“Já Houve Um Holocausto Na América? Você Acha Que Isso Poderia Acontecer Aqui?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:Já Houve Um Holocausto Na América? Você Acha Que Isso Poderia Acontecer Aqui?

Nunca houve um holocausto na América antes. No entanto, se olharmos para o aumento acelerado de crimes e ameaças de antissemitismo na América nos últimos anos, o Holocausto na América é uma possibilidade definitiva. Além disso, a América de hoje possui muitas semelhanças impressionantes com a Alemanha nazista da década de 1930, que detalho em meu livro recém-lançado, The Jewish Choice: Unity or Anti-Semitism (A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo).

Velocidade Sem Precedentes Da Ascensão Do Antissemitismo

O período recente na virada da década para 2020 nos deu alguns exemplos muito agressivos de atos antissemitas em Nova York e Nova Jersey.

Em uma carta datada de 29 de dezembro de 2019, do senador do Estado de Nova York, Simcha Felder, do deputado estadual de Nova York, Simcha Eichenstein, e de dois vereadores da cidade de Nova York, Chaim Deutsch e Kalman Yeger, endereçados ao governador da cidade de Nova York, Andrew Cuomo, eles descreveram como:

“Os crimes de ódio antissemita cresceram para números assustadoramente altos nos últimos meses. Nos últimos dias, em particular, judeus ortodoxos identificáveis ​​nas áreas que representamos e em torno das mesmas foram alvo de uma onda de violência não vista na história moderna. Judeus ortodoxos estão sendo regularmente assaltados, ameaçados, esfaqueados e assassinados em número crescente. Isso foi descrito adequadamente como um “pogrom lento”. Estamos escrevendo para solicitar que você declare um estado de emergência. … Simplesmente, não é mais seguro ser um ortodoxo identificável no Estado de Nova York. Não podemos fazer compras, andar por uma rua, mandar nossos filhos para a escola ou até mesmo adorar em paz”.

Além disso, o ex-deputado estadual democrata de Nova York e apresentador de programa de rádio, Dov Hikind, mencionou que “se você perguntasse aos judeus há 20 anos se um Holocausto poderia acontecer na América, você receberia uma resposta uniforme: ‘é impossível, não na América’. Bem, esse não é mais o caso. O que vai acontecer a seguir?”

Nos anos 2000, eu falei sobre o antissemitismo nos EUA como um problema futuro e fui motivo de riso.

Nos anos 2010, quando o antissemitismo começou sua escalada exponencial nos EUA e em todo o mundo, e começou a ser reconhecido como um problema, conversamos sobre o próximo Holocausto ocorrendo nos EUA.

Hoje, na virada da nova década, podemos ver como a consciência da possibilidade do próximo Holocausto ocorrendo na América está se revelando.

De fato, como Dov Hikind perguntou, o que vem a seguir?

A Fatídica Mudança Da Divisão Para A Unidade

As leis da natureza estão levando a sociedade humana a uma conexão mais estreita, e o povo judeu, consciente ou inconscientemente, hospeda um método para fazer uma mudança fundamental na realização positiva dessa conexão – a capacidade de se unir acima de toda a divisão social impetuosa, como está escrito nas palavras, “o amor cobrirá todas as transgressões”, a fim de transmitir essa capacidade a todas as pessoas do mundo, ou seja, “ser uma luz para as nações”.

A natureza está exigindo que deixemos de ser uma força destrutiva e divisória e comece a se tornar uma força positiva e unificada.

Se não conseguirmos iniciar o começo da correção do povo judeu, começando a implementar a unidade acima de nossas diferenças, sentiremos pressões crescentes. As pressões não apenas estariam nos EUA, mas em todo o mundo, incluindo o Estado de Israel, onde poderíamos esperar mais e mais sanções e restrições. Continuaríamos então fortalecendo nossa segurança até nos sentirmos presos em nossa pequena fortaleza com forças inimigas nos cercando por todos os lados.

E se isso não nos levasse a nos unir, poderíamos esperar eventos como a eliminação do Estado de Israel e desastres em que, como os Cabalistas escreveram, apenas um pequeno grupo permaneceria unido acima de nossas unidades divisórias.

