Textos na Categoria 'Facebook'

Eurovision

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página no Facebook Michael Laitman 5/14/18

“Muito obrigado por aceitar as diferenças entre nós, obrigado por celebrar a diversidade”, foram as palavras da nova fonte de orgulho de Israel, Netta Barzilai, após sua vitória na Eurovision deste ano.

No entanto, acredito que o evento do próximo ano trará uma oportunidade muito maior para que essa mensagem se torne realidade.

Como a vitória de Netta posiciona Jerusalém como o próximo local do concurso, cria um cenário perfeito para Israel mostrar o verdadeiro tesouro que o mundo espera receber dele: o dom da unidade e da conexão humana acima de todas as diferenças.

Imagine a Eurovision do próximo ano como um evento cujo tema é a unidade global e a humanidade comum. Um evento que vai além de um concurso musical, para demonstrar e celebrar nossa conexão natural como seres humanos. Especificamente em um lugar como Jerusalém, que simboliza grande divisão e conflito, tal evento teria um impacto incrivelmente positivo.

Mas o lugar físico não seria a única razão para isso. A verdadeira história do nascimento do povo de Israel está, de fato, enraizada na unidade global. Há 3.800 anos, representantes de todos os vários grupos, tribos e clãs que viviam na antiga Babilônia decidiram se unir sob o princípio da unidade acima das diferenças. Eles desenvolveram um modo de vida em que continuamente se esforçam para superar as diferenças egoístas e celebrar a conexão natural que une todos os seres humanos.

Em outras palavras, o agrupamento original de pessoas chamado “Israel” era um minimodelo de unidade global.

Hoje, há uma demanda profunda no coração da humanidade de que o povo de Israel redescubra sua vocação. É por isso que muitas pessoas sentem um sentimento inexplicável em relação ao povo judeu, que às vezes sai de forma muito negativa.

Se conseguirmos entender o indício do sucesso de Netta e transformar o eufórico sentido de alegria em ação positiva, mostrando a chave para a unidade da humanidade, então, independentemente de quem criar a melhor performance musical, o mundo inteiro ganhará o próximo Eurovision.

Convenção Anual De Cabalá Em Nova Jersey 2018

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página no Facebook Michael Laitman 10/05/18

Apenas alguns dias atrás, concluímos nossa Convenção anual de Cabalá em Nova Jersey. Foi um evento muito poderoso e unificador, onde todos nós começamos a nos sentir como um. Mas não se esqueçam: com os esforços para permanecer conectado, todos os dias podem parecer uma Convenção!

Graduação KabU

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página no Facebook Michael Laitman 10/05/18

Parabéns e boa sorte aos 150 graduados da KabU – nossa Universidade de Cabalá on-line em inglês.

Eu sinto um grande potencial nesses alunos. Durante toda a Convenção, senti como os novos alunos deram um grande salto em seu progresso espiritual.

Na foto: Cerimônia de Formatura da KabU na Convenção Mundial de Cabalá, Nova Jersey 2018.

Sobre A Recusa De Natalie Portman Do Prêmio Genesis (“Nobel Judaico”)

Dr. Michael LaitmanDa minha página no Facebook Michael Laitman 24/04/18

Enquanto a mídia enlouquece sobre a recusa de Natalie Portman do Prêmio Genesis (o “Nobel Judaico”) como uma declaração crítica da liderança de Israel, pediram-me para comentar sobre suas ações. Francamente, não tenho nada a dizer sobre ela ou o que ela fez. Em vez disso, a descarga de raiva, as acusações e o ping pong opinativo em torno do evento apresentam um exemplo claro de que nós, como povo judeu, não estamos focados no que realmente importa. Se estivéssemos, nos elevaríamos acima de toda a indignação e examinaríamos a questão central: nossa própria identidade e função no mundo.

