Textos na Categoria 'Crise Financeira'

Os “Paraísos Fiscais” São Células Cancerígenas

Opinião (Dominique Strauss-Kahn, ex-chefe do Fundo Monetário Internacional): “”Paraísos Fiscais” exercem a influência mais destrutiva sobre o sistema financeiro global, o ex-chefe do Fundo Monetário Internacional Dominique Strauss-Kahn, disse em entrevista à Itar-Tass e à Rossiya 24 (ambos canais de TV).

“Ele expressou a opinião de que estes “paraísos fiscais” não haviam sido erradicados devido à falta de vontade política.

“”Paraísos fiscais” afetam o sistema financeiro global, eles são suas células cancerosas”, disse ele”. É bem sabido que as grandes empresas encontram brechas para escapar de pagar impostos que são absolutamente legais com o uso de “paraísos fiscais”. Ao mesmo tempo, os “paraísos fiscais” são usados ​​não apenas por pessoas ricas, empresas e o sistema financeiro. “Paraísos fiscais” são vantajosos para os governos, por esta razão eles existem até hoje.

“Concentrando-se na luta contra os “paraísos fiscais” que tinham sido repetidamente declaradas por muitos líderes mundiais, Strauss-Kahn observou que estas declarações contradiziam a verdadeira prática de muitos países, que usam “paraísos fiscais” em seus interesses. [Leia mais →]

Furacões Alertam Os Humanos

Dr. Michael LaitmanOpinião (de A Voz da Rússia): “A natureza alerta a humanidade sobre o desastre iminente, mas a humanidade não quer ouvir. Os recentes desastres naturais são cada vez mais destrutivos e menos previsíveis, mas a humanidade dificilmente aprende com os desastres. …

“Reatores nucleares e cidades indefesas ainda surgem no caminho de tornados e tsunamis. …

“Os furacões se tornaram mais poderosos e ocorrem com maior frequência. O seu caminho é difícil de prever, e é mais difícil se preparar para eles. …

“Por exemplo, a atual tempestade Sandy tem um caminho completamente fora do padrão. Ela fez o seu caminho através da Flórida, Louisiana e teve um impacto nas latitudes ao norte. Isto é muito raro e, no passado, os furacões não se comportavam desta maneira. Além disso, Sandy foi quase o dobro do tamanho de outros enormes furacões. …

“O número de furacões aumentou de 20 a 30% e, acima de tudo, furacões muito poderosos. É por isso que é necessário se preparar para uma série de surpresas. … Furacões de tal poder não vão chegar a Rússia, e eles não podem ser criados localmente, visto que nascem sobre os oceanos. Mas os nossos próprios desastres naturais vão nos alcançar. … Há um aumento acentuado de tornados na Rússia central”;

Meu comentário: Nós não preenchemos a condição de equilíbrio com o sistema global integral da natureza, devido à nossa intervenção em todos os níveis: inanimado, vegetal, animal e, especialmente, humano. A nossa sociedade não é integral, mas individual, não está em homeostase. A falha em observar a unidade da natureza nos ameaça com o desastre.

A natureza vai nos forçar a mudar de ódio e competição para a unidade e a cooperação contra a nossa vontade. Como seus filhos inteligentes, nós podemos entender e reduzir o caminho do sofrimento antes das catástrofes, corrigindo a nós mesmos.

Se Você Não For Até O Mundo, O Mundo Irá Até Você

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “A Serva que é Herdeira de Sua Senhora”: As Raízes Superiores, chamadas de “externalidade”, como já explicado acima, são geralmente chamadas de “serva” e “escrava”. Isso visa mostrar que elas não têm a intenção de prejudicar, como pode parecer numa análise superficial. Em vez disso, elas servem a interioridade, como o escravo e a escrava que servem seus mestres.

Parece que o mundo está cheio de conflitos, guerras, ódio e problemas, e embora pudéssemos realmente gerir entre nós pela cooperação e reciprocidade, no final, tudo é destinado a uma coisa: mesmo na situação atual, todos servem a todos. É muito difícil aceitar isso, e mas é assim que funciona. As relações entre nós podem parecer desagradáveis e horríveis, mas ainda todos servem a todos.

Claro, não podemos aceitar esta forma de satisfação; pelo contrário, podemos sustentar a mesma coisa de uma maneira mais rápida, melhor e mais confortável. Ainda temos que aceitar a Providência superior: não importa o que aconteça, tudo acontece com a finalidade da correção mútua.

