Textos na Categoria 'Depressão'

“O Que É Depressão?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É Depressão?

A depressão é o resultado de desejos insatisfeitos.

Somos compostos de vários desejos. Se esses desejos forem satisfeitos, nos sentiremos felizes. Se eles estão parcialmente satisfeitos, sentimos uma insatisfação parcial, um estado em que vivemos e ao qual nos acostumamos.

Tentamos neutralizar essa insatisfação de várias maneiras, seja por meio de remédios e drogas, até todo tipo de entretenimento e objetivos em nossas vidas, e assim conseguimos nos manter um tanto à tona.

Existem certos estados de depressão em que sentimos um vazio profundo, escuro e escancarado, sem sentir nenhuma satisfação no momento presente, e não vemos nenhuma luz no fim do túnel no futuro, o que é realmente muito difícil.

Normalmente vivemos com esperança no futuro. Planejamos vários objetivos para nós mesmos, a fim de cumprir nosso espectro de desejos. Geralmente estamos ocupados com pensamentos sobre comida, sexo, família, recreação, ganhar dinheiro, ganhar respeito na sociedade, acumular conhecimento e algumas pessoas até desejam adquirir posições específicas de fama ou poder. Desenvolvemos uma miscelânea de maneiras pelas quais satisfazemos esses desejos, e eles agem como distrações de questões existenciais mais profundas, permitindo-nos viver nossas vidas em um certo nível superficial. No entanto, quando eles são engolidos pela escuridão, somos inundados pela depressão e estamos até prontos para morrer. Há um ditado Cabalístico sobre tal estado: “Minha morte é melhor do que minha vida”.

No momento em que começamos a sentir esses estados de depressão, nos perguntamos sobre as questões existenciais que antes tínhamos sido capazes de encobrir com sucesso. No final do dia, a depressão é um sentimento que nos leva a buscar fora de nossas estruturas habituais para encontrar uma resposta às perguntas sobre o sentido e propósito da vida, e precisamos experimentar um certo nível de depressão para buscar a alma.

Se encontrarmos sentido e propósito em servir aos nossos desejos de comida, sexo, família, recreação, dinheiro, honra, controle e conhecimento, ou seja, se formos capazes de nos divertir, quer cumprindo esses desejos diretamente ou imaginando sua satisfação futura, então as questões existenciais mais profundas da vida permanecem enterradas sob essa busca de prazer. Em outras palavras, encontramos sentido no nível animado de existência da vida. Se, no entanto, não encontramos satisfação em servir a tais desejos, experimentamos depressão, que é, em última análise, uma sensação que deve nos levar a buscar ativamente o sentido e o propósito da vida.

Devemos entender que nosso mundo é um mero trampolim do qual precisamos saltar para uma dimensão superior. Podemos descobrir a dimensão superior da existência enquanto estamos vivos neste mesmo mundo, em nosso mesmo corpo.

O processo de desenvolvimento através do qual a natureza nos guia é para que possamos, em última instância, buscar e alcançar o sentido da vida. Os estados de depressão aparecem com mais frequência e intensidade quanto mais nos aproximamos da transição entre a descoberta da falta de sentido na busca pela satisfação dos desejos corporais e a busca por um sentido mais elevado. Em outras palavras, a crescente insatisfação que sentimos em buscar a satisfação de nossos desejos corporais já é uma expressão de nossas questões existenciais mais profundas.

Na sabedoria da Cabalá – um método que foi criado especificamente para responder às perguntas sobre o sentido e propósito de nossa vida, fornecendo um método para atingir uma dimensão, percepção e realização superiores – chama nossos desejos corporais além da satisfação de meras necessidades de “ajuda contrária”, É porque o vazio que atualmente ou eventualmente descobrimos nesses desejos nos empurra a buscar o verdadeiro sentido e propósito da vida além de nossa existência animada.

Baseado em uma lição de Cabalá com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 2 de outubro de 2016. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.
Foto de Warren Wong no Unsplash.

Depressão – O Resultado De Uma Solicitação Interna

546.02Todos nós sabemos que a educação é um grande problema. Eu vejo como as crianças são criadas nas escolas. Portanto, a depressão das crianças não vai embora! Só precisamos atender ao pedido das crianças.

