O Milagre De Chanucá, Parte 1 – Você Acredita Em Milagres?

laitman_572_03Pergunta: Nós estamos celebrando Chanucá para comemorar o milagre que ocorreu durante a guerra dos Macabeus, quando o jarro de óleo forneceu óleo suficiente para acender a Menorá por oito dias em vez de apenas um. Você acredita em milagres?

Resposta: Não, eu não acredito em milagres. De acordo com a sabedoria da Cabalá, um milagre é um assunto científico sério, não como nós o percebemos em nosso mundo. A força superior não faz milagres e não faz nada que seja sobrenatural e que ultrapasse os limites de “Ele deu uma lei que não pode ser quebrada”.

Todos os milagres são apenas em relação a nós. O sistema funciona de acordo com leis rígidas que operam tudo, desde o princípio da criação até o seu fim. Nós temos que aprender essas leis e, assim, os fenômenos que encontramos no sistema não vão parecer milagres para nós.

O primeiro milagre, por exemplo, é o milagre do êxodo do Egito. As pessoas queriam se conectar, mas não conseguiam fazê-lo porque uma força as separava. Essa força é chamada de Faraó, seu egoísmo.

Elas queriam ser como um homem em um só coração, como Abraão lhes havia ensinado na antiga Babilônia, de modo que o amor cobrisse todos os pecados, mas seus esforços foram em vão. Depois de sete anos de saciedade, vieram sete anos de fome, até que houve um milagre que lhes permitiu escapar do Egito e do domínio do Faraó.

A mesma coisa está acontecendo hoje na era do avanço tecnológico, quando começa o desenvolvimento acelerado da tecnologia, cultura e educação. Em primeiro lugar, parece que ela nos oferece oportunidades sem precedentes e todos aspiram ao sonho americano: uma carreira maravilhosa, ciência, e a promessa de revelar todos os horizontes.

Mas, de repente, descobrimos que atingimos um estado totalmente diferente do que foi sonhado. O sonho americano estourou como uma bolha, e o mundo inteiro se encontra numa banheira de hidromassagem que nos arrasta mais e mais profundamente para o fundo. Esse é o fim dos sete anos de saciedade e o início dos sete anos de fome.

Eu também senti como se estivesse vivendo nos sete anos de saciedade nos anos 60 e anos 70, quando acreditava que os horizontes estivessem abertos diante de mim. Mas depois eu descobri que a ciência na qual estou envolvido não fornecia quaisquer respostas às minhas perguntas sobre o sentido da vida e o propósito da vida.

Assim, os sete anos de fome começaram e eu comecei a procurar uma maneira de reviver a mim mesmo, a procurar o sentido da minha vida, o propósito de vida e o que poderia dar aos meus filhos. É assim que encontrei a sabedoria da Cabalá, e isso é um milagre, assim como o milagre do êxodo do Egito.

Um milagre é quando uma pessoa que não tem nenhuma maneira de descobrir o sentido de sua vida numa maneira comum, de repente recebe uma Luz especial, uma força extraordinária, que brilha sobre ela, abre o seu coração e a mente, e revela que essa vida tem um objetivo e que ela faz parte de um processo especial.

Esse milagre que abre uma nova vida para ela é chamado de êxodo do Egito, e isso tem que acontecer na vida de todos, até certo ponto.

A pessoa escapa do Egito, de seu egoísmo, ao adquirir o atributo de doação, a força de conexão e unidade, e começa a implementá-lo. Mas, depois, seu egoísmo entra em erupção novamente e ela precisa novamente de um milagre, a fim de superar o egoísmo, e dessa vez é o milagre de Chanucá.

Pergunta: Como eventos que ocorreram em tempos antigos, como o exílio no Egito e no tempo da guerra dos Macabeus, estão relacionados com o nosso tempo?

Resposta: É dito: “as ações dos pais são um sinal para os filhos”. Isso significa que o que aconteceu com nossos antepassados ​​também vai acontecer com cada um de nós.

Do Programa da Rádio Israelense 103FM 06/12/15

Comente