“Se a ruína total que eles estão destinados a trazer ao mundo ainda não é evidente para o mundo, eles podem esperar por uma terceira Guerra Mundial ou uma quarta … e as relíquias que permanecerem após a ruína não terão outra escolha senão assumir esse trabalho, onde indivíduos e nações não trabalharão para si mesmos mais do que o necessário para seu sustento, enquanto tudo o mais que fizerem será para o bem dos outros”- Yehuda Ashlag, “Os Escritos da Última Geração”.

Quanto mais cedo percebermos que nossa unidade causa a unidade da sociedade humana como um todo, e que, ao fazer isso, experimentaremos uma resposta positiva, harmoniosa, pacífica e apreciativa totalmente diferente do mundo, mais cedo poderemos reverter a tendência premonitória de antissemitismo e nos encontrarmos em um mundo harmonioso. Ao nos unirmos, cumprimos nosso papel no mundo e estabelecemos um novo equilíbrio de forças entre a humanidade e a natureza.

O Primeiro Passo Em Direção À Unidade

O primeiro passo em direção à unidade é que compreendemos a necessidade de salvar-nos da destruição, juntamente com a necessidade de adaptação à tendência de conexão da natureza. Se fizermos isso, veremos fenômenos incríveis se desenrolar diante de nossos olhos: uma completa inversão do antissemitismo para o seu oposto – o amor e apreço pelo povo judeu que traz unidade e luz ao mundo. Simplesmente não haveria razão para alguém odiar os judeus, já que as pessoas saberiam se unir, e as pessoas unidas não se odeiam, nem as que ensinam e incentivam sua unidade.

Não precisamos de caminhos longos e dolorosos para alcançar esse estado. Ao começar a pensar e agir na direção da unidade de todo o povo judeu agora, podemos começar a ser pioneiros em uma transformação positiva épica e histórica.

Liberdade De Escolha, Parte 8

709Caminho Para A Meta

Pergunta: O desenvolvimento evolutivo natural sempre significa sofrimento?

Resposta: Isso não é sofrimento, mas o sentimento da falta que agora você deve compensar em seu progresso. De que outra forma poderia ser? Se eu estou a uma milha de distância do alvo, eu sinto que tenho que percorrer outra milha, fazer algo a respeito.

Isso, é claro, causa meu sofrimento porque já quero estar no alvo, mas, por outro lado, tenho que entender que caminhar em direção a ele não é uma questão de distância, é uma questão de mudar certas propriedades internas em mim.

Pergunta: Então, no mundo material, uma pessoa não pode mudar nada? Alguém pode de alguma forma influenciar seus estados espirituais?

Resposta: Claro. E o mundo material mudará de acordo com isso. Até a natureza inanimada, vegetativa e animada circundante e a nossa natureza inanimada, vegetativa e animada interna mudarão dependendo de quanto dedicamos nossos esforços para alcançar o objetivo da criação.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/04/19

O Propósito De Um Grupo Cabalístico, Parte 4

A Estrutura De Uma Dezena

laitman_947Comentário: Depois de Abraão, Moisés continuou desenvolvendo o método espiritual. Ele dividiu o povo judeu em dezenas, pequenos grupos nos quais todos podiam expressar de alguma forma a propriedade de doação e amor.

Até os livros foram escritos pelos Cabalistas não individualmente, mas em dezenas, em grupos. Curiosamente, dez significa não dez corpos físicos, mas um conjunto de desejos. Portanto, duas pessoas também podem ser consideradas uma dezena.

Resposta: Dez é um desejo comum completo. Dessa maneira, O Livro do Zohar foi escrito. Já que estamos na última geração, na correção final, devemos tentar formar o mesmo grupo daqueles que escreveram O Livro do Zohar.

Pergunta: Você e seu professor também eram dez, um grupo?

Resposta: Sim, mas era um estado completamente diferente, diferente de hoje.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

Por Que Os Judeus Podem Trazer Unidade Para O Mundo? – Conversa Com Matt Beat

Quando você menciona “os judeus” em uma conversa, a reação de seu companheiro amável e amigável pode ser imprevisivelmente negativa. Há algo de secreto, ótimo e até misterioso no povo judeu. Por que atraímos emoções tão controversas?

Os judeus são o grupo originado cerca de 3.800 anos atrás por Abraão de 70 nações da antiga Mesopotâmia, o berço da civilização humana. Assim, como uma amostra representativa da população total, o povo judeu passa a ser o minimodelo do mundo.

