Textos na Categoria 'Facebook'

EUA: Nazismo E Antissemitismo Emergentes

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 11/04/19

“Se eu vejo que o crescente antissemitismo nos EUA está corrigindo os judeus da América, que eles começam a se mover do lado democrata para o lado republicano, então nós realmente temos esperança de passar por todos esses estados de uma maneira relativamente positiva. E eu realmente espero que isso aconteça – que eles percebam que estão em um estado muito negativo e ameaçador.

Se eles não conseguirem isso e permanecerem no lado democrata – eu não vejo um bom futuro. Eu acho que eles vão sofrer muito, pois partidos nazistas maciços surgirão nos EUA e eles chegarão a lugares de poder, junto com fundamentalistas islâmicos, e virarão os EUA contra Israel, e não haverá mais nenhum país no mundo que nos apoiará”.

Surto De Sarampo E Antissemitismo

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 05/04/19

O surto de sarampo fornece outra justificativa para o ódio inerente aos judeus; uma maneira de racionalizar sentimentos antissemitas.

Mesmo na Idade Média, os judeus eram culpados pela propagação de doenças, mas a alegação era oposta: como os banhos regulares não eram comuns, os judeus, que se banhavam pelo menos uma vez por semana por motivos religiosos, eram mais protegidos de doenças. Sua limpeza semanal desinfectava seus corpos. Mas o público na época ignorou isso e fabricou falsas teorias de que os próprios judeus estavam espalhando a doença para prejudicar o resto do público. Como então, agora, um sentimento inexplicável e irracional está constantemente buscando razões lógicas para culpar e odiar os judeus.

O ódio dos judeus nunca desaparece; só assume diferentes formas e nuances ao longo da história. Os judeus foram considerados responsáveis ​​pela morte de Jesus, mas também por inventar o Cristianismo. Eles foram rotulados de belicistas, assim como covardes. Os comunistas os acusaram de criar o capitalismo, os capitalistas os acusaram de criar o comunismo. Eles eram odiados por serem arrogantes, mas também tratados como uma raça inferior. Eles são culpados por serem racistas que se isolam da sociedade e, por outro lado, são considerados cosmopolitas desenraizados que pressionam por uma agenda globalista.

As justificativas mudam, mas a mesma emoção permanece. Como o Cabalista Baal HaSulam escreve: “O fato é que Israel é odiado por todas as nações, seja por religião, raça, capitalismo, comunismo, cosmopolitismo, etc. O ódio precede todas as razões, e cada um apenas resolve seu ódio de acordo com sua própria psicologia”.

No coração do mundo, há uma demanda por uma explicação, uma sensação de que os judeus estão segurando alguma chave secreta, alguma cura para todas as doenças e, por alguma razão, não a estão compartilhando.

Além disso, olhando para a história, descobrimos que os judeus contribuíram significativamente para a medicina – como Haffkine, que desenvolveu vacinas contra cólera e fez muito para melhorar as condições de saúde no mundo. Mas isso nunca satisfará as nações do mundo. Elas estão sedentas pelo verdadeiro remédio nas mãos do povo judeu: o poder de unir a humanidade, a luz para todas as nações.

Departamento De Estado E Antissemitismo

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 31/03/19

Dois milhões de dólares é o montante alocado pelo Departamento de Estado dos EUA para dois projetos para combater o crescente antissemitismo na Europa e na Ásia Central.

Esta proposta em si destaca o problema com a abordagem do antissemitismo. A premissa está errada. Estamos tentando combater o antissemitismo em vez de entender as razões para isso. Estamos procurando maneiras de silenciar o ódio, em vez de entender de onde ele emana e, assim, aliviar o problema.

Os incidentes antissemitas são como um mensageiro que carrega uma mensagem: os sentimentos negativos implacáveis ​​em relação ao povo judeu exigem uma explicação profunda e satisfatória. Sem isso, o ódio continuará a borbulhar sob a superfície e explodir na sua cara.

Em vez de “matar o mensageiro”, devemos convidá-lo para uma discussão sobre a fonte do ódio e a solução para ele. Em vez de tentar desfocar o fenômeno, devemos concordar que ele está lá e precisa ser entendido.

