Textos na Categoria 'Trabalho Interno'

Aprenda As Ações Que Devemos Executar

Dr. Michael Laitman“O Prefácio à Sabedoria da Cabalá” começa com estas palavras: “O Criador desejava purificar Israel; portanto, Ele lhes deu abundante Torá e Mitzvot (mandamentos) …” O Criador tem um objetivo e trabalha para isso. O objetivo deve ser alcançado através do processo pelo qual as criaturas passam. O Criador colocou esse objetivo diante de nós e deseja que o alcancemos não por algum milagre, mas através de nosso próprio esforço e graduais mudanças internas.

Esse objetivo é primário, precede nossa criação; para alcançá-lo, precisamos seguir a Torá e Mitzvot, ou seja, mudar nosso desejo com a ajuda da luz que reforma. Esse objetivo existia antes da criação do homem neste mundo, assim como a escada dos graus espirituais que um homem deve subir para alcançá-lo. O Criador pensou em tudo com antecedência e o organizou para nós; tudo está pronto.

Devemos nos purificar do nosso egoísmo e, assim, alcançar o objetivo. Mas não o negamos porque nada foi criado neste mundo desnecessariamente. Assim, se tivermos a atitude correta em relação à nossa natureza, criada pelo Criador, e nos esforçarmos pelo estado que Ele tem reservado para nós, nos encontraremos em um determinado caminho que devemos percorrer.

É impossível pular esse caminho porque adquirimos as qualidades que precisamos enquanto nos purificamos. Devemos purificar nosso desejo egoísta e, através deste trabalho, chegar ao objetivo pretendido. Tal é o desejo do Criador.

É assim que Baal HaSulam inicia seu artigo “Prefácio à Sabedoria da Cabalá”, tentando nos explicar, da maneira mais breve possível, o começo, o meio e o fim do caminho da obra espiritual do homem e o estudo do sistema dos mundos superiores. Neste artigo, a pessoa precisa entender que as leis espirituais superiores, expandidas a partir do pensamento da criação, consistem em apenas duas partes: a natureza do Criador e a natureza da criação, que devem ser opostas ao Criador. O objetivo final é trazer a criação à plena adesão com o Criador sem alterar sua natureza, mas dando-lhe uma forma diferente, que se assemelha às qualidades do Criador.

Ao estudar o artigo “Prefácio à Sabedoria da Cabalá” (Pticha), o sistema dos mundos superiores e seu desenvolvimento de cima para baixo como resultado do qual toda a nossa realidade foi construída, percebemos que tudo isso surgiu do pensamento da criação, com o objetivo de nos levar ao objetivo final. Esse desenvolvimento dos mundos de cima para baixo, os graus e estados espirituais, obriga-nos a realizar certas ações aqui abaixo, a fim de usar todos os meios à nossa disposição e alcançar o objetivo de nossas vidas. Nosso trabalho interno deve refletir as qualidades espirituais descritas neste artigo.

Nós aprendemos sobre a luz que age no desejo, construindo e disseminando de cima para baixo, Partzufim, Sefirot, mundos superiores. Mas, de fato, estamos aprendendo sobre as ações que devemos realizar para ter uma compreensão clara de como deve ser nosso trabalho espiritual. Assim, eliminamos todos os equívocos anteriores e vemos claramente o que deve ser feito para atingir o objetivo.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 14/08/19, Escritos do Baal HaSulam, “Prefácio à Sabedoria da Cabalá”, Item 11

1 Minuto 05:05

Trabalhando Com Obstáculos

Dr. Michael LaitmanSe meu objetivo é dar ao Criador, não deve ser importante para eu fazer isso a partir do estado de subida ou descida. Eu faço uma restrição em mim mesmo como se eu não existisse e só estou procurando alguma oportunidade de agradar o Criador. Eu vivo constantemente em um “sanduíche”: só presto atenção ao meu objetivo de trazer alegria ao Criador, seja subindo ou descendo.

Então minha atitude para com os altos e baixos se torna construtiva: eu os avalio em termos do que me ajudará mais. Talvez seja mais útil para eu revelar mais trevas e todos os tipos de defeitos. Já pelo fato de agradecer ao Criador pelo mal revelado, dou-Lhe prazer porque entendo que essa é uma preparação para me fundir com Ele. Quero ser fiel a Ele nos estados ruins, assim como nos bons, e não esperar que Ele corrija tudo.

