“O Que É Realmente O Mundo Espiritual E O Mundo Material?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É Realmente O Mundo Espiritual E O Mundo Material?

O mundo material, que é simplesmente chamado de “este mundo” na sabedoria da Cabalá, é nossa sensação interna de realidade. Parece que existe um mundo fora de nossa sensação interna, mas está tudo dentro.

Quer vejamos um universo imenso cheio de galáxias e estrelas, ou mesmo a vastidão de nosso próprio planeta, com seus níveis inanimado, vegetativo, animado e humano, percebemos tudo em nosso desejo de desfrutar. Nosso desejo egoísta é nossa natureza, e se o separássemos, não sentiríamos a nós mesmos ou o mundo.

“Este mundo” é a imagem que percebemos em nosso desejo inato de desfrutar. Na verdade, é o resultado de uma força superior agindo sobre o desejo. A série de mudanças e movimentos que vemos ocorrem apenas em nosso desejo. Nada se move fora de nós, mas sim movimentos ocorrem em nossos desejos, o que nos faz perceber a mudança e o movimento do lado de fora.

Ao contrário, o mundo espiritual inclui nossa impressão inata da realidade, mas também agimos junto com essa impressão. Se este mundo é o resultado de uma força superior agindo sobre o desejo, o mundo espiritual é o resultado da interação, da conexão entre a ação da pessoa e a ação da força superior.

Quanto mais nos parecemos com a força superior, mais descobrimos o mundo espiritual conforme nossa equivalência com essa força superior.

Baseado na Lição Diária de Cabalá com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 16 de novembro de 2021. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Como Aprender A Ouvir Os Outros

281.02Pergunta: Marina escreve para você: “Percebo com horror que perdi este dom – ouvir e escutar outras pessoas. Mas eu tinha. É possível recuperá-lo?”

Resposta: Não há necessidade. Eu não acho que você deveria ouvir e escutar todas as pessoas.

Devemos primeiro aprender como trabalhar na doação dentro de nós de forma adequada e depois começar a ouvir as pessoas. Se você começar a ouvir, simplesmente ficará cheia dos problemas deles. Você ficará doente com suas feridas e nada de bom sairá disso.

Pergunta: Então, uma pessoa deve primeiro se preparar para ouvir os outros?

Resposta: Sim. É necessário ter um sistema de percepção muito bom, um processamento correto da informação, feedback correto do resultado desse processamento, e você será capaz de tratar os outros correta e adequadamente, será capaz de unir, tratar e ajudar. Caso contrário, o que você fará? Você vai se sentar, chorar e sentir empatia o tempo todo? Ninguém precisa disso.

Pergunta: Então, você está dizendo que somente se houver um objetivo real – ajudar alguém – quando a pessoa atingir esse estado, ela ouvirá e escutará?

Resposta: Sim. Portanto, nossa conexão com outras pessoas é construída por meio de uma proteção chamada tela, Machsom, fronteira. É como um escudo. Eu me torno muito severo comigo mesmo e com os outros e começo a classificar muito seriamente o que recebo deles, o que dou a eles e assim por diante.

Isso é rigidez para consigo mesmo e rigidez para com os outros para que também comecem a parecer corretamente, sem se desfazer. Não significa ser educado; é uma correção. Isso é muito, muito sério. Tudo deve ser pensado, ponderado com clareza e direcionado corretamente para o objetivo comum.

A conclusão aqui é muito simples, qualquer futuro correto que tenha o direito de existir pode ser criado quando as pessoas se elevam acima de seu egoísmo e começam a trabalhar juntas para criar um sistema completamente novo, uma nova rede de comunicações e interações entre si. Então, todos os problemas desaparecem e as pessoas são incluídas em uma sociedade completamente nova.

Pergunta: E quando Marina poderá ouvir e escutar outras pessoas?

Resposta: Quando houver comunicação correta entre elas, opostas e novas, ela será capaz de ouvir as outras pessoas. Todos trabalham apenas para os outros, para todos, e tudo se eleva acima do egoísmo pessoal e privado de uma pessoa.

As pessoas chegarão a este estado. É uma necessidade da natureza! Você não precisa ser um romântico, um crente, nada disso. Vamos ver diante de nós que é isso ou nada.

