De Modo Que O Coração Ame Verdadeiramente Um Amigo

laitman_933Rabash, “De Acordo Com O Que É Explicado Sobre ‘Ama O Teu Amigo Como A Ti Mesmo’”: Nossos sábios disseram: “Dispersem os iníquos; melhor para eles e melhor para o mundo”. Em outras palavras, é melhor que eles não existam. No entanto, é o oposto dos justos: “Reúnam os justos; melhor para eles e melhor para o mundo”.

Inicialmente, não havia justos. Os justos são nossas qualidades corrigidas. Em todos os níveis, quando entramos em um novo grau, os antigos justos caem e os novos pecadores se levantam e os transformamos em justos novamente.

“Qual é o significado de“ justo”? São aqueles que querem manter a regra: “Ama o teu amigo como a ti mesmo”. A sua única intenção é sair do amor próprio e assumir uma natureza diferente de amor pelos outros. E embora seja uma Mitzva [mandamento] que deve ser mantida, e que uma pessoa pode forçar-se a manter, o amor ainda é algo que é dado ao coração, e o coração discorda dele por natureza. O que, então, uma pessoa pode fazer para que o amor aos outros toque o coração?”

É impossível. Somente a Luz superior pode fazer tal correção para nós. Isso não está em nosso poder, pois exige duas forças: uma que não é corrigida e outra que é o poder de correção, que não temos. Nem sabemos exatamente como ou o que deve ser corrigido.

É por isso que recebemos as 612 Mitzvot: elas têm o poder de induzir uma sensação no coração. No entanto, uma vez que é contra a natureza, essa sensação é pequena demais para ter a capacidade de manter de fato o amor dos amigos, mesmo que a pessoa tenha uma necessidade disso. Por isso, agora ela deve procurar conselhos sobre como realmente implementá-lo.

O conselho para que a pessoa seja capaz de aumentar sua força na regra “ama teu amigo” é pelo amor dos amigos.

Isso fala sobre o fato de que há doação e também há recepção em prol da doação.

Pergunta: O trabalho nas dezenas, nos workshops e nos estudos é dirigido apenas a uma coisa: atrair a Luz que reforma?

Resposta: Sim, não precisamos de mais nada. A Torá é a Luz superior que corrige nossos desejos egoístas e os transforma em altruísta. A correção de uma intenção egoísta em uma altruística é chamada de observar um mandamento.

De KabTV “a Última Geração”, 18/04/18

Nova Vida # 1065 – Pensamento Paradoxal E Desenvolvimento Espiritual

Nova Vida # 1065 – Pensamento Paradoxal E Desenvolvimento Espiritual
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

Paradoxos são resolvidos através da consciência do Criador. Eles vêm para mim de uma fonte integrada e eu quero devolvê-los a essa raiz superior. Ao trabalhar em mim para estar constantemente em doação e amor, eu descubro a complementaridade entre os opostos. A conexão entre o bem e o mal é feita apenas através da transcendência para uma terceira linha, que une os opostos. No desenvolvimento espiritual, não destruímos o mal ou o ego. Em vez disso, o transcendemos porque o mal nos avança. O egoísmo humano é uma força destrutiva, mas se construirmos um sistema de pensamento mais avançado no qual a doação é mais importante que a recepção, ele se torna um estímulo para o desenvolvimento espiritual. A Torá encoraja o pensamento paradoxal a fim de elevar uma pessoa a um nível espiritual. Podemos aprender a amar sem eliminar o ódio subindo acima dele.

De KabTV “Nova Vida # 1065 – Pensamento Paradoxal E Desenvolvimento Espiritual”, 02/10/18

Meus Pensamentos No Twitter 19/11/18

Dr Michael Laitman TwitterDia Internacional dos Homens!
Hoje estou feliz em desejar a todos os homens um feliz Dia Internacional do Homem!
Desejo que cada um de vocês encontre a si mesmo, seu lugar na vida e, mais importante, o propósito de sua vida e seu papel!
#DiaInternationalDoHomem

Do Twitter, 19/11/18

The Times Of Israel: “Eu Também Tenho Um Sonho… Um Mundo Livre De Antissemitismo”

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Eu Também Tenho Um Sonho… Um Mundo Livre De Antissemitismo“.

