Textos arquivados em ''

“Shana Tovah Depende De Nós” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Shana Tovah Depende De Nós

Nós estamos no limiar de uma revolução completa – uma mudança substancial em nossa atitude em relação a nós mesmos, à sociedade, à humanidade e a toda a natureza. Rosh Hashanah, que em hebraico significa a “cabeça” ou “início” do “ano”, chega em um momento especial, como nunca antes, no meio de uma pandemia global. Estamos cientes do impacto de longo alcance do vírus, mas precisamos nos perguntar para que propósito ele chegou? A resposta a esta pergunta é a chave para um bom ano novo, um Shana Tovah 5781.

A era do coronavírus está remodelando nossas vidas, literalmente à força. Está nos levando a um mundo mais elevado e avançado, no qual todas as partes estão ligadas. O fato de que o mundo parece exatamente o oposto agora – cheio de jogos de ego, violência, corrupção, lutas e tumultos – faz parte do processo de desenvolvimento.

O coronavírus está nos mostrando como nosso comportamento individualista e egoísta está nos levando à destruição e à dor. Olhando-nos bem nos olhos no espelho, com total honestidade, desejaremos reformar e corrigir nossa natureza em uma que deseja apenas cooperação e unidade mútuas.

Os crescentes desafios e apuros que vivemos despertam a introspecção mundial para perceber que o caminho atual que a humanidade trilha não está nos levando a um bom lugar. Este reconhecimento por si só já é um passo muito importante em nosso desenvolvimento. O coronavírus revelou-se uma força que está despertando a humanidade para empreender uma revisão completa de seu estado.

Nosso entendimento atual do que está acontecendo se resume à consciência de que estamos sendo espancados por este vírus. Mas nosso discernimento não vai mais fundo do que isso. Não temos ideia para onde os golpes estão nos direcionando, de onde eles vêm e, mais importante, com que propósito. Estamos tão desamparados e desorientados como um bebê recém-nascido que sente dor e não para de chorar, sem entender o motivo da situação.

Assim, nosso desafio mais importante é descobrir a razão do coronavírus, não no sentido biológico, mas no sentido essencial, desde sua própria origem. Distanciamento social, máscaras, prevenção de multidões, uma corrida global por uma vacina, tratamentos experimentais – todas são medidas que buscam aliviar o problema da Covid-19. No entanto, nenhuma será capaz de constituir uma solução abrangente para o fenômeno do coronavírus.

A natureza, como um pai amoroso, sempre trabalha para o bem de toda a criação em conjunto. Os golpes, pressões e angústias, por mais dolorosos que sejam a cada indivíduo, não vêm para nos prejudicar, mas para nos levar ao equilíbrio com a natureza e, com isso, a uma vida melhor. Seu objetivo é aguçar nossa consciência de nossas prioridades na vida, do que realmente importa: nossas relações harmoniosas entre nós e com a natureza.

A pandemia visa ensinar-nos como abordar o meio circundante de forma adequada, de forma integrada e complementar, com o desejo de fazer o bem aos outros e ao ambiente. A natureza é global, integral e unificada. Assim, a tendência do desenvolvimento evolutivo é fazer com que nos identifiquemos com essas mesmas qualidades, apesar de termos sido criados diferentes e distantes uns dos outros.

A era do coronavírus está remodelando nossas vidas, literalmente à força. Está nos levando a um mundo mais elevado e avançado, no qual todas as partes estão ligadas. O fato de que o mundo parece exatamente o oposto agora – cheio de jogos de ego, violência, corrupção, lutas e tumultos – faz parte do processo de desenvolvimento. Se no início da pandemia ainda víamos manifestações de solidariedade e ajuda mútua, hoje a paciência de todos se esgotou.

Além disso, a ilusão de que nos tratamos bem foi destruída e ficou claro que é da natureza humana cuidar apenas de si mesmo.

O desamparo que estamos sentindo nos levará a buscar a orientação de nossos sábios que, ao longo de milhares de anos, criaram um método unificador para este tempo especial para conduzir a humanidade a um novo horizonte. Este método atemporal desenvolve na pessoa a visão e o sentimento de que estamos todos dentro de um sistema. Uma vez que essa noção é firmemente instilada em nós, torna-se natural tratar os outros como gostaríamos de ser tratados até nos tornarmos “como um homem com um só coração”.

E quando finalmente estivermos harmoniosamente conectados, sentiremos como o único poder da natureza que governa tudo na realidade só nos faz bem.

