Textos na Categoria 'Depressão'

A Era Da Última Geração

O estado da última geração é uma mudança para uma nova forma de organização social, onde gradualmente aprendemos a trabalhar corretamente com nosso ego e passamos a sentir uma conexão integral entre nós.

Hoje, estamos em uma fase de transição que nos permite perceber a corrupção de nossas atitudes em relação ao nosso ambiente social e natural e começar a nos reconstruir para nos adequarmos a toda a estrutura da natureza, completa e cuidadosa.

Portanto, o principal valor do amanhã é nossa capacidade de nos apoiarmos mutuamente e cuidarmos uns dos outros.

“Uma Centelha De Luz Quando A Vida Não Faz Mais Sentido” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Uma Centelha De Luz Quando A Vida Não Faz Mais Sentido

Estresse, medo, solidão e dificuldades econômicas são exacerbados pela Covid-19. Como esses sentimentos aumentarão o risco de taxas mais altas de suicídio ainda é um assunto de estudo, mas as organizações de saúde mental já veem sinais de um aumento potencial das chamadas “mortes por desespero”, incluindo overdose de drogas e suicídio. A sociedade não pode mais enterrar a cabeça na areia. Ela precisa se preparar para o que está por vir e organizar as condições para apoiar os necessitados por meio de cuidado, cordialidade e responsabilidade mútua.

A satisfação sem limites não pode ser alcançada por nenhum de nós sozinho. Ela só pode ser alcançada por meio de uma boa conexão com os outros, e isso cria o “campo” necessário onde a fonte eterna de realização pode ser revelada.

Após seis meses de pandemia, pensamos que o comportamento e o impacto do vírus já estavam resolvidos. No entanto, a praga global continua surpreendendo a comunidade científica com novas mutações, novos sintomas e efeitos colaterais. Até que a cura seja descoberta, a incerteza continuará a reinar e tempos mais difíceis podem ser esperados.

Até 75.000 americanos a mais poderiam ser adicionados ao número de mortos da pandemia, não devido a causas naturais, mas porque decidiram acabar com suas próprias vidas, de acordo com uma análise de um grupo nacional de saúde pública. As taxas de suicídio nos Estados Unidos aumentaram 35% em geral desde o ano 2000, de acordo com dados oficiais. Historicamente, as dificuldades econômicas – particularmente recessões profundas como a de 2008 – quase dobraram o número de pessoas que cortaram suas vidas por falta de esperança. Entramos em uma nova etapa da humanidade, uma nova era em que devemos estar conectados uns aos outros por meio de vínculos recíprocos positivos, onde todos na sociedade atuam para com os outros como uma mãe amorosa que abraça seu filho querido.

O suicídio é a pior decisão que uma pessoa pode tomar. Uma pessoa desesperada chega a esta resolução extrema para escapar da dor. Na mente daqueles que cometem tais atos extremos, a vida se torna um fardo do qual vale a pena se livrar, uma provação sem satisfação. Ao fazer isso, eles desconsideram a dor que infligem à família e aos amigos e manifestam total relutância em aceitar as condições concedidas pela vida.

Eles aparentemente ficam sem forças para exigir o que consideram ter o direito de ter na vida, seja o que for. Em vez de envolver outras pessoas para ajudar a trabalhar juntos na busca de soluções, a pessoa suicida recua para seus próprios pensamentos egocêntricos e turbilhão de emoções.

Embora o suicídio pareça ser a mais pessoal das decisões, temos uma responsabilidade coletiva como sociedade por não conseguir criar as condições necessárias para as pessoas viverem vidas saudáveis ​​e felizes. Tais condições impediriam as pessoas de atingir o estado final de desespero, angústia e dor que as leva ao ponto de sentirem que a vida não faz mais sentido.

Devemos criar mecanismos de responsabilidade mútua para garantir que as necessidades mais básicas de cada pessoa sejam atendidas, a fim de que cada pessoa tenha o necessário para uma existência digna.

A Luz depois da Escuridão

A pessoa deve sempre estar ciente de que quaisquer tormentos que surjam, eles são dados para o nosso progresso pessoal, com o propósito de corrigir nossa natureza egoísta de satisfação pessoal acima de qualquer outra consideração. Esses baixos estados de depressão despertam o ponto mais profundo escondido dentro de cada um de nós, uma centelha que visa um nível superior de existência onde o vazio escuro é preenchido.

