Textos com a Tag 'Convenção'

Abra A Entrada Da Espiritualidade Para O Mundo Inteiro

laitman_962.7Em preparação para o Congresso, nos sentamos em dezenas aleatórios nas aulas, e não em nossas dezenas regulares, onde algumas das pessoas eu conheço bem e outras não. Mas isso não importa. Durante esses vários dias, devemos perceber que não importa com quem estou sentado, porque precisamos criar uma garantia mútua. Então agora, sentado em uma dezena aleatória, devo tentar perceber a garantia mútua aqui e depois fazer isso em uma dezena diferente.

Eu devo realizar a garantia mútua em relação a toda a realidade, porque o mundo inteiro é meu vaso espiritual, um Kli. Cada vez que uma parte diferente desse vaso se revela para mim de uma maneira ou de outra. Quando as dez Sefirot, os dez amigos, nos são reveladas, isso sempre acontece na mesma dezena e só me parece diferente, como se eu estivesse vendo rostos, nomes e estados diferentes. Mas, na verdade, é a mesma dezena.

Parece que vejo pessoas diferentes, mas na verdade não é assim – essa é apenas a minha percepção. Na realidade, é a mesma dezena: “Sempre dez, não nove e nem onze”.

Os detalhes externos não são importantes para mim, porque temos que chegar à revelação do Kli espiritual. Devemos estar juntos apenas na espiritualidade, e nos envolvemos na corporeidade somente quando necessário. Assim, não faz diferença para mim onde estou sentado porque é a mesma dezena, não pode ser maior ou menor ao longo da criação. Mesmo que eu me sentasse com 8 bilhões de pessoas, ainda seria uma dezena, dividida apenas para me permitir a oportunidade de estudar os mínimos detalhes de um único Kli. Em essência, são as mesmas dez Sefirot. 1

Nós revelamos ou construímos a conexão entre nós? Construímos nossa conexão e só então percebemos que ela já existe. Como não sabemos o que construir ou como, tentamos de todas as formas possíveis. Como resultado de nossos esforços para fazer alguma coisa, essa rede se estabelece. Mas ela não se materializa até que nos esforcemos ao máximo em todos os níveis.

Este sistema já existe, é perfeito. Nada foi quebrado, desapareceu ou foi perdido. A quebra só existe em nossa percepção: temos que fazer esforços e revelá-lo. Afinal, nossa consciência, compreensão e desenvolvimento dependem disso. Criamos em nós mesmos a capacidade de perceber, com nossa mente e sentimentos, o tipo de conexão que deve existir entre nós, as responsabilidades, a participação e a reciprocidade.

Cada pessoa se torna parte de outra e começamos a agir juntos como células de um único organismo. Temos que atingir as ações deste corpo em todas as suas conexões. Assim, nos elevamos ao nível do Criador. Ao alcançar como esse mecanismo opera, nos elevamos para atingir o propósito da criação, percebemos por que o Criador fez tudo dessa forma e por que criou especificamente essas conexões. Este é um caminho para revelar o Criador, para atingir a mente criativa. 2

Tudo faz parte de um sistema único, mas as almas mais próximas de mim, com as quais devo obter a garantia mútua, são as dez com as quais estou corporalmente, pois permaneço neste mundo com minha mente e sentimentos. Assim, aceito a dezena em que estou atualmente como um exercício que me foi dado para construir o Arvut entre nós.

Posso trocar dezenas a cada minuto – não faz diferença. O principal é que anulo meu egoísmo e deixo a dezena diante de mim entrar, que eles substituam meu coração. Isso é chamado de garantia mútua.

As nove pessoas diante de mim são as nove Sefirot superiores e eu sou Malchut. Portanto, eu faço uma restrição a mim mesmo e as sirvo, apego-me a elas, estou disposto a fazer qualquer coisa por elas. Isso significa que estou construindo um Partzuf espiritual. A garantia mútua é uma condição para a criação de um Partzuf espiritual, através do qual se pode doar ao Criador e receber Dele. 3

Isto é muito real; está bem na nossa frente. Este Congresso pode se tornar a revelação do Criador às Suas criaturas. Mas, obviamente, nosso trabalho é muito mais difícil do que se estivéssemos estudando Cabalá em um pequeno grupo de cerca de dez pessoas. Isso seria fácil. Mas somos um grupo Cabalista do novo mundo que está abrindo a entrada da espiritualidade para toda a humanidade.

