Um Caminho Suave E Sem Altos E Baixos

Dr. Michael LaitmanPergunta: Quando tentamos manter o pensamento sobre o que é importante, somos distraídos repetidamente por outros assuntos. Com que frequência essas entradas e saídas devem mudar?

Resposta: Uma vez, um dos alunos do Rabi Zusha disse-lhe que ele tinha experimentado várias subidas e descidas, naquela manhã. Em resposta, o Rabi Zusha disse que tinha experimentado cerca de 400 subidas e descidas em alguns minutos.

Aparentemente, é impossível medir essa variável, uma vez que, no geral, a espiritualidade está acima da faixa de frequência das entradas e saídas, das subidas e descidas, numa frequência infinita. Há também frequências mais altas em nosso mundo, como por exemplo, em computadores, rádios, tecnologia a laser, etc. A espiritualidade é muito maior do que isso.

Portanto, quando uma pessoa se conecta a frequência infinita? Quando ela começa a perceber as subidas e descidas como um todo. Nesse caso, elas se tornam uma espécie de “tensão uniforme”: Não há “picos” nem “buracos”, tudo é incorporado numa direção comum.

Só em nosso mundo, o positivo está associado à direção positiva, e o negativo à direção negativa. De acordo com essa abordagem mesmo o positivo não leva a nada de bom.

Mas quando eu percebo tal escuridão como Luz, a descida como subida, quando percebo que tudo vem de uma fonte e apenas para nos fazer avançar, então eu estou igualmente feliz com as subidas e descidas. Eu estou ainda mais feliz com as descidas, já que através delas eu percebo que estou avançando. Uma subida pode ser resultado de diferentes motivos, como por exemplo, do suborno do meu ego. A descida, no entanto, certamente será benéfica, pois o Faraó está me aproximando do Criador.

Eu deveria imediatamente me alegrar quando vem a descida, embora existam momentos do endurecimento do coração e da confusão que não conseguido sequer distinguir. Mas no momento em que percebo que eu estou separado, desconectado da espiritualidade, no momento que percebo que fui “jogado fora” por talvez um quarto de hora já, meio minuto, ou até mesmo um segundo, eu fico feliz. Afinal de contas, eu reconheci o problema. Ele foi criado de Cima, mas eu cheguei a sua essência e estou feliz com isso, já que tenho certeza que adquiri uma nova profundidade e a “santifiquei” agora.

Assim, verifica-se que eu não me movo ao longo de uma estrada demolida que é deformada e espinhosa, mas ao longo de uma estrada maravilhosa. É realmente assim. No final, nós só devemos mudar a nossa perspectiva do mundo. Neste novo quadro, na medida em que aceitamos o que está acontecendo, descobrimos o sistema de liderança e Providência, a força diretora, e, de repente, a perfeição se abre diante de nós…

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 20/01/13, Shamati # 26

Comente