim e discutiram o que fazer comigo. Não senti vergonha deles; eu sabia que eles queriam o meu melhor. O problema é que, como não acreditamos que o governo queira o nosso melhor, não queremos que ele tenha acesso a informações sobre nós. E como somos maus desde a juventude, temos bons motivos para querer manter nossas ações escondidas dos olhos do público.

Então, como podemos resolver uma situação em que a polícia quer prevenir o crime e, portanto, precisa de melhores meios de vigilância, mas para rastrear criminosos, ela também instala instrumentos que permitem rastrear civis regulares? Para resolver isso, precisamos mudar o governo e os cidadãos. Em outras palavras, o governo precisa trabalhar para os cidadãos, e os cidadãos precisam desenvolver uma natureza que não seja inerentemente negativa e prejudicial aos outros.

Uma vez que os cidadãos elegem o governo que os representa, isso significa que ele os reflete. Em outras palavras, o fato de o governo não querer nosso benefício é porque não queremos o benefício uns dos outros. Não é de surpreender que elegemos representantes feitos à nossa imagem: o mal desde a juventude.

Na maioria das vezes, ainda negamos que sejamos assim. O mundo ao nosso redor está desmoronando, as sociedades estão se desintegrando no mundo livre e em ditaduras semelhantes, uma praga global está desenfreada, mas relutamos em cooperar para derrotá-la, a natureza está enfurecida em todo o mundo e ameaça nos afogar, queimar e derreter, e devastar nossas economias até morrermos de fome, mas não sentimos que nada disso seja nossa culpa.

Talvez se colocarmos as câmeras bem à vista e em todos os lugares para que possamos ver nosso comportamento como ele é, veremos quem realmente somos. Talvez então percebamos que não temos escolha a não ser mudar, que devemos nos tornar seres melhores, mais gentis uns com os outros, mais atenciosos e menos imponentes. Talvez então escolhamos líderes que tenham nossos melhores interesses em mente, em vez de seu próprio poder e riqueza. Então, com certeza, não teremos nada a esconder.

“Tu B’Av, Mais Do Que Um Dia Dos Namorados Judaico” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Tu B’Av , Mais Do Que Um Dia Dos Namorados Judaico

Como é possível que o amor seja o motivo de quase todas as atividades em que as pessoas se envolvem e, ainda assim, o que vemos ao nosso redor é ódio, separação e brigas sem fim? Vamos repensar o que é amor verdadeiro.

A melhor explicação para esse conceito pode ser encontrada no significado de Tu B’Av (15 de Av), o dia do amor. Ele acontece logo após Tisha B’Av (9 de Av), o dia da destruição. Só depois desta crise sem paralelo onde o mal se revela, o ódio entre nós, somos capazes de nos corrigir e alcançar o amor verdadeiro. Então começa um novo período de equilíbrio. Para alcançá-lo, no entanto, precisamos primeiro reconhecer que nosso estado atual é completamente oposto a ele.

Em outras palavras, o reconhecimento de um ódio infundado que habita em nosso coração é a pré-condição para a obtenção do amor incondicional entre nós. Como está escrito, “Tu B’Av é a correção e mitigação de Tisha B’Av” (Likutey Halachot).

Também está escrito na Mishná: “Nenhum dia foi tão bom para Israel quanto o dia 15 de Av – um dia em que as tribos puderam se misturar e transmitir a bondade de cada uma a um amigo” (Tiferet Shlomo).

Tu B’Av foi o maior dos dias em que, segundo a tradição, as moças de Jerusalém saíam vestidas de branco para cantar nos pomares e vinhas. Os rapazes se juntariam a eles para escolher sua noiva. Essas são as imagens que caracterizam este feriado.

Apesar das imagens românticas, não é o amor terreno de rapazes e moças nos vinhedos de que fala Tu B’Av, mas um tipo de amor totalmente diferente: aquele construído sobre o egoísmo (interesse próprio em vez de preocupação com o bem-estar dos outros) que destruíram o Primeiro e o Segundo Templos no dia 9 de Av, que acabamos de comemorar. Os dias sombrios entre o dia 17 de Tammuz e Tisha B’Av lembram o povo judeu da destruição dos dois Templos, bem como de outros problemas e aflições por que passamos. Mais tarde, quando o ódio infundado se for, começa um novo período durante o qual buscamos a correção.

