Nós Supervalorizamos Tudo

Dr. Michael LaitmanNas notícias (do PsyBlog): “Não importa o que – um par de jeans, um carro ou até mesmo uma casa -, no momento em que um objeto se torna sua propriedade, ele passa por uma transformação.

“Como você o escolheu e o associa a si mesmo, o seu valor é imediatamente aumentado. Se alguém se oferece para comprá-lo de você, as chances são de que você pretenda cobrar muito mais do que ele está disposto a pagar.

“Esse é um viés cognitivo chamado de ‘efeito dotação’.

“É a razão pela qual algumas pessoas têm sótãos, garagens e galpões cheios de porcarias das quais não conseguem se separar. Uma vez que você possui algo, você tende a definir o seu valor financeiro mais do que outras pessoas o fazem.

“Quando testado experimentalmente, o efeito dotação pode ser surpreendentemente forte. Um estudo descobriu que os donos de ingressos para uma partida de basquete  supervalorizaram os ingressos por um fator 14. Em outras palavras, as pessoas queriam 14 vezes mais do que os outros estavam dispostos a pagar. No entanto, esta é uma proporção particularmente elevada e a mesma pode variar dependendo do objeto.

“O efeito dotação é particularmente forte para coisas que são muito pessoais e fáceis de associar com o “eu”, como uma joia do seu parceiro. Da mesma forma, nós também supervalorizamos coisas que tínhamos por um longo tempo”.

Meu comentário: Esse é o efeito do nosso egoísmo. A perda é sentida de forma mais dolorosa do que uma oportunidade perdida na aquisição de um valor equivalente, porque o egoísmo inclui uma coisa em “sua” posse, e o “meu” tem mais valor do que o “fora de mim”.

Comente