A depressão é uma consequência de seu pedido interno. Além disso, este é um grande problema social porque se manifesta em mais de uma criança. Observamos isso em absolutamente todas as crianças de diferentes países do mundo.

A depressão existe em animais, especialmente em animais de estimação que moram perto de seus donos. Tenho certeza de que tanto os animais selvagens quanto as plantas o possuem.

Ou seja, a depressão é um sentimento de falta de força de vida, que começa a ser sentido em nosso mundo. Depende da pessoa porque ela deve subir a outro nível para que, por meio dela, a força espiritual superior, a força da vida, passe para o nosso mundo. E aí o problema com o meio ambiente, com a nossa saúde, com as relações sociais, com tudo, vai desaparecer.

Falta vitalidade. Vemos que tudo se esgota, envelhece, desaparece e perde o seu valor, sentido.

Tentamos o nosso melhor para nos inspirar com todos os tipos de modas e aspirações, para nos mantermos jogando com a ajuda da tecnologia. Mas se você olhar para a verdade, precisamos de um nível de existência completamente diferente, algum outro nível, uma compreensão do que somos, para onde estamos indo. Este é o desafio que toda a humanidade está enfrentando, especialmente agora.

E as crianças, neste caso, deveriam desempenhar um papel útil muito importante. Afinal, não vamos nos livrar deles, esse é o nosso problema e essa é a nossa dor. Podemos lidar com nós mesmos de alguma forma, e quando uma criança se sente mal, não há nada que você possa fazer a respeito.

Então, quando eu olho para meus filhos e principalmente para meus netos, começo a sentir esses pedidos. Eles existem literalmente no bebê. Isso mostra que, mesmo em uma idade tão jovem, ele está perdendo algo em sua vida internamente. É difícil de explicar. Eu só vejo com minha visão interior, da profundidade da natureza que descobri por mim mesmo, mas ela existe. Não vamos fugir disso.

De KabTV, “Close-up”

Por Que Ocorre A Depressão Na Infância?

543.02Comentário: Nos últimos 15 a 20 anos, a depressão infantil tornou-se muito comum. Os médicos não sabem o que fazer a respeito. Eles não conseguem encontrar o motivo. Pode haver algumas explicações razoáveis ​​para a depressão em adultos.

Minha Resposta: Não é só isso. Podemos conter a depressão adulta. Você pode forçar uma pessoa a ser inferior, mais limitada. Mas precisamos desenvolver nossos filhos.

Uma pessoa que está deprimida recebe sedativos, tranquilizantes e até algumas drogas apenas para “colocá-la para dormir”. Como podemos fazer isso com as crianças? Fazendo isso, nós as separamos de seu crescimento natural. A manifestação de depressão em crianças é oposta à tendência de que devem se desenvolver, superar e crescer. Encontramos um fenômeno aqui que não podemos conquistar.

Pergunta: O fato é que os pacientes são crianças de cinco a seis anos. Por que uma criança de seis anos fica deprimida e acha que nada a agrada?

Resposta: A pergunta sobre o sentido da vida! Muitos grandes Cabalistas escreveram sobre isso e em particular Rav Kook e Baal HaSulam.

Desde que me lembro, quando criança, eu tinha essa pergunta. Não explicitamente, mas era: “Por quê? Pelo que? O que é tudo isso?” Esta pergunta não me permitiu viver, não me permitiu regozijar. Era preciso achar um pretexto para se divertir: sair para uma farra, se deixar levar por alguma coisa para fugir dessa pergunta. E tudo isso foi durante a infância.

Mas vamos supor que a alma não tem idade. Então será mais fácil para nós. Não vamos olhar para a geração jovem como sendo crianças.

Uma alma é uma alma. Nós a recebemos de nossa encarnação passada, na qual vivemos até nossa velhice. E hoje, em nosso novo corpo jovem vive uma velha alma que viveu nesta terra por muitas gerações e passou por muita coisa.

O fato é que você avalia uma criança pelo seu corpo pequeno, mas deve olhar para sua alma. Já é velha, sábia e entende que tudo isso é inútil. Já viveu por tanto tempo que você não pode confundi-la. O que você vai fazer com isso?

Então, por meio da depressão, ela dá a você seu vazio externo e falta de satisfação. E daí se isso se manifestar em uma criança pequena? E se estivesse na casa dos trinta, na casa dos quarenta, seria diferente?

