Tornando-se Livre Da Dominação Do Ego

A Torá, “Levítico” 25:44 – 25:46: O seu escravo ou escrava a quem você pode ter das nações que estão em seu entorno, a partir deles você pode adquirir um escravo ou uma escrava. E também dos filhos dos moradores que vivem no meio de vós, deles você pode adquirir [escravos] e de suas famílias que estão com você, que foram gerados na vossa terra, e eles tornar-se-ão sua herança. Você deve prendê-los como herança para seus filhos depois de ti, como os bens adquiridos, e pode, assim, tê-los atendendo-o para sempre. Mas, como para os vossos irmãos, os filhos de Israel, um homem não deve fazer trabalhar o seu irmão com rigor.

A Torá nos diz sobre os diferentes estados egoístas a que somos submetidos, um dos quais é a escravização ao nosso ego.

Não devemos perceber o que a Torá nos diz como uma história sobre as relações mútuas entre as pessoas, uma vez que as relações mútuas neste mundo são preenchidas automaticamente de acordo com os nossos atributos naturais. A Torá nos diz apenas sobre os nossos estados internos.

A Torá se vira para nós, pessoalmente, e refere-se aos estados a que nos submetemos, quer como escravos de nossos desejos ou como pessoas que estão livres de seus desejos e são os líderes, gerentes e criadores de nossos desejos, como resultado de nosso desenvolvimento, ou seja, na medida em que podemos nos elevar acima do nosso ego.

Tudo isto são categorias espirituais em relação ao ego e não há nada mais, mas apenas isto.

Pergunta: Neste caso, quem é Moisés?

Resposta: Moisés é o ponto mais alto do desejo que nasce no ego, liberta-se e puxa as pessoas (os desejos) que rapidamente podem seguir.

Moisés não sair do ego por ele mesmo. Depois de passar 40 anos com Jethro, ele deve voltar para o Egito, porque seus irmãos estão lá. Mesmo o Faraó lhe faz uma oferta para deixar o Egito com Aaron. O Faraó não quer Moisés para tirar dele essa parte (Israel) que faz dele um homem rico, uma vez que ele recebe a Luz através dessa parte. Esta é a razão pela qual ele não quer deixar ir o povo. No entanto, por outro lado, ele permite que Moisés, o ponto real de doação, sair: “Você não pertence ao Egito de qualquer maneira. Você não tem estado aqui por 40 anos, e agora, de repente, você aparece.

“Os escravos, o Faraó, Moisés e José são todos os desejos que expressam a atitude de uma pessoa em direção ao seu ego, chamado Egito, mas o principal é o Faraó.

Quando Eu levo o meu povo (os meus desejos) para fora do domínio da intenção para mim e coloco-os sob a intenção para o Criador, eu saio das fronteiras do Egito, indo além das fronteiras do círculo governado pelo Faraó. É o Criador que governa fora desse círculo.

Esta é a razão pela qual tenho que tirar o meu desejo deste círculo, uma vez que pode ser tanto sob o domínio de Faraó, ou sob o domínio do Criador. A fim de fazer isso, eu preciso estabelecer as condições no Egito que me permitem tomar esse desejo, de modo que ele concordará em seguir-me.

Devo enfraquecer a influência do Faraó sobre os meus desejos, o que significa, afligi-los com dez pragas. Devo colocar os desejos (as pessoas) em tal escuridão que elas não alcançam nenhum sucesso, nem um raio de luz em suas vidas. Só então posso recolhê-las e libertá-las da dominação do Faraó. Isso é chamado de travessia do Mar Vermelho, a fronteira entre egoísmo e altruísmo.

[156793]

De KabTV de “Segredos do Livro Eterno” 12/11/14

Material Relacionado:
Servos Do Seu Próprio Livre Arbítrio
Conexão Fraternal
Um Ponto Escondido Nas Nuvens Dos Desejos Humanos

Comente