Procuramos um parceiro espiritual para nos ajudar a realizar essa transição que desejamos, e o parceiro espiritual para homens e mulheres é a força superior de amor e doação, o Criador. Nós nos conectamos a Ele e juntos recebemos a realização absoluta, o prazer e a iluminação – a revelação do mundo real – existindo nessa realidade sublime e total e não apenas no minúsculo fragmento dela que conhecemos como nosso mundo. Todo o processo de unificação de Tu B’Av simboliza nossa correção final, a reconstrução do Templo e nossa transformação do ódio ao amor.

Portanto, a festa de Tu B’Av alude à época em que construiremos o Terceiro Templo. No entanto, a alusão não se refere a uma edificação física, mas àquela que construímos em nossos corações, entre nós. Ela fala de um estado em que a humanidade está conectada positivamente e em que a força unificadora que mantém o mundo e toda a realidade se revela entre nós.

O que é amor verdadeiro? O amor verdadeiro, não o amor no nível corporal em que geralmente pensamos, é um sentimento especial de conexão entre nós que nos eleva às alturas da eternidade, totalidade e uma expansão infinita de nossos sentimentos e pensamentos. Começamos a sentir que existimos em total realização quando nos relacionamos uns com os outros com este amor supremo.

Em nosso estado atual, mesmo quando sentimos que amamos alguém, é porque amamos como essa pessoa nos faz sentir. Como resultado, paramos de amar quando não obtemos alegria no relacionamento, então, na verdade, não havia amor verdadeiro ali para começar. Amar verdadeiramente o outro significa desejar apenas a felicidade daquela pessoa, querer dar a essa outra pessoa.

No entanto, existe uma condição especial necessária antes que possamos alcançar o amor verdadeiro. O amor só se desenvolve depois de revelar primeiro um estado de fragmentação – o estado atual – e, em seguida, reunir todas as peças quebradas em um espírito de preocupação mútua e reciprocidade.

O novo estado de consciência, esta nova compreensão e sentimento, nos eleva ao nível mais alto da realidade perfeita acima das limitações de nossa vida terrena. Tu B’Av nos leva ao estado único do “Ame seu próximo como a si mesmo”.

“O Que Devo Fazer Para Parar De Sentir Desespero?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que Devo Fazer Para Parar De Sentir Desespero?

Se sentirmos desespero, devemos buscar a causa desse sentimento. No final das contas, ficamos desesperados porque, mesmo que vivamos até os 200 anos, ainda seremos incapazes de realizar nosso desejo de desfrutar.

Nosso desejo de desfrutar é nossa natureza. Ele nos empurra a desfrutar por meio de nossos desejos por comida, sexo, família, dinheiro, honra, controle, conhecimento e espiritualidade. O problema com esse desejo é que ele visa apenas o nosso benefício pessoal, então qualquer prazer que recebemos dura pouco e acabamos nos sentindo mais vazios à medida que nos desenvolvemos.

Quando chegamos a um estado de desespero de viver, um estado que todas as pessoas acabarão por atingir, então, para melhor lidar com esse sentimento, devemos buscar uma solução.

Como podemos sair do sentimento de desespero? Recebemos esta pergunta em última análise da natureza. A natureza é íntegra, perfeita e eterna, e nós também, em última análise, exigimos ser íntegros, perfeitos e eternos. Cada um de nós enfrenta esse dilema eterno e não encontra resposta. Alguns de nós podem ser capazes de pacificar essa questão com meios psicológicos ou contentando-se com certos prazeres por enquanto.

Porém, quanto mais nos desenvolvermos, mais seremos incapazes de pacificar nossas questões existenciais, e elas nos pressionarão cada vez mais para de alguma forma encontrar suas respostas. Qual, então, pode ser a solução para toda a nossa existência?

