Na Refeição Do Noivo

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que significa superação acima da razão?

Resposta: Acima da razão significa acima do meu estado atual, acima de como eu sinto e compreendo em minha mente simples. De repente algo desagradável acontece e eu me sinto totalmente confuso e não posso aceitá-lo de forma alguma, e isso simplesmente me separa da realidade.

Primeiro eu devo me relacionar com isso da perspectiva chamada Beit Shammai que é aceita no Talmude. É como um avaliador que escreve um relatório sobre o estado atual, listando todos os fatos, como se eu avaliasse uma “noiva exatamente como ela é”. Eu avalio o estado em que estou: isto é como me sinto e isto é o que entendo, e tenho que estar neste sentimento e realização até que eles mudem.

Há outra abordagem chamada Beit Hillel, e há uma disputa entre as duas. Na perspectiva de Beit Hillel, você deve aceitar o seu estado como o fim da correção: “tudo é bom e agradável, e é enviado pelo Criador; é simplesmente ideal”. Este é o estado que devo alcançar, sem anular a avaliação de Beit Shammai, o que significa que não anulo o estado real. O estado permanece, e acima dele eu estabeleço o segundo estado real.

Quando eu alcanço o estado que é compatível com Beit Hillel, eu sinto que ele é bom nos meus novos vasos, e entendo e sinto nos meus novos vasos de percepção que este é o verdadeiro mundo de Ein Sof (Infinito). Não é que eu só recebo alguma pequena iluminação e concordo e me anulo, mas que na verdade sinto a inteireza nos meus novos vasos. Quanto mais mudanças, quanto mais subidas e descidas existem abaixo, mais alto acima delas eu posso construir meus novos vasos da maneira oposta.

Isso funciona como um circuito elétrico que transmite as fases positiva e negativa da corrente alternada para a corrente contínua. Portanto, eu preciso trabalhar em dois níveis. Num nível eu trabalho com o que meu corpo sente e com o que minha mente compreende, e acima disso, acima do meu vaso natural, eu estabeleço um novo vaso no qual preciso ver que “a noiva é bonita e modesta”.

Se eu construo corretamente o meu novo vaso e percebo corretamente a noiva, eu descubro que o noivo pousa no meu vaso (“noivo” e “terra” em hebraico têm a mesma raiz). Assim, nós alcançamos o acoplamento chamado “refeição do noivo”, de acordo com o nome do preenchimento.

Quando eu atinjo este estado, vejo que também estava na refeição do noivo antes! Mas os meus vasos não estavam prontos e eu não sentia o gosto de estar no palácio do Rei, mas em alguma miserável cabana na corporalidade. Em vez das delícias e da mesa posta com placas de ouro e prata, a música maravilhosa e os deliciosos aromas da refeição do Rei, eu sentia um gosto amargo com meus sentidos corruptos. Na verdade, eu não estava neste mundo, em primeiro lugar, mas no mundo do Ein Sof, e é só por causa de minha corrupção que via, em vez disso, este mundo.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 12/03/14

Comente