A depressão não vem da vida. Absolutamente não! A gente vê que existe muita depressão e suicídio entre as pessoas que têm tudo na vida.

Comentário: Normalmente eles dizem sobre essas pessoas: “Elas ficam loucas de gordura” [insatisfeitas com a prosperidade.]

Resposta: Não, não de gordura. A pessoa simplesmente precisa saber para que vive. E quando ela tem tudo e seu pão de cada dia não está em questão, ela realmente não vê para que viver.

Enquanto você for forçado a cuidar de seu corpo, não terá oportunidade de se libertar para outros assuntos. E assim que você fornecer tudo de que precisa, a pergunta sobre o sentido da vida surge imediatamente.

Essa pergunta também aparece nas crianças. Por que não? Não vejo muita diferença. O fato de ocorrer em crianças sugere que, depois de muitas reencarnações neste mundo, nossas almas chegaram a um estado em que realmente precisam da resposta para: “Por que existimos?”

Pergunta: Você quer dizer que abordamos incorretamente uma pessoa desde o início, focalizando-a como o corpo biológico?

Resposta: Claro! Afinal, não se trata de uma pessoa, mas de seu corpo animal. Um animal! E como ela difere de outros animais?

Mas sua parte interna, nosso “eu”, não tem nada a ver com este corpo. Ela passa por muitas melhorias diferentes, mergulhando no corpo, saindo dele, acompanhando-o. Como resultado, essas metamorfoses a levam a tal desenvolvimento, quando – é isso! Já vivemos em uma geração em que devemos necessariamente responder à pergunta: “Para quê?”

De KabTV, “Close-up”

A Perfeição Do Mundo É A Perfeição De Uma Pessoa

947A perfeição do mundo depende da perfeição interior de uma pessoa, ou seja, da conexão das pessoas umas com as outras. No início, a conexão ocorre nas dezenas que estão conscientemente trabalhando em sua correção, mas, no final, o mundo inteiro deve se juntar a elas.

Estamos falando de uma conexão geral completa porque na medida dessa conexão, acima de todos os distúrbios, chegamos a uma correção geral, e somente sob essa condição podemos esperar uma vida boa para todos.

Para alcançar a correção final, precisamos atrair a luz que reforma para o mundo inteiro. É por isso que é tão importante disseminar a Cabalá. E a disseminação não é apenas a publicação de materiais na mídia de massa, mas influenciar o mundo com uma luz especial de cima, que queremos trazer através de nosso Kli, através de todas as dezenas, a fim de despertar o desejo de avanço espiritual, de conexão, de realização do mundo superior, ao resto das pessoas.

Não importa o que uma pessoa sente e o que ela faz, mas no final, todos os habitantes deste mundo, sem exceção, terão que pelo menos até certo ponto se envolver em correções gerais e, assim, corrigir suas almas.

Extraído da Lição Diária de Cabalá, 25/04/21, “A Importância da Disseminação”

Obrigado A Todos Pelo Feedback

631.1Eu sou grato a todos aqueles que criticam meus artigos por suas respostas. Se minhas palavras os machucam, então já temos uma conexão. Embora esta conexão seja negativa e ainda não nos entendamos, reconheço que cada um pode ter a sua opinião. Vamos apenas descobrir a verdade.

Não importa ganhar uma discussão provando quem está certo e quem está errado. Queremos descobrir o que realmente é a verdade, não do ponto de vista de todos, mas do lado da natureza.

A verdade não é algo que parece certo para uma pessoa por causa de sua formação, sua visão de mundo estabelecida. Não importa o que pensamos, mas onde existimos e o que pode acontecer aqui. Afinal, nós estamos em uma situação perigosa em um país, no mundo, em todo o globo, que está coberto por uma pandemia global.

Hoje, todos os problemas são comuns em todo o mundo. Portanto, vamos descobrir o que eles são, em vez de descobrir quem está mais certo e quem está menos em termos de suas percepções subjetivas e bagagem passada.

Prossigamos, e em vez de brigar e recriminar, vamos nos ater a um princípio simples e razoável, o mais neutro possível sem interferência pessoal, mas como cientistas que valorizam os fatos.

Existem opiniões diferentes à esquerda e à direita, mas se mantivermos uma linha neutra e intermediária, esse é o caminho que conduz à verdade. Vamos nos basear apenas nos fatos que ocorrem na natureza, não no que é apresentado a todos, de acordo com seu humor, educação e assim por diante.

