Conexão Fraternal

laitman_943A Torá, “Levítico” 25:35 – 25:36: Se o teu irmão empobrecer e não puder sustentar-se, ajudem-no como se faz ao estrangeiro e ao residente temporário, para que possa continuar a viver entre vocês. Não cobrem dele juro algum, mas temam o seu Deus, para que o seu próximo continue a viver entre vocês.

Entre todos os desejos que foram quebrados após a quebra da alma comum e que agora tem que se reconectar, existe um sistema de remontagem. As relações mais próximas entre os desejos quebrados são chamadas de “a conexão fraternal”.

“Um irmão” significa qualquer estado intimamente relacionado que está associado conosco dentro do sistema que existe entre as almas, com as quais interagimos a fim de produzir ações comuns.

Além disso, a noção de um irmão tem uma raiz que significa “todos nós nos elevamos a um Pai”; assim, todos nós somos irmãos. Ao subir um degrau, aparece entre nós uma intensidade diferente de proximidade e interdependência mútua. Mais tarde, todos nós nos fundimos e nos tornamos um todo.

Um “escravo”, um “recém-chegado” (um estranho, um convertido) e “outras nações” significam vários estados da alma que têm que alcançar a unidade quando não há mais “irmãos, pais ou filhos”. Em vez disso, todo mundo vai ser um todo inseparável.

Nossas relações se tornarão permanentes. Elas não estarão sujeitas a mudanças porque todos vão sofrer o processo de correção e alcançarão a perfeição completa.

Por enquanto, a separação e o desprendimento ainda existem entre nós. Nós precisamos nos redirecionar da interioridade para tipos externos de conexões porque é mais fácil corrigir ligações internas do que impactar as externas. Nós devemos sempre progredir de estados mais fáceis para os mais difíceis no processo de correção.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 12/11/14

Comente