Raízes Espirituais das Tradições Deste Mundo

Uma questão que recebi: Eu sempre pensei que o BB era uma organização não-religiosa e que nunca forçou as pessoas seculares a seguir tradições religiosas, mas, recentemente, ouvi dizer que você está seguindo Kashrut (leis dietéticas judaicas), durante a Páscoa. Por favor, explique. Além disso, por favor nos dê a sua opinião e sugestão se todos devem seguir a tradição.

Minha Resposta: Somos uma organização educacional e ela não têm nada a ver com religião de qualquer espécie. Nossa base é estrita e exclusivamente sobre os princípios da Cabala como eles são apresentados em três fontes autênticas cabalísticas: O Zohar, as obras do Ari, e os de Baal HaSulam (Rabash). Nós seguimos os seus conselhos em tudo. Se você tiver alguma dúvida, pergunte-nos e insista que nós mostremos a nossa fonte de informação.

Bnei Baruch embora não seja uma organização religiosa e não segue todas as tradições religiosas (“mandamentos” – Mitzvot), ainda estamos praticando a ações que no nosso mundo constituem os ramos que derivam de raízes espirituais. De fachada, parece que observamos a tradição judaica, mas na verdade elas são originádas de totalmente diferentes intenções e visam a conexão interna e externa com as suas raízes espirituais.

Eu recomendo fortemente que você re-leia a “História da Páscoa ” e o comentário do Ari, Os portões da Intenção (Shaar haKavanot). Você vai entender que  observando específicas ações nos nos elevamos sobre o nosso egoísmo (ver também o artigo Baal HaSulam de “Isto é para Judá”).

O grupo de Abraão começou a seguir  rituais “irracionais” depois de ter conseguido produzir ações dentro de seus desejos espirituais corrigidos e assim esclareceu analogias corporais. Ele percebu que as ações terrenas espirituais como um todo (a raiz e o tronco ou a causa e a consequência).

Quando saímos do nível de compreensão espiritual dos mandamentos (destruição do Segundo Templo), continuamos a seguir apenas com o nosso corpo tradições espirituais e ao invés de ações físicas entrelaçadas juntas. Foi aóí que as religiões do mundo foram iniciadas.

Hoje, temos que chegar ao mundo espiritual e revelar as ações espirituais. Isso vai transformar as nossas tradições habituais em ações espirituais. Em vez de executar ações fortes ou mecânicas vamos agir conscientemente e ver claramente o impacto de nossas ações sobre o mundo superior. Ou seja, a realização vem primeiro, que é seguida pelas ações que dela derivam.

Desejo a todos a “saída do Egito” e termos intenções corretas enquanto estivermos  na mesa do jantar festivo!

Material Relacionado:
O elixir da vida ou veneno mortal
Aprendendo do mundo superior através do mundo inferior

Comente