Então, o que devemos desejar para o ano novo? Primeiro, reconhecer nossa natureza humana egoísta como uma força autodestrutiva que nos separa. Em segundo lugar, que desejaremos mudar de direção e nos conectar para o bem de todos. Com isso, vamos ativar a força da natureza que irradia um mundo saudável e pacífico. Nossa intenção e vontade de construir uma conexão profunda entre nossos corações curará o coronavírus em sua raiz e garantirá que o próximo ano seja o mais doce que já experimentamos, um verdadeiro Shana Tovah.

A Chave Para A Fechadura

117Normalmente, não nos comunicamos por meio de propriedades semelhantes, mas precisamente onde somos opostos uns aos outros. É assim que as peças de um quebra-cabeça são conectadas: há um entalhe em uma, há exatamente a mesma saliência na outra, e cada uma vai para dentro da outra anexando o menos ao mais e o mais ao menos. Somente dessa forma a conexão é possível.

Portanto, onde eu vejo um menos em um amigo, eu vou lá com o meu mais. E onde eu vejo um mais em um amigo, eu deveria ver meu menos. Acontece que é bom para nós que o Criador desperte qualidades opostas em nós. Você não precisa mudá-las; você só precisa pedir a todos que as conectem. É a única coisa que falta e você não precisa mudar ninguém.

Deixe que todos os mais e menos se juntem como uma chave em uma fechadura. Isso se tornará uma força vital para nós. Seremos capazes de entender o que é conexão, o que são um elétron, um próton, um nêutron e outras partículas.

Existem mais de quatrocentas partículas diferentes em um átomo. Por que existem tantas? Não é apenas mais e menos o suficiente? Não, isso não é suficiente. Deve haver muitas outras partículas ao redor deles com todos os tipos de propriedades para apoiar a combinação de prós e contras e reuni-las em um átomo.

A partir disso, entenderemos o que ainda falta aos físicos para entender como funciona a matéria.

Nós nos elevamos acima de nossa compreensão e sentimento porque o principal é a conexão, como se diz: “O amor cobrirá todos os crimes”. Um amigo tem um menos, eu tenho um mais, ou vice-versa, ele tem um excedente e eu tenho uma deficiência, seja de que tipo for, o principal é que haja amor, que estejamos unidos em um objetivo comum, que nos esforcemos pelo Criador que reinará entre nós.

Por dentro, há um menos comum contra o outro, mas por fora, o Criador nos cobre com Seu véu, o poder da unidade.

Não devemos agir como crianças que cortam os cantos de um quebra-cabeça com uma tesoura na esperança de que seja mais fácil montá-lo. Ela não será capaz de se conectar assim. E você não pode tentar forçar as peças erradas do quebra-cabeça umas nas outras. Devemos entender que todas as propriedades criadas em nós pelo Criador são cem por cento corretas. Somos totalmente perfeitos. Precisamos apenas descobrir a conexão correta entre nós e pedir ao Criador para fazer isso acontecer.

Descobrimos a deficiência entre nós, ou seja, naquilo que não podemos conectar, nosso menos comum, que é o fato de que ninguém consegue se conectar ao outro. Então pedimos ajuda do Criador que vem e nos preenche com seu poder de doação, complementa Malchut com Bina, e então tudo dá certo.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/09/20, “A Lei do Arvut (Garantia Mútua)”

“Ursinho De Pelúcia Há Tanto Tempo – Hora De Crescer Se Quisermos A Covid Fora” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Ursinho De Pelúcia Há Tanto Tempo – Hora De Crescer Se Quisermos A Covid Fora

Como eu disse desde o início do surto, o coronavírus não é outro vírus e a Covid-19 não é outra pandemia. É uma virada de jogo, um transformador que vai virar nossas vidas de cabeça para baixo e do avesso. Quando terminar, seremos pessoas diferentes e, até que isso ocorra, não vai embora.

Qualquer que seja o quadro que os governos e a mídia estejam pintando, a verdade é que estamos no meio de um colapso econômico, social e político. A própria base do nosso modo de vida, onde somos forçados a competir uns com os outros por recursos e fundos, e por status social e respeito, onde não podemos confiar em ninguém porque o sucesso de um significa necessariamente o fracasso de outro, essa base de nossas vidas anteriores estão finalmente se dissolvendo.

Quando transformarmos nossa abordagem de egoísta em altruísta, iremos colaborar ainda melhor e todos realmente se beneficiarão de nossos produtos comuns. Haverá abundância para todos.

Assim como a neve derretida cria muita lama, mas por baixo dela a grama está crescendo e os botões estão brotando da terra congelada, nossas vidas estão mudando sua fachada congelada anterior, e uma nova fachada, vibrante e alegre, está brotando. Mas até que brote, vamos ter que caminhar um pouco na lama.