Se eu resolver os problemas e permanecer alegre, isso é um sinal de que estou no caminho certo e mantenho a direção certa. Não há bem sem mal. O mal é uma base sólida com a qual posso avançar com confiança para um trabalho perfeito. Eu sempre verifico onde e como, de que forma e com que poder posso agradar ao Criador, tanto quanto possível, aderir-se a Ele. Não luto por Ele para me sentir bem, mas porque toda a minha intenção é fundir-se a Ele por uma questão de doar a Ele. Portanto, podemos sentir a perfeição em qualquer estado, para que as trevas brilhem como a Luz, e não haverá diferença entre trevas e luz, dia e noite, e tudo estará unido em um grande dia.

Se não me vejo nesse tipo de sanduíche, a vida constantemente me jogará para cima e para baixo, e não sentirei que esses saltos foram atingidos e não ficarei feliz com os altos e baixos da mesma forma.

O Criador é o curador de todas as doenças. Portanto, quando revelo algum tipo de quebra, já tenho o remédio certo. Quando revelo a doença, já significa que tenho a cura: esses dois processos estão inextricavelmente ligados. A principal alegria vem de revelar as falhas. Quanto mais as revelamos, mais prazer podemos oferecer ao Criador.

Se eu estiver pronto, sempre ficarei feliz em qualquer queda: “Olha, ainda há uma falha! E aqui está outra, e mais!” Vou me divertir e me alegrar ao revelar defeitos e me arrepender daqueles que ainda não foram revelados. Afinal, um problema oculto não tem chance de resolução, e descobri-lo é uma grande bênção do alto. Se ele se manifesta, significa que existia antes, mas disfarçado.

Se o Criador nos revela más qualidades, condições e relacionamentos quebrados , este é um sinal do nosso progresso. Nós devemos aceitá-los todos com alegria, porque eles são enviados a nós pelo Criador com amor. Devemos responder imediatamente a Ele com amor, gratidão e bênçãos, tanto pelo mal quanto pelo bem. 1

Não é bom se tudo correr quieto e tranquilamente no grupo. Isso é semelhante a uma família: se marido e mulher nunca discutem, não é vida. De acordo com a natureza, deve haver conflitos para que possamos entender as fraquezas um do outro e nos amarmos, não importa o quê. Deve haver lacunas e conexões, e apenas a alternância delas dá uma sensação de vida.

Não precisamos esperar que o relacionamento seja suave como uma linha horizontal. Afinal, sabemos que um eletrocardiograma plano significa morte. Vida significa conflitos, golpes e superações: deve haver altos e baixos. 2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/08/19, “Aprender com a Descida Durante o Tempo de Subida”
1 Minuto 2:40 – 11:24
2 Minuto 16:00

O Grande Objetivo: Dar Prazer À Criação

Twelve Tribes In One Nation, Part 1Torá, Deuteronômio 26:8 – 26:11: E o Senhor nos tirou do Egito com mão forte, e com braço estendido, e com grande espanto, e com sinais, e com milagres. E nos trouxe a este lugar, e nos deu esta terra, terra que mana leite e mel. E eis que agora eu trouxe as primícias dos frutos da terra que tu, ó Senhor, me deste. Então as porás perante o Senhor teu Deus, e te inclinarás perante o Senhor teu Deus. E te alegrarás por todo o bem que o Senhor teu Deus te tem dado a ti e à tua casa, tu e o levita, e o estrangeiro que está no meio de ti.

“Trouxe as primícias dos frutos da terra” significa trazer intenção a todos. Ao doar a todos, eu doo ao Criador.

Naturalmente, o Criador não precisa de nenhum fruto. No mundo corpóreo, eles foram trazidos para distribuir entre as pessoas.

Pergunta: Mas o homem existe para desfrutar …?

Resposta: A Torá não se dirige a uma pessoa que queira desfrutar. Ela exige uma atitude completamente diferente.

A pessoa pode se referir a isso apenas se quiser alcançar o sentido da vida. Caso contrário, tudo é inútil, a pessoa só irá distorcê-la! Se ela começar a interpretá-la de maneira egoísta, receberá uma Torá completamente diferente.