Pergunta: Por que isso a machuca tanto? Ela escreve: “Percebo com horror que perdi este presente”.

Resposta: É por causa do desapego do egoísmo. Mas todos deveriam e estarão nisso muito tempo. Até que a pessoa chegue à conclusão que é isso, eu fecho essa porta, não tenho nada a ver com isso, compartilho minhas ações e relacionamentos com os outros apenas para eles e não para mim.

Mudando para tal paradigma, para tal relacionamento, eu imediatamente começo a me sentir livre! Essa é a sociedade futura.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 18/10/21

Egoísmo Ou Transgressão?

962.2Pergunta: É egoísmo ou é uma transgressão quando faço mal aos outros para me sentir bem?

Resposta: O egoísmo por si só não é uma transgressão, é a nossa natureza. Transgressão é quando o usamos em detrimento dos outros.

Isso é muito simples. Se você faz algo que o faz se sentir bem, mas ao mesmo tempo é ruim para os outros, isso é uma transgressão. Também vice-versa – se você fizer isso apenas para se sentir bem, sem prejudicar os outros, está tudo bem.

Pergunta: Ao negar o livre arbítrio inicial, a Cabalá dá à pessoa a oportunidade de escolher entre as forças egoístas e altruístas. Como podemos entender isso?

Resposta: Esse é o nosso livre arbítrio. Devo me elevar acima do meu egoísmo e tentar agir apenas para o bem do meu próximo, que é chamado em nome do altruísmo.

De KabTV, “Conversas”, 01/11/21

Selfies Ou Vida

628.4Pergunta: O número de pessoas que morrem ao fazer selfies triplicou desde o fim do lockdown. A causa mais comum de morte é a queda de altura. Representa um terço de todas as mortes. Os homens têm duas vezes mais chances de morrer ao tentar tirar uma selfie do que as mulheres. As selfies são tiradas em guindastes, à beira de uma cachoeira. O motivo é claro – as pessoas querem se destacar, criar conteúdo empolgante e isso termina em desastre.

Por que isso é mais forte do que o medo da morte?

Resposta: Eles não percebem que é tão perigoso. Mas, em geral, mostrar-se em tal postura na frente dos outros é um preenchimento egoísta muito forte e poderoso: “Veja como sou especial”. Para causar inveja. Isso é muito natural para um egoísta.

Pergunta: Por que não aprendemos com esses exemplos? O número de mortes triplicou!

Resposta: O egoísmo está crescendo e não nos permite pensar nas consequências. O ponto principal neste momento é o triunfo do egoísmo: “Veja! Olha onde estou!” Essa é a questão principal. Sem nenhuma razão racional, alguém para quem eu vou mandar vai mostrar para outra pessoa, pelo menos por um momento, e nada vai acontecer.

Pergunta: E este momento vale tudo isso?

Resposta: Sim. E eu pago por isso com minha vida.

Pergunta: Que conclusões uma pessoa deve tirar ao ouvir isso?

Resposta: A pessoa deve concluir que precisa procurar um remédio para essa doença – seu egoísmo aumentado.

Pergunta: Qual é o remédio?

Resposta: A única coisa séria que realmente sei é me elevar acima do egoísmo.

Pergunta: Eu não ouço mais o ego quando me coloco acima dele?

Resposta: Não, eu me apoio nele, eu interajo com ele. É meu assistente.

É necessário superar isso – este é o único trabalho correto com o egoísmo. Infelizmente, ninguém sabe disso, não pensa a respeito e não adquire a habilidade certa, então todos sofrem.

Pergunta: Então, lutar contra o egoísmo, sua destruição, sua depreciação, é errado?

Resposta: É errado. Não há nada que você possa fazer sobre isso. Você pode ver que ele está crescendo em todos os lugares todos os dias.

Pergunta: Quando você diz “elevar-se acima do egoísmo”, o que você quer dizer com isso?

Resposta: Possua-o. Não rejeite, não fuja, não chute, mas entenda que essa é a nossa grande força e que precisamos trabalhar com ela de maneira adequada. Pegue-o em suas mãos e trabalhe com ele, gradualmente, percebendo o enorme potencial nele para liberar esse egoísmo aos poucos, onde for possível, onde for necessário e necessário.

