Textos na Categoria 'Crise'

“Com Respeito À Lei E Ordem E À Primeira Emenda” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Com Respeito À Lei E Ordem E À Primeira Emenda

Ultimamente, tem-se falado muito sobre a brutalidade policial. A questão da brutalidade policial sempre existiu, mas com as crescentes tensões raciais na América, cada incidente parece vir às manchetes e provocar protestos, muitas vezes independentemente das circunstâncias.

Se a tendência atual continuar, os EUA cairão na anarquia e todos os 330 milhões de americanos sofrerão.

Para ser claro, reunir-se para protestar é um direito protegido pela Primeira Emenda, assim como a liberdade de expressão. O problema do protesto começa quando ele é usado para a brutalidade civil contra outros civis e contra a propriedade privada e pública.

Quando a Primeira Emenda fala do direito de se manifestar, ela afirma claramente “o direito do povo de se reunir pacificamente”. Mas quando um protesto não é pacífico, quando é usado para intimidar, abusar, destruir propriedade e ferir pessoas, a meu ver, a polícia deve interferir, dispersar e restaurar a lei e a ordem.

As disputas não devem ser resolvidas porque a diversidade é o motor do desenvolvimento e do progresso. Quando a abraçamos, crescemos. Quando a rejeitamos, murchamos.

Na atual “temporada aberta” contra a polícia, ela perde legitimidade aos próprios olhos, uma vez que os policiais não sentem mais que representam o interesse do público. Se quisermos o caos, esse é o caminho a percorrer. Mas se é isso que queremos, não devemos reclamar se anarquistas e hooligans destroem centros de cidades, perturbam a vida de dezenas de milhares de pessoas por meses sem qualquer repercussão, destroem lojas e queimam empresas sem motivo aparente e transformam a vida das pessoas para o inferno. Para aqueles que já foram afetados pela mutilação da polícia, levará anos para se recuperar, se é que conseguem. Se a tendência atual continuar, os EUA cairão na anarquia e todos os 330 milhões de americanos sofrerão.

Se quisermos mudar as coisas para melhor, isso tem que acontecer por meio de uma deliberação positiva. Mas, primeiro, as pessoas precisam perceber que a América é um país onde todos têm um lugar; é um país de diversidade. Essa, de fato, é a beleza da América. Atualmente, em vez de se orgulharem disso, as pessoas estão tentando fazer com que “sua própria espécie” seja dominante. Portanto, a primeira coisa que as pessoas devem ver é que todas fazem parte de um sistema, de um país. Cada facção tem suas necessidades e desejos, mas as facções se complementam e não se anulam. Somente depois que as pessoas desenvolverem esse estado de espírito, elas poderão começar a deliberar construtivamente.

Uma vez que todos concordam que este país pertence a todos os seus cidadãos, eles podem discordar, discutir e até odiar uns aos outros, desde que haja um sentimento abrangente de pertencer a um país, “uma nação sob Deus”, para citar o Juramento de Fidelidade. Com essa unidade em mente, os debates, por mais acirrados que sejam, apenas fortalecerão a unidade da nação e enriquecerão seu povo com novas perspectivas. As disputas não devem ser resolvidas porque a diversidade é o motor do desenvolvimento e do progresso. Quando o abraçamos, crescemos. Quando o rejeitamos, murchamos.

Os Vírus Emergem De Todas As Rachaduras

625.02Gradualmente devemos entender que se nos unirmos, será bom para nós, e se nos separarmos, sofreremos. Todos devem estar unidos em um sistema, uma pessoa. Isso significa que estamos subindo de nosso nível atual, onde vivemos em separação, para o nível de uma pessoa como uma alma, ou seja, um desejo, onde todos os nossos desejos estão unidos acima do nosso egoísmo.

