“Por Que O Antissemitismo Continua Voltando”

Permaneça À Tona

laitman_962.1Nós vemos o mundo inteiro como sendo cheio de mal, mas entendemos que isso não é verdade, porque assim nos parece apenas devido ao nosso egoísmo. Portanto, nós nos elevamos acima e aderimos ao Criador que é bom e faz o bem. Depois disso, podemos desenvolver nossas sensações, mente e coração, a fim de ver o mundo como o mal e, no entanto, estar acima deste mal dentro da força que é boa e faz o bem.

Precisamos nos organizar de modo que, à medida que mais ou menos mal for revelado no mundo, permaneceremos sempre em adesão com o bom que faz o bem, como está escrito: “Eles têm olhos e não veem; eles têm ouvidos e não ouvem”. Sentimos o mal dentro de nossos desejos egoístas e sempre nos estabelecemos para permanecer à tona, como uma boia na superfície da água. Quanto mais mal é revelado, mais amplificamos o bom que faz o bem e, como tal, nos mantemos acima na fé acima da razão.

O conhecimento revela mais e mais mal; Malchut do Mundo do Infinito se abre mais e mais, como se diz que, no fim da correção, a impudência se multiplicará. Enquanto isso nos mantemos constantemente à tona nos apegando ao bem, ao superior. É assim que queremos passar todos os dias e todos os segundos da nossa vida.

É claro que é necessária uma forte inclusão no grupo. Vivemos sempre nessa fronteira, flutuando, no ponto de equilíbrio entre os dois mundos. Então isso se transforma na linha do meio, onde nós mesmos despertamos a escuridão e atraímos a luz. No entanto, por enquanto, tudo o que temos a fazer é tentar flutuar na superfície desse mal, constantemente aderindo ao bem.1

Minha boia é a dezena. Eu construo esta boia anulando-me perante a dezena. Não me afogo porque me importo com os amigos, em benefício deles, não do meu benefício. Isso me permite ficar à tona, senão vou me afogar na água. Os nove amigos são os nove pontos no coração que permanecem à tona no sentimento de que “não há outro além do Criador”, e eu os apoio e me agarro neles.

Não estou apenas agarrando-os como uma pessoa que está se afogando, estou tentando impedi-los de se afogar e, portanto, estou à tona também. Eu me anulo perante a boia até o zero absoluto.2

Primeiro você precisa se anular perante a dezena para se entregar a ela – este é o primeiro estágio do trabalho espiritual. Posso então ter certeza de que estou incluído na dezena. Não importa o quão alto eu esteja, como no exemplo do rabino Yossi ben Kisma, ao me anular perante os amigos, realizo a primeira ação espiritual. Afinal, a dezena sempre será mais alta que eu. Eu posso ser o maior, mas se houver uma dezena ao meu lado, ela sempre será maior do que eu. Portanto, meu primeiro passo espiritual é me anular perante ela.

Depois de me anular, acima dessa autoanulação, já posso realizar todos os tipos de ações dentro da dezena através da minha inclusão nela. Eu preciso descobrir o que meus amigos querem e usar-me plenamente para satisfazer o desejo deles. A dezena em um nível espiritual é a minha ferramenta de comunicação com o Criador. Sozinho não tenho oportunidade de contatá-Lo, não tenho ninguém diante de quem possa me anular e em relação a quem posso desenvolver meu desejo no nível espiritual.

Eu revelo o mal e a escuridão em mim e quero captar a luz, mas isso só é possível através da dezena e anulando-me perante ela como Malchut se anula perante as primeiras nove Sefirot ou como o inferior se anula perante a Malchut obscura do superior. Devo então fazer todo esforço para apoiar os amigos, isto é, para passar minhas qualidades que são corrigidas da recepção para a doação à dezena. Assim, começo a pertencer ao grau superior, já espiritual, e tudo isso é uma expansão da fé acima da razão.

Eu já estou me preparando para a próxima revelação do mal. Estou mudando o tempo todo e, portanto, não posso criar nenhum apoio dentro de mim, nenhum cinto de segurança contra o egoísmo impudente quando ele irrompe em mim. Portanto, eu me amarro ao grupo. Se hoje eu investir o máximo possível no grupo, elevar os amigos, servi-los, anular a mim mesmo, com isso crio um seguro para mim para o futuro.

O grupo é meu tampão protetor, a bateria, as primeiras nove Sefirot que mais tarde apoiarão minha Malchut. O investimento nos amigos, a garantia mútua, é necessário para o avanço, porque mais tarde eles sentirão que são obrigados a me salvar, me libertar da prisão.