A sabedoria da Cabalá é um método que fornece a seguinte solução: precisamos mudar o mundo mudando a nós mesmos. O mundo é uma cópia de nós. Projetamos nossas qualidades em tudo o que está fora de nós. Portanto, se mudarmos nossas qualidades para espirituais, ou seja, para qualidades de amor, doação e conexão positiva, sentiremos um mundo diferente.

Em outras palavras, mudar a intenção da qual desejamos desfrutar – de benefício próprio para benefício dos outros e da natureza – é a chave para parar o desespero. Ao fazer isso, entramos em equilíbrio com a natureza e começamos a sentir seu fluxo de eternidade, harmonia e perfeição.

Baseado em uma Conversa com o Cabalista Dr. Michael Laitman. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Meus Pensamentos No Twitter 22/07/21

Dr Michael Laitman Twitter

Enquanto a parte europeia da #Russia luta com o sufocante #calor, #Alemanha, #Belgica e #Holanda são afetadas por #chuvas poderosas. Na #India as #moncoes regulares são muito fortes neste momento. A #China está #inundada. A natureza mudou para uma ofensiva constante e decisiva para nos ensinar a ser pessoas, a ser responsáveis ​​pela natureza!

Do Twitter, 22/07/21

Conexão Correta

275Pergunta: O feriado do “Dia do Amor”, 15 de Av, já existe há cerca de 3.000 anos. As pessoas começaram a celebrá-lo antes mesmo do estabelecimento do reino em Israel, antes de Jerusalém ser conquistada. Naquela época, cada tribo de Israel vivia em seu próprio território e eram proibidas de se misturar.

Portanto, as meninas que possuíam terras não se casavam com membros de outra tribo. Por que a Torá fala de unidade e há tal restrição aqui?

Resposta: O fato é que a conexão não pode ser sem ordem, sem regras. Portanto, requer uma certa estrutura, limites.

A conexão existe para garantir que todas as partes do país estejam conectadas corretamente e todas as partes do mundo também estejam conectadas corretamente ao seu redor.

Mesmo se tivermos um desejo sincero de nos conectarmos uns com os outros e nos tornarmos um único todo, esse único todo contém todas as nuances egoístas: rejeição, oposição e ódio. É necessário superar o ódio no amor: “O amor cobrirá todos os crimes.”

No entanto, o ódio permanece, caso contrário, o amor não terá fundamento.

Portanto, a conexão consiste em duas partes: ódio e amor. Quando essas qualidades são conectadas corretamente, uma linha média é formada entre elas. Somente no entendimento correto e na implementação correta das partes opostas podemos alcançar o estado de uma conexão verdadeira.

Pergunta: Isso ajudou a preservar a particularidade étnica de cada tribo, suas tradições e costumes?

Resposta: Isso ajudou a criar a conexão correta de todo o povo de Israel, ou seja, uma estrutura que estaria em um equilíbrio dinâmico interno correto, como os órgãos do corpo, cada um dos quais funciona em seu próprio modo interno e está conectado aos outros órgãos por meio de certas conexões externas. Além disso, cada órgão existe como se por si só e, juntos, funcionam de modo a sustentar a vida do corpo, que pode assim cumprir suas funções gerais.

De KabTV, “Estados Espirituais”

Dia 9 De Av: A Raiz Espiritual Da Manifestação Do Mal No Mundo…

294.3Pergunta: O dia 9 de Av  é considerado um dia de luto nacional para o povo judeu. No dia 9 de Av, o Primeiro e Segundo Templos foram destruídos, a Inquisição começou, e eles foram expulsos da Espanha, que os judeus consideraram sua casa. No dia 9 de Av, o massacre de judeus por Bohdan Khmelnytsky começou. Nesse dia, em 1914, começou a Primeira Guerra Mundial e com isso atingiu o mundo inteiro.

Hoje o quão relevante é essa data, o dia 9 de Av?