Considerando a velocidade com que o mundo agora está se movendo dia a dia na revelação do mal, podemos visualizar toda a humanidade no espaço espiritual dentro de um ou dois anos. Este mundo material desaparecerá de nossos sentidos porque existe apenas em nossa percepção egoísta.

Enquanto estamos no egoísmo, experimentamos apenas este mundo material e, se nos movermos em direção à doação, experimentaremos outra realidade superior. Devemos entrar nela.

A natureza é simples. Se nos conectarmos e nos tratarmos bem, seremos felizes. E se nos afastarmos um do outro, então os vírus, todos os tipos de problemas, angústias e forças do mal emergirão de todas as rachaduras entre nós. Se nos aproximamos, não permitimos que essas forças do mal escapem, mas as mantemos dentro com restrição e a tela.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/09/20, Shamati # 42 “O Que é a Sigla Elul no Trabalho?”

De Acordo Com As Necessidades

565.01Pergunta: Em 2020, estima-se que um terço a metade da população mundial, quase dois bilhões de pessoas, correm o risco de perder seus empregos ou mudar para empregos de meio período. Mais e mais pessoas trabalham em casa hoje. Por um lado, isso traz muitas vantagens tanto para os empregadores quanto para os empregados. Por outro lado, paramos de perder tempo com conversas estranhas, fumo, intervalos, etc. Mas o mais importante é que, quando paramos de trabalhar em nossos locais de trabalho, perdemos nossos contatos sociais.

O que você acha que substituirá as conexões que as pessoas tinham no trabalho?

Resposta: Estou muito feliz que esses laços estejam se dissipando, porque eles eram todos egoístas construídos na falta de uma educação correta.

Comentário: A contabilização das horas de trabalho quando se trabalha em casa é bastante problemática.

Resposta: Não precisamos de horário comercial! Precisamos de uma pessoa que trabalhe com o coração 24 horas por dia. Isso incluiria a atividade física, caminhar, dormir e o relacionamento da pessoa com a família, de modo que tudo formasse sua vida. Por que olhar para o horário de trabalho? Quantas pessoas hoje trabalham desnecessariamente ou com benefício mínimo, demonstrando ostensivamente que suas posições são necessárias?

Pergunta: Você acha que o pagamento deve ser baseado no número de horas de trabalho ou nos resultados?

Resposta: O pagamento deve ser tal que permita que a pessoa exista adequadamente de acordo com as suas necessidades, independentemente do que faça, onde trabalhe ou que cargo ocupe. O pagamento deve ser mais ou menos o mesmo para todos, de acordo com as necessidades individuais de cada pessoa.

Pergunta: Como as necessidades de um indivíduo podem ser determinadas?

Resposta: Para responder a isso, devemos estudar as pessoas e criar gráficos bem definidos de suas necessidades. Este é o domínio do trabalho social que envolverá muitas pessoas. Cada pessoa faria uma lista do que precisa. Digamos que você precise preencher um formulário com o que precisa para um dia, uma semana, um mês e um ano.

A partir de tais relatórios, entenderemos o que todos precisam e aprenderemos o que precisamos e o que pode ser completamente desnecessário para produzir porque isso apenas esgota a Terra.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 04/06/20

O Trabalho É A Conexão De Uma Pessoa Com A Sociedade

200.04Pergunta: Você diz que uma pessoa é obrigada a trabalhar mesmo que tenha meios de subsistência. Por quê?

Resposta: É óbvio que a sociedade precisa de seu trabalho. Ela trabalha por dinheiro ou para dar à sociedade o que pode dar? Não vemos o trabalho como uma necessidade. Consideramos que é uma participação humana necessária na vida da sociedade.

Pergunta: Então, uma pessoa que tem um meio de vida deve trabalhar para se conectar com outras pessoas?