Não é nenhum segredo que a mídia se empenha em gerar histeria amplificando os comentários insignificantes das celebridades em incêndios da opinião pública. O que devemos nos perguntar é por que gostamos tanto disso? Por que nos deixamos levar por esse efeito de bola de neve socialmente divisivo? Por que não desfrutamos de formas mais benéficas socialmente, ao nos engajarmos na criação de uma sociedade mais positivamente conectada?

Historicamente, os atores nunca estiveram no centro do discurso público como estão agora. Por exemplo, na Roma antiga, os atores tinham ainda menos direitos civis e políticos do que seus concidadãos. Sua capacidade de alternar entre diferentes personagens e comportamentos fazia com que parecessem “sem alma”, como se lhes faltassem personalidade e identidade. Como tal, eles foram considerados como sendo de menor status social. No entanto, a década de 1920 viu a penetração de Hollywood na consciência da massa. Atores chamaram a atenção do público. De repente, eles subiram em popularidade e riqueza para um status social elevado, e suas opiniões também foram colocadas em um pedestal internacional.

Apoiados pela imensa força material de uma indústria audaciosa, os atores abordam tendências controversas da mídia, principalmente políticas, mostrando apoio ou oposição a um dos lados, a fim de criar agitação e fortalecer sua imagem pública. Isso deriva de puro interesse próprio, e é por isso que não estou interessado em lidar com isso.

Se estamos falando do povo judeu na indústria do entretenimento, então eu esperaria que eles retratassem uma representação autêntica da essência judaica. Mais sucintamente, esperaria que mostrassem exemplos da tendência a unir-se acima das diferenças, que uma atitude amorosa e solidária para com os outros, acima de todos os impulsos divisores primordiais, é o que define os judeus como seu núcleo.

Em termos práticos, eu recomendaria que os judeus da indústria do entretenimento trabalhassem na criação de uma nova visão social, uma de um futuro positivamente conectado, no qual nós e a humanidade como um todo conseguiremos nos conectar acima de todas as nossas diferenças. Em vez de romantizar o passado ou criar fantasias completamente afastadas da realidade, devemos enfatizar o que pode nos unir: a criação de uma visão de como nossa sociedade pode superar nossos problemas, divisões e conflitos atuais e alcançar a harmonia rica com as características e expressões individuais de cada um fortalecendo continuamente uma unificação maciça e envolvente.

Por exemplo, as cerimônias realizadas nas celebrações da semana passada dos 70 anos de independência em Israel sentimentalizaram as lutas e conquistas do país nos últimos 2.000 anos. De histórias da nação recebendo a Torá no Monte Sinai, através de 2.000 anos de exílio, encontros com antissemitismo, tragédia nos pogroms e o Holocausto, o retorno a Israel, e os extensos esforços e engenhosidade do progresso de Israel em segurança, agricultura,  economia e alta tecnologia, a fim de alcançar a sólida infraestrutura nacional que Israel possui hoje – é verdade que o povo de Israel viveu muito e tem uma ótima história para contar.

No entanto, eu mudaria completamente o foco desta história. Em vez de relembrar nossas realizações passadas e presentes, deveríamos vê-las como pano de fundo para nosso verdadeiro desafio: como podemos realizar uma visão nova e aprimorada de nada menos que um futuro perfeito, onde, em vez de divisão, conflito, fricção e luta, vamos trazer para o mundo conexão, positividade, amor e felicidade? Devemos aceitar o fato de que nos foi dada uma porção de terra como uma oportunidade para realizar nossa verdadeira identidade e função no mundo: unir (“ame a seu amigo como a si mesmo” [Levítico 19:18]) e seja um exemplo dessa unidade para a humanidade (“uma luz para as nações” [Isaías 49: 6]).

A maior história sobre o nosso destino como povo judeu não está no passado. Está acontecendo agora. Se trabalharmos no sentido de vislumbrar e materializar essa visão de unidade social, nos veremos vivendo nossa história monumentalmente épica de proporções bíblicas dia após dia, momento a momento: começaríamos a desempenhar o papel em que fomos colocados aqui neste planeta para cumprir.