Vamos nos elevar acima de todas as diferenças humanas e olhar a situação de cima. Então provavelmente veremos o que estamos enfrentando, abriremos uma nova visão e entenderemos por quais novos estados devemos lutar. O principal é revelar a verdade.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 14/10/20, “Bereshit

A Era Da Última Geração

O estado da última geração é uma mudança para uma nova forma de organização social, onde gradualmente aprendemos a trabalhar corretamente com nosso ego e passamos a sentir uma conexão integral entre nós.

Hoje, estamos em uma fase de transição que nos permite perceber a corrupção de nossas atitudes em relação ao nosso ambiente social e natural e começar a nos reconstruir para nos adequarmos a toda a estrutura da natureza, completa e cuidadosa.

Portanto, o principal valor do amanhã é nossa capacidade de nos apoiarmos mutuamente e cuidarmos uns dos outros.

“Uma Centelha De Luz Quando A Vida Não Faz Mais Sentido” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Uma Centelha De Luz Quando A Vida Não Faz Mais Sentido

Estresse, medo, solidão e dificuldades econômicas são exacerbados pela Covid-19. Como esses sentimentos aumentarão o risco de taxas mais altas de suicídio ainda é um assunto de estudo, mas as organizações de saúde mental já veem sinais de um aumento potencial das chamadas “mortes por desespero”, incluindo overdose de drogas e suicídio. A sociedade não pode mais enterrar a cabeça na areia. Ela precisa se preparar para o que está por vir e organizar as condições para apoiar os necessitados por meio de cuidado, cordialidade e responsabilidade mútua.

A satisfação sem limites não pode ser alcançada por nenhum de nós sozinho. Ela só pode ser alcançada por meio de uma boa conexão com os outros, e isso cria o “campo” necessário onde a fonte eterna de realização pode ser revelada.

Após seis meses de pandemia, pensamos que o comportamento e o impacto do vírus já estavam resolvidos. No entanto, a praga global continua surpreendendo a comunidade científica com novas mutações, novos sintomas e efeitos colaterais. Até que a cura seja descoberta, a incerteza continuará a reinar e tempos mais difíceis podem ser esperados.

Até 75.000 americanos a mais poderiam ser adicionados ao número de mortos da pandemia, não devido a causas naturais, mas porque decidiram acabar com suas próprias vidas, de acordo com uma análise de um grupo nacional de saúde pública. As taxas de suicídio nos Estados Unidos aumentaram 35% em geral desde o ano 2000, de acordo com dados oficiais. Historicamente, as dificuldades econômicas – particularmente recessões profundas como a de 2008 – quase dobraram o número de pessoas que cortaram suas vidas por falta de esperança. Entramos em uma nova etapa da humanidade, uma nova era em que devemos estar conectados uns aos outros por meio de vínculos recíprocos positivos, onde todos na sociedade atuam para com os outros como uma mãe amorosa que abraça seu filho querido.

O suicídio é a pior decisão que uma pessoa pode tomar. Uma pessoa desesperada chega a esta resolução extrema para escapar da dor. Na mente daqueles que cometem tais atos extremos, a vida se torna um fardo do qual vale a pena se livrar, uma provação sem satisfação. Ao fazer isso, eles desconsideram a dor que infligem à família e aos amigos e manifestam total relutância em aceitar as condições concedidas pela vida.

Eles aparentemente ficam sem forças para exigir o que consideram ter o direito de ter na vida, seja o que for. Em vez de envolver outras pessoas para ajudar a trabalhar juntos na busca de soluções, a pessoa suicida recua para seus próprios pensamentos egocêntricos e turbilhão de emoções.

Embora o suicídio pareça ser a mais pessoal das decisões, temos uma responsabilidade coletiva como sociedade por não conseguir criar as condições necessárias para as pessoas viverem vidas saudáveis ​​e felizes. Tais condições impediriam as pessoas de atingir o estado final de desespero, angústia e dor que as leva ao ponto de sentirem que a vida não faz mais sentido.

Devemos criar mecanismos de responsabilidade mútua para garantir que as necessidades mais básicas de cada pessoa sejam atendidas, a fim de que cada pessoa tenha o necessário para uma existência digna.