Resposta: Claro! O trabalho é uma conexão com outras pessoas, com a estrutura geral da sociedade, da humanidade. Ela é obrigada a fazer isso precisamente para ser um ser humano, para fazer parte da sociedade, não para ganhar dinheiro. O trabalho é um meio de ser incluída na comunidade humana.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 04/06/20

Eu Não Acredito Em Bilionários

546.03Nas Notícias (Business Insider): “Um grupo de 83 milionários está pedindo em uma carta aberta que sejam mais tributados a fim de pagar pelos danos que a COVID-19 causou às economias em todo o mundo.

“Os signatários da carta, dirigida aos ‘nossos concidadãos globais’, se autodenominavam ‘Milionários pela Humanidade’. …

“Os signatários disseram que os desafios extragovernamentais de fornecer saúde e educação e ajudar empresas em dificuldades – todas as quais foram duramente atingidas pela pandemia – não podem ser resolvidos por meio de caridade.

“Eles não dirigem ambulâncias, atendem enfermarias de hospitais ou estocam prateleiras de supermercados em meio à pandemia, admitiu o grupo. ‘Mas temos dinheiro’, escreveram eles. ‘Muito’.

“O grupo disse que a responsabilidade recai sobre o governo em levantar os fundos necessários para resolver os problemas que eles disseram que durarão por décadas, escreveram eles”.

Pergunta: Você acredita nisso?

Resposta: O que eles estão dizendo? “Há dezenas de anos roubamos, arrancando dos seus bolsos vazios quase tudo que vocês tinham, até o último centavo, e agora estamos prontos para retribuir um pouco. E isso para que vocês comprem, desenvolvam tudo, e continuemos enriquecendo com isso para que tudo continue, e tenhamos do que viver.

Vocês não têm dinheiro suficiente para girar esta máquina? Nós vamos dar a vocês! Vamos “colocar um pouco de gasolina” para vocês. E vocês continuarão trabalhando! Continuem trabalhando para que possamos obter mais bilhões. Pelo fato de vocês girarem um centavo, ganhamos bilhões”.

O que eles querem agora? Eles brincam de nobreza, dizendo: “Nós estamos dando isso a vocês! Estamos prontos para doar para vocês! Estamos prontos para tirar dinheiro de nossos bolsos!”

Pergunta: De que outra forma eles podem expressar sua empatia?

Resposta: Eles não têm empatia. Certamente não. Eles sabem que se despejarem alguns bilhões na economia agora, continuarão a arrecadar 20 a 30 vezes mais.

Pergunta: E se eles querem que esse dinheiro vá para aqueles que estão na vanguarda da luta contra o coronavírus?

Resposta: Não importa. O principal é manter isso funcionando. E para onde vai o dinheiro, não importa.

Pergunta: Que ato deles você chamaria de nobre? Nobre pelo menos na estrutura de nosso mundo. O que eles deveriam ter feito?

Resposta: Acho que só precisamos pegar tudo o que eles têm e dar, e eles devem guardar para si apenas o que todos têm, pois ganharam tudo isso pelo fato de tentarem tirar o máximo que podiam no menor custo possível.

Posso ser um idealista de alguma forma, mas não se pode ganhar esse capital de maneira honesta. Uma pessoa não pode! Isso se deve ao fato de que ela toma à força o que é de todos para si.

Pergunta: Mas você entende que eles não farão tal ato nobre. Eles não vão dar todo o seu dinheiro. Bem, ele irá então atirar em si mesmo?

Resposta: É óbvio que não. Eles vão comprar a mídia como sempre, embora já tenham comprado. Eles vão espalhar as notícias por toda parte, vão telefonar, vão realizar eventos de caridade e shows, e todos vão admirá-los.

Pergunta: O que uma pessoa sente quando age, em sua opinião, de maneira tão nobre? É apenas o orgulho que cresce nela?

Resposta: Claro!

Pergunta: E eles não serão mais capazes de fazer uma ação nobre?

Resposta: Este não é um ato nobre. Isso é pompa! Super arrogância! Diga, nós ganhamos tudo com muito trabalho e agora damos parte disso para a sociedade. Digamos, tenho 100 bilhões e dou a vocês dois bilhões!