Pergunta: O que significa que, se eu realmente quiser esmagá-lo ou destruí-lo, ele será meu inimigo. E agora você diz que está me ajudando?

Resposta: Certamente. É uma ajuda contra você.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 11/10/21

A Moda Sai De Moda

962.8Comentário: Uma nova tendência da moda são as roupas que não existem. As lojas de moda digital agora estão conquistando o mercado. As roupas digitais são simplesmente sobrepostas às fotos ou vídeos dos clientes no Instagram, redes sociais e onde você quiser.

É claro que o lockdown, esse vírus, se tornou um acelerador desse desenvolvimento. As pessoas estavam sentadas em casa e não havia para onde ir, não havia nenhum lugar para colocar um vestido ou fantasias. E agora essas lojas virtuais de roupas surgiram.

Os fabricantes dizem que a indústria da moda tradicional polui o planeta, mas nós não. Muitas mulheres compram roupas, vestem-nas por uma noite e depois as jogam fora.

Agora você pega essas roupas – o que nós queremos? Pijama em casa e toneladas de roupas virtuais. Você se senta na frente da câmera e tem um vestido lindo, tem roupas maravilhosas e assim por diante.

Parece-me que esta é uma tendência que vai conquistar seu espaço.

Minha Resposta: Sou a favor, é claro. Se eu me comunico pela Internet e posso ter a aparência que quero na tela de minha escolha, tudo bem.

Em geral você precisa de um pijama confortável com bolsos grandes, macios, nos quais possa se deitar e sentar, e fazer o que quiser.

Pergunta: Qual deve ser o ponto de partida quando você diz a palavra “moda”?

Resposta: Apenas conveniência. Uma vez que boas roupas costumavam abrir todas as portas; tudo falava de gosto. Hoje, o gosto é deixado à mercê dos empresários; tudo depende de dinheiro.

Moda é um conceito que acho que está saindo de moda.

Comentário: Eu costumava usar roupas para ser visto e apreciado.

Minha Resposta: Sim. A pessoa transmitia muito com isso, a linguagem da roupa.

E hoje não é o caso. Ela não está mais lá e não existirá mais. De que adianta se todos podem fazer o que quiserem? E ainda mais em formato digital. Se nos comunicamos, e com certeza vamos nos comunicar dessa forma, por que precisamos correr para algum lugar ou caminhar? Você pressiona o botão “qual roupa você escolhe” e ele é colocado em você.

Pergunta: E você pode sentar-se de pijama, colocar um terno e parecer um lorde inglês, como deveria ser. Isso é bom?

Resposta: Acho que sim.

Pergunta: E o que eles olham agora quando se comunicam com uma pessoa? As roupas não fazem mais um homem?

Resposta: Claro que não! Quem não tem essas calças, jaquetas, camisas, meias e gravatas? Eu acredito que tudo isso não deveria estar presente de forma alguma. Estou sentado na sua frente com esse traje e meu cabelo não é meu. Tudo isso pode ser alterado no local.

Pergunta: O que vou olhar ao olhar para uma pessoa?

Resposta: Você vai olhar o que ela tem dentro. Você vai ouvir, vai perceber.

Pergunta: E não devo prestar atenção no que ela está vestindo, seja Wrangler, Levi’s ou algo tão bacana de firmas conhecidas?

Resposta: Claro que não! Quem está prestando atenção nisso?

Pergunta: Isto é, serei capaz de ver calmamente em uma pessoa sua interioridade, seu coração, seu calor? É isso que estarei procurando o tempo todo?

Resposta: Espero que sim.

Pergunta: Eles finalmente nos levarão a isso, o que estarei procurando sozinho?

Resposta: Acho que sim. Mas algo de fora permanecerá.

Eu me lembro da minha filha. Eu estava viajando e ela me ligou e me contou sobre um problema que tinha e até chorou ao telefone. Isso foi quando ela ainda era uma menina.

E eu estava no aeroporto naquela hora. Então fui a uma loja de malas séria lá, liguei para ela dessa loja e perguntei: “O que você quer? Que presente?” Existem tais e tais bolsas. É claro que ela se iluminou; ela ainda era uma menina.

