Textos na Categoria 'Pensamentos no Twitter'

Meus Pensamentos No Twitter 19/12/20

Dr Michael Laitman TwitterO lugar para revelar o Criador surge em mim no lugar onde me coloco de lado e permito que o amigo entre. Nesse lugar eu fico restrito e o amigo entra. Então, posso revelar o Criador naquele mesmo lugar. Isso é chamado de “do amor às criaturas ao amor ao Criador”.

Se estou me desenvolvendo espiritualmente, fico feliz quando invejo os amigos, porque é assim que revelo forças dentro de mim para avançar. Mas se eu não quero ver suas realizações, para evitar o sofrimento, é porque não me importo com a espiritualidade! Devo, portanto, verificar: sinto inveja ou cubro instintivamente para evitar o sofrimento?

Do Twitter, 19/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 15/12/20

Dr Michael Laitman Twitter

O objetivo do vírus é cansar as pessoas, para que elas percebam sua fraqueza e comecem a ponderar seriamente a razão desse tratamento generalizado de toda a humanidade com a natureza – e com o tempo, seremos capazes de perceber que essa é a reação da natureza ao nosso comportamento, que fratura a integralidade da natureza.

Do Twitter, 15/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 10/12/20

Dr Michael Laitman TwitterO Criador realiza a quebra por conta própria – e nós pedimos a Ele por conexão. Em todas essas ações, sentimos o Criador, entendemos o que Ele quer dizer por meio de um programa codificado. Nós sentimos como, através das saídas e entradas da luz, o Criador nos ensina como nos aproximar Dele, cada vez mais perto.

O mais importante é sempre lutar pela unidade, para preservar a unidade. Do alto estamos sendo divididos, mas nos unimos. É aí que reside nosso trabalho recíproco com o Criador. Ele nos separa – e nós nos conectamos. Ele nos separa de novo – e nos reconectamos. Temos que estar cientes de nossa conexão com o Criador neste trabalho.

A pessoa deve se esforçar o máximo possível para tentar revelar o Criador, que preenche todo o universo. Isso só é possível por meio da dezena, desaparecendo e dissolvendo-se nos amigos, ficando absorvido dentro deles tanto que você sentirá como o Criador está por trás de todos os amigos, esperando que você O revele.

Do Twitter, 10/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 09/12/20

Dr Michael Laitman Twitter

A fé acima da razão é a compreensão de que a realidade não é como eu a imagino. Estou dentro do Criador, a força superior que me governa. O enorme mundo que aparece diante de mim está dentro de mim. Eu tenho que atrair a força do Criador para que ela preencha todo o meu mundo e conserte tudo.

Parece a uma pessoa que ela sente o mundo externo. Ela está trancada dentro de si mesma e se sente por dentro. A realidade está dentro de nós. É como se eu estivesse dormindo, tendo sonhos sobre como estou fazendo algo, em algum lugar. Quando acordo, vejo que a verdadeira realidade é diferente. Da mesma forma, ao revelar a espiritualidade, entendemos que éramos sonhadores.

Não sentimos onde estamos – como os cegos e surdos, não sentimos o mundo verdadeiro, progredindo através dele tateando. Essa é a correção. O Criador criou a ocultação para que alcançássemos a perfeição. Da ocultação alcançaríamos a revelação, da razão subiríamos para a fé acima da razão, da recepção à doação.

A pressão entre a fragmentação e a aspiração à união atinge um tamanho, como em uma lâmpada, que acende quando a pressão é de 220 volts. Da escuridão, atraímos o Criador para nossa unidade. Devemos valorizar os estados sombrios porque eles nos unem, e com isso acendo a luz em minha alma sombria.

Quando superamos a resistência do egoísmo na medida certa e alcançamos a unidade em uma dezena, o Criador se revela entre nós. A oposição da luz e da escuridão, fragmentação e unidade, chega ao extremo quando o contato entre o ego e a santidade é suficiente para que a escuridão brilhe como a luz. Estamos no caminho da luz.