Estamos puxando o mundo inteiro para cima e isso, naturalmente, é muito mais difícil. Mas é isso que se chama geração do Messias, a última geração.

Existem vários métodos que permitem experimentar sem esforço algo espiritual. Mas não é isso que o Criador exige de nós. Ele espera que façamos esse trabalho para que puxemos o mundo inteiro para cima conosco. 4

O que posso fazer se quiser sentir os desejos dos meus amigos, mas não sentir nada desse tipo, absolutamente nada? Anule-se. Eu quero costurar seus desejos juntos, conectar seus corações. Se eu pegar o coração dos meus amigos e costurá-los, ponto a ponto, como se tivesse uma agulha e um fio, crio uma área onde o Criador será revelado. Este é o meu Criador, minha área, porque eu conectei seus corações.

Se eu pudesse visualizar esses corações e conectá-los dessa maneira, já teria construído minha alma. 5

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 17/02/20, Arvut [Responsabilidade Mútua] ”(Preparação para a Convenção Mundial de Cabalá 2020)
1 Minuto 49:50
2 Minuto 55:20
3 Minuto 1:05:11
4 Minuto 1:40:20
5 Minuto 1:42:11

Descubra O Propósito Da Vida Na Convenção Mundial De Cabalá De 2020

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 21/02/20

Cerca de trinta anos atrás, eu costumava andar regularmente no Yarkon Park, em Tel Aviv, com meu professor, o Cabalista Baruch Shalom Halevi Ashlag (Rabash).

A cerca de 200 metros do banco do parque, na foto, do outro lado da rua, milhares de pessoas de todo o mundo se reunirão para a Convenção Mundial de Cabalá 2020, pessoas que compartilham um objetivo comum – descobrir nada menos que o propósito da vida, a revelação do Criador, usando o método da Cabalá.

Se você tivesse me perguntado há trinta anos, quando eu estava acompanhando meu Rav, que um evento de tal magnitude ocorreria – que tantas pessoas diferentes iriam para Israel de dezenas de países e que homens e mulheres, jovens e velhos, de muitas línguas diferentes, se reuniam para exigir o propósito de suas vidas acima dos outros compromissos da vida – por um lado, eu nunca teria esperado isso.

Por outro lado, eu realmente esperava uma reunião dessas e até mesmo muito maiores.

No entanto, um princípio que aprendi muito bem nos últimos trinta anos é que não determinamos o que acabará por acontecer.

E o que o Rabash teria dito sobre uma reunião tão grande, onde todos nós nos reunimos em seu nome, como “Bnei Baruch” (“os filhos de Baruch”)? Conhecendo o Rabash, tenho certeza que ele teria dito que espera que apliquemos mais esforços.

Não tenho dúvida de que ele ficaria satisfeito conosco se visse nosso grande grupo global e popular e saberia que não temos outro recurso senão crescer espiritualmente e nos construir “como um homem com um coração”.

De Abraão na antiga Babilônia, passando pelo Ari, o Ramchal, o Baal HaSulam e o Rabash … todos esses grandes Cabalistas e outros esperaram e trabalharam muito duro para espalhar o método da Cabalá para toda a humanidade.

A Convenção Mundial da Cabalá deste ano será um avanço espiritual e um grande salto em frente. À medida que a humanidade se desenvolve e as crises se agitam de todos os ângulos, temos um tempo muito interessante pela frente e tenho certeza de que o compreenderemos bem.

Precisamos ter um pouco mais de paciência. Aumentar nossas conexões positivas a cada momento é de importância primordial agora.

A Convenção Mundial de Cabalá de 2020 em Tel Aviv, Israel, está aberta a todos, e eu convido qualquer pessoa que sinta qualquer tipo de atração ou curiosidade a essas ideias para participar.

Página do Evento

Ao Infinito E Além!

laitman_923Lembro-me como no primeiro Congresso em Sitrin, na Páscoa de 2003, gritamos ingenuamente que iríamos romper o Machsom (a barreira que nos separa do mundo espiritual). Passaram-se 17 anos desde então, e acho que finalmente chegou a hora de realmente exigir que os limites do mundo superior se abram diante de nós e que passemos pelo mar como se por terra. Acho que estamos prontos, junto com todos os nossos amigos ao redor do mundo. Se todos sentimos que estamos no mesmo barco, podemos nos sentir em pé do outro lado do rio da vida.