O grupo funciona como uma bomba. Eu me apego a ele, recebendo mais força dele, e recebo um egoísmo adicional que me afasta dos amigos. Os amigos me devolvem de volta a eles, mas apenas através dos esforços que eu investi anteriormente. É assim que eu trabalho o tempo todo, como um pistão em uma bomba.3

A dezena é uma estrutura espiritual, não corpórea. Este não é um fardo ou dever difícil para mim, mas minha linha da vida. Para ser mais exato, é um sistema para a revelação do Criador. Parece que eu trabalho com dez pessoas corpóreas com as quais não sinto nenhuma conexão. No entanto, gradualmente, graças à luz que reforma, começo a sentir uma conexão interna entre nós na qual a revelação do Criador se manifesta.

É entre nós que o Criador é revelado. Dentro de nossas relações e doações uns com os outros, novas sensações são reveladas, uma rede que possibilita sentir a força superior. Essa rede é tecida a partir das qualidades dos amigos: de doação e amor, dentro das quais começamos a revelar o Criador. Essas propriedades da rede permitem que a luz superior se revele neles.

Então a dezena, de um fardo, dos dez corpos corpóreos, se transforma em um mecanismo de conexão, em um detector para a revelação do Criador. O grupo se torna o vaso da minha alma.4

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 03/06/19, “O Zero Absoluto”
1 Minuto 9:40
2 Minuto 33:05
3 Minuto 41:50
4 Minuto 1:04:20

Sentimentos E Mecânica

laitman_276.04Pergunta: Mais uma vez abordamos o estudo do Prefácio à Sabedoria da Cabala (Pticha), mas em um novo nível, através do sentimento. Isso é tão interessante, tão profundo, que novamente sentimos falta dos detalhes técnicos.

Por que, quando começamos a fazer perguntas técnicas, isso nos afasta da percepção sensorial em que entramos, nos tira dela?

Resposta: Isso acontece apenas no começo. Por exemplo, quando as pessoas aprendem a tocar um certo instrumento musical, a princípio é preciso trabalhar na técnica. Elas devem fazer exercícios e se acostumar com o instrumento.

Depois de o dominarem, é como se se unissem a ele e o instrumento começasse a expressar seus sentimentos, aqueles que não elas podem expressar. Eu pego um violino em minhas mãos e ele canta do jeito que eu nunca pude. Mas através do seu canto, através do seu anseio, através dos seus sons, eu sou capaz de me expressar.

É o mesmo aqui. Primeiro temos que aprender o instrumento. Nosso instrumento são os sentimentos, nada mais que sentimentos porque somos apenas o desejo de desfrutar. Isto é o que o Criador criou em nós.

Para expressar nossos sentimentos pelo Criador, precisamos levá-los acima de nosso egoísmo, isto é, através do desejo pelos amigos. Esta é uma oportunidade ótima, especial e maravilhosa de levar nossos sentimentos através deles, porque eu não entrarei no Criador de outra maneira!

O grupo para mim é um instrumento no qual eu toco. Se eu não o tivesse, não seria capaz de transmitir nada ao Criador. Portanto, a quebra do desejo comum em um grande número de desejos me dá a oportunidade de tocar, como em teclas de piano, todos os tipos de melodias de conexão. Deles, eu montei uma sinfonia, uma canção de amor para o Criador. Esses são sentimentos. No entanto, eles trabalham em matemática, em desejos.

Várias vezes em nossas aulas, eu contei sobre um amigo meu que trabalhava na restauração do órgão na Catedral de Riga. Ele me contou como esse instrumento é complexo. Ele tinha livros e artigos sobre a estrutura do órgão com fórmulas matemáticas complexas, incluindo diâmetros, pressão, sintonia e assim por diante.

Surge uma pergunta: o que vamos estudar: mecânica ou como com sua ajuda podemos evocar sentimentos? O Criador precisa de ambos.

Por quê? Para que possamos nos tornar completamente mestres do desejo que Ele criou e, com sua ajuda, expressar tudo da mesma maneira que Ele, como nossa qualidade de doação em relação à Sua qualidade de doação. Para que pudéssemos nos conectar, aderir a Ele.

Portanto, não entramos em sentimentos sem conexão com a mecânica. Atualmente, não prestamos mais atenção aos sentimentos, porque, quando nos deparamos com isso, não entendemos o que é exigido de nós. Precisamos desenvolver nossa percepção sensorial e então vamos jogar.

Vamos olhar para diferentes desenhos e chorar ou rir – cada um terá sua própria reação. Você não tem ideia de quantos desenhos existem – milhares. Então você não precisa se preocupar com a mecânica. Você terá toda a mecânica que quiser.

Assim, chegaremos a isso. Então tudo será equilibrado: sentimentos e mecânica. Você será capaz de tocar o instrumento perfeitamente e expressar seus sentimentos através dela, de modo que você e o Criador realmente estejam em um entendimento e gozo comuns.