A Luz depois da Escuridão

A pessoa deve sempre estar ciente de que quaisquer tormentos que surjam, eles são dados para o nosso progresso pessoal, com o propósito de corrigir nossa natureza egoísta de satisfação pessoal acima de qualquer outra consideração. Esses baixos estados de depressão despertam o ponto mais profundo escondido dentro de cada um de nós, uma centelha que visa um nível superior de existência onde o vazio escuro é preenchido.

Como o principal Cabalista Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam) escreve: “Em cada pessoa, mesmo na secular, há uma centelha desconhecida que exige a unificação com Deus. Quando às vezes desperta, desperta a pessoa para conhecer Deus, ou negar Deus, que é a mesma coisa. Se alguém gerar a satisfação desse desejo naquela pessoa, ela concordará com tudo” (A Solução).

A satisfação sem limites não pode ser alcançada por nenhum de nós sozinho. Ela só pode ser alcançada por meio de uma boa conexão com os outros, e isso cria o “campo” necessário onde a fonte eterna de realização pode ser revelada.

Qual é a abordagem certa para ajudar alguém em desespero? Não devemos sobrecarregá-los com simpatia exagerada ou tratá-los com condescendência. Basta expressarmos carinho, ouvirmos, estarmos ao lado deles, mostrarmos que eles não estão sozinhos e que podem contar com os amigos e familiares.

Precisamos compartilhar com alguém em desespero o pensamento de que há luz depois da escuridão. Da mesma forma, todo estado sombrio é o preparo para uma realidade melhor, a percepção de um novo estado positivo, já que não há preenchimento sem falta. Esse novo estado de sentimento de que somos compreendidos, protegidos e abraçados está esperando e nos dará uma paixão renovada pela vida e expandirá nossos horizontes em direção a uma vida significativa, cheia de significado e propósito, alegria e abundância.

“A Maneira Surpreendente De Sair De Um Mau Humor” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “A Maneira Surpreendente De Sair De Um Mau Humor

Muitas pessoas querem mostrar sua dor quando estão sofrendo ou de mau humor, como em: “Uma tristeza compartilhada é uma tristeza reduzida pela metade”. Mas se você projeta emoções negativas e sobrecarrega os outros com sua dor, porque isso facilita as coisas para você, isso é simplesmente superegoísta. O que você deve fazer é colocar um sorriso no rosto e agir como se estivesse tudo bem. Se você fizer isso, descobrirá que realmente saiu do sério, pois quando você atua, você se torna o que está atuando.

Por exemplo, pense em uma mãe com seu bebê. Mesmo nas piores circunstâncias, ela tentará parecer animada para seu filho. No momento em que faz isso, ela está emocionalmente com seu filho e está realmente. Se ela tiver grandes problemas, provavelmente voltará a cair mais tarde, mas, pelo menos naquele momento, ela saiu de si mesma e se sentiu bem justamente porque tentou fazer alguém se sentir bem.

A única causa do sofrimento é o nosso ego. Quando nos elevamos acima dele, não sofremos. Meu professor, o RABASH, costumava rir de si mesmo quando se sentia deprimido; ele estava rindo de seu próprio ego. E uma vez que fazia isso, ele não estava mais para baixo.

O Que Pode Ser Feito Com A Depressão Sazonal?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 11/12/19

A depressão do inverno ocorre exatamente na época em que o holiday blues (depressão natalina) também começa. É hora de entendermos o que está acontecendo com nossas almas. Esta é a chave para resolver todos os problemas da nossa vida.

Como As Relações Equilibradas Entre Os Gêneros Solucionam A Depressão: A Depressão Das Mulheres E O Sentido Da Vida (Kabnet)

KabNet publicou meu novo artigo: “Como As Relações Equilibradas Entre Os Gêneros Solucionam A Depressão: A Depressão Das Mulheres E O Sentido Da Vida

A depressão é uma epidemia global. Atualmente, mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão e as mulheres são diagnosticadas quase duas vezes mais que os homens.

Por que existe uma diferença de gênero tão marcante no número de pessoas deprimidas no mundo?

A insatisfação entre as mulheres e os homens tem uma raiz espiritual profunda. Está incorporada na natureza feminina.

Existe Algo Que Possa Preencher Completamente Uma Mulher?

De acordo com a sabedoria da Cabalá, existe.

A realização espiritual.