Que os amigos de todo o mundo se reúnam, juntando-se a nós física ou virtualmente, e juntos romperemos o Machsom. L’Chaim! 1

Da Conversa em uma Refeição, 01/02/20
1 Minuto 23:30

Uma Oração É Uma Força

laitman_249.01Haverá milhares de pessoas na próxima Convenção Mundial da Cabalá em Israel. Esta é uma força massiva. Dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo também estarão nos seguindo na Internet. Esta é uma reunião poderosa de trabalho e progresso comuns, onde podemos dar outro passo adiante. Podemos elevar MAN e revelar o Criador dentro da nossa conexão.

Toda pessoa tem que reunir todas as pessoas que se reuniram na Convenção ao mesmo tempo, todos os seus desejos e aspirações, as orações de homens e mulheres, e elevá-las ao Criador. Eu peço a correção deles, para que todos esses desejos sejam corrigidos, ou seja, para trazer satisfação ao Criador. Cada um de nós que forma tal oração é uma força. Não há nada assim no mundo. Se fizermos tudo certo, sem dúvida podemos ganhar o primeiro grau espiritual. Esta é a nossa preparação para a Convenção.

Como coleciono os desejos dos meus amigos? Quero que eles estejam dentro do meu coração, para que eu me sinta responsável por eles. Devo dizer que o mundo existe por minha causa, para eu corrigi-lo. Todos devem dizer isso.

Eu quero pegar os desejos dos meus amigos e elevá-los ao Criador. Minha única contribuição para isso é que eu os conecto e os coloco dentro da minha intenção de doar a Ele. Os seres criados precisam da ajuda do Criador, e eu também quero ajudá-los passando a ajuda do Criador para eles através de mim. 1

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 29/01/20, Escritos do Baal HaSulam, “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot
1 Minuto 51:55

Quebrem O Muro Entre Nossos Corações

laitman_962.4Vamos torcer para que durante a Convenção geremos um poder tão grande que possamos quebrar o muro que nos separa do Criador, do mundo espiritual, o muro entre nossos corações.

Uma vez por ano, na Convenção Mundial da Cabalá em Tel Aviv, eu me sento diante de uma enorme audiência de milhares de pessoas. Como me sinto nesse mar de pessoas? Eu o cubro com minha tela e o transformo em um vaso espiritual para o qual apelo. Não vejo pessoas na minha frente, mas vejo um desejo que está em mudanças internas, em busca, em esperança. Não faço distinção entre rostos. Sinto para que correção este Kli é criado, como ele se aproxima da correção, como o Criador age nele e se alegra. É como um bebê que está prestes a nascer e estamos esperando impacientemente por ele. É assim que eu sinto esse estado.

Eu espero que entremos no processo de nascimento na Convenção. A preparação já está feita, precisamos apenas induzir as dores do parto – precisamos de uma pressão interna de nós e pressão externa do Criador. Então isso vai acontecer.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 25/01/20, Escritos do Baal HaSulam “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot
Minuto 50:00

Concordar Em Trabalhar Para O Criador

laitman_962.4Após um Congresso tão poderoso, queremos medir nossas subidas e descidas de acordo com novos valores. Anteriormente, o estado dependia apenas de mim, do meu sentimento bom ou ruim, do qual concluí que estava em subida ou descida. Mas agora eu quero conectar meus estados ao Criador: se eu anseio por Ele, significa que estou em subida, e se não anseio por Ele, não importa o quão bem minha vida comum seja disposta, considero que isso é uma descida.

Em seguida, passamos para um novo estado em que subidas e descidas são determinadas de acordo com a direção: em direção ao Criador ou em direção a nós mesmos. Este é um grande avanço, porque já posso analisar: estou pensando no Criador ou em mim mesmo? E se anseio pelo Criador, por que trazer satisfação a Ele ou a mim mesmo? Aqui começa um cálculo através de um discernimento adicional: eu ou o Criador, eu ou os amigos?

Nessas escalas, eu dou um peso crescente ao lado oposto a mim: o grupo ou o Criador, e o uso para avaliar a subida e descida. As subidas são quando penso mais no bem da dezena e do Criador e as descidas são o contrário: quando eles desaparecem do meu horizonte e não penso neles, mas apenas em mim. Essas são etapas claras de causa e efeito que devem me levar à Lishma.