Da Lição de Cabalá em Russo 04/04/19

Nova Vida # 265 – Superar A Ansiedade Social

Nova Vida # 265 – Superar A Ansiedade Social
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Superar a ansiedade social exige que cada um de nós interprete o caráter de Noé, fazendo um esforço interior para deixar os outros à vontade. Seja no trabalho ou em casa, eu não faço aos outros o que me odeia e abro espaço para todos. Eu me limito e me torno como o ar que não pressiona ninguém. Todos devem concordar em entrar juntos na Arca de Noé e se esconder da força maligna que nos separa. Hoje, imitamos personagens de filmes e não nos conhecemos mais. Nós jogamos todos os tipos de falsos personagens, de acordo com valores falsos. Precisamos nos purificar dessa hipocrisia, pois isso só leva ao estresse. Se todos jogarem juntos o jogo “Noé”, nos conectaremos a um quebra-cabeça maravilhoso no qual todos encontrarão seu lugar.

De KabTV, “Nova Vida # 265 – Superar a Ansiedade Social”, 06/12/13

Encontro Com Grupos Europeus

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 23/06/19

Nossos grupos de 34 países participaram de uma palestra especial que tivemos esta manhã em preparação para a nossa próxima Convenção de Cabalá na Europa, que acontecerá na Bulgária, de 8 a 10 de novembro de 2019.

O tema da palestra foi: Como unir a Babilônia? A Academia de Cabalá de Estudantes da UE se reuniu com uma grande preocupação em relação ao futuro de seu continente e apresentaram suas perguntas, para que possamos começar a preparar uma estratégia para disseminar a unidade naquela região. Obrigado a todos que se juntaram a nós.

Áustria, Bélgica, Bulgária, Bósnia Herzegovina, Bulgária, Croácia, República Checa, Dinamarca, Estónia, Finlândia,
França, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia, Moldávia, Holanda,
Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia, Reino Unido.

Meus Pensamentos No Twitter 23/06/19

Dr Michael Laitman Twitter

É possível acelerar o movimento em direção ao Objetivo da Criação estando em qualquer estado, mas especialmente em um estado de ascensão: perceber que alguém o recebeu a fim de se mover em direção ao Criador e pedir para se aproximar, MESMO sem sentir necessidade disso.
E se não tiver sucesso no pedido, ele receberá uma descida …

Ser responsável por suas ações significa que dentro dos limites do livre arbítrio que me foram dados, eu respondo como se o Criador estivesse em meu lugar …

Boas ações são quando você deseja estar no desejo comum de atrair a luz superior para satisfazer os amigos através de você, como um canal entre o Criador e os outros. Preencher os outros é exatamente o que significa uma boa ação.

Um pecador é aquele que realizou um grande trabalho em si mesmo. A “Luz da Torá que Reforma” vem a ele e lhe mostra o lugar a partir do qual deve retornar ao Criador. Um homem justo é aquele que, com a ajuda da Luz que retorna alguém ao Criador, corrige seus Kelim: intenções de doar.

Ao tecer o manto do amor, trate as coisas negativas como sendo enviadas de cima. O Criador deliberadamente criou o mal, mas tudo está predestinado para nos direcionar para a força superior. Se atribuirmos tudo a uma única Fonte, teceremos uma base para a luz, o manto de amor que nos envolverá.

A extensão da unidade na 10 determina o grau na escada da ascensão: quanto maior é a unidade na dezena, maior é o grau. Quanto mais alto estamos, mais influência recebemos do sistema integral do universo – o Kli e seu preenchimento, a luz do Criador

Do Twitter, 23/06/19

O Que É Melhor: Ler De Um Livro Ou De Um Tablet?

Prisão Não É O Que Reforma Um Estuprador

laitman_283.02Pergunta: Seus leitores do Instagram estão perguntando: “Como podemos aceitar o mal?” Você respondeu: “Não há mal. O mal simplesmente aponta para uma pessoa que ela não alcançou a perfeição no bem.

Isto é, o bem oculto é sentido como mal. É sentido de maneira aguda, de modo que a pessoa atente para que outras possibilidades existem para ela corrigir essa propriedade e transformá-la em boa”.

Um de seus leitores está perguntando: “E quanto ao estupro? Comportamento anormal em nossas conexões?”

Resposta: Isso é egoísmo, é excesso. Claro, isso é mal. Mas o egoísmo deve ser corrigido e então não haverá mal algum. Isto é, esta é uma atitude incorreta em relação ao outro. A intenção em relação ao outro é apenas intenção. Se ela adquire uma forma positiva ou negativa, temos que discernir e corrigir o “menos” em “mais”. Mas a intenção em si não pode ser mudada. Em outras palavras, não podemos castrar um estuprador; precisamos reformá-lo.

Pergunta: Mas como?