Resposta: Essa data é como uma raiz. A raiz espiritual da manifestação do mal no mundo, mas principalmente em relação ao povo judeu.

Pergunta: Então, ela deve estar diante de nós, agigantando-se?

Resposta: Isso nos protegerá da estupidez.

Pergunta: As futuras gerações também passarão pelo dia 9 de Av?

Resposta: Até que o mundo seja completamente corrigido, essa é a fonte do mal.

Pergunta: Devemos ter medo desse dia?

Resposta: É bom ele quando ocorre calmamente. Estou falando sério.

Comentário: Dizem que não se deve assinar contratos neste dia.

Minha Resposta: Em geral, é melhor não fazer nada neste dia.

Pergunta: Você quer dizer que isso é para todas as pessoas do mundo ou ainda é para os judeus?

Resposta: Em primeiro lugar, para os judeus, porque depende deles como esse dia 9 de Av passará por eles e pelo mundo. Portanto, se passar com calma, você pode continuar a avançar em direção à correção, na esperança de que isso seja feito em passos calmos.

Pergunta: Este dia mais escuro pode se transformar no mais brilhante?

Resposta: Naturalmente! Claro! Mas depende de nós quando será. Quando nossa nação entender o que tem que fazer, concordar com isso e transformar o dia do ódio em um dia do amor. Isso é tudo.

Pergunta: Vejo que quando chegar o dia 9 de Av, será apenas um dia de luto. Ninguém acha que esse dia deveria ser transformado em um dia brilhante. As pessoas não pensam assim. Deve haver um pensamento assim?

Resposta: Claro, deveria haver! Sim, de fato! Afinal, nosso problema é que geralmente negamos qualquer obrigação para com os judeus neste mundo. Isto é um problema! Este problema vem ocorrendo desde o êxodo do Egito e recepção da Torá.

É preciso realizá-lo! Para realizá-lo de modo que o resto das nações do mundo também chegue a sua realização.

E a realização não consiste em realizar alguns movimentos mecânicos, mas em amar o próximo como a si mesmo. Isso é o que está faltando.

Todos uma vez ouviram que “ame o seu próximo como a si mesmo” é o principal testamento da Torá, mas ninguém pensa que é obrigatório para todos no mundo inteiro realizá-lo. Para quem é uma obrigação?

Para o mundo todo, essa é uma espécie de oferta voluntária e não coercitiva. E para o povo judeu, é obrigatória. Nós nos comprometemos, recebemos uma propriedade, uma conexão com a força superior que nos corrigirá por isso de acordo com nossos desejos, nossos pedidos. E não exigimos isso. É isso; tudo se extraviou a partir daí.

Pergunta: Por favor, diga-me. Depois que o Primeiro e o Segundo Templos foram construídos, começamos a amar o próximo. Por que foi necessário o dia 9 de Av aparecer e esses Templos serem destruídos?

Resposta: Para que possamos começar a corrigi-los. Porque a construção vinha de cima. Recebemos um poder que de alguma forma nos uniu.

Pergunta: Então, dois Templos foram construídos de cima?

Resposta: Claro. A força vem de cima, não de nós, de nós mesmos.

E o Terceiro Templo, devemos ainda perceber o quão necessário é, e exigi-lo de baixo para cima.

Pergunta: O Terceiro Templo será construído por todo o mundo?

Resposta: Ele será construído no coração daqueles que lutam pelo Criador. Eles são chamados de povo de Israel. Então será assumido por todo o mundo.

Comentário: Você quer dizer que Israel não são os judeus de hoje, os israelenses que vivem em Israel, os judeus com mãe e pai de acordo com o passaporte, mas aqueles que se esforçam pelo Criador.

Minha Resposta: Sim. Em princípio, aqueles que aspiram ao Criador são chamados de “Israel” e são obrigados a cumprir a conexão e espalhá-la por todo o mundo.

Esperemos que essa seja a última vez que celebramos, se podemos dizer “celebramos”, essa data sombria, e a partir dessa data, será a data oposta de união e conexão, transformando-se em amor.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 15/07/21