O principal é desconectar-me um pouco e começar a pensar na direção do Criador. Eu quero ansiar por Ele e lhe trazer satisfação. E somente se eu me colocar na dezena, isso trará satisfação a Ele. Portanto, a dezena ganha novo peso para mim: não são apenas dez pessoas, mas a Shechinah (Divindade), um lugar para a revelação do Criador, onde eu posso dar a Ele. Tudo já está direcionado para o estado de doação, Lishma. 1

O Criador está dançando um tango conosco: ele se aproxima, depois se afasta e exige uma resposta de mim. Depois que Ele me iluminou, se afastou e desapareceu, eu devo me aproximar do estado anterior. É como respirar: expirar e inspirar. Assim, o Criador me ensina que, através de ações no grupo, eu darei a Ele um lugar onde Ele possa ser revelado, onde eu O convido, e exijo revelação. Quando este local é aberto, o Criador o preenche e desaparece novamente, deixando-o vazio. Então eu tenho que atraí-Lo de volta.

Eu preciso adicionar minha paixão, minha aspiração a esse tango. Toda vez que o Criador desaparece, devo me examinar: pelo que estou realmente desejando? E tento melhorar a qualidade da minha aspiração por Ele, para que não seja importante o meu preenchimento, mas aquele por quem anseio. 2

Não temos nada a dar ao Criador, exceto a nossa conexão. O Criador é perfeito e não precisa de nada, não sente carência. Tudo o que podemos oferecer a Ele é um vaso, um Kli, no qual Ele pode se revelar e desfrutar de preencher nosso desejo. Portanto, cada um de nós tem a oportunidade de trazer satisfação ao Criador, preparando as nove primeiras Sefirot, os nove amigos, para a revelação do Criador nelas.

Cada um de nós se torna Malchut em relação ao resto e os prepara para serem preenchidos pelo Criador. A pessoa dá o desejo e o Criador é revelado nas nove primeiras Sefirot, nos amigos. Este é o nosso trabalho e é tudo o que podemos apresentar ao Criador: um vaso espiritual. 3

O desejo pelo Criador é desenvolvido através de um longo caminho, a partir do nosso desejo egoísta. Eu recebo vários golpes e sinto que eles são manipulados pelo Criador para me fazer entender que tudo vem Dele, bom e ruim, em qualquer situação da vida. Dentro de todos os problemas e “punições” da vida, a mão do Criador é revelada.

No começo, senti apenas punições, mas por causa disso senti dor, medo, desespero e vergonha. Mas, de repente, acontece que os castigos vêm do Criador, e isso é um alívio. Afinal, há uma justificativa e explicação para o que está acontecendo: é assim que o Criador me leva à correção final. Já adoça os castigos.

Eu me senti mal quando os castigos vieram, mas pelo adoçamento deles, me sinto bem. É impossível obter essa sensação agradável sem sofrimento prévio. Portanto, eu concordo: que haja medos, ansiedades, confusão, apenas para receber misericórdia e adoçar. É assim que aprendemos que a conexão com o Criador justifica qualquer condição.

É assim que o anseio pelo Criador é construído, porque eu vejo que o amor cobre todos os crimes e quero sentir o Criador, entender, amar. Sinto-me bem por ansiar por Ele – essa ainda é uma forma egoísta. Sinto-me bem pelo fato de ter pensamentos sobre o Criador, que luto por Ele, porque sei que a conexão com Ele dá doçura. E não apenas porque Ele adoça o julgamento que recebo, mas mesmo sem a ameaça de julgamento, quero pensar nele. Esta é a segunda etapa.

Se eu não pensar no Criador nem por um momento, me sinto mal. E se não me sinto mal com isso, lamento por que isso acontece? De fato, isso significa separação do Criador. Aqui, a pessoa pode verificar o quão terrível é se afastar do Criador, mesmo que por um momento.

Minha definição de bem e mal muda. O mal é quando não penso no Criador e o bem é quando penso. Eu ainda avalio pelo fato de me sentir satisfeito ou descontente, mas o próprio pensamento do Criador já está se tornando uma recompensa. Não preciso mais de uma punição preliminar neste mundo para esperar pelo Criador como meu salvador. Acontece que eu já estou me movendo deste mundo para o Criador e dizendo que pensar nele é uma recompensa e não pensar é uma punição.

