“A Ascensão Do Anti-Capitalismo”

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (do The New York Times): “Nós estamos começando a testemunhar um paradoxo no cerne do capitalismo, que impulsionou-o para a grandeza, mas agora está ameaçando o seu futuro: o inerente dinamismo de mercados competitivos está trazendo custos tão baixos que muitos bens e serviços estão se tornando quase de graça, abundantes e não estão mais sujeitos às forças do mercado”. …

“O primeiro indício do paradoxo veio em 1999, quando o Napster, o serviço de música, desenvolveu uma rede permitindo que milhões de pessoas compartilhassem músicas sem pagar os produtores e artistas, causando estragos na indústria da música. Fenômenos semelhantes passaram a perturbar gravemente as indústrias de jornais e editoras de livros. Os consumidores começaram a compartilhar a sua própria informação e entretenimento, através de vídeos, áudio e texto, quase de graça, ignorando os mercados tradicionais completamente”. …

“Milhares de entusiastas já estão fazendo seus próprios produtos usando impressoras 3D, software de código aberto e plástico reciclado como matéria-prima, com uma margem de custo quase zero. Enquanto isso, mais de seis milhões de alunos estão matriculados em enormes cursos on-line gratuitos, cujo conteúdo é distribuído com uma margem de custo quase zero”.

“Agora o fenômeno está prestes a afetar toda a economia. Uma nova e formidável infraestrutura de tecnologia – a Internet das Coisas – está emergindo com o potencial de empurrar muito da vida econômica para uma margem de custo próxima de zero ao longo das próximas duas décadas. Esta nova plataforma de tecnologia está começando a conectar tudo e todos”. …

“Em nenhum lugar o fenômeno da margem de custo zero tem mais impacto do que o mercado de trabalho, onde as fábricas e escritórios sem trabalhadores, o varejo virtual, e a logística automatizada e as redes de transportes estão se tornando mais prevalentes. Sem surpresa, as novas oportunidades de emprego encontram-se nos bens comuns cooperativos em áreas que tendem a ser sem fins lucrativos e fortalecem a infraestrutura social – educação, saúde, ajudar os pobres, restauração ambiental, cuidado de crianças e idosos, a promoção das artes e recreação”. …

“No entanto, nós estamos entrando num mundo parcialmente além dos mercados, onde estamos aprendendo a viver juntos em bens comuns globais cada vez mais interdependentes e colaborativos”.

Meu Comentário: Todo o nosso desenvolvimento nos leva à necessidade de mudar para um novo nível de comunicação, um mundo sem fronteiras; a dependência geral, a rede virtual do mundo material será paralela à rede espiritual do mundo superior.

Comente