Reacendendo As Relações Entre Negros E Judeus Na América Através Da Conexão Judaica

No início da tarde, andando em uma área movimentada do Brooklyn, em Nova York, um homem judeu usando um yarmulke recebeu um soco no rosto e foi chutado em um ataque não provocado causado por um jovem negro capturado pela câmera. Infelizmente, este não é um incidente isolado, mas apenas um dos mais recentes em uma espiral ascendente de ataques antissemitas na América perpetrados por afro-americanos. Nós exploramos neste artigo a base desse ódio generalizado e a fonte de sua solução única.

Recentemente, um homem negro de 26 anos foi preso, suspeito de ser responsável por sete incêndios ocorridos fora das instalações judaicas em Nova York, e por escrever grafites antissemitas “Matem todos os judeus” e “Morram ratos judeus, estamos aqui ”, em uma sinagoga do Brooklyn. Dias antes, outro homem negro foi acusado de um crime de ódio após ter esmagado um judeu com uma vara em um bairro de Nova York, em outro ataque não provocado.

Apenas alguns dias depois de várias sinagogas e yeshivas terem sido atacadas na região, o Departamento de Polícia de Nova York prendeu um grupo de adolescentes negros que realizaram uma série de ataques antissemitas no Brooklyn, inclusive forçando uma garota hassídica de 10 anos no chão, derrubando o chapéu de um menino hassídico de 14 anos, e jogando um cano de metal pela janela de uma sinagoga durante as orações do Shabat no bairro de Williamsburg.

O antissemitismo negro também surgiu na forma de um discurso de ódio cruel visando judeus e Israel. No início deste ano, um vereador afro-americano em Washington, DC acusou os Rothchilds de serem responsáveis ​​pela mudança climática. Enquanto isso, o Black Lives Matter endossou o boicote do BDS a Israel, acusando-o de ser um “Estado do apartheid” que perpetrava “genocídio”.

No entanto, o vociferante e virulento líder antissemita da Nação do Islã, Louis Farrakahn, que não faz esforços para esconder seus pensamentos inflamados, ofusca todos os outros ódios afro-americanos aos judeus. Ele recentemente comparou judeus com cupins, pregou em seu púlpito que os judeus contemporâneos “não são realmente judeus, mas são de fato Satanás”, e constantemente incrimina os judeus como conspiradores mal.

Por Que As Tensões Entre Negros E Judeus Aumentaram?

Negros e judeus, como minorias nos EUA, têm uma longa história de cooperação frutífera que remonta ao movimento dos Direitos Civis, quando eles trabalharam lado a lado para avançar o ideal de uma sociedade mais pluralista. O campeão americano de direitos humanos, Dr. Martin Luther King Jr., também tinha um vínculo especial com os judeus e Israel, como expressou no final dos anos 1960: “Paz para Israel significa segurança, e devemos nos apoiar com todas as nossas forças para proteger seu direito de existir, a sua integridade territorial e o direito de usar as rotas marítimas de que necessita”.

O que azedou as relações entre as comunidades afro-americana e judaica desde então? A partir do momento em que os judeus começaram a estabelecer seu status na sociedade americana através do trabalho árduo e aproveitando todas as oportunidades, a relação entre judeus e afro-americanos começou a mudar. Os negros se sentiram para trás e ficaram cada vez mais frustrados.

Em muitos círculos americanos há um antissemitismo insidioso, e os judeus são retratados como os opressores dos desprivilegiados, entre eles os negros, acusados ​​de serem ricos às custas dos desfavorecidos. Tais alegações lançaram combustível nas chamas da frustração e do ressentimento da comunidade negra, incitando sentimentos antissemitas.

No entanto, devemos ter cuidado para não generalizar as tensões entre as comunidades judaica e afro-americana. Também é verdade que uma aliança judaica-negra foi estabelecida para combater o racismo e o antissemitismo à luz do renascimento do movimento Supremacistas Brancos na América. O verdadeiro problema é que nada parece mitigar o ogro do antissemitismo. A verdade é que, embora a raiz subjacente do antissemitismo tenha capturado alguns negros americanos em seus ramos (juntamente com muitos outros), para erradicar o ódio, precisamos entender sua raiz.