Resposta: Como fazer isso é outra coisa. Ações não vão mudar o mundo. Temos que nos aprofundar na raiz do problema, em por que algumas pessoas tratam outras pessoas dessa maneira e corrigir essa direção, ou em outras palavras, sua intenção. É com isso que a ciência da Cabalá lida.

Pergunta: Suponha que alguém comete violência contra os outros. O que significa corrigir sua intenção, que as mesmas ações da mesma pessoa sejam benéficas para os outros?

Resposta: Ela pretendia magoar os outros? Não, queria se satisfazer. Então, deixe-a realizar-se através de diferentes ações: atos de bondade para com os outros. Ela precisa ser corrigida, reformada e educada de forma diferente.

Ela então receberá o mesmo prazer, até mesmo um muito maior do que teria sentido enquanto perpetrava violência. A Cabalá pode dar-lhe um prazer que é 620 vezes maior. Em vez de violência, serão atos de bondade para com outra pessoa, pois essa pessoa estará desfrutando disso junto com ela.

Pergunta: O que explica essa transformação em uma pessoa?

Resposta: A força superior, a luz superior. Essa não é uma questão simples. O estuprador também não pode fazer muito a respeito. Uma pessoa deve ser mudada, reeducada.

Pergunta: Mas o que pode ser feito?

Resposta: Pelo menos, não a aprisione. De acordo com a Torá, não há conceito de prisão. Não há conceito de “isolar alguém da sociedade”. Para isolá-lo – havia seis cidades de refúgio. É aí que uma pessoa seria reeducada.

Pergunta: O que acontece com uma pessoa quando sua intenção muda, quando sua atitude em relação aos outros muda? Em que nível esta mudança ocorre: química, psicológica?

Resposta: No nível espiritual. No nível mais alto e mais interno. Ela tem que mudar sua atitude, sua compreensão de onde ela está: em uma sociedade, no mundo, sua atitude em relação à vida e à morte, em direção a todo o universo, tudo tem que mudar dentro dela. Essa correção ocorre sob a influência da luz superior.

Pergunta: Suponha que um estuprador queira mudar sua atitude …

Resposta: Mesmo que ele não queira mudar, nós gradualmente o influenciaremos de tal forma que ele deseje mudar a si mesmo e será mudado.

Pergunta: O que significa influenciá-lo de tal forma que ele mude?

Resposta: Através de exemplos, educação. É um sistema educacional que tem que influenciá-lo por um longo período de tempo. As pessoas que eram condenadas às cidades-refúgio não podiam sair. Se uma pessoa matasse ou prejudicasse alguém, ela poderia encontrar um refúgio lá, entregar-se e admitir seu crime, e então as sociedades nas cidades-refúgio iriam trabalhar nela.

Ela era influenciada de tal maneira que a luz superior poderia afetá-la. Ela deve se colocar sob a influência da luz superior. Uma pessoa não pode fazer isso sozinha, ela é completamente corrompida. Portanto, ela é ajudada de tal maneira que a luz superior começa a afetá-la.

Como isso é conseguido? Pela inclusão na sociedade. O coletivo trabalha em atrair a luz superior, e a pessoa, estando na sociedade, quer goste ou não, recebe uma porção da luz superior através dela, e a luz superior a reforma.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman” KabTV 28/02/19

O Que É Compreender?

laitman_284.07Pergunta: Como você explica o fenômeno quando de repente você começa a compreender?

Resposta: Entender é uma consciência da conexão entre o estado anterior e o presente, isto é, causa e efeito. A conexão entre causa e efeito é chamada de compreensão.

Pergunta: O que significa compreender o Criador?

Resposta: De Suas ações em nós, começamos a compreendê-Lo.

Da Lição de Cabalá em Russo 03/02/19

Nova Vida # 264 – Desenvolvimento Sexual, Parte 2

Nova Vida # 264 – Desenvolvimento Sexual, Parte 2
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Que atitude uma pessoa deve estabelecer desde cedo para com os outros, a fim de construir os relacionamentos corretos com eles e que emoção devemos desenvolver para ter sucesso em encontrar um parceiro que nos convenha?

Um homem e uma mulher, como mais e menos, podem formar uma conexão espiritual sobre os opostos, acima do ego humano. Mesmo durante as relações sexuais, cada um precisa ser direcionado principalmente para alcançar uma conexão espiritual interna. A intensidade da alegria do intercurso no grau falante é incomensuravelmente maior do que o que conhecemos no nível vivente. Quando estou com apetite sexual, tenho que pensar em como posso, com a ajuda desse impulso, preencher meu parceiro. Cada um pensa apenas em como pode transcender-se e dar prazer ao parceiro.

De KabTV, “Nova Vida # 264 – Desenvolvimento Sexual”, Parte 2, 29/11/13