Portanto, ao ecoar as palavras do cabalista Yehuda Ashlag – “Estou feliz por ter nascido em tal geração em que permitido revelar a sabedoria da verdade” (em seu artigo “O Ensino da Cabalá e Sua Essência”) – todos nós temos acesso para sentir essa alegria concentrando-nos numa visão de um futuro positivamente conectado para nós mesmos e para a humanidade, e começando a trabalhar juntos para materializar essa visão.

Portanto, eu desejo que todos nós comecemos a pensar nessa visão e nosso papel nela, que a discutamos, a desenvolvamos e a promovamos uns aos outros, e que grandes agregados como a indústria do entretenimento e seus atores, cujas opiniões constantemente se espalham por toda parte, nossas redes de mídia, também comecem a desempenhar seu papel nessa nova direção. Hoje, temos a oportunidade e o potencial de desencadear uma grande transformação em um mundo positivamente conectado, como nunca vimos antes, e é minha querida esperança que possamos realizar isso.

Dia Internacional Da Mãe Terra (Dia Da Terra)

Dr. Michael LaitmanDa minha página no Facebook Michael Laitman 22/04/18

Hoje é o Dia Internacional da Mãe Terra (Dia da Terra).
A Terra e seus ecossistemas são a nossa casa. Os seres humanos devem usar os recursos da Terra com cuidado, levando em conta também as gerações futuras. O problema só pode ser resolvido corrigindo a natureza egoísta do homem.

Para entender melhor nossa relação com a natureza,
leia meu artigo do ano passado sobre furacões

Quebrando O Enigma Judaico

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 13/04/18

O Dia em Memória do Holocausto é o momento certo para nos perguntarmos qual é a razão para o ódio aos judeus ao longo da história? Existe uma verdadeira solução para o antissemitismo?

Na Verdade (In Truth) revela as respostas reveladoras da Cabalá.

Assista o filme (em hebraico, com legendas em inglês)

“O Futuro Dos Empregos: Trabalhar No Ser Humano, Na BIEN”

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 4/7/18

Meu artigo, “O Futuro dos Empregos: Trabalhar no Ser Humano, na Rede de Renda Básica da Terra (BIEN – Basic Income Earth Network)” está com boa tendência no REDDIT com a citação:

“Se apenas poucas horas de trabalho forem necessárias para manter as máquinas, o que os seres humanos farão? Eles estarão ocupados “sendo humanos”, o que significa desenvolver a si mesmos, suas famílias, suas sociedades e tudo o que nos torna humanos, e não robôs”.

Por favor, junte-se a esta discussão importante sobre o futuro.

Breaking Israel News – Unidade De Israel

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 05/04/18

Para construir um Estado de Israel autêntico, primeiro precisamos restabelecer os valores que originalmente nos uniam como povo judeu. Estes são valores inicialmente estabelecidos por Abraão e seu grupo há 3.800 anos, razão pela qual ele é considerado o pai da nação. Ele estabeleceu os alicerces da unidade e conexão, em que “ama o teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18) e “o amor cobre todos os crimes” (Provérbios 10:12) foram os principais princípios para os seus seguidores viverem harmoniosamente uma única tenda, em uma conexão.

Leia meu último artigo no Breaking Israel News >>

Significado Mais Profundo De Pessach

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 29/03/18

Embora o ano judaico comece formalmente em Rosh Hashaná, há uma visão mais ampla dos feriados judaicos que mostra Pessach como o início do ano judaico. Para ver isso dessa perspectiva, precisamos entender o significado mais profundo de Pessach.

Pessach descreve um processo interno em que um período de intensificação da divisão leva à decisão de se unir, seguido da descoberta de um estado mais unificado. Além disso, Pessach mostra o que torna o povo judeu único.