Como o principal Cabalista Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam) escreve: “Em cada pessoa, mesmo na secular, há uma centelha desconhecida que exige a unificação com Deus. Quando às vezes desperta, desperta a pessoa para conhecer Deus, ou negar Deus, que é a mesma coisa. Se alguém gerar a satisfação desse desejo naquela pessoa, ela concordará com tudo” (A Solução).

A satisfação sem limites não pode ser alcançada por nenhum de nós sozinho. Ela só pode ser alcançada por meio de uma boa conexão com os outros, e isso cria o “campo” necessário onde a fonte eterna de realização pode ser revelada.

Qual é a abordagem certa para ajudar alguém em desespero? Não devemos sobrecarregá-los com simpatia exagerada ou tratá-los com condescendência. Basta expressarmos carinho, ouvirmos, estarmos ao lado deles, mostrarmos que eles não estão sozinhos e que podem contar com os amigos e familiares.

Precisamos compartilhar com alguém em desespero o pensamento de que há luz depois da escuridão. Da mesma forma, todo estado sombrio é o preparo para uma realidade melhor, a percepção de um novo estado positivo, já que não há preenchimento sem falta. Esse novo estado de sentimento de que somos compreendidos, protegidos e abraçados está esperando e nos dará uma paixão renovada pela vida e expandirá nossos horizontes em direção a uma vida significativa, cheia de significado e propósito, alegria e abundância.

“A Maneira Surpreendente De Sair De Um Mau Humor” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “A Maneira Surpreendente De Sair De Um Mau Humor

Muitas pessoas querem mostrar sua dor quando estão sofrendo ou de mau humor, como em: “Uma tristeza compartilhada é uma tristeza reduzida pela metade”. Mas se você projeta emoções negativas e sobrecarrega os outros com sua dor, porque isso facilita as coisas para você, isso é simplesmente superegoísta. O que você deve fazer é colocar um sorriso no rosto e agir como se estivesse tudo bem. Se você fizer isso, descobrirá que realmente saiu do sério, pois quando você atua, você se torna o que está atuando.

Por exemplo, pense em uma mãe com seu bebê. Mesmo nas piores circunstâncias, ela tentará parecer animada para seu filho. No momento em que faz isso, ela está emocionalmente com seu filho e está realmente. Se ela tiver grandes problemas, provavelmente voltará a cair mais tarde, mas, pelo menos naquele momento, ela saiu de si mesma e se sentiu bem justamente porque tentou fazer alguém se sentir bem.

A única causa do sofrimento é o nosso ego. Quando nos elevamos acima dele, não sofremos. Meu professor, o RABASH, costumava rir de si mesmo quando se sentia deprimido; ele estava rindo de seu próprio ego. E uma vez que fazia isso, ele não estava mais para baixo.

O Que Pode Ser Feito Com A Depressão Sazonal?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 11/12/19

A depressão do inverno ocorre exatamente na época em que o holiday blues (depressão natalina) também começa. É hora de entendermos o que está acontecendo com nossas almas. Esta é a chave para resolver todos os problemas da nossa vida.

Como As Relações Equilibradas Entre Os Gêneros Solucionam A Depressão: A Depressão Das Mulheres E O Sentido Da Vida (Kabnet)

KabNet publicou meu novo artigo: “Como As Relações Equilibradas Entre Os Gêneros Solucionam A Depressão: A Depressão Das Mulheres E O Sentido Da Vida

A depressão é uma epidemia global. Atualmente, mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão e as mulheres são diagnosticadas quase duas vezes mais que os homens.

Por que existe uma diferença de gênero tão marcante no número de pessoas deprimidas no mundo?

A insatisfação entre as mulheres e os homens tem uma raiz espiritual profunda. Está incorporada na natureza feminina.

Existe Algo Que Possa Preencher Completamente Uma Mulher?

De acordo com a sabedoria da Cabalá, existe.

A realização espiritual.

A espiritualidade é alcançada quando a mulher – a força feminina – usa seu profundo desejo de impulsionar o homem – a força masculina – a alcançar um propósito maior na vida. A complementaridade das forças masculinas e femininas opostas permite a obtenção mútua de harmonia e satisfação.