A antiga sabedoria da Cabalá, que está sendo revelada atualmente, fornece uma explicação sistemática e abrangente para o fenômeno do antissemitismo. Uma explicação que liga o desenvolvimento da humanidade desde os primórdios da civilização, a natureza humana e a psicologia que a opera, o nascimento do povo judeu e a natureza de sua relação com o resto das nações. Simplesmente conhecer a explicação causará um alívio imediato do antissemitismo, já que “uma doença conhecida é meio curada”.

E aqui está a explicação, em resumo: De acordo com a Cabalá, a humanidade alcançou um ponto de virada único há cerca de 3.800 anos na antiga Mesopotâmia, à medida que a natureza humana evoluiu para um novo nível. Depois de milhares de anos em que os seres humanos tinham uma conexão instintiva entre si e com a natureza, os humanos começaram a desenvolver seu senso de identidade. Na Cabalá, isso é referido como “a evolução do ego humano”.

Como resultado do crescimento do ego, os seres humanos tornaram-se mais individualistas e egocêntricos, a sociedade tornou-se mais complexa e a existência humana exigiu a formação de conexões mais profundas e mais fortes entre as pessoas.

Abraão, que é conhecido até hoje como o ancestral comum das três principais religiões, descobriu a dinâmica da evolução humana: a natureza aumenta continuamente o ego humano, permitindo assim que os humanos formem uma conexão mais consciente, acima do ego crescente. É assim que a natureza avança a espécie humana para se tornar uma forma de vida mais consciente, inteligente e avançada. Em outras palavras, a natureza aumenta o ego – e os seres humanos são levados a aumentar sua conexão.

Abraão reuniu em torno dele representantes dos vários grupos e clãs que viviam na antiga Babilônia, e os construiu em um grupo capaz de melhorar a conexão humana com o ego crescente. O grupo abandona o reino babilônico, cresce até a escala de uma nação e adquire o nome de “Am Yisrael“. A partir desse ponto, o povo judeu e as outras nações se separam e continuam a evoluir em dois eixos paralelos.

Por cerca de 1.500 anos, o povo judeu viveu de acordo com os princípios abraâmicos, até que o egoísmo humano cresceu para um novo nível na humanidade como um todo. Nesse estágio, o povo judeu perde o vínculo especial que os une e começa a se dispersar e vagar pelo mundo. Em outras palavras, os judeus perdem contato com o sistema de conexão que os acompanha desde que foram fundados como povo.

Nos últimos dois milênios, a humanidade evoluiu através de várias formas de regimes sociais, negócios e comércio, ciência, educação e cultura, ao mesmo tempo em que se tornaram interdependentes em todo o mundo. E no século passado, o ego humano atingiu seu pico final e agora está levando a sociedade humana a uma crise global sem precedentes: a unidade familiar está se desintegrando, o púbico perde a confiança em todas as formas de governo, a desigualdade econômica atinge novos níveis o desemprego está próximo, as ameaças nucleares e climáticas estão aumentando, as taxas de dependência de drogas e depressão estão aumentando, e a lista continua.

Todos os itens acima estão levando a humanidade a se reorganizar ao redor do planeta, o que de fato requer um novo nível de conexão humana. E a maneira de fazer isso é a mesma que aconteceu na antiga Babilônia. O método para aumentar a conexão humana está dentro do povo judeu que está espalhado por todo o mundo, e é por isso que os judeus evocam um sentimento único e negativo ao longo de milhares de anos de sua existência.

Tanto os judeus como os antissemitas não reconhecem a dinâmica natural que os ativa. É por isso que essa explicação é tão vital. Somente a compreensão e a consciência dessas fundações naturais podem servir de base para resolver o problema do antissemitismo. Tão logo a explicação permeie o discurso público, as chamas antissemitas diminuirão.

Os dois milhões de dólares do Departamento de Estado dos EUA seriam úteis se fossem usados ​​para disseminar a explicação para a causa raiz do antissemitismo, tanto para judeus como para não-judeus.

