Cooperação Acima Da Competição

Dr. Michael LaitmanOpinião (Lynn Margulis, ex-bióloga norte-americana e professora universitária no Departamento de Geociências da Universidade de Massachusetts Amherst): “Lynn Margulis afirma que as relações simbióticas são uma importante força motriz por trás da evolução. Segundo Margulis (1996), “A vida não tomou conta do globo pelo combate, mas por interligação” (isto é, através da cooperação, interação e dependência mútua entre os organismos vivos). Ela considera estar incompleta a noção de evolução de Darwin impulsionada pela concorrência.

“Em 1981, Margulis publicou Simbiose na Evolução Celular no qual ela propôs que as células eucarióticas surgiram como comunidades de interação de entidades que se uniram em uma ordem específica. Os elementos procarióticos poderiam ter entrado numa célula hospedeira, talvez como uma presa ingerida ou como um parasita. Com o tempo, os elementos e o hospedeiro poderiam ter desenvolvido uma interação mutuamente benéfica, depois evoluindo numa simbiose obrigatória.

“Simbiogênese é uma teoria da evolução. Ela argumenta que a simbiose é uma das forças primárias da evolução, porque a aquisição e acumulação de mutações ou tendências genéticas aleatórias não são suficientes para explicar como novas variações herdadas ocorrem. Segundo esta teoria, novas células organelas, novos corpos, novos organismos e novas espécies surgem da simbiose, onde organismos independentes se fundem para formar compostos. Isto desafia algumas ideias padronizadas em livros textos de como ocorre a mudança evolutiva. Até certo ponto, Darwin enfatizou a competição como o principal processo de condução da evolução. A simbiogênese enfatiza que a cooperação também pode ser importante para o processo de evolução.

“A Teoria da simbiogênese de Margulis: Lynn Margulis alegou que os microorganismos são uma das principais forças evolutivas na origem das espécies, endossimbiose de bactérias, sendo responsáveis pela criação de formas complexas de vida.

“Margulis enfatiza que as bactérias e outros microorganismos, participaram ativamente da formação da Terra, e ajudaram a criar condições adequadas para a vida (por exemplo, quase todos os eucariotos necessitam de oxigênio, e só se desenvolveram depois das cianobactérias terem produzido bastante oxigênio atmosférico). Ela também argumenta que esses microrganismos ainda mantêm as condições atuais e que eles constituem um importante componente na biomassa da Terra.

Meu comentário: Conforme a transição dos níveis de matéria instintiva e controlada, a partir dos níveis do inanimado, vegetal, animal, até o nível da informação (“ser humano”), desde o desenvolvimento linear do egoísmo até o mundo integral, nós estamos cada vez mais revelando a interligação completa de todas as partes do mundo, a sua dependência mútua.

Nossa penetração na camada de informação do mundo vai revelar sua grandeza e autoridade sobre os níveis inferiores da natureza. Um “ser humano” não é um corpo animal, mas a informação que, em princípio, será capaz de existir em qualquer transportador e mesmo sem ele, em qualquer espaço, dimensão. Como argumentou Norbert Wiener, o fundador da cibernética, o “ser humano” pode ser ultrapassado a qualquer distância (o que significa que o ser humano é informação, não formação de proteína).

Comente