Portanto, hoje, na situação de uma crise global, se os judeus cultivarem a unidade entre eles, ela se irradiará para todas as outras nações e levará todos a um novo estado positivo, feliz e elevado.

The Jew Function – Canal do YouTube dedicado a esta série

Evento Em Memória Do Holocausto

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 20/01/20

A memória dos 6 milhões de judeus que morreram no Holocausto será comemorada no Yad Vashem: Centro Mundial do Holocausto, em Jerusalém, por mais de 45 líderes mundiais no 75º aniversário da libertação de Auschwitz nesta quinta-feira.

No entanto, um memorial do Holocausto deve ser mais do que uma comemoração daqueles que morreram. Deve ser aproveitada como uma oportunidade para enfrentar o futuro com a convicção de realizar nosso papel – unir (“ame o seu próximo como a si mesmo”) acima da divisão (“o amor cobrirá todas as transgressões”) para ser “uma luz para as nações”. É assim que futuras atrocidades podem ser evitadas.

Congresso Da África

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 20/01/20

Nossa Convenção Virtual para nossos grupos na África durante o fim de semana – incluindo grupos de Gana, Costa do Marfim, Camarões, Togo, Benin, Congo, Guiné, Etiópia, África do Sul e dezenas de conexões virtuais de áreas remotas em todo o vasto continente – foi um testemunho vivo de como chegou a hora da maravilhosa sabedoria da Cabalá ser revelada à humanidade.

O povo africano experimentou grande sofrimento e opressão, e o despertar espiritual de hoje no continente, com grupos de pessoas mostrando prontidão para se conectar acima de todas as diferenças, foi uma experiência muito emocionante. Eu pessoalmente fiquei comovido.

Uma parte significativa da Cabalá é como os novos alunos avançam muito mais rápido do que os veteranos quando começaram, pois, como recém-nascidos que entram na família, herdam tudo o que a família ganhou e preparou para eles. Isso ficou especialmente evidente ao ver a participação dos amigos africanos ao longo das lições e eventos da Convenção.

Eu desejo expressar minha profunda gratidão a todos que prepararam o evento. Juntos, continuaremos tentando abrir o coração do mundo à conexão e ao amor.

“Judeus Americanos E O Sonho Israelense – Como O Antissemitismo Acelerará Um Êxodo Americano De Judeus” (Breaking Israel News)

O maior portal de notícias Breaking Israel publicou meu novo artigo “Judeus Americanos E O Sonho Israelense – Como O Antissemitismo Acelerará Um Êxodo Americano Judaico”:

O futuro dos judeus americanos está em jogo. Em face da angústia e da adversidade devido ao aumento do antissemitismo virulento nos EUA, os judeus não podem enterrar a cabeça na areia e fingir, como sempre, que a vida é um negócio. A sensação de segurança nos EUA mudou e está entrando em colapso rapidamente. A opção de emigrar para Israel não pode mais ser negligenciada, não apenas como uma questão de sobrevivência, mas também como uma oportunidade para o renascimento da nação judaica.

59% dos americanos consideram o antissemitismo mais intenso do que há 15 anos, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Hudson. De fato, as estatísticas indicam que houve 234 incidentes antissemitas no ano passado, em comparação com 186 casos em 2018, com base em dados oficiais. Curiosamente, enquanto os ataques tendenciosos contra judeus aumentaram 26% na cidade de Nova York em apenas um ano, os crimes de ódio em geral estavam em um nível recorde de baixa. A realidade crua exerce pressões esmagadoras sobre as comunidades judaicas, principalmente nas maiores cidades dos EUA.

Assim, espera-se uma mudança nas tendências predominantes de imigração em um futuro próximo, principalmente nos EUA, já que a possibilidade de fazer Aliyah se torna uma opção cada vez mais atraente.

Um Novo Capítulo Para A Imigração Americana Judaica Em Israel

Um total de 3,3 milhões de imigrantes se mudaram para Israel desde o estabelecimento do Estado judeu em 1948 até 2018, segundo o Escritório Central de Estatísticas. De todos esses imigrantes, apenas 148.083 judeus emigraram dos Estados Unidos, segundo dados da Agência Judaica.