A capacidade feminina de elevar o mundo a um estado superior está na base da humanidade. Assim como o velho ditado diz: “A mão que balança o berço domina o mundo”. A natureza é projetada de tal forma que a habilidade feminina determina como ajustar e direcionar corretamente o mundo, ou seja, como encontrar a cooperação apropriada entre as forças masculina e feminina para que ambas funcionem juntas de forma solidária e harmoniosa.

O sentimento de desejo das mulheres é evidentemente muito maior que o dos homens. Um homem pode ser mais facilmente satisfeito com as realizações terrenas, por exemplo, participando de alguma atividade junto com seus amigos.

Uma mulher deseja mais profundidade. Ela quer carinho e amor. Ela anseia por mais simpatia e apoio. Sua maneira de se realizar é muito mais complicada do que como os homens se satisfazem.

Tudo começa e termina com uma mulher. Ela se sente como o centro da realidade, a rainha do mundo. Seu senso de singularidade é um sentimento natural que ela legitimamente personifica.

“Quando atraímos essa força, ela realiza o que é chamado de “correção” em nossos desejos egoístas egocêntricos, que naturalmente se opõem à tendência de se unir, o clique “necessário” para que todos nos fundamos como um e experimentemos o nível superior da realidade.”

Por Que É Quase Impossível Para As Mulheres Realmente Se Unirem

De acordo com a sabedoria da Cabalá, é quase impossível para as mulheres realmente se unirem. O anseio por uma sensação maior de totalidade só pode surgir quando forças opostas se apoiam mutuamente em um delicado equilíbrio.

Portanto, as forças masculina e feminina precisam de um ajuste muito preciso, para que uma força intermediária surja entre elas: a força de amor, doação e conexão. O estudo da Cabalá trata principalmente de como atrair essa força para unir as pessoas e descobrir uma realidade eterna e completa em tal conexão. Quando atraímos essa força, ela realiza o que é chamado de “correção” em nossos desejos egoístas egocêntricos, que naturalmente se opõem à tendência de se unir, o “clique” necessário para que todos nos fundamos como um e experimentemos o nível superior da realidade.

Está escrito que “homem e mulher, a presença Divina está entre eles”. A combinação e funcionalidade corretas das forças masculina e feminina é que:

1. a força feminina equilibra a força masculina ativando a força masculina em direção à conexão, e

2. a força masculina equilibra a força feminina, fornecendo-lhe força, entendimento e apoio para que a feminina se erga acima de sua natureza.

Essa é a complementaridade mútua que permite que as forças masculinas e femininas funcionem harmoniosamente.

Que Força É A Primeira A Ativar O Outro: A Masculina Ou A Feminina?

A feminina. A necessidade e o pedido de unificação sempre emergem da feminina. O desejo de uma conexão na profundidade do desejo, a alma, está na base da insatisfação e depressão de toda mulher.

Mesmo que os homens pensem que fazem progressos e avanços devido a suas próprias habilidades, de fato, todas as atividades do homem são para a mulher, ou seja, para se tornarem significativas aos seus olhos. É a maneira como somos naturalmente construídos.

Graças às diferenças entre os sexos, sobre os quais eles precisam se conectar em um único todo, a perfeição se torna possível. Não há nada em cada um deles que o outro não complemente, pois na espiritualidade, sua totalidade só pode existir em complementaridade mútua de acordo com o princípio: “o amor cobrirá todas as transgressões”.

Em outras palavras, em vez de combater nossas diferenças e focar nas diferenças entre homens e mulheres, precisamos encontrar nosso terreno comum de apoio e entendimento, onde possamos descobrir juntos uma realização e um objetivo muito maiores na vida – a revelação de como a natureza funciona em níveis mais unificados – e começar a assemelhar-se aos nossos relacionamentos com a própria forma da natureza de completa unificação.

A sensação de alcançar a unidade perfeita curará a depressão, pois trabalharemos diretamente com a chave que libera nossas sensações negativas, abrindo-as para uma realização de um tipo completamente novo: equilíbrio com a forma unificada da natureza.