O maior Cabalista desta geração, Rav Yehuda Ashlag, entendeu exatamente por que o antissemitismo persistiu e explicou obstinadamente isso há sessenta anos: “É um fato que Israel é odiado por todas as nações, seja por razões religiosas, raciais, capitalistas, comunistas ou cosmopolitas. É assim porque o ódio precede todas as razões, mas cada [pessoa] simplesmente resolve sua aversão de acordo com sua própria psicologia” (Yehuda Ashlag, “Os Escritos da Última Geração”).

A sabedoria da Cabalá estuda as forças fundamentais da natureza e explica que existe uma lei rígida dentro da natureza que não pode ser mudada. Uma pessoa só pode estudar esta regra absoluta e aprender como agir sobre ela, mas nunca tentar violá-la sem consequências extremas. Qual é essa lei suprema da natureza?

Ao longo dos tempos, os Cabalistas explicam que toda a humanidade está contida dentro de um sistema harmonioso de inter-relações, no qual duas forças opostas operam: positiva e negativa. A força negativa é o mesmo egoísmo de rejeição que distingue e separa as pessoas, o mesmo impulso que causa o racismo e o ódio do outro. Contra essa força repelente dentro de cada um de nós está a força positiva que encerra, conecta e unifica todas as várias partes do sistema.

Abrindo o Tubo da Harmonia no Mundo

Desde que receberam a lei da interação humana dentro deste sistema no Monte Sinai, é como se os judeus segurassem o microfone para a comunicação dentro do sistema como um tipo de microprocessador que reverbera para toda a humanidade. Nas mãos deles está o método de conexão, a sabedoria da Cabalá. Uma vez que os judeus se unem, a mesma força positiva irradia para o mundo inteiro. Mas, assim que os judeus deixam a força egoísta dentro da natureza gerenciá-los, o ódio irracional do antissemitismo é despertado em todos os órgãos do sistema, em todos os países, formas e cores da pele.

Como um corpo involuntariamente ofegante, o mundo pressiona inconscientemente os judeus a entregar a solução para os problemas da humanidade. Tragicamente para todos, em vez de puxar para baixo o sopro de vida para eles, os judeus obstruem as vias aéreas que levam a bondade ao mundo com seu orgulho inchado, as lutas internas e a desconsideração autocentrada pela saúde do corpo humano.

O antissemitismo negro nos EUA é um sintoma desagradável de uma doença muito mais invasiva. Portanto, antes que a doença entre em sua fase aguda, onde os casos de antissemitismo e antissionismo explodem em toda parte, forçando os judeus a se unirem, é imperativo que os judeus cumpram seu dever para com a humanidade e abram o canal para todos.

Dentro deste ato, os judeus aproximarão povos de todos os tipos e cores. Não haverá divisão entre judeus e afro-americanos. Naquela época, o antissemitismo desaparecerá em todo o mundo e nosso sonho compartilhado se tornará uma realidade tangível. Como o rabino Eliyahu Ki Tov escreveu: “Somos ordenados a cada geração a fortalecer a unidade entre nós para que nossos inimigos não nos governem” (O Livro da Consciência).

Nova Vida # 1064 – A Resistência Interna É Um Estímulo Para O Desenvolvimento Humano

Nova Vida # 1064 – A Resistência Interna É Um Estímulo Para O Desenvolvimento Humano
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

Não há nada de mal no mundo. Tudo o que acontece pode ser usado para o avanço positivo e desenvolvimento da humanidade. Quando acontece algo que não é exatamente o que eu quero, isso desperta uma resistência em mim porque mina meu ego. Na sabedoria da Cabalá, uma pessoa encontra todos os tipos de resistência e isso promove sua ascensão espiritual. Para corrigir a nós mesmos, devemos ver os outros como emissários da força superior e aprender como absorver opiniões contrárias. Nós devemos ver todos como fantoches do Criador e nos comportar como se estivéssemos nos relacionando com Ele em cada cenário.