Ninguém espera que amanhã de manhã milhares de judeus americanos cheguem ao aeroporto Ben Gurion – pode levar uma década -, mas os pensamentos sobre a compra de um apartamento em Israel “por via das dúvidas” aumentam. Não há motivo para preocupação com imóveis, no entanto. Israel é um país aberto. Há espaço não apenas para os milhares de judeus que chegarão da América do Norte, mas para todos os judeus da diáspora e até para o futuro ressurgimento das dez tribos perdidas e seus muitos descendentes. Nenhum deles será levado de volta ao mar.

O Livro de Daniel chama a Terra de Israel de “terra dos cervos”. Além disso, como o Talmude explica: “Assim como a pele dos cervos tem a capacidade de envolver seu corpo, mas também diminui quando separada de sua carne, a Terra de Israel pode se expandir para abranger seus legítimos habitantes, mas diminui quando somos exilados dela”. Em outras palavras, se fizermos Aliyah e nos estabelecermos em Israel, haverá espaço para todos.

O que acontecerá nos EUA quando os judeus partirem? Ele vai implodir. Sem o espírito judaico que o preenche e produz seu sucesso e prosperidade, os Estados Unidos perderão seu status de superpotência. Foi o que aconteceu com a Espanha na Idade Média, na França e na Alemanha. Quando os judeus foram expulsos, esses países perderam a grandeza.

O Impacto De Uma Alyah Americana Maciça

A imigração maciça de judeus para Israel projetará um Estado de maior poder israelense aos olhos dos países árabes e os conterá até que a calma desça sobre o Oriente Médio. Claramente, o mundo está em um processo contínuo de maturação. Embora seja verdade que, por enquanto, tenhamos um amigo de confiança na América, mesmo que Trump seja reeleito, a mudança ainda está no horizonte. Imagine multidões de manifestantes odiosos, fartos do governo, convergindo na Pennsylvania Avenue até a Casa Branca sem restrições, batendo os pés até que o governo seja derrubado pela força. Ou talvez alguém que tenha visões antissemitas suba ao poder e a tendência de sentimentos anti-judeus e anti-israelenses aumente.

Nesse cenário, que não é de todo insondável, os judeus não poderão escapar com suas propriedades, certamente não com as indústrias e conglomerados que possam possuir. Na melhor das hipóteses, eles poderão fugir às pressas com apenas uma mala na mão. Sim, a história é obrigada a se repetir. Esse período nos EUA lembrará o período sombrio de oitenta anos atrás. Nem todos os detalhes serão os mesmos, mas as regras do jogo serão assustadoramente semelhantes.

É por isso que hoje, como então, temos que pensar em nosso bom futuro e acelerar a mudança de linhas incompatíveis de pensamento – de rejeitar “a terra dos cervos” ao amor pela pátria. Israel é o lar, o escudo e a fortaleza. Dentro do som estridente do antissemitismo, a voz da proteção Divina nos convida a nos abrigarmos sob o mesmo teto, mesmo que essa não seja a parada final.

Só podemos alcançar nosso destino final de tranquilidade quando alcançarmos a unidade completa na conexão de todas as correntes e opiniões, quando vivermos no “amor acima de todos os crimes” e diferenças. Só então o amargo antissemitismo terminará, bem como os problemas do longo exílio. Quando nos aproximamos por livre escolha para avançarmos em um futuro positivamente conectado, e não para escapar da perseguição, finalmente alcançaremos a redenção. Como o Cabalista e o primeiro rabino chefe de Israel pré-Estado, Rav Kook escreveu:

“Todos os pensamentos e ideias individuais que procedem em um Estado empobrecido e disperso – a atmosfera da terra de outras nações – devem formar um feixe, devem vestir-se em uma intenção geral relacionada à vida de toda a nação, sob a influência da terra de Israel” (Chevyon Oz).

De acordo com Rav Kook e a cadeia de grandes Cabalistas que o precederam, a Terra de Israel era vista como um novo marco espiritual e ali as pessoas que retornavam a Sião seriam obrigadas a realizar seu papel espiritual. Elas acreditavam que a Terra de Israel foi dada ao povo de Israel a fim de formar uma sociedade espiritual exemplar, um viveiro para o trabalho em que o desejo de realização interior é cultivado, muito além dos aspectos de preocupação territorial.

A reunião da diáspora na terra de Israel simboliza o início da realização da ideia espiritual sobre a qual o povo judeu foi fundado: um lugar para alcançar a unidade que transcende nossa estreita existência egoísta para construir um destino comum e florescente para todos.

