Polícia E Ladrão

Dr. Michael LaitmanPergunta: Há sociedades e instituições públicas: polícia, exército, escolas, e assim por diante. Há uma instituição fora dos padrões que não é reconhecida, mas está lá: o mundo do crime, que vive por suas próprias leis.

O sistema integral proposto tem em vista construir uma nova instituição?

Resposta: Não. Nós propomos uma metodologia integral como inclusão de todas estas instituições como elementos necessários. Deixe todas estas instituições, incluindo a criminosa, existir se isso for necessário na sociedade e, com isso a sociedade vai limpar, proteger, ou, inversamente, mudar a si mesma. O que quer que exista na sociedade, há lugar para todos. Há polícia e ladrões. Um não pode existir sem o outro.

A propósito, o ensino da educação integral é realizado com sucesso em prisões nos Estados Unidos. As autoridades prisionais estão bem felizes com isso; elas aceitam todos os nossos materiais e escrevem cartas de gratidão. Imagine receber uma carta de agradecimento do diretor de um presídio com 5000 presidiários!

A administração prisional vê presidiários se tornarem gradualmente homens, e não bestas. Normalmente, as pessoas aprisionadas se tornam brutalizadas. Em poucas semanas, as condições podem fazer qualquer pessoa normal ser igual a todo mundo ali porque o ambiente afeta a todos. E aqui ocorre um milagre: a situação de repente se torna estável, confortável e fácil. A violência e todos os tipos de problemas desaparecem.

Portanto, nós queremos entrar em todos os setores da sociedade. Nós não estamos interessados em saber se você é um ladrão ou um policial. Nós estamos interessados que você passe por um curso de educação integral e torne-se diferente em sua “instituição”, em sua comunidade. Assim, todas as estruturas, da legítima à criminosa, vão começar a mudar.

De forma alguma nós dizemos como. Todo o ambiente vai mudar através das mudanças nas pessoas. Assim como o egoísmo humano criou todos os tipos de instituições, da legal à criminal, seu egoísmo integral vai mudar tudo isso.

Da “Discussão sobre Formação Integral” 20/05/12

Comente