O Kli que o Criador pode preencher é a dezena. Bom é quando o Criador é revelado aos dez como um: Ele une tudo e é revelado a todos. Deixe-O trabalhar, Ele ama este trabalho! Mas Ele não fará nada até exigirmos que Ele trabalhe. Nós somos os mestres que ordenam o trabalho do Criador: nós identificamos lugares onde não estamos conectados e exigimos que o Criador nos conecte e nos preencha. Este é o elevar MAN, a oração. 4

Você deve trabalhar pela fé acima da razão, ignorando seus sentimentos, “como um boi para o fardo e um burro para a carga”. Antigamente, animais domésticos, bois e burros eram livres e viviam suas vidas na natureza, em sua família, no rebanho. Agora, toda a sua vida é atender à demanda do proprietário. Eles se venderam por comida e estão prontos para fazer todo o trabalho que o proprietário exige.

Também precisamos concordar em fazer todo o trabalho a pedido do Criador “como um boi para o fardo e um burro para a carga”. E por qual recompensa? Por nenhuma, apenas pelas necessidades básicas de existir. Não quero nada, apenas existo, e por quê? Para preencher o desejo do mestre para que Ele me ame como seu boi ou burro.

Por que os proprietários alimentam e limpam seus animais? Porque eles trabalham. Então, eu quero o mesmo e nada mais. Eu preciso me abaixar ao estado de pura intenção. 5

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 13/11/19, Endurecimento do Coração – Um Convite para Construir um Anseio pelo Criador ”

1 Minuto 4:50
2 Minuto 27:50
3 Minuto 31:56
4 Minuto 51:50
5 Minuto 1:24:15

Preparando-se Para A Convenção No Deserto 2019

laitman_962.1Para trazer contentamento ao Criador, devemos ter um desejo comum, pois nenhum desejo individual é forte o suficiente para ser eficaz. O Criador é o resultado de nossa união e só pode ser alcançado a partir do centro de nossa conexão, o centro da dezena. Se aspiramos a alcançar um desejo comum, já podemos estar conectados com o Criador a partir desse ponto.

Nós continuamos nos desenvolvendo e aumentado esse desejo em qualidade e quantidade. O principal é que cada um de nós verifique que tipo de desejo está dentro de si e quão determinado está a cada momento para contribuir com o desejo comum, com a Malchut comum, dirigido ao Criador.1

O armazém (vaso) do amor é a fé. O amor é a Luz de Hochma que se transforma na Luz da fé, a Luz de Hassadim. Nós precisamos desenvolver tal vaso em nós mesmos para receber a Luz do amor pelo Criador.2

Está escrito que doar a um amigo é o mesmo que doar ao Criador. Quanto ao meu desejo de desfrutar, não faz diferença se eu doo à dezena, ao grupo, ao mundo ou ao Criador. Afinal, eu me separo do meu desejo para não receber nele. Mas, na doação em si, ainda há uma diferença se é para dar aos amigos ou ao Criador.

Está escrito que se uma pessoa alcança amor puro e doação para um amigo, ela também alcança o amor e doação para o Criador junto com ela. Com a ajuda do estudo e do trabalho na dezena, eu tenho que mudar a minha atitude para com os amigos, a fim de ver neles as qualidades genuínas do Criador. Então, meu amor pelos amigos se torna tão completo, que o amor pelo Criador é revelado dentro dele.3

Como você pode continuar com o mesmo poder e entusiasmo quando descobre que todas as suas ações são egoístas, em prol do poder, do orgulho, do egoísmo e do oposto da intenção correta? Nós entendemos que agimos egoisticamente e que todas as nossas intenções e ações serão necessariamente para o nosso próprio bem. Mas, ao mesmo tempo, queremos nos mover na direção oposta. Isso é chamado de “sair do exílio no Egito”.

Nós estamos sob o poder do nosso egoísmo, a intenção para si mesmo, a atitude egoísta em relação ao grupo. Precisamos estar conscientes disso e, ao mesmo tempo, continuar a agir com a esperança de que nossas ações se tornem altruístas. Mesmo que ainda não tenhamos as intenções corretas, mas apenas ações, nós atraímos a Luz que Reforma.

Se nossas intenções já fossem altruístas, estaríamos trabalhando com a Luz interna. Agora trabalhamos com a Luz circundante, e essa é a diferença: que até agora não há intenção em prol da doação. Mesmo se estivermos no ego, nas intenções por si só, mas organizamos nossas ações como doação, despertamos a Luz circundante.

Portanto, nós existimos no mundo das ações. Afinal, podemos despertar a Luz que Reforma enquanto ainda estamos na forma oposta. Isso distingue as pessoas com o ponto no coração. Elas podem sentir a existência da doação, o Criador, a conexão altruísta, mas são incapazes de alcançá-la. Elas entendem o poder da doação, mas encontram-se no estado oposto. Portanto, por meio de suas ações, elas podem causar a influência do grau de doação chamado Luz que Reforma.