Pergunta: Então eu venho para a Torá com dor, com um coração partido?

Resposta: Você faz isso apenas com o desejo de compreender o sentido de sua existência e alcançar sua raiz – a força que o orienta! Caso contrário, você irá “reescrevê-la” e acabará tendo milhares de religiões.

Pergunta: Então, o que significa o objetivo de dar prazer à criação?

Resposta: Dar prazer à criação é o grande objetivo de uma pessoa que sabe o que fazer, como ajudar os outros e levá-los à adesão com o Criador, com a qualidade de doação e amor que viverá na pessoa e guiará suas ações. Então, a pessoa começa a sentir que está no próximo nível de existência em um mundo completamente diferente: ilimitado pelo tempo, vida ou morte.

Pergunta: É um trabalho árduo?

Resposta: Se você fizer isso sozinho, é um trabalho incrivelmente difícil, mas se fizer em conjunto, é muito fácil. Psicologicamente, é necessária uma nova abordagem aqui.

O mais importante não é o trabalho em si, mas a atitude certa em relação a essa tarefa. Quando uma pessoa entende que tudo é resolvido apenas em conjunto, tudo fica imediatamente fácil.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 09/11/16

“Quando Você Anda No Vinhedo Do Seu Vizinho”

A Torá, Deuteronômio, 23:25: Quando você entra na vinha do seu vizinho, você pode comer tantas uvas quanto desejar, até que você esteja saciado , mas você não pode pôr [qualquer] em seu vaso.

Uvas simbolizam o desejo. É por isso que “você pode comer quantas uvas desejar, … mas você não pode pôr nenhuma[qualquer] em seu vaso” pois o desejo é externo. Quando você é incluído naquele desejo, o que significa elevar para o próximo nível, lá você pode receber em si mesmo sem descer de volta ao seu nível.

Isto refere-se a dois ​Partzufim,​duas almas: grandes e pequenas. Se uma pequena alma eleva-se até a grande e é incluída nela, como um embrião no ventre de sua mãe, em seguida, ela pode se alimentar-se de tudo o que há no nível superior. No entanto, não pode descer ao seu nível, já que seria como a morte, como infecção corporal.

Quando você é capaz de subir e descer livremente, entendenda que você não pode usar esse desejo em seu próprio nível, a inclusão no nível superior irá aumentar gradualmente, e você começará a se elevar e construir a sua própria “vinha”. [Leia mais →]

Apegue-Se À Eternidade

Laitman_025_01Torá, Deuteronômio, 23:14: E entre as tuas armas terás uma pá; e será que, quando estiveres assentado, fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás teus excrementos.

Pergunta: Por que a pessoa deve cobrir seus excrementos?

Resposta: Todo o desperdício humano, incluindo o corpo falecido, deve ser enterrado para se submeter a um circuito completo.

Como resultado da vida da pessoa, tudo deve crescer, e o desperdício do corpo e o próprio corpo, de onde toda a energia espiritual desaparece após a morte, permanecem apenas no nível inanimado e, portanto, devem ser comparados à terra.

Em contraste com as tradições de outras nações que embalsamam múmias, os judeus enterravam imediatamente o corpo morto para que ele pudesse apodrecer. Isso era considerado correto, já que o corpo animal simboliza o egoísmo que permanece da pessoa anterior. Ele tem que se dissolver e se transformar em cinzas pela desintegração completa em partes constituintes.

A matéria viva desce gradualmente até o nível que é verdadeiramente inanimada. Algumas comunidades judaicas tinham inclusive um costume de colocar cal em túmulos para que o corpo se decompusesse rapidamente.

Pergunta: Isso significa que a atitude para com o corpo deve ser puramente biológica?

Resposta: O corpo não vale nada, deve morrer. Em nosso mundo, nós devemos usá-lo somente na medida em que é necessário para a ascensão espiritual. Ele não tem nenhum outro valor.

Se você tiver a oportunidade de corrigir algum nível de seu corpo, deve corrigi-lo. Se ele funciona para a correção geral, então faça-a, vá ao médico, tome remédio, e assim por diante. A atitude para com o corpo deve ser puramente mercantilista para que ele nos dê a oportunidade de nos apegarmos à eternidade enquanto ainda estamos vivos.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 19/10/16

As Nuances Do Termo “Amigo”

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que os estudantes de Cabalá que falam hebraico se chamam “companheiro, camarada” (“Haver” em hebraico) e não “amigo” (“Yedid” em hebraico)?