Pergunta: Hoje eu ouvi a notícia de que os líderes iranianos querem destruir Israel. Eu tenho que dizer a mim mesmo: “Isso é bom, isso nos serve?”.

Resposta: Não há dúvida de que nos serve, mas nós poderíamos aceitar a atual fase do nosso desenvolvimento de uma maneira mais agradável e confortável, se nos relacionássemos corretamente com o que está acontecendo. O problema está em nós, no povo judeu, e por isso atraímos sobre nós especificamente esta forma de pressão externa, em vez de uma atitude amigável.

As forças de desenvolvimento são expressas desta forma já que não estamos nos preparando para aceitá-las corretamente. Quem mais dever culpar além de nós mesmos? É deste lugar que derivam todas as acusações dos judeus.

Afinal de contas, a iniciativa está em nossas mãos; nós temos o método, e em torno de nós estão os desejos que clamam: “Por que vocês não vêm com a correção?!”. Em vez de presentes e sinais de amor, eles se aproximam de nós com ameaças, uma vez que não lhes damos o que eles precisam.

No todo, o mundo é equilibrado, e este é o mundo de Ein Sof (Infinito). Se nós o fizermos perder o equilíbrio por não julgar o mundo à escala de mérito, a escala da culpa se ergue, por não cumprirmos com a nossa obrigação. O Rav Kook escreve sobre isso: Caso seja impossível soprar um Shofar da redenção kosher, os inimigos de Israel chegam, Amaleque, Hitler, etc., e sopram em nossos ouvidos … e evocam a redenção. Ele diz que Amaleque, Hitler, etc., evocam a redenção.

Mais adiante ele diz: A nacionalidade também faz parte da vara dos “problemas dos judeus”, aqui também vemos a redenção, mas você não pode abençoar este Shofar.

“Você não pode abençoar”, mas também é um Shofar …

A questão toda é que estamos no mundo de Ein Sof, e somos os únicos que determinam como ele vai aparecer para nós, qual de suas partes vai parecer “branca” para nós e qual vai parecer “negra”. Portanto, não há nada para chorar. Ahmadinejad nos desperta para alcançarmos a correção mais rapidamente. Além disso, a crise global nos empurra. Se ela começou em algum lugar distante e chegou até nós, isso significa que estamos atrasados em nosso desenvolvimento, na nossa capacidade de apresentar o método de correção às nações do mundo.

O pior é que inconscientemente nós esperamos que, como resultado dos problemas, elas nos entendam, em vez de ter que correr a elas para explicar de todas as formas possíveis a solução para o problema. Nós não nos preocupamos com isso da maneira como deveríamos. Há muito a fazer, mas nós agimos de forma irresponsável, sem sentir que somos culpados pelo que está acontecendo, e por isso os problemas estão se aproximando de nós. Não será como os povos ameaçam, será muito pior do que isso.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/09/12, Artigo, “A Serva que é Herdeira de Sua Senhora”

Circulação da Cabalá: Simples E No Ponto Certo

Pergunta: Como podemos garantir que nossa circulação não é vista com antagonismo?

Resposta: A abordagem é simples. Primeiro de tudo, nós circulamos o conhecimento em relação à crise, sem assustar as pessoas, mas mostrando-lhes a situação real.

E a situação é que estamos em frente à natureza, global integral. Sabemos de biologia, zoologia, cibernética, a física, astrofísica e outras disciplinas que a natureza é global e todas as suas partes são interligadas, todas elas estão em homeostase, harmonia, equilíbrio. Todas, exceto o homem.

O homem foi intencionalmente direcionado para o caminho egoísta de desenvolvimento que durou até o nosso tempo. E agora nos encontramos em crise no que diz respeito à natureza. Em seu desenvolvimento, a sociedade humana tornou-se um sistema global e entrou em um conflito direto com a natureza.

Existimos dentro da natureza, estamos em frente a ela. Este é o núcleo da crise: Nós não correspondemos à natureza. E até chegarmos a concórdia com ela, nós vamos nos sentir mal. Isto é o que acontece durante uma mudança de parâmetros, seja temperatura, pressão ou qualquer outra coisa. Assim, por não nos adaptarmos ao ambiente, temos experiência de crise. [Leia mais →]

20 Sinais De Que o Mundo Poderia Esta Direcionado Para Um Apocalipse Econômico Em 2012

Opinião: “Se você pensou que 2011 foi um ano ruim para a economia mundial, é só esperar até ver o que acontecerá em 2012. Os EUA e a Europa são ambos lideres com problemas de endividamento sem precedentes, os mercados financeiros estão se agitando descontroladamente, programas de austeridade estão sendo implementados em todo o mundo, os preços básicos, como alimentos estão aumentando e muitos consumidores estão paralizados com medo agora.