Pergunta: Então, qual é o “ponto da virada”? O que pode incentivá-los a doar seu dinheiro, mesmo que não todo?

Resposta: Nada pode instigá-los. De forma alguma. Com tanto capital, eles não vão se mexer.

Pergunta: Não há nada para dominar o egoísmo blindado dessas pessoas?

Resposta: Não. Elas estão acumulando muitos bilhões agora; elas agora estão ganhando muito mais do que antes. Elas lucram ainda mais com esta crise. Mas ela vai acabar logo, e depois? Afinal, tudo isso não será mais necessário, toda essa moda, todas essas joias. Para que isso exista são necessárias as massas!

Pergunta: Quando as massas não puderem pagar por isso, então um novo período começará?

Resposta: Claro! Eles já sentem isso.

Pergunta: De uma forma ou de outra, se não este coronavírus, como você diz, então alguma outra coisa as levará ao estado em que seu pensamento mudará?

Resposta: O pensamento delas não muda. Acho que o dinheiro simplesmente perderá seu valor, seu significado.

Pergunta: O que será valorizado?

Resposta: A atitude de uma pessoa para com o mundo. Gradualmente, começaremos a apreciar a atitude de uma pessoa para com a sociedade. Uma pessoa será apreciada; isso será o mais importante.

Pergunta: Que tipo de carta de um bilionário você levaria a sério?

Resposta: “Chegamos à conclusão de que somos obrigados a investir todas as nossas centenas de bilhões na criação de uma sociedade que levaria toda a humanidade à unidade, até o sentimento da força comum do mundo”.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 20/07/20

Quem Ganhará?

419Pergunta: Não é segredo que hoje os dois maiores impérios do mundo, América e China, estão em estado de confronto, em uma guerra comercial, política e ideológica. Quem você acha que vai ganhar?

Resposta: Nenhum dos lados, porque ambos usam o egoísmo ao máximo, cada um à sua maneira. Portanto, não pode haver vitória aqui de um ou de outro.

A vitória virá apenas do lado da percepção da humanidade de que ela precisa seguir um caminho diferente, não suprimindo um ao outro, mas conectando-se por meio das boas forças.

Pergunta: Usar o egoísmo pode servir de arma?

Resposta: Nada pode servir como arma. Já estamos fora do estado onde lutávamos com sua ajuda. Claro, podemos lutar, mas não resolverá nada.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 01/09/20

“Hora De Ir Além Das Máscaras” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Hora De Ir Além Das Máscaras

É hora de os países irem além das medidas de rotina, como usar máscaras e manter o distanciamento social no combate ao surto da Covid-19. Essas medidas foram bons primeiros socorros, mas estão perdendo sua eficácia. É hora de tratar o vírus em um nível mais profundo, o nível social.

Na verdade, o nível social é precisamente onde ele está nos afetando com mais força. Embora o vírus tenha matado mais de um milhão de pessoas em todo o mundo desde o início do surto, esse número é pequeno em comparação com o impacto social, mental e emocional que tem sobre as pessoas.

O distanciamento social que nos é imposto aumenta o isolamento que muitos de nós já sentem e expõe o quão longe realmente estamos uns dos outros em nossos corações. Se nos sentíssemos próximos um do outro, não sentiríamos a distância e não nos sentiríamos separados. Nesse sentido, a Covid-19 é a primeira pandemia social da história da humanidade. Se curarmos nossa sociedade doente, curaremos a pandemia.

Até agora, nós nos aproximávamos de outras pessoas apenas quando convinha aos nossos interesses. Não levávamos em conta o benefício de outras pessoas e as manipulávamos para nossas próprias necessidades. O surto de coronavírus nos impede de fazer isso. A partir de agora, se quisermos nos aproximar de outras pessoas, teremos que pensar primeiro no que é melhor para elas, e assim poderemos decidir se devemos ou não nos aproximar delas. Não seremos capazes de nos aproximar das pessoas como antes – para usá-las e explorá-las em interesse próprio.