De KabTV “Nova Vida # 1064 – A Resistência Interior É Um Estímulo Para O Desenvolvimento Humano”, 02/10/18

Meus Pensamentos No Twitter 18/11/18

Dr Michael Laitman TwitterNós vivemos na razão egoísta para decidir que não podemos viver dessa maneira.
Devemos sair dela, elevar-nos acima dela, começar a agir de acordo com a razão do Superior, Bina, em vez de Malchut, a razão da doação em vez da recepção.

As leis que operam lá são contrárias à razão egoísta – “e eu vi um mundo inverso”.

Resultado da influência da luz: eu recebo sentimento e razão visando meu benefício egoísta. De repente, começo a pensar no grupo e no Criador. Eles se tornam tão importantes para mim que não quero pensar em mim e na minha família.
Eu quero me importar não para meu próprio benefício, mas para o benefício do Criador.

O óleo é o nosso desejo por prazeres. O fogo é a luz superior. Nosso trabalho é conectá-los com um pavio. Tudo foi providenciado: devemos nos unir à concordância para transformar pensamentos e ações inadequados em nossa unidade com o Criador.

Eles nos afastam da doação e transformamos a lacuna em conexão.
#espiritualidade #Cabalá

O pavio é um transmissor, nossa alma. Acima, há a força de doação, Bina. Abaixo, há a força de recepção, Malchut. Nossa vida está no meio. Ela se afirma nos opostos, pulsa na superação, surge da intenção.

Se queima no pavio da lâmpada até eu usar todos os pensamentos estranhos.

Nós somos limitados pelo #egoismo. Ele não nos permite fugir de nossos próprios desejos e restringe nossa percepção. Nós percebemos tudo através do prisma do benefício próprio. Minha imagem do mundo, canalizada através do egoísmo, é distorcida e se transforma em mentira.

Em vez de ver a verdade, eu vejo um fragmento deformado pelo amor-próprio.

Pensamentos estrangeiros, todos os tipos de distúrbios são necessários. Sem eles, não podemos nos apegar à fé acima da razão. Não teríamos necessidade disso, sem apoio ou progresso. É o mesmo que como o óleo não pode queimar sem um pavio que o conecte ao fogo, à luz.

Toda vez que surgem pensamentos impróprios, devemos estar prontos e gratos por eles. Devemos usá-los como um pavio, acima da inadequação, conectando-nos à Fonte que os enviou ainda mais para fortalecer a luz, a conexão com o Criador.

O Ocidente deve ver os #migrantes como invasores que estão pacificamente provocando a assimilação dos europeus, impondo despesas, sua religião e cultura.
Milhões de migrantes se instalaram na #Europa. A consequência é uma conquista pacífica do continente.

Livro do Zohar: no final dos dias, os árabes terão o domínio sobre a Europa.

Nós, BB [Bnei Baruch], não somos contra a observância dos Mandamentos. Mas, para enfatizar que o mandamento principal está na unidade: “Ame seu próximo como a si mesmo”, o restante dos mandamentos não está sendo mencionado por enquanto. Eles se manifestam na medida em que estudamos sua fonte espiritual conforme necessário, procedendo da estrutura da alma.

As massas serão capazes de se adaptar à verdadeira Torá e aos Mandamentos apenas na medida em que compreenderem a conexão entre a palavra superior, o sistema de governo e o nosso mundo, nós.

Quando vemos as conexões entre raízes e ramos, a necessidade de observar os mandamentos como as leis da natureza é óbvia. Este é o verdadeiro “Hazara be Tshuva“.

A pessoa que começar a estudar Cabalá desenvolve o egoísmo numa extensão intolerável, então ela fugirá dele, do Faraó. O apoio do grupo é crítico neste período.
Sem ela, em vez de avançar em direção à luz, Torá, a pessoa regride, reduzindo seu egoísmo, impedindo-se de estimular o egoísmo, o Faraó.

Aqueles que começam a estudar a Cabalá se deparam com a necessidade de lutar contra o egoísmo, unindo-se no grupo contra si mesmo – um egoísta. Se eles não entenderem ou não puderem se organizar dessa maneira, eles deixam a Cabalá prática e se tornam seus inimigos, pensando que não são eles que falham, mas a organização, o grupo BB.