“Por Que A Comunidade Judaica Precisa Passar Por Tanto Sofrimento Na História E Hoje?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:Por Que A Comunidade Judaica Tem Que Passar Por Tanto Sofrimento Na História E Hoje?

Nós judeus suportamos o sentimento antissemita em relação a nós das nações do mundo, que sempre existiu, mas que se intensifica em certos períodos mais do que em outros.

Em meu livro recém-lançado, The Jewish Choice: Unity or Anti-Semitism (A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo), eu detalho minuciosamente como sofremos ao longo da história devido ao antissemitismo que se levanta contra nós.

Qual é então a causa do antissemitismo, que faz com que diferentes nações em diferentes períodos da história se levantem contra nós?

Muitas razões foram declaradas, por exemplo, que detemos muito poder nos países em que assimilamos, governando o mundo inteiro, sendo gananciosos, invejando nosso sucesso desproporcional no mundo em comparação com outras nações, oprimindo a Palestina como um Estado Judeu, a queda da Alemanha na Primeira Guerra Mundial, o assassinato do czar Alexandre II na Rússia do século XIX, bebendo sangue de crianças na Idade Média, negando a profecia de Maomé e assassinando Jesus Cristo.

No entanto, além de qualquer tipo de raciocínio que tenha sido apresentado em diferentes períodos, precisamos entender como as muitas razões apresentadas para o antissemitismo são precedidas pela sensação de ódio em si mesma. Como o Cabalista Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam) escreve em seu artigo “A Solução”:

“É fato que Israel é odiado por todas as nações, seja por razões religiosas, raciais, capitalistas, comunistas ou cosmopolitas, etc. É assim porque o ódio precede todas as razões, mas cada uma apenas resolve seu ódio de acordo com sua própria psicologia”.

Em outras palavras, o antissemitismo existe independentemente das muitas ações e comportamentos variados do povo judeu.

O antissemitismo é antes uma sensação embutida na natureza que emerge nas pessoas.

Como surge o sentimento de antissemitismo, um ódio aos judeus?

Para responder a isso, precisamos entender o fundamento do povo judeu, o papel judeu no mundo e como os não judeus respondem em relação ao fato de os judeus estarem ou não desempenhando esse papel.

A Fundação Do Povo Judeu

O povo judeu surgiu na antiga Babilônia, cerca de 4.000 anos atrás. Era uma época em que a Babilônia estava passando por uma crise de divisão social, com conflitos e ódio rasgando a antiga sociedade babilônica. Durante esse período, Abraão, um padre babilônico que descobriu o caminho para se unir acima das crescentes divisões, ou seja, alcançar a revelação da força única de amor e doação que existe na realidade acima do ego crescente, começou a ensinar abertamente seu método a quem quisesse aprender.

Como a divisão social era sentida como um problema ardente, muitas pessoas se reuniram para aprender com Abraão. Ele as guiou à descoberta da força única de amor e doação acima de seus impulsos divisivos. O grupo que ele liderou ficou conhecido como “o povo de Israel” (ou seja, “Israel” de “Yashar Kel“, que significa “direto a Deus”, ou seja, direto à força única de amor e doação que existe na realidade), e mais tarde, ficaram conhecidos como “judeus” (a palavra hebraica para “judeu” [Yehudi] vem da palavra para “unidos” [yihudi] [Yaarot Devash, parte 2, Drush no. 2]).

Portanto, a nação judaica foi fundada não em uma base biológica, mas em uma ideológica.

Pessoas de toda a Babilônia antiga que sentiram um problema com a divisão social e uma necessidade de unidade reuniram-se segundo o método de Abraão e se uniram acima de suas unidades divisivas. Ao fazer isso, elas se tornaram conhecidas como “uma luz para as nações”, já que a conquista da força única e unificada da natureza acima do ego humano, que causa toda a divisão e os problemas da sociedade, tem um efeito dominó positivo que “aprimora” a consciência humana: leva a conexões mais positivas, mais consideração, apoio, amor e cuidado, entre a humanidade em geral.

O Papel Judaico No Mundo

Como era antigamente, é hoje, mas em uma escala global muito maior.