Muitos analistas temem que uma “tempestade perfeita” poderia estar se formando e que nós poderíamos realmente estar a caminho de um apocalipse econômico em 2012. Esperemos que isso não vá acontecer. Esperemos que os nossos dirigentes possam manter a economia global completamente fora do desmoronamento. Mas agora, as coisas não parecem boas. Depois de um período de relativa estabilidade, as coisas estão começando a descolar mais uma vez. O pânico financeiro seguinte poderia literalmente acontecer a qualquer momento. Infelizmente, se nós vemos um apocalipse econômico em 2012, não serão os ricos os que mais sofrem. Serão os pobres, os desempregados, os sem-teto e famintos que sentem mais dor.

A seguir, são 20 sinais de que poderíamos estar a caminho de um apocalipse econômico em 2012 ….

# 1 Em 2008 vimos tumulto ao redor do mundo devido aos preços dos alimentos e, agora, os preços globais de alimentos estão em alta novamente. Preços globais dos alimentos em julho foram 33 por cento mais elevados do que eram há um ano. …

[Leia mais →]

O Vaso Do Conhecimento

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “A Paz”: O profeta condiciona a paz mundial  com o preenchimento do mundo inteiro com o conhecimento de Deus.

Assim, a solução para os problemas mundiais é o “conhecimento do Criador”. Enquanto o mundo inteiro, do menor ao maior, de acordo com seus desejos plenamente revelados, não for preenchido com o conhecimento do Criador, ele não chegará à perfeição, paz e contentamento. Até então, sempre haverá forças que agitam, sacodem o mundo e o empurram para ser preenchido com o conhecimento do Criador, um estado onde o Criador preenche a Sua criação.

Nossos olhos podem ver como os pobres doentes se contorcem em dores terríveis e insuportáveis, e como a humanidade já se lançou para a extrema direita, como na Alemanha, ou para a extrema esquerda, como na Rússia. Mas eles não só não facilitaram a sua situação, como agravaram a doença e a agonia, e as vozes se levantaram para o céu, como todos sabemos.

O que a nossa mente sugere não vai ajudar neste momento, uma vez que sempre nos desviamos para a direita ou esquerda. Às vezes, nós nos mantemos na linha média, mas normalmente apenas enquanto nos deslocamos de um extremo ao outro. Consequentemente, acabamos num problema atrás do outro, e não há maneira de sair até que conheçamos o Criador.

O “conhecimento do Criador” aponta para a correção de nossos desejos, de modo que eles estejam aptos a se tornar o vaso para o conhecimento (Daat), ou seja, tornem-se preenchidos com a Luz de Hassadim (Misericórdia), com a iluminação de Hochma (Sabedoria), como as Sefirot Hochma (“sabedoria”), Bina (“compreensão”), e Daat (“conhecimento”), HBD.

Pergunta: Como o mundo será preenchido com o conhecimento do Criador?

Resposta: As pessoas vão começar a aprender a doar a todos, enquanto vivem com todos em um sistema global, integral e análogo, onde nos submetemos uns aos outros, estamos ligados e integrados, onde a doação mútua e até mesmo o amor governam.

Até que nos unamos a esse tipo de sistema, onde todo mundo sente um desejo coletivo por todos e se esforça para satisfazer e serví-lo, como uma célula do corpo, não chegaremos à perfeição. Até então, os infortúnios continuarão crescendo e nos empurrando para essa perfeição.

Isto é o que chamamos de “conhecimento do Criador”: cada um de nós torna-se um vaso de conhecimento. Zeir Anpin e Nukva ascendem à Hochma e Bina e recebem deles o preenchimento, de acordo com o desejo que eles elevaram. Assim, eles são considerados como “o vaso do conhecimento”. Eles alcançam o nível de “maioridade” (adulto) e, juntamente com o Partzuf paternal de Aba ve Ima, transformam-se em HBD.

Da 4a parte da Lição Diária de Cabalá 30/05/11, “A Paz”

As reuniões recentes da UNESCO e da ONU

Nos últimos dias, temos estabelecido uma relação ativa com as Nações Unidas, em particular, a UNESCO, através de atividades em Paris, Moscou e Nova York.

