Uma Nova Maneira De Pensar Sobre Dinheiro

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como disse Einstein, não podemos resolver os nossos problemas no mesmo plano que os criamos. Que tipo de pensamento novo nós devemos desenvolver em relação ao dinheiro?

Resposta: No passado, as pessoas dependiam de dinheiro muito mais do que hoje. Não havia segurança social, nem saúde ou fundos de aposentadoria, nem qualquer tipo de assistência social para as famílias monoparentais ou pessoas que vivem abaixo do nível de pobreza, etc. Em todos esses casos, as pessoas tinham que ter dinheiro para se manter.

Se, de repente, nós tivéssemos que reembolsar esses montantes que foram subtraídos para a manutenção de escolas, creches e hospitais do salário de uma pessoa, o seu salário iria crescer em um terço. Mas ela certamente não iria ficar com esse dinheiro para tempos difíceis. Ele iria desperdiçá-lo, e se algo lhe acontecesse, ela seria responsabilidade da sociedade.

Nós vemos que o nosso desenvolvimento nos obriga a avançar nessa direção onde o dinheiro, ou seja, a cobertura de todos os tipos de despesas, vai passar cada vez mais pelas mãos da sociedade. Certamente, ele deve ser utilizado corretamente e não para jogos políticos.

Se nós vemos que as pessoas estão preocupadas que o seu salário não é suficiente para manter a sua casa, para pagar os serviços e alimentos, pode ser que nós precisemos avançar nessa direção.

Por exemplo, é necessário fazer uma contabilidade geral para os habitantes de uma cidade a respeito de quanto é necessário para pagar a água, gás e eletricidade para todos. O problema é que nós teremos que educar as pessoas a se planejarem economicamente para cada necessidade, uma vez que sem educação pode haver muito mais despesas do que hoje.

Mas em relação à cesta de produtos básicos, é possível fazer isso. Ao alocar uma determinada quantia do salário de todos, nós podemos fornecer cupons a todos, que eles poderão usar numa loja para conseguir o que precisam de mantimentos para um mês. Nós podemos até mesmo organizar uma entrega semanal.

Além disso, eu também gostaria de sugerir a criação de instalações de armazenamento de várias coisas. Em vez das pessoas manterem as coisas em seu sótão e jogá-las fora depois, vale a pena dar-lhes para uso geral de outros. Quando você precisasse de alguma coisa, você viria e levaria, se não seu, então bens que pertenciam à outra pessoa. Trata-se de vestuário, brinquedos para crianças, e outras coisas, até mesmo utensílios de cozinha.

Desta forma, nós poderíamos utilizar não só utensílios domésticos, mas também nossos serviços profissionais. Por exemplo, nós poderíamos organizar vários sistemas de oferta de serviços mútuos que não podemos pagar por nós mesmos. Uma vez por semana, todos os profissionais trabalhariam voluntariamente por um número de horas e todos estariam cientes disso. Nós não precisaríamos pagar por estes serviços com dinheiro, embora fosse possível. Segue-se que iríamos receber uma adição significativa ao nosso salário.

Comentário: Enquanto isso, nós acreditamos que o dinheiro nos dá independência e não queremos depender tanto um do outro.

Resposta: A economia doméstica demonstra realisticamente a quantidade de água, eletricidade, gás e combustível que eu preciso, o quanto posso alocar para reformas, o quanto vai ser deixado para alimentação, vestuário, etc. Se anotarmos todos esses itens, a pessoa vai ser convencida de que permanecerá sempre em déficit (menos). Isso é o que se chama viver com dinheiro? Ela simplesmente tem imagens em suas mãos com as quais as crianças brincam. Se nós explicarmos tudo isso logicamente, as pessoas simplesmente vão se afastar de uma independência como essa.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/09/14

Comente