O Mundo Inteiro Sob Um Guarda-Chuva

Dr. Michael LaitmanSendo uma pessoa neste mundo, estou construído para pensar automática e constantemente sobre mim mesmo: O que é mais proveitoso para eu fazer, e como? É assim que o Criador me criou, como está escrito, “Eu criei a origem do mal”. Eu só revelo esse mal mais e mais e já percebo que penso apenas em mim mesmo, e decido que isto é malvado. Esse já é um estado especial.

Agora quero voltar-me para a bondade porque detesto o egoísmo. A bondade significa pensar em tudo e sentir tudo como se me pertencesse. Significa relacionar-me com todos como uma parte inseparável de mim.

Mas se apagarmos este “como”, então apenas “eu” permanecerá uma vez mais – apenas um eu mais egoísta! Suponha que eu revelasse de repente que todas as pessoas à minha volta são meus filhos e que os amo infinitamente, com todo o meu coração.

O que é que atingi com isso? Agora eu realmente trato a todos como eu mesmo, mas de forma egoísta! Afinal de contas, eu considero-os meus. Eles são o mesmo que eu, como meu bebé.

Portanto, eu digo, “Não! O ódio e a separação permanecem!”, e o “Amor cobrirá todos os pecados”. Caso contrário, você não teria a oposição, a tela, a força de superar. O que é que você vai superar? Eu não supero nada em relação ao meu bebé – estou pronto para dar-lhe tudo, porque o meu amor natural me obriga a agir dessa forma.

Quando dizemos que queremos apreender o mundo inteiro como nós mesmos, nós não percebemos que tipo de opostos estão justapostos aqui e que tipo de abordagem é construída. Eu não elimino a repulsa, mas construo amor sobre ela.

É por isso que um estado muito especial é revelado no mundo agora. Há lutas, argumentos, colisões e diferenças sendo expressas por todo o lado. O mundo inteiro está em confusão e ninguém é capaz de viver junto com alguém em paz. E eles não serão capazes. As discussões continuarão a incendiar mais e mais até percebermos que todos os pecados devem ser revelado e nós temos de nos unir acima deles.

Não devemos ter medo quando eles se revelarem; pelo contrário, quando eles se revelarem e lhe mostrarem a sua fraqueza, é exactamente então que você perceberá que precisa de ajuda. Verá que não consegue fazer nada por si próprio e que você precisa da Luz que corrige.

É por isso que temos visto tantas diferenças, forças, e objectivos colidirem, e ninguém se entende. Acima de tudo isto, temos de construir um grande guarda-chuva – a garantia mútua.

Entretanto, todas estas diferenças e desacordos permanecerão dentro. Isto é um milagre que não entendemos! Mas o milagre é que eles permanecem juntos com o guarda-chuva que é criado como resultado do amor e da garantia mútua acima deles.

Nós amamo-nos uns aos outros apesar de todas as nossas diferenças contraditórias. Nós somos tão diferentes porque é assim que Malchut foi revelada de cima. Eu não quero mudar outra pessoa. Eu apenas quero explicar-lhe que vale a pena para nós ter uma atitude bondosa um com o outro, e eu sugiro-lhe, “Com ambos mantendo nossa própria posição, unamo-nos um com o outro acima disso”.

Se recebemos tais qualidades opostas de cima, do Criador, e se somos tão diferentes por natureza, então, aparentemente, é precisamente pela virtude da diferença entre nós que podemos expressar a harmonia da criação. É impossível tocar música clássica num único instrumento musical. Tem de haver diferentes sons: menor, maior, todo o tipo de instrumentos, e todos têm de tocar juntos. É isto que produz harmonia e criatividade.

Da 4a parte da Lição DIária de Cabalá 10/08/11, Prefácio à Sabedoria da Cabalá

Comente