Textos na Categoria 'Trabalho Interno'

A Condição Racional Da Conexão Com O Criador

528.01O menor grupo é a dezena. O grande grupo é toda a humanidade.

Todos os meus apelos devem passar pela dezena. Somente através do meu pequeno grupo posso me voltar ao Criador e não de outra forma. O grupo é minha mesa telefônica, minha unidade por meio da qual me conecto com Ele.

Na medida em que quero estabelecer uma conexão com meus amigos, eu me dirijo ao Criador. E eu não posso me dirigir ao Criador diretamente, o Criador não vai me ouvir. Se pelo menos dois amigos não se unem para doar um ao outro, eles não podem se conectar ao Criador. Esta é a condição mínima.

E a condição ideal é toda a humanidade. A condição racional é a dezena. Quando eu me anulo na frente dos outros, eu entro na conexão com o Criador.

Da Convenção Internacional “Elevando-se acima de nós mesmos” 07/01/22, “Anulando perante os amigos”, Lição 2

Como Deve Ser A Oração

239Para que uma oração desperte a força superior a responder, ela deve se parecer com a força superior em certo ponto. Ou seja, deve estar no mesmo comprimento de onda, na mesma frequência que a força superior.

A força superior trabalha para doação, o que significa que nossa oração deve estar próxima da doação até certo ponto. Pelo menos um pouco! E tão, nesta medida, obrigamos o Criador, a força superior, a ouvir este pedido e responder.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/15/21 , Shamati # 20 “ Lishma (por causa dela)”

O Mandamento Do Esquecimento

557Se quisermos manter o nível de fé que alcançamos, todos devem cuidar dos outros. Afinal, ninguém pode ter certeza de que ele mesmo pode preservar algo, apenas se “ajudassem a cada um de seus amigos”. A única maneira de nos protegermos é pela garantia mútua.

Ninguém é capaz de se proteger de forma alguma quando se trata de realização espiritual. Tendo alcançado algum sucesso, vou perder tudo em um momento se meus amigos não me apoiarem. É por isso que precisamos de garantia mútua entre todos nós.

Eu não consigo manter nada porque meu vaso espiritual é apenas um ponto, um pixel. Devo estar conectado a todos os outros pixels pelo menos na dezena, caso contrário, é impossível.

Por isso se diz: “o grupo ou a morte”, porque imediatamente perderei tudo o que conquistei se continuar desconectado do grupo. Simplesmente não tenho um lugar, um recipiente ou uma memória onde possa ser armazenado. O espiritual pode ser preservado apenas nas dez Sefirot na conexão entre eles. Vamos descobrir onde está localizada a memória coletiva da sociedade. Não está na própria sociedade, mas na luz.

Portanto, cada um de nós pode preservar nossos ganhos apenas se estivermos conectados com os outros, na dezena, e a partir dela estivermos mais conectados. O que está fora de mim permanecerá e o que está dentro de mim desaparecerá.

E se estamos conectados uns aos outros, não devemos ter medo de perder o que conquistamos. Se nos preocupamos com nossa conexão, mesmo a perda será apenas para obter algo novo e mais importante do que antes. Isso é chamado de “mandamento do esquecimento”. Devemos esquecer as conquistas anteriores para ir mais longe. Como se diz: “Que tudo seja novo para você sempre”.

Da Lição Diária de Cabalá 30/09/20, “Sucot

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 2

Laitman_524.01Geração Única

O grande Cabalista, Baal HaSulam, escreveu que somos uma geração única, porque temos que dominar a Cabalá especificamente dentro do grupo. O trabalho em grupo começou com Baal Shem Tov e continuou gradualmente a se desenvolver até hoje.

Agora temos que começar a formar pequenas uniões dentro das dezenas, para mostrar de alguma maneira ao mundo como podemos nos unir, ao que devemos visar e como fazer isso; ou seja, precisamos dar ao mundo um exemplo de como seria seu futuro.

Pergunta: Então o grupo de pessoas, ou podemos dizer toda a humanidade, é o lugar onde a força superior, o Criador, se revela?

Resposta: Sim. Temos que alcançar todos os mundos enquanto estivermos neste mundo, nesta vida.

Pergunta: A revelação do Criador pode ser comparada à revelação da força da gravidade que todos sentimos? Existe uma certa força de gravidade entre todos nós no nível social.

Resposta: Sim. Mas o fato é que não sentimos a força superior porque cada um de nós existe em uma ocultação particular individual dela.