Enquanto isso, há várias coisas que podemos fazer para acelerar o surgimento de nossa vida nova e melhor.

1. Temos nos agarrado às nossas velhas vidas como se fôssemos adolescentes agarrados a um ursinho de pelúcia surrado e surrado que amamos desde a infância. Não podemos ver que a Mãe Natureza está nos oferecendo uma infinidade de jogos novos e emocionantes para jogar, adequados para nossa idade e compreensão. Estamos tão presos ao passado que não podemos nos livrar dele e agarrar a riqueza que o futuro está nos oferecendo.

No entanto, isso vai acontecer mesmo assim. Teremos que desistir de nosso antigo modo de vida, já que estamos mudando, quer gostemos ou não. Mesmo que as empresas sejam reabertas sem quaisquer limitações, os compradores não virão como antes e as empresas entrarão em colapso em massa. Se fizermos a transição para a nova era com consciência, seremos capazes de fornecer a todos renda e ocupações. Se não fizermos, ainda o faremos, no final, mas após um desfile de desastres. As catástrofes que estamos vendo agora em toda a América são apenas um prelúdio para uma cacofonia de adversidades contemporâneas colidindo.

2. Precisamos entender que, essencialmente, não estamos passando por uma crise econômica. Ver as coisas dessa maneira é a visão de mundo limitada dos financistas que ganham a vida explorando pessoas e aproveitando oportunidades financeiras. Mas, na verdade, estamos passando por uma transformação social, uma transição de uma atitude egoísta para uma atitude altruísta em relação à vida.

Podemos pensar que viver abnegadamente dá menos abundância material, mas isso é toalmente errado. Quando uma sociedade vive de forma abnegada, todos os seus residentes garantem o bem-estar de cada um dos membros da comunidade. Isso significa que eles nunca terão que se preocupar com comida, abrigo, educação, saúde, energia e atividades após a escola. Em vez de indivíduos cuidando de si mesmos, a comunidade cuida deles. As pessoas, em troca, fazem o mesmo pelos outros, mas suas mentes e corações ficam despreocupados.

Como resultado da transformação da sociedade, todo o nosso conceito de economia mudará. Uma vez que a economia reflete as relações na sociedade, quando os membros da sociedade colaboram, a economia também se torna colaborativa. Além disso, esse processo não se desenvolve de forma obrigatória, mas simplesmente porque é do interesse de todos.

Considere o seguinte: já vivemos em uma sociedade colaborativa. Nada do que produzimos é feito 100% localmente e, sem a colaboração de inúmeros outros fabricantes em vários países, não seríamos capazes de produzir nada. Portanto, o problema não é que não colaboremos, mas que colaboramos contra nossa vontade e tentamos extorquir, manipular e enganar uns aos outros no processo. Quando transformarmos nossa abordagem de egoísta em altruísta, iremos colaborar ainda melhor e todos realmente se beneficiarão de nossos produtos comuns. Haverá abundância para todos.

3. O terceiro e mais importante requisito para acelerar a transição do velho mundo para o novo é o apoio mútuo. Temos que nos ajudar mutuamente a ver para onde estamos indo, que estamos caminhando para uma vida linda. As pessoas não serão capazes de largar seus ursinhos de pelúcia e abraçar a vida nova e fácil até que vejam outros fazerem o mesmo. Portanto, pense sobre isso, fale sobre isso e entusiasme os outros sobre a nova vida que temos pela frente, porque assim que concordarmos com a transição pela qual estamos passando, os brotos vão estourar na neve e uma nova primavera começará.

“Arrepender-Se Dos Pecados Do Ano Passado Não Permite Sua Repetição No Próximo Ano” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Arrepender-Se Dos Pecados Do Ano Passado Não Permite Sua Repetição No Próximo Ano

Nas semanas que antecederam o Yom Kippur (Dia da Expiação), e especialmente no dia mais sagrado do ano, muitos judeus se arrependeram dos pecados do ano passado. Pedimos a Deus que perdoe nossos pecados contra Ele, e principalmente uns contra os outros, e imploramos a Ele para apagar nossa “acusação”. Confessamos nossos pecados perante Ele e, em troca, esperamos que Ele nos perdoe.

Cada ocasião no calendário hebraico simboliza um estágio em nossa transformação de egoísmo em abnegação. Este é o significado de Tikkun – que nos tornamos pessoas boas, que querem fazer o bem entre si e nos esforçamos para amar o próximo como a nós mesmos.