Cabalá É O Código-Fonte Aberto Para Reiniciar A Sociedade

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 28/03/19

Os animais nunca cometem erros, porque a natureza os opera perfeitamente. No entanto, as pessoas erram o tempo todo.

No século XXI, chegamos a um estado absurdo onde nossa existência neste planeta pode chegar ao fim com o apertar de um botão. E mesmo no nível individual, muitos vivem como escravos modernos, gastando horas no final trabalhando, viajando e estando ocupados e tensos o tempo todo. É natural que as prescrições de antidepressivos estejam aumentando rapidamente.

Ao contrário da sociedade humana, onde o caos parece prevalecer, quanto mais mergulhamos na natureza, mais revelamos uma sabedoria maravilhosa. Todos os elementos e todos os seres parecem estar harmoniosamente conectados uns aos outros. Nada existe isoladamente. Toda forma de vida contribui para o resto do sistema.

Então, por que a natureza parece falhar quando se trata de nós, humanos? Somos algum tipo de bug no sistema operacional da natureza?

A resposta é não. Em vez disso, a Cabalá explica que nos falta a capacidade de ver o quadro maior. Todos os nossos problemas, nossos desafios e nossos sofrimentos são continuamente orquestrados para nos desenvolver como seres humanos. O caos que vemos à nossa volta é projetado para finalmente perguntarmos: o que está acontecendo? Para onde estamos indo? Qual é o nosso objetivo aqui?

Para obter respostas, no entanto, teremos que subir para um nível mais elevado de experiência humana, para o próximo nível da evolução humana.

Veja o que conseguimos até agora. Desenvolvemos uma rede virtual sofisticada que nos conecta em todo o mundo, através de nossos computadores e smartphones. Tudo está conectado na aldeia global de hoje, exceto nossos corações. Ainda precisamos construir o próximo nível de conexão humana. A humanidade está pronta para uma atualização do sistema.

Nosso tempo demonstra um choque crescente entre a natureza conectada do mundo e a natureza autocentrada do homem. Simplificando, somos equivocados por nossos egos individuais, nos incentivando a explorar uns aos outros e a tudo o mais para obter ganhos pessoais.

É como se a humanidade estivesse presa a um sistema operacional antigo. Nossa sociedade egoísta recompensa a exploração mútua, encorajando todos a estarem lá fora por si mesmos, sozinhos contra o mundo. Ironicamente, nossos sofisticados meios de comunicação apenas destacam como nos tornamos emocionalmente separados uns dos outros.

Assim, como podemos atualizar nossa consciência para se adequar ao sistema operacional da natureza? Para ter sucesso, precisamos de um guia de atualização, escrito por desenvolvedores de alto nível, bem versado no código da natureza. É precisamente isso que a sabedoria autêntica da Cabalá provê.

Por milênios, a Cabalá foi praticada por um pequeno grupo. No entanto, ela pretendia revelar-se a todos num momento em que a necessidade de melhorar a natureza humana se apresentasse. E essa hora é agora.

Uma vez que passamos pela atualização, todo um novo nível de vida nos aguarda, onde cada um de nós está inerentemente conectado a toda a humanidade; onde todos querem beneficiar todos os outros; onde descobrimos o verdadeiro significado por trás do conceito de “amar ao próximo como a ti mesmo”.

Amar ao próximo como a si mesmo não se refere à ética, a maneirismos ou até atos de bondade. Estes são apenas efeitos colaterais potenciais. “Amar ao próximo” significa a expansão da emoção e percepção humana que nos coloca em contato com a força amorosa da própria natureza. A força subjacente que orienta o sistema operacional da natureza. Essa revelação nos enche de prazeres divinos de um nível mais elevado de consciência, e descobrimos que tudo foi projetado para nós desde o princípio.

Faça um curso gratuito para aprender o código por si mesmo >>>>>>>>>>>>>>>

Massacre Na Nova Zelândia

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 3/18/19

Menos de 48 horas depois de termos ouvido falar do terrível massacre na remota e pacífica Nova Zelândia, fomos atingidos por outro ataque terrorista perto de um assentamento israelense.