A declaração sobre o combate ao #antissemitismo foi aprovada por unanimidade pelos estados membros da UE. Mas a declaração não pode mudar a atitude negativa que as nações do mundo têm em relação aos judeus. A razão é que somente os judeus podem revelar para si mesmos, e então para o mundo – o programa de desenvolvimento do mundo – e o mundo se acalmará!

Do Twitter, 09/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 06/12/20

Dr Michael Laitman TwitterChegar mais perto da linha do meio é perceber que não sou nada sem os amigos, o grupo. Quando venho para a preparação da aula, me sinto morto, vazio, não sinto nada, não estou pronto. Quando ouço os amigos falarem, despertando uns aos outros, eu desperto. Sou revivido pelo despertar deles.

Cada pessoa chega à linha do meio quando deseja ser incluída no grupo, apoiá-lo e perceber corretamente todos os seus estados positivos e negativos. Os opostos não devem criar um curto-circuito ou se separar um do outro, mas aproximar-se para construir a linha média.

Se formos flexíveis com os amigos: os apoiamos e fortalecemos, então sentimos como o grupo se forma mais corretamente por meio de nossos esforços. Cada pessoa que se preocupa com o grupo, se constrói como a linha média, visa precisamente o Criador e O revela dentro de si.

Paz e perfeição são prerrogativas do Criador. Isso é o que falta a uma pessoa. O Criador nos criou com a inclinação ao mal e nos deu um pouco de bondade para que procurássemos maneiras de conectá-los. Quando nos desesperamos com a impossibilidade de conciliar dois opostos…

Do Twitter, 06/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 03/12/20

Dr Michael Laitman Twitter

O tempo requer proximidade e unidade, que são alcançadas quando a força superior se aproxima, a única força de doação e unidade entre todos. Nós queremos nos unir em dezenas, no grupo, para unir todos os mundos como um todo, enrolando, como um tapete, toda a escada espiritual que conduz ao mundo do Infinito.

Do Twitter, 03/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 02/12/20

Dr Michael Laitman TwitterQuando a pessoa se sente próxima do Criador, não deve dizer que agora entende o valor de trabalhar para o Criador. A razão é porque ela era desejada e, portanto, o Criador a aproxima. Ela, portanto, sente o gosto do trabalho espiritual nos esforços para estabelecer a singularidade do Criador!

Do Twitter, 02/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 01/12/20

Dr Michael Laitman Twitter

A pessoa deve ter cuidado para que o desejo de receber seja corrigido pela intenção de doar, de modo que o prazer e a alegria revelados no desejo de receber sejam com a intenção de dar prazer ao Criador pelo fato de estar experimentando prazer.

O objetivo do Criador é dar prazer às Suas criações. Portanto, a pessoa deve considerar o fato de que ao experimentar prazer, ela dará prazer ao Criador. Assim, ela se esforça para estar no poder do Criador, para ser capaz de desfrutar com o Criador, o que Lhe trará contentamento.

Ao mudar nosso desejo, nós mudamos os sentimentos. Eu deveria sentir alegria por ter recebido um sentimento do Criador, não importa qual, mesmo o pior. Com a ajuda do grupo, eu posso superar isso e começar a mudar minha atitude em relação ao que está acontecendo. “Meus filhos Me derrotaram.”

O Criador sempre me dá certos desejos; cada momento é um novo mundo, um novo estado. A cada segundo eu me esforço para me tornar mais próximo do Criador, mais doador, mais conectado aos meus amigos e através deles ao Criador, onde nos transformamos em um homem que deseja aderir ao Criador.

Uma pessoa capaz de controlar seu desejo parcial ou totalmente é um Cabalista. Ela recebe um desejo do Criador e pede o poder para mudar esse desejo. Ela sempre pode mudar o mundo em que vive, a realidade, da base da escada espiritual até o topo.

