“O Feriado De Purim: O Surgimento De Um Mundo Renovado” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “O Feriado De Purim: O Surgimento De Um Mundo Renovado

Cada novo estado nasce apenas sob a condição de que o estado anterior se esgote completamente. O feriado de Purim simboliza o ponto de inflexão em que o mundo está imerso agora como resultado da pandemia. Portanto, a celebração deste ano é particularmente significativa, não apenas para o povo judeu, mas para toda a humanidade.

Os eventos descritos na história de Purim são dicas das correções que o mundo precisa passar. O surto global do vírus marcou uma profunda transformação em todos os níveis de nossas vidas; torna evidente o quão interdependentes somos e a necessidade urgente de mudar nossas atitudes egoístas e um comportamento mais atencioso para com os outros, ou seja, uma mudança de nossa abordagem egoísta para uma perspectiva mais altruísta. Isso nos ajudará a fechar as lacunas entre nós e desencadeará um campo comum positivo, uma realidade unificada e integral. E para atingir esse objetivo, o povo de Israel pode desempenhar um papel fundamental.

Hamã representa a mentalidade divisiva de hoje que precisamos enfrentar, a divisão social causada pelo desejo de buscar dinheiro, honra, controle ou poder, apesar de tudo e de todos. Isso nos isola uns dos outros, nos separa e nos prejudica. A tumultuada atmosfera social de hoje é um chamado para buscarmos nossa voz comum como humanidade que compartilha valores e objetivos comuns. Se usarmos esse chamado para nos conectar, podemos criar uma sociedade muito mais pacífica e amigável para todos nós.

A leitura tradicional do Megilat Ester (Pergaminho de Ester) durante esta celebração descreve uma época na antiga Pérsia em que os judeus se encontravam sob ameaça existencial. O líder que inspirou essas perseguições foi o assistente pessoal do rei Assuero, Hamã.

Hamã sabia que os judeus se encontravam em estado de divisão e que essa fraqueza o capacitaria a erradicá-los, como está escrito “Há certo povo espalhado e disperso entre os povos” (Ester 3:8). Hamã disse que, em sua opinião, os judeus poderiam ser destruídos porque foram separados uns dos outros.

No entanto, Mardoqueu, o herói do conto de Purim, trabalhou para diminuir a divisão dos judeus, que acabou salvando suas vidas. “Os judeus se reuniram para defender sua vida” (Ester 8:11). No momento em que começaram a se aproximar, uma grande força apareceu entre eles. Eles começaram a sentir seu objetivo superior; eles se tornaram confiantes, tinham poder e conseguiram destruir seus inimigos e se livrar de todos os seus problemas.

Hamã representa a mentalidade divisiva de hoje que precisamos enfrentar, a divisão social causada pelo desejo de buscar dinheiro, honra, controle ou poder, apesar de tudo e de todos. Isso nos isola uns dos outros, nos separa e nos prejudica. A tumultuada atmosfera social de hoje é um chamado para buscarmos nossa voz comum como humanidade que compartilha valores e objetivos comuns. Se usarmos esse chamado para nos conectar, podemos criar uma sociedade muito mais pacífica e amigável para todos nós.

Sempre que o povo judeu estava em risco de ruína, a unidade provou ser o único meio possível de ser salvo. Podemos usar o exemplo da história de Purim como um lembrete eterno de que nossa coesão pode nos libertar das piores situações e que, ao nos unirmos, daremos um exemplo construtivo e positivo para o resto da humanidade.

A nação judaica tem um compromisso inato de estabelecer o padrão para escolher a unidade em vez da separação, mas este chamado é para que a humanidade como um todo dê os mesmos passos em direção à unificação antes de entrar em maior turbulência e crises. Nosso bom destino depende de nós, da escolha que fazemos.

Feliz Purim para todos!

Comente