Assim, nós recebemos a ciência da Cabalá que ajuda a todos a revelá-la individualmente, mas, ao mesmo tempo, temos que criar uma certa entidade comum – um grupo dentro do qual, dentro da dezena, podemos começar a sentir nossa semelhança com a força superior.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 06/06/19

Vendo O Criador Por Trás De Cada Amigo

laitman_544Pergunta: Como posso me proteger do enfraquecimento por causa das palavras e emoções negativas que muitas vezes recebo de outras pessoas que estudam Cabalá?

Resposta: Você deve tratar isso de maneira muito simples: não há mais ninguém; existe apenas o Criador. Ele se veste em todos os amigos que parecem existir para você e, através deles, realiza Seus exercícios em você.

De repente, parece que os amigos estão dizendo algo para você, ou negligenciando ou humilhando você. De fato, não são eles, mas o Criador que trata você dessa maneira. Portanto, sempre preste atenção a eles, mas tenha em mente que você recebe isso do Criador.

Portanto, você deve ver o Criador por trás de cada amigo. Então você não terá queixas deles, mas apenas de você ou do Criador.

Pergunta: Tudo isso vem do Criador para o propósito do nosso avanço?

Resposta: Certamente.

Pergunta: A humilhação avança uma pessoa?

Resposta: Cada momento da sua vida é destinado apenas para avançar você. O Criador constantemente o arrasta para Ele, mesmo quando você não sente isso. Isso é o que Ele faz.

Da Lição de Cabalá em Russo, 23/06/19

Aprenda As Ações Que Devemos Executar

Dr. Michael Laitman“O Prefácio à Sabedoria da Cabalá” começa com estas palavras: “O Criador desejava purificar Israel; portanto, Ele lhes deu abundante Torá e Mitzvot (mandamentos) …” O Criador tem um objetivo e trabalha para isso. O objetivo deve ser alcançado através do processo pelo qual as criaturas passam. O Criador colocou esse objetivo diante de nós e deseja que o alcancemos não por algum milagre, mas através de nosso próprio esforço e graduais mudanças internas.

Esse objetivo é primário, precede nossa criação; para alcançá-lo, precisamos seguir a Torá e Mitzvot, ou seja, mudar nosso desejo com a ajuda da luz que reforma. Esse objetivo existia antes da criação do homem neste mundo, assim como a escada dos graus espirituais que um homem deve subir para alcançá-lo. O Criador pensou em tudo com antecedência e o organizou para nós; tudo está pronto.

Devemos nos purificar do nosso egoísmo e, assim, alcançar o objetivo. Mas não o negamos porque nada foi criado neste mundo desnecessariamente. Assim, se tivermos a atitude correta em relação à nossa natureza, criada pelo Criador, e nos esforçarmos pelo estado que Ele tem reservado para nós, nos encontraremos em um determinado caminho que devemos percorrer.

É impossível pular esse caminho porque adquirimos as qualidades que precisamos enquanto nos purificamos. Devemos purificar nosso desejo egoísta e, através deste trabalho, chegar ao objetivo pretendido. Tal é o desejo do Criador.

É assim que Baal HaSulam inicia seu artigo “Prefácio à Sabedoria da Cabalá”, tentando nos explicar, da maneira mais breve possível, o começo, o meio e o fim do caminho da obra espiritual do homem e o estudo do sistema dos mundos superiores. Neste artigo, a pessoa precisa entender que as leis espirituais superiores, expandidas a partir do pensamento da criação, consistem em apenas duas partes: a natureza do Criador e a natureza da criação, que devem ser opostas ao Criador. O objetivo final é trazer a criação à plena adesão com o Criador sem alterar sua natureza, mas dando-lhe uma forma diferente, que se assemelha às qualidades do Criador.

Ao estudar o artigo “Prefácio à Sabedoria da Cabalá” (Pticha), o sistema dos mundos superiores e seu desenvolvimento de cima para baixo como resultado do qual toda a nossa realidade foi construída, percebemos que tudo isso surgiu do pensamento da criação, com o objetivo de nos levar ao objetivo final. Esse desenvolvimento dos mundos de cima para baixo, os graus e estados espirituais, obriga-nos a realizar certas ações aqui abaixo, a fim de usar todos os meios à nossa disposição e alcançar o objetivo de nossas vidas. Nosso trabalho interno deve refletir as qualidades espirituais descritas neste artigo.

Nós aprendemos sobre a luz que age no desejo, construindo e disseminando de cima para baixo, Partzufim, Sefirot, mundos superiores. Mas, de fato, estamos aprendendo sobre as ações que devemos realizar para ter uma compreensão clara de como deve ser nosso trabalho espiritual. Assim, eliminamos todos os equívocos anteriores e vemos claramente o que deve ser feito para atingir o objetivo.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 14/08/19, Escritos do Baal HaSulam, “Prefácio à Sabedoria da Cabalá”, Item 11

1 Minuto 05:05

Trabalhando Com Obstáculos

Dr. Michael LaitmanSe meu objetivo é dar ao Criador, não deve ser importante para eu fazer isso a partir do estado de subida ou descida. Eu faço uma restrição em mim mesmo como se eu não existisse e só estou procurando alguma oportunidade de agradar o Criador. Eu vivo constantemente em um “sanduíche”: só presto atenção ao meu objetivo de trazer alegria ao Criador, seja subindo ou descendo.