Ao trabalharmos juntos em nossa natureza, nós acumulamos esforços entre nós e tentamos nos apegar um ao outro. Todos querem se adaptar aos outros, tratar uns aos outros com amor, por isso construímos um minissistema do Criador entre nós, um sistema de conexões devotadas e depois de amor.

A conexão começa com o ódio infundado. A partir daí, a pessoa deve chegar ao amor fraterno, como uma pessoa com um coração. Nós devemos montar o sistema da alma comum e alcançar a interconexão completa onde todos buscam apenas satisfazer os outros. É assim que funciona a alma comum.

Nós precisamos aprender a não depender das emoções, mas a seguir a razão, isto é, nos engajar na ciência da Cabalá, a ciência da conexão. Como vários sentimentos surgem em nós de mais para menos, o principal é tentar avançar acima de todas essas emoções para completar a unidade chamada amor.

Nossa tarefa é estar entre o positivo e o negativo, entre a natureza egoísta feita pelo Criador (a inclinação ao mal, começo corrupto) e a luz superior que atraímos por nossos esforços (começo bom). Nós existimos entre o bem e o mal e fazemos o nosso trabalho.

A dificuldade de cuidar não de mim mesmo, mas apenas do Criador, é sentir que deixo o mundo inteiro, mas em troca não sinto o Criador. Se eu sentisse o Criador, estaria pronto para deixar tudo para me conectar com Ele. Portanto, o principal é alcançar a sensação de que o Criador preenche o mundo inteiro.

A revelação do Criador se manifesta a partir de Suas ocultações e revelações alternadas, a fim de descobrir que não há outra autoridade além Dele. Não há espaço livre Dele. Eu sou um ponto preto a partir do qual isso pode ser revelado. Esse estado é chamado de adesão, a meta do desenvolvimento.

Do Twitter, 01/12/20

Meus Pensamentos No Twitter 26/11/20

Dr Michael Laitman Twitter

O problema da humanidade agora está em perceber que a única saída certa para a crise está em corrigir as relações humanas de egoístas para altruístas. Voltar às relações comerciais sem corrigir as relações humanas levará a uma grande crise!

Quando a intenção de doar preenche toda a lacuna dentro do desejo de desfrutar, nós podemos usar essa água para irrigar a terra e reavivar as plantações e deixar os animais beberem: os burros, camelos ou pessoas, e gradualmente alcançar as correções. Cavar poços é o início do trabalho espiritual.

Cavar um poço é receber uma intenção em prol da doação dentro de um desejo corrompido, terra plana. Devemos encontrar um lugar para o poço, sentir uma deficiência e começar a cavar o solo até que o buraco na terra comece a se encher de água, as qualidades de Bina, ou seja, aspirações de trabalhar em prol da doação.

Separar a intenção egoísta do desejo só é possível unindo-se aos amigos. Juntos, desenterramos o desejo comum, como uma casa é construída sobre estacas: buracos são cavados e preenchidos com concreto, e o edifício é erguido verticalmente sobre ela. Nós desenterramos as intenções egoístas e, em seu lugar, colocamos as intenções em prol da doação.

Ao adquirir intenções para doar, o homem pode mover sua rocha (coração de pedra) que está obstruindo o poço e, assim, todos serão capazes de desfrutar da água do poço. O poço cheio de água, ou seja, a luz de Hassadim, é um poço cheio de água viva.
A luz de Hassadim dota a terra de força, garantindo uma nova colheita.

Do Twitter, 26/11/20

Meus Pensamentos No Twitter 25/11/20

Dr Michael Laitman Twitter

Todos estão conectados e todos estão corrigidos. Só eu sinto que estou separado dos outros e os julgo por minhas próprias falhas. Se eu me corrigir e imaginar corretamente o estado de toda a criação, verei a Shechiná, a revelação do Criador que veste todas as criaturas, as une e opera dentro delas.