Na Nova Zelândia, a solidariedade está aumentando, e promessas estão sendo feitas para mudar as leis de armas. Em Israel, a demanda por desenraizar a infraestrutura terrorista está ressurgindo, e alguns estão explorando o ataque para servir às agendas políticas.

No entanto, nenhum líder, seja em Israel ou na Nova Zelândia, está apontando para a causa principal que continua gerando ataques terroristas. Nenhum discurso público nas mídias sociais toca no mais profundo culpado: o crescente ego humano, que devemos conter.

Até que voltemos nossa atenção para nossa crescente natureza egoísta, ela continuará gerando conflitos e nos levando a uma realidade extremamente sangrenta. Em última análise, o ego humano nos levará à violência entre setores, partidos e países inteiros.

Em nosso tempo, uma Terceira Guerra Mundial poderia ser inflamada da noite para o dia. Nosso mundo está cada vez mais conectado por meio de uma teia complexa de interdependência que não pode ser desvendada. À medida que a sociedade humana se torna mais globalmente integrada, unindo países, economias e culturas, começamos a descobrir a reciprocidade entre todas as partes e aspectos da humanidade como uma lei inescapável da natureza.

Enquanto o nosso ego crescer e escapar do nosso foco como problema central, continuaremos a ver o sofrimento. Enquanto houver um profundo abismo entre a visão estreita e egoísta dos seres humanos e a lei da reciprocidade global que os governa, continuaremos a nos sentir instáveis.

Enquanto não restringirmos o ego humano – em Israel, na Nova Zelândia e em qualquer outro país – a sociedade humana ficará cada vez mais desequilibrada. Em última análise, o sofrimento nos obrigará a prestar atenção à lei da reciprocidade que nos governa. Não é uma punição, é uma resposta natural que decorre das leis da natureza.

A cada dia, o mundo inevitavelmente perceberá que conectar os seres humanos acima do ego separador é a única solução e o único caminho a seguir.

Mas tem mais. Inconscientemente, uma demanda inexplicável está se formando na humanidade em direção àqueles que detêm a chave do sistema para unir a humanidade: o povo judeu.

Os sábios escreveram que “nenhuma calamidade vem ao mundo, exceto a Israel” (Yevamot 58). O Cabalista Rav Kook escreveu que “qualquer barulho global acontece principalmente para Israel” (“Cartas do Rav Kook”). E o Livro do Zohar escreve em preto e branco: “a pobreza e a espada, o roubo e a matança, e a destruição em todo o mundo dependem dos judeus” (Tikkun 30).

Hoje, tanto o povo judeu quanto as nações do mundo estão completamente inconscientes da dinâmica entre eles. Portanto, para ser realista, a primeira etapa é apenas conscientizar sobre a necessidade de seguir a lei da reciprocidade global. Isso significa conhecer as fundações do mundo conforme elas são esclarecidas na Cabalá: a estrutura do sistema global da natureza, o poder do egoísmo que governa sobre nós e nos desequilibra, e o verdadeiro significado do ideal que devemos buscar: amar o próximo como a si mesmo.

Sempre Com Você – Meu Professor O Rabash E Eu

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 15/3/19

Meu professor, Rav Baruch Shalom HaLevi Ashlag (O Rabash), foi único em sua geração; um Cabalista oculto cujo único objetivo era educar uma nova geração de Cabalistas, desenvolvendo um método espiritual que servisse a cada pessoa em nossa geração. Eu o segui aonde quer que ele fosse e o auxiliei de todas as formas possíveis.

Após sua morte em 1991, eu continuei o caminho único do meu professor. Eu estabeleci um grupo de Cabalistas e dei-lhe o nome – “Bnei Baruch” (os filhos do Baruch). Ao longo dos anos, o Bnei Baruch tornou-se um movimento internacional composto por centenas de milhares de estudantes em Israel e em todo o mundo, que estudam as autênticas fontes da Cabalá e a compartilham com o mundo.

Ao implementar o método do Rabash, podemos descobrir a realidade completa e eterna que foi revelada aos Cabalistas de todas as gerações.