Para onde ela iria com essa bolsa, eu não tinha ideia. E eu fotografei essa bolsa e enviei para ela. Ela disse: “Sim, sim. Isso é exatamente o que eu quero!”

Todo o clima, tudo mudou. Eu comprei e trouxe para ela.

Pergunta: Para corrigir o humor de outra pessoa, isso é necessário?

Resposta: Isso é necessário. Para as mulheres, essas coisas fazem parte de suas vidas.

Comentário: Mas ainda assim, de uma forma ou de outra chegaremos à comunicação interna.

Minha Resposta: Sim. Eu vejo os jovens de hoje, como eles andam nestes trapos; eles não olham para o brilho de forma alguma. Eles têm sua própria linguagem, suas próprias expressões. Eles se comunicam de uma maneira diferente, eles se olham de uma maneira diferente.

Pergunta: Você acha que eles não terão uma parte externa tão forte? Eles receberão algo internamente?

Resposta: Sim, porque antes era status, era a linguagem de uma pessoa; mas hoje não significa mais nada.

Teremos um visual muito confortável em tudo o que nos rodeia, desde apartamentos, carros, roupas e tudo mais. Porque é conveniente. E vamos respeitar isso em uma pessoa, e praticamente vamos olhar para isso. Uma pessoa não deve nos subornar com suas manifestações externas. Quem tem um bolso mais fundo é melhor; isso geralmente é inaceitável!

Isso desaparecerá rapidamente nos homens e mais lentamente nas mulheres. Mas vai acontecer do mesmo jeito. E os apartamentos serão práticos: não de 200 a 300 metros quadrados e, por outro lado, não terão 40 metros quadrados. Em geral, chegaremos a isso internamente.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/10/21

“O Que É O Destino?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É O Destino?

Destino é o que passamos em nossos sentimentos, nossas vidas e nossas condições. É o resultado da influência da natureza sobre nós e de nossa interação com a natureza.

Temos a capacidade de aprender qual é o nosso destino e administrá-lo se aplicarmos uma certa quantidade e qualidade de esforço ao fazer isso. Em outras palavras, podemos chegar a uma compreensão clara de nosso destino e assumir o controle sobre ele, se desejarmos.

Para entender nosso destino e controlá-lo, precisamos descobrir nosso programa operacional. Fazendo isso, adquirimos uma compreensão clara do processo em que estamos e como ele nos força, de geração em geração, a chegar ao destino final.

Este processo começou com o início da criação, antes do surgimento do nosso universo, e gradualmente se desenvolve para um estado onde fará a transição para outra forma completamente, para a forma que está agora.

Enquanto existimos em nossa realidade atual, chamada de “este mundo” na sabedoria da Cabalá, temos a capacidade de mudar e influenciar nosso destino. Por meio do estudo da Cabalá, podemos atrair as forças que nos permitem influenciar nosso destino a cada momento e, ao fazer isso, mudar a natureza da série de estados pelos quais passamos.

Por exemplo, se os pais de uma criança a mandaram para a primeira série da escola, essa criança não tem escolha a não ser estudar vários anos antes de se formar. A questão é se a criança vai gostar desses anos aprendendo e realizando, ou os sentirá como um fardo, sendo punida.

Baseado em “Nova Vida” com o Cabalista Dr. Michael Laitman e Oren Levi em 21 de dezembro de 2014 e “Estados Espirituais” com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 26 de outubro de 2021. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Podemos Ignorar Isso Ou Não?

273.02Comentário: O mundo de hoje parece hostil e imprevisível para as pessoas. Os cientistas acreditam que, como resultado disso, as pessoas mudaram para soluções em preto e branco, sem meios-tons, o que é moral e o que não é, se existe um Deus, se a pena de morte é necessária, as respostas tornam-se inequívocas.

Os pesquisadores dizem que estamos à beira de sérias dificuldades e precisaremos de sabedoria e de pessoas que precisam negociar entre si, e não com pressa. Temos que aprender a viver de acordo com as regras da convivência, mas somos cada vez menos capazes de viver assim.

Minha Resposta: Isso é verdade.

Pergunta: O que acontecerá conosco?

Resposta: Existem métodos afiados e dramáticos de influenciar a humanidade. Provavelmente, não há como fugir deles.