Resposta: Em hebraico, há dois termos: um “camarada, companheiro” (Haver) e um “amigo” (Yedid). Mas um “amigo” é um amigo, um parceiro, enquanto a palavra “companheiro” é derivado da palavra hebraica “Hibur” ou conexão, elo.

Pergunta: Por que é dito: “E amarás o teu próximo” (Levítico 19:18), isto é, que se deve amar o outro e não o “companheiro, parceiro”?

Resposta: Isto é porque um camarada ou companheiro é alguém que está perto de você ideologicamente. Em hebraico há muitos sinônimos para a palavra “amigo”, que são usados ​​de acordo com o relacionamento de alguém com outra pessoa.

Hibur” (conexão) está acima de todos eles, pois expressa uma aspiração mútua em direção ao objetivo para o qual duas pessoas se conectam. “Próximo” é uma pessoa que não está particularmente perto de você, mas você tem uma conexão particular com ela. O “outro” é alguém fora de seu ego a quem você quer se aproximar. Um “amigo” é um amigo, um parceiro, e há também um conhecido (“Mekir“em hebraico).

Todas estas palavras como que iluminam o nível de proximidade entre você e a outra pessoa. A sabedoria da Cabalá é uma linguagem única, tudo o que se relaciona com a ascensão espiritual de uma pessoa é dividido em milhares de níveis, e tudo o resto não é dividido.

Comentário: Mas o Rabi Akiva, em seu famoso ditado: “E amarás o teu próximo como a ti mesmo” usou a palavra “próximo” e não a palavra “companheiro, camarada”.

Resposta: Uma vez que você ama uma pessoa, ela já pode ser chamada de “companheira, camarada” pois esse é um nível mais elevado.

Pergunta: Qual é o significado do ditado: “E amarás o teu próximo como a ti mesmo”?

Resposta: Na mesma medida em que o meu ego ama a si mesmo, eu devo me elevar acima dele para amar o outro.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/12/16

Nós Temos Proteção De Cima? Parte 10

Dr. Michael LaitmanAo longo de toda a sua vida, uma pessoa não pode fazer uma única ação sem rumo, sem qualquer conexão com a força superior. No entanto, é preferível que ela atue apenas para se assemelhar à força superior e para se conectar a ela, pois assim se aproxima da revelação.

Pergunta: Por que eu preciso da força superior? Por que preciso me assemelhar a ela? De que forma isso está conectado à minha vida cotidiana? Eu me levanto de manhã, vou ao trabalho, minha preocupação é que meus filhos cheguem à escola e voltem para casa em segurança. Eu gostaria que tudo fosse bem no trabalho, que meu chefe estivesse de bom humor e que meus projetos funcionassem bem.

À noite volto para casa e quero ser recebido por uma esposa satisfeita e crianças felizes para que não haja estresse ou agravamento.

Essa rotina diária se repete ano após ano, apenas com novos problemas, discernimentos, invenções e perdas. Como é que tentar se assemelhar à força superior, que teoricamente protege minha vida, se encaixa em tudo isso? Que tipo de conexão, se houver, isso tem com a vida de uma pessoa?

Resposta: Durante toda a sua vida você estava seguindo os comandos da força superior sem sequer ter consciência de quem estava controlando você. Você apenas correu ao longo da vida como um trem de brinquedo que é posto em movimento por um controle remoto. E pareceu-lhe que você fez tudo sozinho.

O problema reside no fato de que a força superior está escondida de nós. Mas se você começar a sentir quem está controlando você e para que propósito, e como você pode participar de todas as coisas que Ele está fazendo com você, vai entender que não está sendo conduzido sem rumo, em círculos, como um trem de brinquedo. Precisamente participando dessas ações você será capaz de alcançar Aquele que está controlando você e ver toda a sua vida a partir da perspectiva Dele.

Então em tudo que você faz, você tentará estabelecer o contato com o controlador. Uma pessoa deve realizar esse tipo de trabalho interior a cada momento. Ou seja, tudo o que você faz na vida é apenas a fim de revelar a força superior que dirige você. Você começa a sentir como ela se comporta em cada momento.