A espiritualidade é alcançada quando a mulher – a força feminina – usa seu profundo desejo de impulsionar o homem – a força masculina – a alcançar um propósito maior na vida. A complementaridade das forças masculinas e femininas opostas permite a obtenção mútua de harmonia e satisfação.

A capacidade feminina de elevar o mundo a um estado superior está na base da humanidade. Assim como o velho ditado diz: “A mão que balança o berço domina o mundo”. A natureza é projetada de tal forma que a habilidade feminina determina como ajustar e direcionar corretamente o mundo, ou seja, como encontrar a cooperação apropriada entre as forças masculina e feminina para que ambas funcionem juntas de forma solidária e harmoniosa.

O sentimento de desejo das mulheres é evidentemente muito maior que o dos homens. Um homem pode ser mais facilmente satisfeito com as realizações terrenas, por exemplo, participando de alguma atividade junto com seus amigos.

Uma mulher deseja mais profundidade. Ela quer carinho e amor. Ela anseia por mais simpatia e apoio. Sua maneira de se realizar é muito mais complicada do que como os homens se satisfazem.

Tudo começa e termina com uma mulher. Ela se sente como o centro da realidade, a rainha do mundo. Seu senso de singularidade é um sentimento natural que ela legitimamente personifica.

“Quando atraímos essa força, ela realiza o que é chamado de “correção” em nossos desejos egoístas egocêntricos, que naturalmente se opõem à tendência de se unir, o clique “necessário” para que todos nos fundamos como um e experimentemos o nível superior da realidade.”

Por Que É Quase Impossível Para As Mulheres Realmente Se Unirem

De acordo com a sabedoria da Cabalá, é quase impossível para as mulheres realmente se unirem. O anseio por uma sensação maior de totalidade só pode surgir quando forças opostas se apoiam mutuamente em um delicado equilíbrio.

Portanto, as forças masculina e feminina precisam de um ajuste muito preciso, para que uma força intermediária surja entre elas: a força de amor, doação e conexão. O estudo da Cabalá trata principalmente de como atrair essa força para unir as pessoas e descobrir uma realidade eterna e completa em tal conexão. Quando atraímos essa força, ela realiza o que é chamado de “correção” em nossos desejos egoístas egocêntricos, que naturalmente se opõem à tendência de se unir, o “clique” necessário para que todos nos fundamos como um e experimentemos o nível superior da realidade.

Está escrito que “homem e mulher, a presença Divina está entre eles”. A combinação e funcionalidade corretas das forças masculina e feminina é que:

1. a força feminina equilibra a força masculina ativando a força masculina em direção à conexão, e

2. a força masculina equilibra a força feminina, fornecendo-lhe força, entendimento e apoio para que a feminina se erga acima de sua natureza.

Essa é a complementaridade mútua que permite que as forças masculinas e femininas funcionem harmoniosamente.

Que Força É A Primeira A Ativar O Outro: A Masculina Ou A Feminina?

A feminina. A necessidade e o pedido de unificação sempre emergem da feminina. O desejo de uma conexão na profundidade do desejo, a alma, está na base da insatisfação e depressão de toda mulher.

Mesmo que os homens pensem que fazem progressos e avanços devido a suas próprias habilidades, de fato, todas as atividades do homem são para a mulher, ou seja, para se tornarem significativas aos seus olhos. É a maneira como somos naturalmente construídos.

Graças às diferenças entre os sexos, sobre os quais eles precisam se conectar em um único todo, a perfeição se torna possível. Não há nada em cada um deles que o outro não complemente, pois na espiritualidade, sua totalidade só pode existir em complementaridade mútua de acordo com o princípio: “o amor cobrirá todas as transgressões”.

Em outras palavras, em vez de combater nossas diferenças e focar nas diferenças entre homens e mulheres, precisamos encontrar nosso terreno comum de apoio e entendimento, onde possamos descobrir juntos uma realização e um objetivo muito maiores na vida – a revelação de como a natureza funciona em níveis mais unificados – e começar a assemelhar-se aos nossos relacionamentos com a própria forma da natureza de completa unificação.

A sensação de alcançar a unidade perfeita curará a depressão, pois trabalharemos diretamente com a chave que libera nossas sensações negativas, abrindo-as para uma realização de um tipo completamente novo: equilíbrio com a forma unificada da natureza.