Pergunta: Você acha que eles serão aplicados?

Resposta: Sim. Baal HaSulam, um Cabalista famoso, também escreve que uma terceira e até uma quarta guerra mundial nuclear são bem possíveis.

Pergunta: Isso é para trazer uma pessoa a alguma sabedoria e gentileza?

Resposta: Não entendemos de outra forma. Apenas desastres, apenas golpes, podem nos mudar se não ouvirmos o que a Cabalá clama.

Pergunta: O que a natureza quer fazer com uma pessoa?

Resposta: A natureza nos leva a reconhecer o mal de nossa natureza para que possamos começar a mudá-lo.

Comentário: Você nunca se cansará de falar sobre isso.

Minha Resposta: Esta é uma lei da natureza. Como posso ficar cansado? Não vai mudar. Isso só se manifestará cada vez mais diante de nós.

Pergunta: Sou obrigado a sentir na minha carne, em mim mesmo, que há mal em mim? Não é possível pular isso?

Resposta: Não, é impossível pular isso. A natureza estará nos penteando com um ancinho em nossa carne, cortando como uma faca. Não haverá nada que possamos fazer a respeito. Concordar imediatamente, como se estivéssemos prontos para sentar e abanar o rabo, também não nos ajudará.

É porque aqui teremos que reconhecer a profundidade total de nossa natureza terrível e egoísta, concordar, compreender e até querer voluntariamente, sem a influência da natureza, mudar a nós mesmos.

Ou seja, deve haver uma mudança. Embora ocorra sob a influência de um sofrimento externo, ainda devemos perceber isso internamente em nossa mente, em nossas qualidades internas. Devemos pedir à natureza que nos mude.

Pergunta: Ainda podemos evitar isso? Você começou de maneira muito dura: “Uma pessoa deve passar por isso”.

Resposta: Quanto mais conheço pessoas, mais amo os animais.

Pergunta: Você vê que uma pessoa é tão obstinada?

Resposta: O pior de tudo. Ela mesma não irá e não será capaz de fazer isso. A única questão é porque a natureza nos leva a essa armadilha. Afinal, é relativamente fácil reconhecer a inferioridade de nossa natureza e tirar conclusões disso.

Quase todos concordarão com isso, desde monstros terríveis, assassinos e assim por diante, até pessoas normais. Todos concordarão que nossa natureza é cruel, que não podemos nos dar bem uns com os outros de forma alguma. O que podemos fazer? “Vamos ser bons!”

Não nós não podemos! Para fazer isso, precisamos de uma educação Cabalística sistemática que nos explique como atrair as boas forças da natureza sobre nós. Essas boas forças vão nos mudar gradativamente, lentamente, ao longo dos anos.

Definitivamente, não podemos fazer isso sozinhos. A natureza pode, mas depende de quanto podemos atrair sobre nós mesmos e implorar para que nos mude.

Existe um final feliz, mas não podemos saltar para ele. Então o que podemos fazer? Podemos olhar sobriamente para o que está acontecendo e tentar adicionar consciência sobre-humana à consciência humana com pequenas inclusões, pequenas injeções.

Não há mais nada. Vai aumentar. No entanto, ainda requer muito tempo e muito esforço.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/10/21

Impulsionado Pela Natureza

629.3Pergunta: No artigo “A Liberdade”, Baal HaSulam escreve que a lei do desenvolvimento que nos empurra em direção a seu objetivo nos torna cativos porque uma pessoa é sempre atraída pelo prazer e foge do sofrimento. Existe alguma liberdade nisso?

Resposta: Não. E que tipo de liberdade pode haver se eu for apenas um desejo de receber prazer? Sempre há um certo número de opções de prazer e sofrimento diante de mim, e eu, de acordo com minha compreensão e disposição, escolho para mim aparentemente a melhor opção. Nesse estado, sou como um animal que simplesmente escolhe escapar do mal para o bem sempre que possível e o mais rápido possível.

Pergunta: Baal HaSulam e você muitas vezes usam o termo “animal” em relação a uma pessoa. Por quê? Parece duro.

Resposta: Isso não significa que reduzimos o homem ao nível de um animal.

