“Conforme Os Desejos Mudam, Nossos Cérebros Também Mudam” (Linkedin)

Meu Novo Artigo No Linkedin: “Conforme Os Desejos Mudam, Nossos Cérebros Também Mudam

O corpo humano não é fundamentalmente diferente do de outros mamíferos, e certamente não do de outros macacos. Ainda assim, os hominídeos, o tipo de macaco que evoluiu para o homo sapiens, continuaram evoluindo até o ponto em que saltamos da cadeia alimentar e ganhamos não apenas o domínio absoluto sobre todos os seres vivos, mas também sobre todo o planeta. O que havia de diferente nos hominídeos que lhes dava proeminência? A natureza inseriu neles desejos em evolução. Esses desejos são a causa do desenvolvimento perpétuo do homem.

Uma vez que os desejos em outras espécies animais dificilmente mudam ao longo das eras, outras espécies evoluem muito lentamente. Basicamente, assim que o estômago do animal está cheio, ele busca descanso. Durante a temporada de acasalamento, ele busca um parceiro e, após o acasalamento, retorna aos dois desejos básicos de comida e descanso. As mulheres (e às vezes os homens também) têm um desejo adicional de atender aos dois desejos básicos de seus filhos, assim como aos seus próprios.

Um ditado do Talmude resume a ideia: “Um bezerro de um dia é chamado de boi” (Baba Kama 65b). Uma vez que um bezerro de um dia deseja exatamente o que um touro adulto deseja, alimentar e descansar, não há diferença fundamental entre eles.

Mas com um bebê humano e um adulto crescido, eles estão em mundos separados, completamente incomparáveis. Para acomodar os desejos mutáveis ​​de um ser humano em crescimento, o cérebro deve se adaptar constantemente às novas demandas. É por isso que dizemos que a necessidade (desejo) é a mãe da invenção.

Mas a humanidade está em uma encruzilhada. Nossos desejos em evolução cresceram a um ponto em que queremos devorar o mundo inteiro. Como resultado, desenvolvemos tecnologias e instrumentos para conquistá-lo. Mas à medida que os implementamos, estamos destruindo nossa casa. Devemos assumir o controle sobre a evolução de nossos próprios desejos antes que eles nos consumam.

Já sabemos que o planeta Terra é um sistema único. A próxima fase na evolução de nossos desejos é, portanto, aprender a tirar proveito disso, em vez de querer subjugá-lo e destruí-lo.

Saberemos como nos beneficiar dele apenas quando pudermos simpatizar com ele a ponto de nos tornarmos parte dele. Quando nos tornamos parte de algo em vez de controlá-lo, não renunciamos ao poder porque esse algo agora faz parte de nós. Começamos a senti-lo dentro de nós assim como nos sentimos. Não restringimos nosso controle; expandimos nossa percepção para incluir o mundo inteiro.

Quando alcançarmos esse estado, saberemos como administrar o mundo e a nós mesmos perfeitamente. Estaremos no controle total e todos se beneficiarão de nosso conhecimento.

Não podemos parar a evolução dos desejos, mas se soubermos sua direção, podemos acelerar seu ritmo e chegar ao nosso destino de forma rápida e agradável.

Comente