A tolerância é boa se não permite a anarquia, se é equilibrada e protegida contra a total permissividade!
Cabalá: tudo requer uma combinação de si e do oposto – em equilíbrio, a linha média. Nós devemos criar tal sociedade, ganhar este sentido espiritual de percepção.

Do Twitter, 18/11/18

A Fim De Não Se Perder

laitman_942Rabash, “Com Respeito à Importância da Sociedade”: Portanto, em questões de trabalho no caminho da verdade, devemos nos isolar das outras pessoas. Isso porque o caminho da verdade requer constante fortalecimento, pois é contra a visão do mundo. A visão do mundo é conhecer e receber, enquanto a visão da Torá é fé e doação.

Pergunta: As pessoas deixarão o grupo da última geração?

Resposta: Elas vão embora porque no grupo da última geração é preciso fazer grandes esforços para progredir constantemente.

O fato é que quando você está em grupos psicológicos ou grupos engajados em práticas espirituais, o movimento acontece com base no conhecimento ou desenvolvimento do método.

No entanto, no grupo Cabalístico, o mecanismo egoísta opera constantemente e isso meio que o empurra para fora do grupo. Se você não trabalha constantemente contra ele, você não se eleva acima dele e não pode avançar. Portanto, no grupo Cabalístico, há sempre a necessidade de esforços adicionais e não se pode ficar parado. É isso que força a pessoa a avançar.

Pergunta: Por que quando uma pessoa é retirada do grupo, ela parece ir contra o grupo e/ou o método?

Resposta: Ela deve justificar-se egoisticamente, então ela se volta contra o grupo em que estava. Ela quer mostrar que está certa e eles estão errados. Ela, portanto, tenta encontrar falhas no grupo para provar seu ponto de vista.

Quando uma pessoa chega ao grupo, o ponto no coração, que é despertado de cima, fala dentro dela. De repente, ela sente que sua alma está aqui.

Então, para ficar no lugar, ela precisa fazer um esforço. Este é o lugar do trabalho espiritual. Ela se segura de alguma forma, por algum tempo, mas se não faz esforços sérios, é desviada do caminho.

Pergunta: Como uma pessoa pode fazer um esforço para limpar todas as opiniões que absorveu durante a sua vida?

Resposta: Tudo está escrito nas fontes Cabalísticas. Eles são escritos para esse propósito.

De KabTV “A Última Geração”, 25/04/18

Nova Vida 1063 – Expandindo Os Limites Da Percepção

Nova Vida 1063 – Expandindo Os Limites Da Percepção
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

A sabedoria da Cabalá expande os limites da percepção e desenvolve novas ferramentas de percepção dentro de uma pessoa. Ela constrói um senso interno mais elevado que possibilita que uma pessoa veja a rede geral de comunicação da natureza. Através de sua descoberta, uma pessoa adquire a capacidade de prever o que vai acontecer e sabe tudo. A lei geral da natureza é o amor, que significa comunicação correta e mútua entre todos, acima do ego humano. Uma pessoa descobre que vive dentro de uma natureza cheia de sabedoria.

De KabTV “Nova Vida 1063 – Expadindo Os Limites Da Percepção”, 27/09/18

The Times Of Israel: “Por Que Israel Deve Lutar Em Duas Frentes”

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Por Que Israel Deve Lutar Em Duas Frentes

Os moradores do sul de Israel estão certos em protestar. Eles exigem tranquilidade, e eu concordo com a dura crítica deles à liderança de Israel. Sua disposição de permanecer em seus abrigos para permitir um ataque temporário que traga de volta sua vida normal atesta como eles estão cansados.

Israel deve dar um golpe decisivo na infraestrutura do terror na Faixa de Gaza: exigir que o Hamas desmonte suas armas e pare seu domínio no solo. Esmagar o terror completamente e impedir que ele levante a cabeça. Assim, no mínimo, obteremos relativa tranquilidade nos próximos anos e permitiremos que as crianças do sul durmam sem medo.

Infelizmente, a atual rodada de foguetes provou mais uma vez o que aprendemos ao longo da história: uma organização terrorista jihadista entende apenas a força. Eles não estão interessados ​​em chegar a um acordo ou reconciliação conosco. Não importa se levantamos o cerco, abrimos a fronteira, permitimos a infraestrutura, pressionamos por ajuda internacional ou injetamos milhões de dólares em dinheiro. Assim, não temos escolha a não ser responder com tanta força que vai paralisar a capacidade do Hamas de nos prejudicar.