Somente as pessoas que têm egoísmo e o ponto no coração dentro de si, as duas qualidades opostas, são capazes disso. Dentro de seus egos, elas agem com força, de acordo com sua natureza, estando no exílio, escravas do Faraó. Mas junto com isso, instigadas pelo ponto no coração, elas pretendem alcançar a doação, escapar da escravidão e sair do exílio. Quando sentem o vislumbre de esperança, mais uma vez percebem que não conseguem se libertar do ego, e assim sucessivamente. Até que “os filhos de Israel suspiraram por causa do trabalho… e seu grito elevou-se”.

As duas qualidades opostas existem apenas em Israel, em uma pessoa que visa diretamente ao Criador. Ela percebe que está sob o controle do desejo de receber, mas, ao mesmo tempo, está pensando em doar, em elevar-se acima de si mesma. Para ela, não é filosofia ou psicologia, mas o propósito real da vida. Ela recebe esse desejo dentro do desejo, um ponto espiritual dentro do egoísmo.4

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá de 27/01/19, “Doar Contentamento ao Criador” (Preparação para a Convenção no Deserto 2019)

1 Minuto 0:30
2 Minuto 5:00
3 Minuto 39:09
4 Minuto 58:45

Convenção Virtual De Cabalá: “Muitas Centelhas De Santidade”

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 22/10/18

“Você deve saber que há muitas centelhas de santidade em cada um dos amigos. Quando você coletar todas as centelhas da santidade em um só lugar, como irmãos, com amor e amizade, certamente terá um alto nível de santidade da Luz da Vida, por ora”. Cabalista Yehuda Ashlag

Congresso Virtual 2018

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 10/21/18

Tivemos nossa primeira Convenção Virtual de Cabalá neste fim de semana com participantes de todo o mundo. Aqui estão alguns números: havia 170 grupos físicos do Bnei Baruch conectados, 27 grupos virtuais conectados (não incluindo iniciantes), um total de 3.482 homens e mulheres do Oriente Médio ao Extremo Oriente! Obrigado a todos por estarem conosco.

Continuando A Convenção Com Uma Subida

laitman_275Como exatamente é expresso o avanço espiritual? É em uma maior realização do Criador, na unidade de amigos, na compreensão dos ensinamentos da Cabalá, no crescimento de nossa força, ou, inversamente, na realização de nosso próprio desamparo e dependência? Se examinarmos isto mais de perto, fica claro que todo o nosso avanço depende somente da experiência da grandeza do Criador.

Conforme alcançarmos essa grandeza, ou melhor, a aumentarmos com a fé acima da razão, determinará todo o nosso avanço ao longo do caminho espiritual, nossa prontidão para direcionar todos os nossos esforços, pensamentos e desejos, cada um individualmente e todos juntos, para trazer contentamento ao Criador.

Não importa qual progresso ou compreensão foi recebido, quanto esforço foi exercido, ou quais obstáculos precisaram ser superados. Nossos cálculos devem ser realizados apenas em termos de como trazer contentamento ao Criador. Não há grandeza de mim como indivíduo, ou de um amigo ou professor – existe apenas a grandeza do Criador, que precisa ser ampliada, ampliada e experimentada na medida em que é mais importante do que o meu bem-estar. É isso que significa continuar a Convenção com uma subida.

A recente Convenção na América foi muito bem-sucedida porque uma tremenda importância do Criador foi revelada nela; ela governava todos os nossos esforços, pensamentos e desejos. Essa é a altura da Convenção.

Tudo é medido pelo aumento da importância do Criador entre nós, graças a quem nos distanciamos do ganho pessoal e nos movemos em benefício do grupo, na medida em que o valorizamos como um meio de doação ao Criador.

É por isso que continuar a Convenção com uma subida é verificar constantemente: será que alcançamos um nível maior de importância do Criador sem buscar benefício pessoal, mas apenas pelo desejo de trazer-Lhe contentamento?

Para continuar avançando, não precisamos esperar pela próxima Convenção, mas entre as Convenções precisamos tentar construir a grandeza do Criador entre nós, sem voltar a pedir por nós mesmos. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/05/18, Lição sobre o tópico: “Continuando a Convenção com uma Subida”
1 minuto 0:25