Pergunta: Uma pessoa sente a sua completa vulnerabilidade na vida, ao não saber o que o amanhã trará. Será que uma conexão com a força superior nos dá uma maior sensação de segurança no amanhã?

Resposta: Se uma pessoa está conectada à força superior, ela não está preocupada com nada sobre o amanhã, o principal é ficar em contato com o controlador. Que diferença faz quando Ele está me conduzindo? Não estou preocupado com o próximo momento, minha única preocupação é não perder o contato com Ele.

Isso fornece um escudo protetor na vida que nada mais é necessário porque você está conectado à mente superior. A conexão com a força superior é como a cobertura de um seguro para todas as situações na vida da maior e mais bem-sucedida companhia de seguros que inclui toda a existência. Isso é o que a sabedoria da Cabalá oferece a uma pessoa.

Pergunta: Mas e se a pessoa não é religiosa?

Resposta: Isso não tem nada a ver com a religião, apenas com o desejo de alcançar a força que nos governa.

Pergunta: Onde procuramos essa força superior?

Resposta: Nós precisamos procurá-la dentro de nossos próprios corações com a ajuda da sabedoria da Cabalá. Não é uma tarefa fácil e requer tempo. Mas, em última instância, cada um será capaz de “conhecer o seu Deus e servi-Lo”.

De KabTV “Nova Vida”, # 818, 26/01/17

Uma Ideologia Global

A Worldwide IdeologyTorá, Deuteronômio, 23:08-23: 09: Você não deve desprezar um Edomeu, pois ele é seu irmão. Você não deve desprezar um Egípcio, pois você era um peregrino em suas mãos. Crianças que nascem com eles na terceira geração podem entrar na assembleia do Senhor.

Isto se refere às nações onde os judeus viveram durante o exílio. Apesar do fato de que os povos do mundo os oprimiram e organizaram pogroms, os judeus deveriam tratá-los bem.

É interessante que quando os judeus deixam o local de exílio, eles não sentem ódio, nem malícia, ou quaisquer sentimentos negativos para com a população nativa que ali vive. Isso nunca aconteceu ao longo da história. Em relação aos povos que estavam na Terra de Israel e que tiveram de ser conquistados, a atitude foi: destruí-los.

Pergunta: Por que os judeus que retornaram à Terra de Israel de diferentes lugares experimentam uma atitude nostálgica com relação aos povos dos países de onde vieram?

Resposta: Porque a Luz é transmitida através do judeu que “caiu” na terra de alguém e se conectou com outra nação. Com isso ele se torna responsável por sua correção e tem que atendê-los. Portanto, ele sente certa atração, uma relação especial para com esta nação. Isso não existe em qualquer pessoa, exceto nos judeus.

Pergunta: Está escrito, “Na terceira geração eles podem entrar na Assembleia do Senhor”. Isto é, os lugares onde os judeus viveram durante exílio são sagrados?

Resposta: Os judeus saíram da Babilônia e criaram uma nação separada com base em certo princípio ideológico. As nações do mundo podem fazer o mesmo. Nada precisa ser mudado além da ideologia. E o mundo inteiro vai ser assim.

Conexão acima do egoísmo: essa é toda a ideologia.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 19/10/16

O Trabalho De Uma Pessoa E O Trabalho Do Criador

Dr. Michael LaitmanPergunta: Qual é o trabalho interno de uma pessoa, o trabalho da alma?

Resposta: Os Cabalistas chamam de trabalho os esforços contra o seu desejo.

Digamos que eu quero me deitar, mas apesar disso me levanto e vou para o trabalho. Em nosso mundo, isso é o que chamamos de fazer um esforço. Mas nós nos esquecemos que se eu me levantar e ir trabalhar, essa já é a minha vontade. Isso significa que eu superei meu desejo de me deitar no sofá e assistir futebol e decidi que seria melhor ir trabalhar e ganhar dinheiro. Caso contrário, eu não teria sido capaz de me levantar e partir para o trabalho para desperdiçar minha energia lá. Mesmo por superação, eu ainda assim usei meu desejo.