Eu não peço guerra, e certamente não quero prejudicar a população inocente de Gaza. Mas enquanto estivermos no meio de uma batalha contínua, devemos responder com toda a severidade e manter a vantagem; como está escrito: “quem vem para matar você, levanta cedo para matá-lo primeiro”.

A fraqueza de nossa liderança revela até que ponto sua visão foi distorcida, tentando continuamente convencer o mundo de que Israel é moral e justo. O mundo, no entanto, não está impressionado. Pelo contrário, a mídia internacional continua a pintar uma imagem falsa da realidade em Israel. Só é preciso olhar para a imprensa europeia, por exemplo, para notar as manchetes que retratam Israel como o agressor, depois de um dia com quase 500 foguetes disparados contra civis israelenses. Portanto, o que o mundo pensa não pode ser levado em consideração por nossos líderes.

Não há dúvida de que a próxima rodada será mais dolorosa. Demos um passo sério para trás, contra nós mesmos e contra a segurança de nossos filhos. O Hamas, por outro lado, está comemorando seu sucesso em provocar um terremoto político em Israel, após a renúncia do ministro da Defesa. Eles – e o mundo inteiro – concluíram que Israel é fraco.

No entanto, eu relaciono nossa fraqueza a um único fator: a falta de alicerce espiritual no povo de Israel. Ao contrário de qualquer outro povo ou nação do mundo, somos obrigados a lutar em duas frentes: a física e a espiritual. Temos que proteger a segurança de nossos moradores e defender nossas fronteiras com grande fervor; e ao mesmo tempo, devemos atacar nossa divisão a todo custo. Esta é a verdadeira guerra para Israel.

Todos nós tomamos parte na frente espiritual, e agora fomos pegos de surpresa. Nós devemos alcançar um cessar-fogo entre nós. Este é o fogo que convida nossos inimigos a entrar em nossa casa e fazer o que quiserem.

Todos nós sem exceção – líderes e soldados, políticos e cidadãos, direitistas e esquerdistas, religiosos e seculares – devem estar vigilantes contra o inimigo dentro de nós, a serpente que nos separa uns dos outros. Somente quando unirmos forças contra nossa própria divisão, despertaremos a base espiritual de nosso povo.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, a conexão espiritual entre nós é a nossa única salvação. Ela irá construir um muro contra nossos inimigos. E o mundo inteiro está inconscientemente esperando pelo poder que reside na unidade de Israel. Até mesmo o Hamas.

O Que Causa Os Desastres Ambientais?

laitman_765.1Pergunta: O que aconteceria se todos os chineses desejassem ter um carro?

Resposta: Nada vai mudar no mundo e na ecologia; até mesmo deixar que todos tenham um carro e mais de um. Que haja 7 ou 14 bilhões de carros particulares no mundo. Carros não são o que causam desastres ecológicos. Nossas relações corruptas são o que causam desastres ecológicos.

Precisamos entender o que é visível na natureza e em sua pesquisa; os desastres ambientais são causados ​​não pela tecnologia, pelos níveis inanimado, vegetativo e animado, mas pelo nível humano. Somente nós, no nível de nossas relações, causamos aflição em todos os outros níveis da natureza.

Todos esses desastres nas áreas de ecologia e saúde, depressão e dependência de drogas, divórcios e todos os outros problemas surgem da natureza, apenas para nos levar a entender a causa, que está em um nível superior. Sempre na natureza, um problema de um nível superior desce para níveis inferiores e ativa o sistema a partir daí.

Eu espero que na busca pela salvação desses males, que vemos como males em nosso nível egoísta, tenhamos que abandonar nosso egoísmo, entendendo que só podemos estar em equilíbrio com a natureza nos níveis inanimado, vegetativo e animado devido ao nosso nível humano, se nos tratarmos com amor e compreensão.

Então, vamos trazer unidade à natureza como um todo e alcançar um equilíbrio com a natureza geral.

Mesa Redonda de Opiniões Independentes, Berlim 09/09/06