A História Da Humanidade: O Desenvolvimento Da Garantia Mútua (Arvut) – Parte 3

Laitman_051A Base do Arvut na Natureza

Onde nós podemos encontrar essa abordagem? Ao estudar a nós mesmos, nós podemos observar quão inteligentes fomos criados; todos os nossos órgãos e sistemas dentro do nosso corpo são completamente interconectados. Nem um só sistema, órgão ou célula em um corpo existe por si mesmo; tudo é dirigido para as necessidades do corpo. Apesar de todas as partes do corpo estarem no nível animal de existência, ao se conectar criam um nível mais elevado de desenvolvimento, o “homo sapiens”. Quando todas essas partes trabalham em harmonia, elas sobem mais alto do que o nível animal, acima do corpo vivo.

Se fizéssemos essa analogia com a sociedade humana, é assim que nós precisamos existir. Mesmo dentro do corpo, cada órgão é egoísta e quer existir por si só, mas ele “sabe” que a vida só é possível quando todos os órgãos interagem juntos, quando cada um cuida do resto. É por isso que o coração fornece sangue, os pulmões fornecem oxigênio, os rins e fígado limpam o sangue e o cérebro “monitora” tudo isso. Em essência, cada órgão está preocupado em servir os outros, em vez de si mesmo. Esta é a “garantia mútua” dentro do nosso corpo.

Em nosso corpo isso acontece naturalmente, mas na sociedade nós temos que formar conscientemente essas relações. É por isso que não devemos destruir o mal dentro de nós; nós apenas temos que colocá-lo para um bom uso, em benefício de toda a sociedade.

Nós precisamos mostrar a cada pessoa, cada grupo, cada setor da sociedade, cada escola de pensamento ou movimento, como a pessoa pode usar suas qualidades para beneficiar toda a sociedade, e, assim, as pessoas vão ver que, ao ajudar os outros, podem se realizar plenamente. Então as nossas diferenças e contrastes se conectam; nós subimos à próxima dimensão, e começamos a entender toda a natureza, a sua finalidade, programa e objetivo. Assim, nós podemos revelar a ciência de uma ordem superior.

Comente