Nova Vida # 91 – Entendendo A Depressão, Parte 2

Nova Vida # 91 – Entendendo A Depressão, Parte 2
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

A depressão pode ser um ponto de virada em nossas vidas. Ela nos apresenta uma oportunidade de encontrar nosso verdadeiro eu e pode nos levar a uma experiência mais elevada da vida. Se construirmos o ambiente certo para nós mesmos, este pode nos influenciar e possibilitar a programação de um amanhã melhor. O ambiente certo é aquele focado em dar. Precisamos treinar trabalhadores e aprender a exercitar nossa imaginação. Podemos mudar nossa experiência de vida mudando nossa atitude.

De KabTV “Nova Vida # 91 – Entendendo A Depressão, Parte 2”, 25/10/12

A Depressão Está Ficando Mais Jovem

laitman_564Nas Notícias (Independent): “A um menino de um ano de idade foi prescrito antidepressivos pelo NHS, na Escócia, na medida em que prescrições de drogas subiram muito em todo o Reino Unido. …

“Os números também mostraram que a faixa etária mais comum para a prescrição de antidepressivos foi para aqueles com idade entre 14 e 17 anos, e que as moças eram mais propensas a receber medicação do que os rapazes. …

“Embora as diretrizes do NHS afirmem que a menores de 18 anos não devem ser prescritos antidepressivos, mais de 100.000 prescrições por ano são dadas aos adolescentes, de acordo com o Daily Telegraph”.

Meu Comentário: O egoísmo está crescendo e exige soluções; não há respostas. A questão do sentido da vida é, consciente ou inconscientemente, sentida o tempo todo no fundo do que está acontecendo, mas ao contrário de suprimir, empurrando o problema diante de nós … para longe.

Depressão – Uma Doença Da Falta De Sentido Na Vida

Comentário: Um de nossos ouvintes escreveu que seu filho não tem interesse na vida e diz que quer morrer.

Resposta: Uma aspiração por outra coisa mais, que está além desta vida, já está aparecendo no mundo e é especialmente evidente entre as crianças. Anteriormente, nunca houve um problema tão grande como depressão infantil. Mas hoje ela está aparecendo em uma idade muito jovem.

Depressão entre os adultos não existia há 100 anos passados. Aparecia como pequena tristeza ou melancolia devido ao tédio, especialmente entre a nobreza. Mas manifestou-se intensamente apenas em nosso tempo. E esta doença é a falta de sentido na vida, e muitas pessoas sofrem com isso.

Entretanto, isso também é progresso já que a natureza desperta intencionalmente essas sensações em nós.

Pergunta: Quanto tempo leva uma pessoa a alcançar um estado em que ele pode olhar para o seu corpo como se fosse um objeto estranho, como se fosse um cachorrinho ao seu lado?

Resposta: Isto é independente do tempo, uma vez que a sabedoria da Cabalá tornou-se parte de nossas vidas no século 20, as pessoas estão continuamente desenvolvendo-se internamente. Por isso, é impossível dizer agora quanto tempo levará cada indivíduo a chegar a esse estado.

Uma pessoa que chega a este estado agora pode ter tentado atingi-lo por anos, embora alguém que vem tentando há cinco ou dez anos possa levar a partir de agora apenas um par de meses. As pessoas nascem, hoje, com um potencial diferente de poder espiritual, e em um par de meses, eles percebem o que nos levou anos.

[167809]

Da Lição de Cabalá de 20/9/15

Material Relacionado:

Elevar-se  além do Escancarado Vazio

Da Depressão à Criatividade

Depressão – A Praga do Século 21

O Desaparecimento Do Rei Do Egito

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, Shamati 159, “E Aconteceu No Decorrer de Muitos Dias:” Este é o significado de “o rei do Egito morreu”, que todas as dominações do rei do Egito, que ele estava fornecendo e nutrindo, tinham morrido.

O rei do Egito morreu dentro de nós e o controle do ego sobre nós desapareceu. Portanto, não fomos mais capazes de trabalhar. Nós estávamos sempre trabalhando a fim de receber e, depois, doar a fim de receber. E, de repente, não há ninguém para quem trabalhar, uma vez que o desejo de receber desapareceu. E se não há desejo, não há nada a fazer, nenhum desejo de doar ou receber. O ego desaparece, nós chegamos ao desespero e não sabemos para onde ir.