Leia mais sobre o significado mais profundo de Pessach (em inglês):

Dr. Michael Laitman Sobre Trump

Dr. Michael LaitmanDa minha página no Facebook Michael Laitman 3/28/18

Quando eu comento assuntos relacionados a Donald Trump, não estou me relacionando com sua personalidade. Muitos veem Trump como um garoto-propaganda para o ego humano, enquanto a compreensão mais básica da sabedoria da Cabalá é que todas as pessoas são motivadas por seus egos. Portanto, sua imagem pública é irrelevante para mim.

O que estou comentando é o papel que ele desempenha atualmente no estado atual dos assuntos globais.

Nosso mundo está em uma crise em desenvolvimento, e várias interconexões feitas por poderosos atores globais que moldam a economia mundial, a política e a mídia apenas aprofundam a crise, pois elas também são impulsionadas pelo ego humano. Portanto, se enfraquecermos essas conexões egoístas, aliviaremos a crise, que pode facilmente sair do controle.

Esta é uma dinâmica natural que não tem nada a ver com o próprio Trump. Já expressei isso muitas vezes antes, mas infelizmente esta mensagem não está sendo ouvida com clareza.

Trump representa uma abordagem para assuntos globais que reduz o risco de uma nova guerra mundial, especificamente porque ele está derrubando certas conexões internacionais, como se estivesse pisando no freio, tentando trazer os EUA de volta para onde eles estavam no mapa econômico global. Enquanto o mundo se desenvolve de acordo com o ego humano, tais movimentos de Trump ajudam a manter a relativa paz mundial.

As elites dominantes estão tentando andar de mãos dadas e aumentar seu controle financeiro, fazendo vários acordos comerciais internacionais que, em última análise, privam as pessoas do mundo de tudo o que possuem. Eles produzem o disfarce do desenvolvimento econômico em alguns países em desenvolvimento, mas, na realidade, todos os lucros vão para as elites, e todo o fardo recai sobre as massas.

Portanto, o atual desenvolvimento em direção à integração global não é o tipo de desenvolvimento que beneficiará o mundo; só beneficiará aqueles que estão no controle.

É por isso que esses jogadores globais estão se opondo a Trump. Eles detêm a maior parte da grande mídia em suas mãos, e criam a impressão de que a maioria das pessoas públicas e sãs são contra Trump. Eles também se saem bem em encenar o que parecem ser ondas naturais de protesto social.

Infelizmente, a propaganda e a lavagem cerebral são tão poderosas que até mesmo alguns dos meus alunos estão sendo influenciados, pois não conseguem ver que há interesses pessoais agindo nos bastidores e que as pessoas não saem para protestar sem serem manipuladas a fazê-lo. É uma máquina bem lubrificada, alimentada por muitos milhões de dólares.

Portanto, eu não entendo o que está tocando na mídia ou o que a maioria das pessoas diz, e também não trabalho para o Trump. Eu estou explicando o mundo através das lentes da sabedoria da Cabalá.

Eu não tenho interesse em jogar o jogo infantil de escolher um lado – ser a favor ou contra qualquer coisa. Meu comentário vem de um nível diferente: as forças naturais em jogo. A partir desse nível, é perfeitamente claro que, enquanto os egoístas estiverem conduzindo conexões globais, é melhor cortá-los do que fortalecê-los.

Em geral, eu vejo todos os fenômenos mundiais como expressões das leis fundamentais da natureza, e os utilizo para explicar a visão da Cabalá sobre o processo pelo qual o mundo está passando.

Os Cabalistas escrevem que “dispersar os iníquos é melhor para eles e melhor para o mundo” (Mishná Sanhedrin 8:5). Em outras palavras, o mundo inteiro ficará melhor se os laços entre esses jogadores poderosos forem quebrados, pois seu egoísmo só serve para explorar todas as outras pessoas ao máximo.