Poucos dias atrás, eu estava numa reunião face-a-face na França, com a Diretora-Geral da UNESCO, a Sra. Irina Bokova. Na minha qualidade de presidente e fundador do Instituto de Pesquisa Ashlag (IRA), juntamente com a nossa delegação, que apresentou sua proposta de uma educação integral e global novo método que implementa as regras de um mundo interdependente e integrado electrónico. Junto comigo estavam Rachel Laitman, Norma Livne, Leonid Makaron e Seth Bogner, como membros do conselho da ARI. Mrs. Bokova foi muito receptiva aos nossos princípios de um sistema de educação global para preparar novos filhos atualmente e os jovens para uma vida plena em um mundo altamente dinâmico e global.

[INICIAR SLIDEESHOW - IMAGENS]

Após o encontro, recebemos um convite especial para participar da apresentação da Unesco anual da avaliação “Educação para Todos – Relatório de Monitoramento Global”. O evento aconteceu em Março de 2011, na Universidade de Columbia em NY.

Nossos delegados, Seth Bogner, Rachel Laitman e Norma Livne tiveram a oportunidade de expressar nossos pontos de vista para uma melhor educação, juntamente com o embaixador israelita na ONU, Meron Reuben streghten e também os contatos com a Diretora Geral da Unesco, a Sra. Irina Bokova. O evento foi liderado pelo secretario geral e diretor executivo da secretaria da Mulher da ONU, Sra. Michelle Bachelete.

Em Moscou, Ylia Vinokur, Leonid Makaron, Anatoly Ulianov, e Leonid Elizarov, como representantes do IRA, tiveram um papel ativo na Unesco na conferência “Participação dos Jovens nas Transformações Sociais: Iniciativas e participação”. Nossos materiais serão publicados no resumo do evento e as atividades futuras têm sido discutidas.

Em 11 de março, nossos representantes do ARI, Leonid Makaron e Seth Bogner participaram da conferência “Construção da Paz: Reconciliação através da Educação, Ciências, Cultura e Comunicação”, na sede das Nações Unidas em Nova York.

O Fórum foi aberto pelo Secretário -Geral, Ban Ki Moon e Director Geral da Unesco. O Alto Painel sobre a Paz e Diálogo entre Culturas, incluiu também: o príncipe Turki Al Faisal, da Arábia Saudita, ganhador do Prêmio Nobel em Fisiologia, Günter Blobel, e outras personalidades internacionais.

Os resultados positivos de todas essas atividades marcam o início de um processo contínuo de colaboração mútua no campo da educação por causa de uma humanidade melhor.

[38309]

Europa: Uma Casa Comum, Um Problema Comum

Pergunta: Há várias dezenas de nós na Holanda, se preparando para participar da Convenção Europeia, que será realizada em Berlim. Para a maioria de nós esta será a primeira vez assistiremos a uma conferência de Cabala, e alguns dos alunos ainda não sabem qual é o sentido da convenção e por que é tão necessário participar. Como podemos prepará-los para ela?

Resposta: Os Europeus têm que entender que seu continente está num estado muito perigoso em relação a todos os outros. De todos os lugares do mundo, a Europa enfrenta o mais grave e maior problema, que se explodir pode escalar para uma terceira guerra mundial.

Os europeus estão em uma situação muito instável, precisamente porque eles decidiram se unir, mas por outro lado, a sua união é egoísta. Se um egoísta se separa do outro com um limite, então eles ainda são capazes de manter uma ligação através dessa fronteira de acordo com regras estabelecidas. Mas se não há conexões formais e todo mundo vem para o mercado comum, com uma economia comum, e com uma enorme problemática de reservas que a Europa possui, então eu não vejo isso com qualquer possibilidade de existir e prosperar no mundo. [Leia mais →]

O Nível Do Homem Começa Ao Se Experimentar a Quebra

Dr. Michael LaitmanNo principio, Malchut é meramente um ponto. Então a Luz Superior vem e desenvolve-a. Malchut adopta as propriedades de Zeir Anpin, expande-se, e pensa que é capaz de receber em prol da doação. Ela recebe esta Luz e quebra. Contudo, como resultado desta quebra, os desejos de Zeir Anpin penetram Malchut, e agora ela contém as propriedades de doação que ela não tinha antes.

Desse momento em diante, a pessoa pode tomar duas direcções diferentes. Os desejos doadores podem ser usados para tentar receber tanta Luz quanto possível para o seu próprio prazer, por outras palavras, doar em prol de receber. É exactamente assim como a humanidade se desenvolve até que ela começa a revelar que esta é uma maneira ruim de avançar. Quando se trata desta recepção egoísta tudo fica claro: ela é má e as pessoas a desaprovam. Mas quando eu doou, eu preciso verificar se esta doação não é egoísta. Talvez eu dê a outros apenas para beneficiar-me disso?