Isto é, eu troco um desejo por outro porque vejo isso como um benefício claro. Este é o trabalho físico em nosso mundo, o trabalho que todo mundo executa: atletas, artistas, trabalhadores, não importa quem e como. Se uma pessoa pode superar a si mesma e realizar alguma coisa, é o seu trabalho material e físico. E se não puder? Aborde com um chicote e ela vai querer.

Em outras palavras, se ao se envergonhar, condenar, infligir sofrimento ou afetar uma pessoa de qualquer outra forma é possível mudar seu desejo e forçá-la a realizar uma determinada atividade, isso é chamado de obra do nosso mundo. No final, ela vai querer fazer o trabalho para evitar o sofrimento.

Por definição, o trabalho espiritual é impossível de realizar. Uma pessoa, de forma inata, não pode fazê-lo por si mesma porque a Luz superior ou o Criador faz isso por ela. É por isso que este trabalho é chamado de trabalho do Criador.

A verdade é que eu tenho que pedir ao Criador para realizar este trabalho para mim, ou seja, que meus pedidos e súplicas sejam a preparação para Ele me corrigir – este é meu trabalho.

Ele tem que executar o trabalho porque a propriedade de doação absoluta e amor são completamente inexistentes no âmbito da minha natureza. E, de acordo com o modo como sou criado, não sou capaz de realizar a obra espiritual.

É por isso que tenho que persuadir a Luz superior que realmente quero que ela faça isso em meu nome. Então, por que esse trabalho seria escrito em meu nome? Porque eu consegui persuadir o Criador. Eu fiz tudo para que isso acontecesse e é por isso que ele é considerado meu trabalho, embora seja chamado de “obra do Criador”. Isso significa que Ele executa, mas eu rogo e imploro para que isso aconteça.

Essa é a única possibilidade para o livre arbítrio de uma pessoa em nosso mundo, em nossa condição.

Da Lição em Russo 18/12/16

O Ciclo De Cálculos E Benefícios

laitman_610_1Pergunta: O trabalho espiritual é a supressão de um desejo egoísta por outro?

Resposta: Que tipo de trabalho espiritual é esse? Você muda um desejo por outro como se estivesse no mercado, isso é tudo.

Por exemplo, eu queria deitar no sofá e assistir futebol. E a esposa diz: “Vá para o mercado e compre batatas”. Eu penso no que é melhor para mim: assistir ao jogo de futebol ou ir comprar batatas.

Se eu não for ao mercado, os filhos ficarão famintos, a esposa fará uma cena, e isso vai me custar mais. Eu faço um cálculo: é melhor eu pular um jogo de futebol e ir comprar batatas.

Não pode haver cálculos altruístas em nosso mundo. Os impulsos mais elevados do homem são inteiramente egoístas.

Pergunta: O que significa engajar-se no trabalho espiritual sem um cálculo egoísta? Você pode dar um exemplo?

Resposta: Em nosso mundo não há tal exemplo.

Digamos que eu transferi parte do meu salário para combater a fome na África. Ninguém sabe disso. E os povos de África não sabem que recebem isso de mim, eu nunca os conhecerei, e apenas transferi o dinheiro. Então por que eu fiz isso? Onde eu consegui energia e desejo para fazer isso?

A questão é que, se nós somos apenas o desejo egoísta de desfrutar, então obtemos algum tipo de prazer de nossas ações; caso contrário, eu não teria forças para fazer um único movimento. O átomo não poderia girar, as moléculas e os elétrons não poderiam circular em nosso corpo se não víssemos os benefícios diante de nós.

E quanto mais intangível for este benefício, por exemplo, um benefício psicológico ou romântico, mais energia ele pode nos dar. Por exemplo, para ganhar a minha comida e ter um bom jantar, eu posso passar um dia, mas para ganhar o amor ou me vingar de alguém, estou pronto para passar a minha vida inteira. Ou seja, já existe um cálculo relativo aos desejos. “Amor e fome governam o mundo”.

Pergunta: O que motiva uma pessoa na espiritualidade?

Resposta: Também o amor e a fome, apenas o cálculo é diferente: eu mudo a importância do amor por mim mesmo mim para os outros – para toda a humanidade. Isso me dá a oportunidade de experimentar o Criador, de ser como Ele.

Da Lição em Russo 18/12/17