Aos poucos, vamos criar um equilíbrio dinâmico onde cada um de nós é como um átomo em uma molécula gigante que é toda a humanidade. Vamos nos mover, mas não em desordem, de acordo com nossos próprios caprichos, colidindo e batendo com outros átomos em nosso caminho. Em vez disso, coordenemos nossos movimentos em completa harmonia e equilíbrio com todos os átomos da molécula. Teremos plena consciência do estado da molécula como um todo e coordenaremos naturalmente nossa posição com a de todos os outros átomos do sistema.

Não precisaremos de cálculos complicados; será natural para nós, pois nosso cuidado por toda a humanidade e por toda a existência nos guiará. Será como se a própria molécula estivesse nos dizendo o que ela quer que façamos, e o faremos em harmonia com toda a realidade. Estaremos vivendo em uma dança sem fim com todas as partes da criação, e essa dança nos dará deleite e vitalidade.

Essa é a lição que o coronavírus está nos ensinando. Se pararmos de resistir a ele e ouvirmos sua mensagem, descobriremos que por trás da máscara e do distanciamento social estão uma grande sabedoria e felicidade que esperam que as encontremos.

Vírus De Dissociação

293O problema do coronavírus não se limita a um país porque vivemos na última geração, quando o Criador estende a mesma atitude a toda a humanidade, sem exceção, em todos os níveis, em todos os graus e em todos os estados.

Mesmo em alguma pequena ilha perdida no Oceano Pacífico, o coronavírus aparece de repente. Ao que parece, como é que ele conseguiu chegar lá se as pessoas vivem isoladas do resto do mundo? No entanto, o vírus também é transmitido até lá.

Hoje, médicos e pesquisadores estão começando a dizer que o vírus está no ar. Isso significa que o vírus está se espalhando por milhares de quilômetros em todas as direções? Parece simplesmente da natureza, de dentro dela.

Pelo fato de não haver conexão entre nós em um momento em que já éramos obrigados a nos unir, devido a essa falta de conexão entre a natureza inanimada, vegetal e animal, surge o coronavírus. Ainda vamos descobrir suas manifestações em plantas, animais e até mesmo na matéria inanimada.

Em primeiro lugar, veremos que o vírus atingiu as partes mais remotas do globo, sem nenhum fator humano, e atinge até animais e plantas. De onde ele vem? Da ausência de conexão que deve existir entre todas as partes da realidade. As pessoas são responsáveis ​​por isso! Portanto, devemos aprender e pensar nisso.

Tudo o que se exige de nós é a consciência da garantia mútua, o sentimento de que estamos na última geração. Além disso, nada mais é necessário. Se entendermos que somos dependentes uns dos outros e cozinhamos na mesma panela, isso será o suficiente para começarmos a sair gradativamente da crise. Já vamos começar a ver onde está a cura.

Com a ajuda da garantia mútua, podemos nos salvar do coronavírus. Tudo depende da conexão certa entre nós. O coronavírus é consequência da falta de união entre nós. Só por isso ele se manifesta.

Todos os problemas e todos os tipos de vírus aparecem porque não há correspondência entre as partes da natureza e, portanto, elas não podem se conectar umas com as outras a partir do nível dos átomos, moléculas e até partículas maiores e mais complexas. Partes da natureza não podem se unir em um sistema, e isso dá origem a todos os problemas – como um tumor cancerígeno, uma formação maligna que carece das conexões certas com os tecidos.

Portanto, a luta contra o coronavírus só pode ser no nível humano se pensarmos bem uns dos outros. Afinal, pela nossa unidade, atrairemos a força do bem que unirá a todos. Esse poder é maior e mais forte do que todas as nossas adversidades e vai curar tudo para nós.