Então minha atitude para com os altos e baixos se torna construtiva: eu os avalio em termos do que me ajudará mais. Talvez seja mais útil para eu revelar mais trevas e todos os tipos de defeitos. Já pelo fato de agradecer ao Criador pelo mal revelado, dou-Lhe prazer porque entendo que essa é uma preparação para me fundir com Ele. Quero ser fiel a Ele nos estados ruins, assim como nos bons, e não esperar que Ele corrija tudo.

Se eu resolver os problemas e permanecer alegre, isso é um sinal de que estou no caminho certo e mantenho a direção certa. Não há bem sem mal. O mal é uma base sólida com a qual posso avançar com confiança para um trabalho perfeito. Eu sempre verifico onde e como, de que forma e com que poder posso agradar ao Criador, tanto quanto possível, aderir-se a Ele. Não luto por Ele para me sentir bem, mas porque toda a minha intenção é fundir-se a Ele por uma questão de doar a Ele. Portanto, podemos sentir a perfeição em qualquer estado, para que as trevas brilhem como a Luz, e não haverá diferença entre trevas e luz, dia e noite, e tudo estará unido em um grande dia.

Se não me vejo nesse tipo de sanduíche, a vida constantemente me jogará para cima e para baixo, e não sentirei que esses saltos foram atingidos e não ficarei feliz com os altos e baixos da mesma forma.

O Criador é o curador de todas as doenças. Portanto, quando revelo algum tipo de quebra, já tenho o remédio certo. Quando revelo a doença, já significa que tenho a cura: esses dois processos estão inextricavelmente ligados. A principal alegria vem de revelar as falhas. Quanto mais as revelamos, mais prazer podemos oferecer ao Criador.

Se eu estiver pronto, sempre ficarei feliz em qualquer queda: “Olha, ainda há uma falha! E aqui está outra, e mais!” Vou me divertir e me alegrar ao revelar defeitos e me arrepender daqueles que ainda não foram revelados. Afinal, um problema oculto não tem chance de resolução, e descobri-lo é uma grande bênção do alto. Se ele se manifesta, significa que existia antes, mas disfarçado.

Se o Criador nos revela más qualidades, condições e relacionamentos quebrados , este é um sinal do nosso progresso. Nós devemos aceitá-los todos com alegria, porque eles são enviados a nós pelo Criador com amor. Devemos responder imediatamente a Ele com amor, gratidão e bênçãos, tanto pelo mal quanto pelo bem. 1

Não é bom se tudo correr quieto e tranquilamente no grupo. Isso é semelhante a uma família: se marido e mulher nunca discutem, não é vida. De acordo com a natureza, deve haver conflitos para que possamos entender as fraquezas um do outro e nos amarmos, não importa o quê. Deve haver lacunas e conexões, e apenas a alternância delas dá uma sensação de vida.

Não precisamos esperar que o relacionamento seja suave como uma linha horizontal. Afinal, sabemos que um eletrocardiograma plano significa morte. Vida significa conflitos, golpes e superações: deve haver altos e baixos. 2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/08/19, “Aprender com a Descida Durante o Tempo de Subida”
1 Minuto 2:40 – 11:24
2 Minuto 16:00

O Grande Objetivo: Dar Prazer À Criação

Twelve Tribes In One Nation, Part 1Torá, Deuteronômio 26:8 – 26:11: E o Senhor nos tirou do Egito com mão forte, e com braço estendido, e com grande espanto, e com sinais, e com milagres. E nos trouxe a este lugar, e nos deu esta terra, terra que mana leite e mel. E eis que agora eu trouxe as primícias dos frutos da terra que tu, ó Senhor, me deste. Então as porás perante o Senhor teu Deus, e te inclinarás perante o Senhor teu Deus. E te alegrarás por todo o bem que o Senhor teu Deus te tem dado a ti e à tua casa, tu e o levita, e o estrangeiro que está no meio de ti.

“Trouxe as primícias dos frutos da terra” significa trazer intenção a todos. Ao doar a todos, eu doo ao Criador.

Naturalmente, o Criador não precisa de nenhum fruto. No mundo corpóreo, eles foram trazidos para distribuir entre as pessoas.