Não temos uma razão para nos mover, nos sentimos desconectados da vida, que de repente se torna em vão. Mas, certamente essa é exatamente a passagem para o próximo nível. Se neste momento somos impotentes, isso indica precisamente a nossa dependência da força do desejo e como ela nos mantinha em seu completo controle.

“O rei do Egito morreu”, isto é, o nosso ego deixou de ser importante para nós. Nós já não tentamos satisfazê-lo como antes, nem sentimos que há alguma vitalidade nesta realização.

Na vida comum, é claro para nós que se estamos fartos de um jogo, ele não é tão importante quanto antes, ou seja, que o rei do Egito, o ego, que era parte do jogo e nos satisfazia, não nos satisfaz mais. Portanto, nós devemos procurar outro jogo, mudando o nosso local de trabalho ou estilo de vida.

Mas, no trabalho espiritual não sabemos como mudar um problema. Na vida normal, temos TV, Internet, anúncios, e estamos constantemente escolhendo onde mais podemos encontrar prazer e o que mais pode ser experimentado. Nós entramos no supermercado e vemos infinitas variedades de vinho, queijo e carne nas prateleiras. Se você não quer uma coisa, toma outra. Isso confunde as pessoas e cria uma ilusão de uma variedade de prazeres, e isso acalma as pessoas, mostrando-lhes que há sempre algo para satisfazê-las. No entanto, vemos que com todos os sofrimentos, uma grande porcentagem de pessoas sofre de depressão, desespero completo e uso de drogas.

Como nós progredimos em direção ao trabalho espiritual mútuo, hoje em nosso mundo as pessoas não entendem para onde o rei do Egito desapareceu. Antes ele fornecia aspiração ao trabalho, do qual recebíamos diferentes realizações. Mas hoje, tudo desapareceu e este é um problema em nossas vidas.

Nós entendemos que não podemos mais mudar de emprego; não há lugar para onde escapar, e vamos precisar nos concentrar em encontrar um novo rei. Ou seja, devemos receber o controle da força de doação sem qualquer recompensa, receber força de cima e executar ações que são direcionadas para cima e às pessoas fora de nós.

Nós só precisamos pedir para nos desconectar de qualquer benefício pessoal, de nosso futuro, da satisfação e de sentimentos bons ou ruins dentro de nós.

E depois, quando eles caminharam no deserto e chegaram a um estado de Katnut, (pequenez), eles desejavam a servidão que tinham tido antes da morte do rei do Egito.

Quando o homem já se desconectou de trabalhar para o seu ego e subiu acima dele, ele é novamente trazido de volta ao sentimento dos desejos, intenções, prazeres e realizações que teve no passado! Isso é feito para que, acima de seu sentimento de desconexão, ele construa o mesmo estado num nível espiritual.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 18/04/14, Shamati # 159

A Epidemia De Solidão

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (Time): “A solidão mata. Essa é a conclusão de um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade Brigham Young que dizem estar soando o alarme sobre o que poderia ser a próxima grande questão de saúde pública, junto com a obesidade e o abuso de drogas.

“O sentimento subjetivo de solidão aumenta o risco de morte em 26%, de acordo com o novo estudo publicado na revista Perspectivas na Ciência Psicológica. Descobriu-se que o isolamento social — ou a falta de conexão social — e viver sozinho são ainda mais devastadores para a saúde de uma pessoa do que se sentir sozinho, aumentando o risco de mortalidade em 29% e 32%, respectivamente.

“Os pesquisadores enfatizaram a diferença entre o sentimento subjetivo e auto-relatado de solidão, e o estado objetivo de estar socialmente isolado. Ambos são potencialmente prejudiciais, encontrou o estudo. As pessoas que dizem que estão sozinhas, mas se sentem felizes, têm um risco aumentado de morte, assim como aquelas que têm muitas conexões sociais mas dizem que são solitárias. Pessoas que estão objetivamente isoladas e subjetivamente solitárias podem estar em maior risco de morte, diz Julianne Holt-Lunstad, uma autora do estudo, apesar dela observar que seriam necessários mais dados para saber com certeza”.

Meu Comentário: Este problema irá se manifestar cada vez mais na medida em que o mundo se torna mais amarrado com conexões externas, mas as pessoas se tornam cada vez mais solitárias. Há uma discrepância constante entre nossas conexões negativas e positivas no mundo, e a magnitude desse descompasso traz todo o sofrimento ao mundo.