Problema Mundial? É meu problema

A imagem do “mundo externo”, como Baal HaSulam escreveu, é criada pela “câmera” no verso do nosso cérebro, que projeta as minhas qualidades para o que parece ser a tela externa, com as qualidades de ser imperfeito ou corrigidos para diversos níveis. Dentro de mim, eles existem sob a forma de forças diferentes. Ao combinar ou dividir em diferentes formas, eles formam o vaso da minha alma.

No entanto, sou incapaz de distinguir essas forças, porque são projetadas sobre a tela da minha consciência de uma forma que me permite vê-las. Portanto, vejo várias formas dos níveis vegetal, animal, humano e inanimado. Todas estas formas estão em movimento, passando por mudanças, e isso é o que permite a manutenção de uma conexão com a minha força interior.

Como, então, posso alcançar o estado correto? Isso pode ser feito pelo princípio de amar o teu próximo como a ti mesmo. Você tem que fazer todas a realidade externa se tornar sua. Afinal, é realmente você, mas na sua percepção enganosa que aparece como algo externo. Então volte para si mesmo, retorne essa imagem externa para dentro, ligue a visão projetada para a da “câmera”.

Como você pode fazer isso? Ao trazer suas peças mais perto de você e sentindo-as como suas.

Por agora percebemos os problemas do mundo como catástrofes acontecendo com outras pessoas. Em contraste com isso, Rabash estava muito preocupado, nestes casos, porque sentiu que a catástrofe estava acontecendo com ele. Uma pessoa que se move em direção a equivalência com o Criador de todo o mundo se inclina em direção ao copo do julgamento ou a taça de justificação. É aí que reside a solução para o problema.

Assim, devido á quebra espiritua, minha percepção divide-se em interioridade e exterioridade, de mim mesmo e do mundo. Ao corrigir-me, eu trago toda a realidade que parece fora de mim para mais perto de mim para senti-la dentro de mim. Então eu mudo para uma percepção espiritual do mundo: Não há nada do lado de fora. Tudo está dentro de mim e tem lugar dentro de mim. Não há nada fora de mim. Eu vivo em meu Kli e apenas “uma” câmara cria a imagem externa para mim.

Baseado nisto, podemos decidir de uma vez por todas, que justamente as pessoas que receberam um despertar do alto, uma unidade para se corrigir, são os únicos capazes para mudar o mundo mudando sua percepção em suas sensações. Tudo depende de quanto elas tentam trazer o mundo inteiro mais próximo delas para se sentir como uma parte inseparável dele. Esta é a realização do princípio de amar o próximo como a si mesmo. Nós temos que trazer todos os níveis que aparecem fora de nós, incluindo ainda, vegetal, animal e os níveis humanos, para mais perto de nós e vê-los como uma parte inseparável de nós.

Portanto, nossa atitude para com toda a realidade deve ser pelo menos o mesmo que a nós mesmos, apesar de Baal HaSulam explicar que devemos elevar os desejos dos outros acima dos meus próprios desejos. Sendo egoísta, eu penso sobre mim mesmo, em vez dos meus próximos. Mas quando eu sou um altruísta, eu tenho que pensar nos outros dentro de mim.

É por isso que a correção do mundo depende precisamente das pessoas que tenham recebido uma chamada do alto para se corrigir com a verdade. Ninguém mais sentiu esse despertar e, portanto, eles não têm nada com a demanda.

Isso significa que devemos nos sentir responsáveis ​​por todas as catástrofes da humanidade. E isso está em nosso poder para corrigi-las – e não apenas após o fato, mas mesmo diante de todas as ocorrências más que acontecem. Temos que ter certeza de que isso não irá acontecer em nível ainda, assim como todos os outros níveis, até o nível humano.

Por agora as catástrofes estão se manifestando na forma de catástrofes naturais no nível inanimado evegtal (como tsunamis , terremotos, inundações e incêndios), bem como na sociedade humana, sob a forma de a crise econômica e assim por diante. No entanto, outras formas também não estão isentas, semelhante a pragas do Egito, que eram muito desagradáveis, muito mais perigosas e horrível em relação às as sensações que ocorrem agora.

Cabe-nos a fazer correções e evitar os problemas do mundo. Baal HaSulam escreve sobre isso para nós no final da “Introdução ao Livro do Zohar”. Todo o sofrimento do mundo é causado pelo fato de que Israel não se corrigiu a tempo, onde “Israel” (que significa diretamente para o Criador), sendo cada pessoa, independentemente da sua origem, que tem a oportunidade de corrigir-se, porque ela tem sido despertada a partir do alto. E não importa que nível ela está.

Desta forma, cada um de nós e todos juntos são responsáveis ​​pelo que está acontecendo.

Partir da parte 4 da “Lição diária de Cabala” 13/3/11

Material relacionado:
O mundo é redondo
Saber É Doar
Nós Podemos Evitar Todo Sofrimento

Comente