Pergunta: Mas o homem existe para desfrutar …?

Resposta: A Torá não se dirige a uma pessoa que queira desfrutar. Ela exige uma atitude completamente diferente.

A pessoa pode se referir a isso apenas se quiser alcançar o sentido da vida. Caso contrário, tudo é inútil, a pessoa só irá distorcê-la! Se ela começar a interpretá-la de maneira egoísta, receberá uma Torá completamente diferente.

Pergunta: Então eu venho para a Torá com dor, com um coração partido?

Resposta: Você faz isso apenas com o desejo de compreender o sentido de sua existência e alcançar sua raiz – a força que o orienta! Caso contrário, você irá “reescrevê-la” e acabará tendo milhares de religiões.

Pergunta: Então, o que significa o objetivo de dar prazer à criação?

Resposta: Dar prazer à criação é o grande objetivo de uma pessoa que sabe o que fazer, como ajudar os outros e levá-los à adesão com o Criador, com a qualidade de doação e amor que viverá na pessoa e guiará suas ações. Então, a pessoa começa a sentir que está no próximo nível de existência em um mundo completamente diferente: ilimitado pelo tempo, vida ou morte.

Pergunta: É um trabalho árduo?

Resposta: Se você fizer isso sozinho, é um trabalho incrivelmente difícil, mas se fizer em conjunto, é muito fácil. Psicologicamente, é necessária uma nova abordagem aqui.

O mais importante não é o trabalho em si, mas a atitude certa em relação a essa tarefa. Quando uma pessoa entende que tudo é resolvido apenas em conjunto, tudo fica imediatamente fácil.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 09/11/16

“Quando Você Anda No Vinhedo Do Seu Vizinho”

A Torá, Deuteronômio, 23:25: Quando você entra na vinha do seu vizinho, você pode comer tantas uvas quanto desejar, até que você esteja saciado , mas você não pode pôr [qualquer] em seu vaso.

Uvas simbolizam o desejo. É por isso que “você pode comer quantas uvas desejar, … mas você não pode pôr nenhuma[qualquer] em seu vaso” pois o desejo é externo. Quando você é incluído naquele desejo, o que significa elevar para o próximo nível, lá você pode receber em si mesmo sem descer de volta ao seu nível.

Isto refere-se a dois ​Partzufim,​duas almas: grandes e pequenas. Se uma pequena alma eleva-se até a grande e é incluída nela, como um embrião no ventre de sua mãe, em seguida, ela pode se alimentar-se de tudo o que há no nível superior. No entanto, não pode descer ao seu nível, já que seria como a morte, como infecção corporal.

Quando você é capaz de subir e descer livremente, entendenda que você não pode usar esse desejo em seu próprio nível, a inclusão no nível superior irá aumentar gradualmente, e você começará a se elevar e construir a sua própria “vinha”. [Leia mais →]

Apegue-Se À Eternidade

Laitman_025_01Torá, Deuteronômio, 23:14: E entre as tuas armas terás uma pá; e será que, quando estiveres assentado, fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás teus excrementos.

Pergunta: Por que a pessoa deve cobrir seus excrementos?

Resposta: Todo o desperdício humano, incluindo o corpo falecido, deve ser enterrado para se submeter a um circuito completo.

Como resultado da vida da pessoa, tudo deve crescer, e o desperdício do corpo e o próprio corpo, de onde toda a energia espiritual desaparece após a morte, permanecem apenas no nível inanimado e, portanto, devem ser comparados à terra.

Em contraste com as tradições de outras nações que embalsamam múmias, os judeus enterravam imediatamente o corpo morto para que ele pudesse apodrecer. Isso era considerado correto, já que o corpo animal simboliza o egoísmo que permanece da pessoa anterior. Ele tem que se dissolver e se transformar em cinzas pela desintegração completa em partes constituintes.

A matéria viva desce gradualmente até o nível que é verdadeiramente inanimada. Algumas comunidades judaicas tinham inclusive um costume de colocar cal em túmulos para que o corpo se decompusesse rapidamente.

Pergunta: Isso significa que a atitude para com o corpo deve ser puramente biológica?

Resposta: O corpo não vale nada, deve morrer. Em nosso mundo, nós devemos usá-lo somente na medida em que é necessário para a ascensão espiritual. Ele não tem nenhum outro valor.

Se você tiver a oportunidade de corrigir algum nível de seu corpo, deve corrigi-lo. Se ele funciona para a correção geral, então faça-a, vá ao médico, tome remédio, e assim por diante. A atitude para com o corpo deve ser puramente mercantilista para que ele nos dê a oportunidade de nos apegarmos à eternidade enquanto ainda estamos vivos.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 19/10/16