O ego humano exagerado, a divisão social, os conflitos e o ódio estão todos experimentando um impulso exponencial, provocando uma infinidade de problemas e crises. Por exemplo, apesar de mais população humana do que nunca no planeta e todas as conexões tecnológicas e culturais que foram estabelecidas em todo o mundo, a sociedade humana sente cada vez mais isolamento, estresse, depressão, vazio e ansiedade.

Quanto mais as pessoas sentem esses problemas, mais inconscientemente sentem que os judeus são a causa desses problemas.

É daí que surge a sensação de antissemitismo: que os judeus têm um papel no mundo, unir-se (“ame seu amigo como a si mesmo”) acima da divisão (“o amor cobrirá todas as transgressões”) e, ao fazer isso, ser um canal para que a única força unificadora de amor e doação se espalhe por toda a consciência humana coletiva (“uma luz para as nações”).

A Resposta Aos Judeus Das Nações Do Mundo Em Relação Ao Papel Judaico

Se nós, judeus, agirmos corretamente em relação ao nosso papel no mundo – nos unirmos para passar a unidade ao mundo -, experimentaremos uma reação positiva de todos no mundo.

Se, no entanto, como é atualmente, não reconhecemos ou fazemos qualquer esforço para nos unirmos, impedimos que a força unificadora positiva alcance a humanidade, e o ódio se agita em não-judeus em relação aos judeus como um fenômeno natural que serve para nos pressionar a desempenhar nosso papel.

É, portanto, minha esperança que possamos realizar nosso papel no mundo mais cedo ou mais tarde, poupando muito sofrimento ao mundo e a nós mesmos.

Simplesmente não vemos o que significaria se déssemos alguns passos em direção à união, quanto toda a tensão na sociedade humana e entre as nações se acalmaria, como toda a exploração, manipulação, ódio e abuso na humanidade seriam substituídos por apoio mútuo, consideração, amo e cuidado de nossos semelhantes.

É por isso que dedico tantos esforços para disseminar a mensagem sobre o papel dos judeus no mundo e a causa e solução do antissemitismo, já que o futuro da felicidade ou tormento da humanidade depende especificamente disso.

O Propósito De Um Grupo Cabalístico, Parte 4

laitman_947A Estrutura De Uma Dezena

Comentário: Depois de Abraão, Moisés continuou desenvolvendo o método espiritual. Ele dividiu o povo judeu em dezenas, pequenos grupos nos quais todos podiam expressar de alguma forma a propriedade de doação e amor.

Até os livros foram escritos pelos Cabalistas não individualmente, mas em dezenas, em grupos. Curiosamente, dez significa não dez corpos físicos, mas um conjunto de desejos. Portanto, duas pessoas também podem ser consideradas uma dezena.

Resposta: Uma dezena é um desejo comum completo. Dessa maneira, O Livro do Zohar foi escrito. Já que estamos na última geração, na correção final, devemos tentar formar o mesmo grupo daqueles que escreveram O Livro do Zohar.

Pergunta: Você e seu professor também eram dez, um grupo?

Resposta: Sim, mas era um estado completamente diferente, diferente de hoje.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Método De Correção, Parte 11

laitman_942A Quem É Dada A Técnica Da Correção?

Pergunta: No artigo “O Amor pelo Criador e o Amor pelos Seres Criados”, Baal HaSulam escreve que a metodologia Cabalística foi dada a um tipo de pessoa, mas com o objetivo de transmiti-la a todas as outras pessoas.

Acontece que, de toda a criação, após centenas de milhares de anos de desenvolvimento, o Criador escolhe certo grupo de pessoas que estava predisposto a isso?

Resposta: Ele pega representantes de todas as pessoas do mundo, os reúne em um grupo, que ele chama de “Israel”, que significa “direto ao Criador”, e lhes dá essa técnica para que eles realizem esse objetivo e a repassem a todos os outros.

A técnica de correção consiste em uma pessoa adquirir as propriedades, ou seja, as propriedades de doação, quando eu coloco os desejos do outro acima dos meus.

Pergunta: Se o Criador é uma propriedade de doação, Ele não pensa em Si mesmo?

Resposta: Claro. Ele nem sequer pensa em Si mesmo. Por outro lado, sempre pensamos em nós mesmos. Acima desses pensamentos, construímos pensamentos sobre os outros.

De KabTV,“Fundamentos de Cabalá”, 07/02/19