Dê uma olhada nas fotos que estou publicando pela primeira vez, desde meus primeiros dias de estudo da sabedoria da Cabalá.

photo album>>>>>>>>

Antissemitismo Dentro Do Islã Radical Na América Em Suas Próprias Palavras

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 12/09/19

A onda de incitação contra os judeus se mudou da Europa para centros islâmicos nos EUA, de acordo com uma pesquisa especial conduzida pelo jornalista investigativo Zvi Yehezkeli para o canal 13 de Israel.

O antissemitismo alimentado pelo islamismo radical está vivo e ativo na América. Nas ruas, eles falam inglês e soam bem-vindos a todos. Nas mesquitas, eles criptografam sua agenda antissemita em árabe.

Mesmo quando isso está acontecendo tão perto deles, ainda é muito difícil para os judeus americanos perceberem que sua vida calma e pacífica está sendo ameaçada, e as coisas só vão piorar. É especialmente difícil para a geração mais jovem de judeus americanos entender.

Não há dúvida de que muitos movimentos serão decididos após a eleição do próximo presidente dos EUA. No entanto, também é um erro pensar que o Estado de Israel será o seu lugar de refúgio, pois ninguém pode nos prometer que a situação será melhor para Israel.

Se nós, judeus, não reavivarmos o mesmo tipo de conexão que estabeleceu nossa nacionalidade, e esteve adormecido por cerca de dois mil anos, o antissemitismo nunca cessará.

Saiba mais >>>>>>>>>>  (em inglês)

Propaganda Antissemita

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 3/11/19

Quando olho para o ressurgimento da propaganda antissemita, vejo uma demanda desesperada de pessoas para se libertarem do sentimento de dependência dos judeus.

Tanto os judeus como os não-judeus acabarão por perceber que a libertação do ódio depende da transcendência de toda a humanidade acima do egoísmo que divide.

A unidade humana é a única solução para todos os males do mundo. A sabedoria da Cabalá explica a intrincada dinâmica da rede humana, a raiz do antissemitismo e os meios para alcançar a unidade.

Leia mais >>>>>>>>

Bari Weiss Sobre O Antissemitismo

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 3/5/19

O editor do New York Times , Bari Weiss, está escrevendo um novo livro sobre formas de combater o crescente antissemitismo no mundo, renovando os valores judaicos. De acordo com a sabedoria da Cabalá, o antissemitismo só pode ser erradicado ao se colocar em ação os judeus. Quando os judeus em Israel e em todo o mundo se unirem como um só, eles serão “uma luz para as nações” – um modelo de unidade para todos os povos. Isso ajudará as nações do mundo a se unirem e alcançarem o propósito da criação.

Sua entrevista na The View  >>>>>>>>>  

Descubra porque as pessoas odeiam os judeus >>>>>>>>>

Sociedade Solidária

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 01/03/19

Um dia, trinta anos atrás, quando eu morava em Bnei Brak, eu estava andando pela rua com minha esposa. No caminho, vimos uma menininha sozinha, impotente diante de um semáforo.

De repente, minha esposa me deixou, pegou a garota pela mão e ajudou-a a atravessar a rua. Quando ela voltou, perguntei surpreso: “Você a conhece?”. “Não”, ela respondeu, “mas gostaria que outras pessoas tratassem minhas filhas da mesma maneira”.

Este exemplo ficou gravado em minha memória desde então. O entendimento básico de que, se começarmos a nos tratar bem, todos nós simplesmente ganharemos.

Portanto, por que isso não acontece? O ego estreito de todos nós não nos permite dar um passo em direção ao outro. Eu não posso sorrir para o meu vizinho; não posso ser paciente com o motorista ao meu lado na estrada, não posso cuidar de outra criança como se fosse minha.

No entanto, apesar do ego, podemos forjar um ambiente com valores diferentes. Podemos chegar a um consenso social de que devemos nos tratar bem, porque essa é a única maneira de coexistir e criar nossos filhos em um ambiente mais agradável e seguro.

Então, nos sentiremos muito mais relaxados quando nossos filhos saírem, as estradas ficarem mais pacíficas e deixaremos de sentir que nossas vidas são como um campo de batalha.

É possível e depende de nós. Vamos criar uma atmosfera mais calorosa entre nós. Afinal, não somos animais, somos seres humanos.