A questão é que nossa natureza nos controla de forma totalmente rígida, especificamente, de acordo com uma determinada fórmula, e assim nos faz escolher a cada momento o estado que parece o melhor para nós. O único problema é que ambos os animais e nós escolhemos esses estados de acordo com nossa compreensão do que nos é revelado.

Uma pessoa, vendo um certo número de possibilidades à sua frente, escolhe a melhor: em parte instintivamente, em parte razoavelmente, calculando suas opções. O animal faz o mesmo. Porém, comete menos erros porque tem instintos mais desenvolvidos, que estão em um menor conjunto de variações e possibilidades.

Mas, em princípio, é o mesmo programa. E não há nada que uma pessoa possa fazer aqui. Portanto, se apenas vivermos nossa vida da maneira usual, seremos guiados pela natureza e não teremos nenhum tipo de livre arbítrio.

Como então você pode definir o que é liberdade? Liberdade de quê? Não estou livre do meu desejo de receber prazer. A única coisa é que posso escolher um certo tipo de prazer para mim. Nesse caso, substituo um pelo outro.

Por exemplo, posso me inscrever em um grupo de perda de peso. Eles vão fazer uma “lavagem cerebral” em mim e vou me comportar de maneira diferente: vou escolher outras formas de prazer em vez de comer doces. ou posso preferir fazer arte, ciência, etc.

Assim, posso cair sob a influência de certos fatores externos, e eles me darão uma escala de valores diferente. Ou seja, posso dizer que agora escolho uma determinada atividade ela se torna importante e para mim, agora eu extraio prazer dela. Mesmo assim, alguém me empurrou para isso. Em qualquer caso, estou dentro da mesma natureza que consiste apenas em prazer e sofrimento.

De KabTV, “Close-up. Ilha de Fogo”

A Educação Correta Mudará O Mundo

630.2Pergunta: O que a prática da Cabalá dá a uma pessoa?

Resposta: Uma pessoa cai sob a influência de forças superiores completamente diferentes.

Ao praticar a Cabalá, atraímos a luz circundante, certa força que começa a nos moldar. Ela cria um homem de um homem e uma mulher de uma mulher, mas gradualmente porque este é um processo demorado.

Vivemos agora em um período de transição. Pela primeira vez, estamos tentando colocar a metodologia Cabalística na prática. Eu espero que já nesta geração sejamos capazes de fazer essa ascensão ao próximo nível onde homens e mulheres atingirão a natureza e estarão em harmonia: homens com a parte masculina da natureza e mulheres com a parte feminina da natureza.

Então, eles serão capazes de dar a seus filhos, a próxima geração, a formação correta com base em sua natureza corrigida.

Precisamos educar as pessoas. Agora eles recebem educação, mas não formação. Não educamos uma pessoa; não damos a ela nenhum conceito sobre vida social, familiar ou pessoal adequada.

Costumo dar o exemplo de como, quando estudantes, fomos à maternidade pela primeira vez e vimos um parto. Eu tinha dezessete anos e meio na época. Fiquei chocado! Minha atitude em relação às mulheres mudou. Para sempre! Depois disso, nós, meninos, começamos a nos relacionar de maneira diferente com tudo.

Precisamos fazer a formação certa para homens e mulheres. Isso mudará o mundo.

De KabTV, “Close-up”

MAN – Elevar Desejos Ao Criador

235Pergunta: O que é MAN?

Resposta: Do ponto de vista da Cabalá, MAN é elevar os desejos de uma pessoa ao Criador e um pedido para corrigi-los. No entanto, de acordo com a descrição na Torá, parece ser a resposta de cima do Criador para as pessoas. Basicamente, é a mesma coisa.

Quando uma pessoa eleva seus desejos ao Criador, na verdade, este é o Criador enviando-lhe essa ajuda. Acontece que o alimento de uma pessoa, MAN (maná), a qualidade de Bina, por assim dizer, vem do Criador. Embora todos estejam cheios do mesmo MAN, cada um tem sua própria sensação.

Quando o povo entra na terra de Israel, o MAN (maná) para de cair porque eles não precisam mais dele. Eles receberam a terra, agora devem cultivá-la e usá-la adequadamente, ou seja, combinar Malchut e Biná corretamente.

De KabTV, “Segredos do Livro Eterno“, 27/09/21