Como Eu Desenvolvo Conhecimento Cabalístico?

A sabedoria da Cabalá é a ciência do teórico e prático. Quando uma pessoa começa a estudar, primeiro aprende a teoria: o número de mundos, Partzufim, Sefirot; como são diferenciados; como são formados e estendem-se de cima para baixo de acordo com uma hierarquia, da Luz à matéria em nosso mundo, e, como, da matéria do nosso mundo, voltaram a subir para a Luz. Em princípio, esta é a sabedoria da Cabalá.

É apresentado em resumo no artigo de Baal HaSulam, “Prefácio à Sabedoria da Cabala”, juntamente com um artigo semelhante de Ramchal, “138 Portões do Conhecimento”, e uma nova série de textos de outros autores, que iluminam a sabedoria da Cabalá em detalhe. É revelado em uma forma mais abrangente no livro “EtzHayim”, pelo Ari, e nos seis volumes do Estudo das Dez Sefirot, por Baal HaSulam.

Além disso, muitos outros cabalistas dedicaram grandes textos sérios à sabedoria da Cabalá, expondo, de um ponto de vista científico, o sistema de gestão do nosso mundo, no qual ele está localizado. Mas todos esses textos destinam-se apenas a descrever o mundo espiritual para nós mesmos, intelectualmente, mesmo que não seja possível compreendê-lo com o intelecto e não seja possível descrever a nós mesmos, visualmente.

Como está escrito na seção 154 da Introdução ao Estudo das Dez Sefirot, os cabalistas sempre escreveram e escrevem apenas para aqueles que já estão em realização, com o sentimento e a visão do mundo superior. Quando uma pessoa como esta lê o que está escrito por outros, ele imagina o que o autor queria dizer com precisão absoluta, clara e tangível.

Assim, cabalistas compartilharam seus conhecimentos com os outros, mas é compreensível apenas para eles, porque eles estão sentindo o mesmo mundo superior, o sistema que gere o nosso mundo. E aqueles que não têm esse sentimento não podem imaginar. Eles só mecanicamente fazem malabarismos com diferentes conceitos e definições. Mas isso não dá em nada. Os conceitos permanecem incompreensíveis.

Por isso, é difícil dizer qual é a vantagem de estudá-los. Mas de acordo com o que Baal HaSulam escreveu nessa seção 154 da Introdução ao Estudo das DezSefirot, há um grande significado em relacionar-se com os escritos dos cabalistas, de uma maneira especial, porque as pessoas que escreveram estes textos estavam na posse de uma maior energia, a Luz Superior.

Como regra geral, os livros de Cabala foram escritos em hebraico ou aramaico. Aramaico está relacionado com a língua hebraica, que estava em uso há 3.500 anos na antiga Babilônia, juntamente com o hebraico.

Se uma pessoa no nosso mundo não entende e não sabe o que está escrito, e ainda não sabe o idioma em que o livro está escrito, não faz diferença. Suponha que uma pessoa só conheça chinês. Se ela senta-se ao lado dos cabalistas e ouve o que eles estão dizendo e estudando, então, por meio de seu imenso desejo de entender e alcançar, ela começará a despertar e convidar a Luz Superior sobre si mesma.

A iluminação única descerá sobre ela, e sob sua influência a pessoa irá gradualmente começar a sentir o que os cabalistas a falam de seu interior, mesmo sem entender a língua deles. E com o tempo, começará até mesmo a entender a língua.

Quando eu estava estudando com Rabash, eu recebi uma carta de uma pessoa na Rússia, em um distante campo de trabalho na Sibéria. Ela escreveu que, de repente, o conhecimento da língua hebraica foi aberto nela, e ela queria viajar para Israel. Em anexo à sua carta foram anexados poemas que foram escritos em hebraico. Quando mostrei a especialistas, eles ficaram maravilhados, porque ela tinha escrito em um nível muito elevado de hebraico.

Como poderia saber isso? Ela também não sabia. Simplesmente, um imenso desejo despertou nela a manifestação desta língua. Rabash disse uma vez que, por meio de um tal desejo, uma pessoa pode alcançar todo o conhecimento da sabedoria da Cabalá.

Isso é assim porque é alcançado especificamente através do desejo, não é do conhecimento e do entendimento, que a Luz Superior começa a trabalhar dentro de uma pessoa.

Portanto, aqueles que não compreendem a linguagem devem preocupar-se com uma única coisa: um pequeno desejo de alcançar o mundo do Criador. Se este desejo constantemente desenvolve, eles conseguirão tudo.

Aliás, essa pessoa da Sibéria depois emigrou para Israel, publicou seus poemas e desapareceu. Isto sugere que, enquanto estava sofrendo no campo de trabalho, tinha um desejo, mas quando emigrou para Israel, e tudo foi revelado diante dela, o desejo desapareceu.

[193378]

Da Lição de Cabalá em russo 8/5 /16

Material Relacionado:

O Efeito De Livros Cabalísticos

Comente