Nós construímos o mundo superior a partir de desejos que visam a doação recíproca um ao outro. Esta é “a alma”. Temos que imaginar uma realidade diferente daquela que sentimos – uma onde todos estão conectados. É assim que ela existe de fato: como um mundo integral unificado, mas o ego me separa desta realidade.

Não entramos no mundo superior, mas o construímos. Ele não existe em uma forma pronta. Todas as instalações estão prontas para que possamos criá-lo. Nós construímos o mundo espiritual a partir de nosso desejo de desfrutar e restringindo a tela e a luz refletida sobre ele.

Quanto mais alta for a nossa luz refletida, melhor imaginaremos o que é o mundo superior. Ele não existe antes disso. Tudo existe apenas em nosso desejo: seja em prol da recepção, ou em prol da doação. Também existe uma fonte superior, mas ela não existe em nossos desejos e intenções de forma alguma.

Temos que imaginar a diferença entre estar “dentro da razão”, ou seja, nosso ego-mente e coração atuais, e “acima da razão” em doação. É assim que gradualmente começamos a nos aproximar da fronteira que separa “dentro da razão” e “acima da razão” para a transição do mundo corporal para o espiritual.

Eu saio para o mundo espiritual, como para o espaço sideral em um traje espacial. Dentro do traje espacial está meu pequeno mundo. Do lado de fora, existe um mundo desconhecido para mim. Lá, é proibido existir na forma de ego. Ao reconstruir meus sentimentos e minha razão a partir do uso do ego em benefício do próximo, neutralizo meu “eu” – não preciso de um traje espacial. Se eu agir não para meu próprio benefício, mas para o benefício dos outros, não há razão para eu ficar isolado deles. Eles não podem me prejudicar. Pelo contrário, posso usar tudo o que existe além dos limites do traje espacial, para o benefício de todos.

Eu existo dentro do desejo do meu ego, “este mundo”. Existe um mundo reverso onde tudo é oposto: em vez de ódio, existe amor; em vez de recepção, há doação, em vez de atração, há repulsão. Nesse outro mundo, nós vivemos não para fazer o bem a nós mesmos, mas para que os outros fiquem bem.

É precisamente graças a estar em um ego-corpo que posso imaginar como posso transformá-lo para ser como o Criador, na qualidade acima do ego, a qualidade de doação. Eu estou, portanto, feliz por me sentir cada vez em uma casca egoísta maior, e a partir dela, aspirar ao Criador.

Nada nem ninguém me força a isso, sou eu que tento encontrar as forças para fazer qualquer coisa em prol da doação acima da razão. É assim que acontece a transição da razão para acima da razão, acima do desejo. É uma transição do mundo material para o espiritual.
O mundo espiritual é construído acima da razão, acima do meu desejo regular.

Eu sinto tudo dentro de mim resistindo: não quero união, os estudos, as ações altruístas, a disseminação, o vínculo com os amigos. Não desejo fazer uso dos meios que me aproximam do Criador. Eu vejo a resistência dentro – ela está no meu ego, mas do lado de fora eu faço o oposto.

A oração é um trabalho no coração, visto que a razão resiste a ela e é preciso ir contra a razão. Eu peço ao Criador aquilo que minha natureza resiste. Cada oração requer um trabalho especial no coração. Não quero entender com minha razão que devo trabalhar para o Criador; quero trabalhar na fé acima da razão.

O Criador não é revelado como se Ele estivesse em algum lugar distante, e eu finalmente cheguei lá e O encontrei. Eu tenho que sentir o Criador dentro de mim, sentir a qualidade de doação dentro de mim. Se o Criador está “perto” ou “longe” de mim – é se eu quero ser como Ele, para que a qualidade de doação governe sobre mim?

Se quisermos revelar o ponto no coração dentro de nós, uma parte da divindade de cima, o broto de doação, temos que exercer muitas forças para esse fim e ajudar uns aos outros no grupo. Estamos cultivando a força de doação dentro de nós, como uma gota de sêmen implantada em nós, até que alcance a medida plena chamada de alma.

Do Twitter, 25/11/20