Nossa associação é a cura para todos os problemas, físicos e mentais, pessoais e sociais. Quando ela passa por todas as camadas de conexões entre pessoas, animais, plantas e a natureza inanimada, então o mundo inteiro se torna um e conectado com apenas uma força, em garantia mútua.

Da Lição Diária de Cabalá 24/09/20, “Sobre Acima da Razão”

Encontre-se

Pergunta: Uma pesquisa recente conduzida por empresas de recrutamento sugere que garçons, chefs, guardas de segurança e pessoal de limpeza foram os empregos menos utilizados durante a pandemia.

Muitas pessoas, literalmente centenas de milhões, sentiram que poderiam perder sua profissão da noite para o dia. Ontem elas tinham um trabalho profissional, mas hoje não. O que você sugeriria? Que profissão uma pessoa deve escolher hoje?

Resposta: Eu acho que uma pessoa só precisa se encontrar. Encontrar-se significa criar constantemente uma imagem mais correta de si mesma, do que uma pessoa é. E as profissões serão necessárias, se houver, apenas para uma pequena parte da humanidade.

Chegaremos a um estado em que as pessoas trabalharão um número mínimo de horas por dia e se dedicarão ao autodidatismo pelo resto do tempo. Elas participarão de todos os tipos de programas educacionais e mudarão a si mesmas e à sociedade. Este é o verdadeiro trabalho de uma pessoa.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 01/09/20

O Trabalho É Uma Condição Necessária Para A Existência

266Pergunta: Wikipedia define trabalho: “Trabalho ou mão de obra é uma atividade intencional que as pessoas realizam para sustentar a si mesmas, a outros ou às necessidades e desejos de uma comunidade mais ampla. Alternativamente, o trabalho pode ser visto como a atividade humana que contribui (junto com outros fatores de produção) para os bens e serviços dentro de uma economia”.

Sigmund Freud disse “Amor e trabalho são os pilares de nossa humanidade”. De acordo com Marx, “Trabalho é, em primeiro lugar, um processo no qual o homem e a Natureza participam, e no qual o homem por si mesmo inicia, regula e controla as reações materiais entre ele e a Natureza. Ele se opõe à Natureza como uma de suas próprias forças, colocando em movimento braços e pernas, cabeça e mãos, as forças naturais de seu corpo, para se apropriar das produções da Natureza de uma forma adaptada às suas próprias necessidades ”.

Como você definiria trabalho?

Resposta: Depende de qual era estamos falando. Mas, em geral, o trabalho é uma condição necessária para a existência. A própria natureza confirma isso. Se não precisamos de algo, não somos atraídos a ele. O homem se envolve em algo que o interessa. Portanto, o trabalho é uma necessidade que obriga uma pessoa a produzir os produtos de que necessita. Mas se não houver necessidade deles, ela não perderá tempo com sua produção.

Pergunta: Se considerarmos esta questão do ponto de vista da história, no início o trabalho era necessário simplesmente para sobreviver. Depois as pessoas começaram a explorar o trabalho umas das outras e a ganhar dinheiro. Então a essência do trabalho mudou. As próprias pessoas começaram a pedir para trabalhar.

Hoje vivemos um período em que a pessoa se associa plenamente ao trabalho. Ainda mais, seu status é determinado por onde ela trabalha. Como a essência do trabalho mudará no futuro?

Resposta: Acho que as coisas estão caminhando para o fato de que podemos fornecer tudo o que precisamos com muito pouco esforço e em pouco tempo. Não produziremos além do necessário, porque no final perceberemos que isso está nos matando: pessoalmente, nossa sociedade e o planeta em que vivemos.

Portanto, precisamos limitar a produção de excedentes e produzir apenas o necessário, e que o necessário seja suficiente para nós.

De KabTV, “A Era Pós-Cornavírus”, 04/06/20