No fim, nós descobrimos que toda a nossa “doação” é egoísta. Isto requer milhares de anos de desenvolvimento. Apenas agora nós começamos a compreender que a verdadeira doação é de doar em prol de doar e receber em prol de dar.

Contudo, a quebra foi uma preparação necessária para que toda a correcção maravilhosa se revelasse. Caso contrário, nós nunca seríamos capazes de compreender que há algo mais elevado que a nossa natureza, nossa matéria egoísta. Nós permaneceríamos para sempre nela, como todos os níveis inanimado, vegetativo, e animado da natureza. Mas o nível do homem começa ao se experimentar a quebra! Não pode ser de outra maneira.

Inicialmente, os desejos doadores caem nos receptores. Assim , o egoísmo pode ainda governá-los por um período de tempo, que é exactamente o que acontece no nosso mundo. Nós desenvolvemos as ciências, a cultura, e a educação, e tudo isto devido aos desejos de doação que caíram dentro de nós. Nós avançamos com sua ajuda até que começamos a ver que nada de bom vem disso.

Nós podemos usar os desejos doadores para doar, mas tão logo desejamos receber prazer disto, nós descobrimos que o nosso desejo de receber prazer não é capaz de receber qualquer prazer interiormente. Então, por que devo eu doar? Assim, todo o desenvolvimento começa gradualmente a abrandar, como estamos nós agora a experimentar, e finalmente ilumina a verdade: nós só podemos operar em prol da doação.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 5/07/10, O Estudo das Dez Sefirot

Vamos Puxar Toda A Humanidade Através Do Buraco Da Agulha

Nós ainda não compreendemos completamente que tarefa séria caiu em nossas mãos. Bilhões de anos de evolução do Universo, toda a natureza da Terra, e o acúmulo da história humana até nosso tempo nos pressionam para que (com os inanimado, vegetativo, animado e humano estados da natureza por trás de nós) estabeleçamos a conexão com o Criador. Toda a massa desse desejo de receber precisa unir-se ao Criador através de um minúsculo buraco: a qualidade de doação que precisamos alcançar. A responsabilidade de puxar todo o egoísmo criado pelo Criador através do “buraco da agulha” foi colocada sobre nós.

Nós sentimos que estamos frente a um muro de egoísmo, mas nós ainda não entendemos que tipo de muro ele é. Esse muro é a força do Criador. Nosso ego é a força do Criador! Nós pensamos que ele é um vício comum que nós precisamos derrotar ou descartar. Isso não vai funcionar. Temos que reconhecer que somente o Criador pode mudar nossa natureza egoísta. Ele deve fazer isso, mas somente com o nosso pedido, nossa prece.

De fato, todo o caminho do descenso dos mundos espirituais desde o Mundo da Infinidade, desde o Alto até embaixo, incluindo toda a evolução humana no mundo corporal que se seguiu, está agora chegando ao ponto de culminação, para unir-se com o Criador. É nosso dever atraí-lo para a Luz. Imagine quanta criação já se passou, e agora nós devemos executar essa união.

Nossa missão parece tão grande, mas o Criador a colocou em todos nós. Quantas vezes na Torah Moisés queixa-se ao Criador de que ele é incapaz de executar essa tarefa, mas o Criador ordena que ele continue? Hoje, nós estamos no lugar de Moisés; recebemos conflitos para subir por sobre nossa natureza. Nós representamos esse papel para nossa geração. (“Moisés” ou “Moche” vem do verbo “Mosheh”, puxar).

Por isso temos que entender que nossa tarefa é extremamente delicada e sutil; ela trabalha através do buraco da agulha que mal conseguimos discernir. Porém, se enfocarmos nossos esforços em todos que estão estudando dentro do nosso sistema por todo o mundo, teremos sucesso.

Recebemos desde o Alto tudo que precisamos para isso; não há dúvida. Nós só precisamos ter uma clara visão de nossa meta e pedir que o Criador nos ajude. Nós somos as criaturas que devem aderir-se com o Criador, e através disso, nós damos a todas as almas a oportunidade de ascender ao estado de perfeição. Diferente dos Cabalistas do passado que só prepararam o caminho para nós, nós precisamos completar esse caminho concretizando-o em nós mesmos e nos outros.

O muro frente a nós é o Criador. Ele está de pé e aguarda que nós O “rompamos” para Ele se regozijar que “Seus filhos O derrotaram”.