No final do jejum, cantamos com alegria porque nossos pecados foram perdoados e Deus os perdoou. E o que fazemos imediatamente depois? Começamos a preencher a folha do próximo ano. Este é um completo mal-entendido de toda a ideia de Selichot – o pedido de perdão ao Criador.

Cada ocasião no calendário hebraico simboliza um estágio em nossa transformação de egoísmo em abnegação. Este é o significado de Tikkun – que nos tornamos pessoas boas, que querem fazer o bem entre si e nos esforçamos para amar o próximo como a nós mesmos.

Selichot não é uma permissão para pecar no próximo ano; é uma promessa de abster-se de pecar, um pedido a Deus para mudar nossa inclinação ao mal e egoísmo em uma inclinação ao bem e para dar. Se retomarmos nossos maus tratos assim que o Yom Kippur terminar, é como se tentássemos enganar a Deus. Não funciona.

Nós, judeus, temos a obrigação de nos corrigir e ser uma nação modelo, “uma luz para as nações”. É por isso que todos os nossos feriados são sobre a transformação do egoísmo em altruísmo. Enquanto evitarmos isso, seremos párias aos olhos do mundo, uma peste que o mundo deseja limpar e eliminar. Perguntamos por que existe antissemitismo e por que os judeus sofreram nas mãos das nações ao longo das gerações, mas nós mesmos estamos fazendo com que elas nos odeiem por causa de nossa relação abominável com nossos irmãos.

Todo não-judeu, especialmente o antissemita, examina de perto como tratamos uns aos outros. Até Hitler escreveu no Mein Kampf que os judeus se unem apenas quando um “butim comum” os incita a cooperar, mas, por outro lado, eles são maus uns com os outros. Se quisermos a expiação pelos nossos pecados, precisamos olhar para o nosso passado apenas para aprender com ele como nos tratar melhor e pedir a Deus que nos dê forças para cumprir nossa promessa a Ele, mas principalmente uns aos outros.

Guia Para Mesas Redondas, Parte 2

530Uma Mesa Redonda É Um Treinamento Psicológico Sério

Pergunta: A metodologia do círculo consiste em três partes. A primeira parte é educacional. É necessário compreender todo o processo, o objetivo final e os meios. Pode ser uma miniaula, assistir a um filme, ler fontes e, em seguida, discutir o assunto.

A segunda parte é a própria discussão. Ela também está dividida em diferentes partes: jogos, reflexão e workshop.

E a terceira é a prática, ou seja, a aplicação das habilidades adquiridas no círculo, no dia a dia. Portanto, nós devemos implementar em nossas vidas, no trabalho e em nossas famílias a atitude que recebemos da mesa redonda?

Resposta: Uma mesa redonda – ou o conceito de elevar uma pessoa acima de seu egoísmo para se aproximar dos outros, não apenas aprendendo informações ou recebendo impressões de cada um, mas conectando-se entre nós na compreensão do problema e sua solução – é um conjunto completo de ações conjuntas. Não acho que seja apenas uma pequena introdução ao conceito de “mesa redonda”.

As pessoas devem aceitar isso, adquirir habilidades práticas para compreender quando podem se elevar acima de si mesmas ou se dobrar diante dos outros. Para entender que tipo de comunicação deve haver entre eles, eu me curvo diante dos outros, ou estou no mesmo nível deles, ou estou acima deles. Como tudo isso pode ser orientado corretamente, etc.

Eu considero a primeira etapa educacional a mais importante, é muito forte e inclui um grande número de exercícios variados. Este é um treinamento psicológico sério, onde as pessoas entendem onde estão e o que devem fazer.

De KabTV, “Habilidades de Gestão”, 09/07/20

O Que Será De Nós?

555Observação: Nós vemos que o vírus mudou as pessoas. Costumava haver todas essas corridas: onde ir descansar, para onde voar, comprar passagens aéreas com antecedência, o que comprar, como se vestir. Tudo isso ocupava os pensamentos centrais de uma pessoa.

Hoje, uma pessoa tem um futuro incompreensível, ela tem ansiedade, algo nasceu dentro dela que começa a perguntar: “O que será de mim?”

Meu Comentário: Agora, uma pergunta sobre o futuro surge em uma pessoa. Sempre nos pareceu que o futuro estava se movendo ao longo de algum tipo de desenvolvimento de etapas egoístas. Agora, isso não é mais verdade e não será assim no futuro; tudo está acabando. O vírus está devorando esse futuro e, portanto, não sabemos como construí-lo.

Observação:  Sempre houve um desenvolvimento tão linear do egoísmo que amanhã haveria algo, depois de amanhã haveria algo.

Meu Comentário: Haveria ainda mais, será ainda melhor! Vamos voar para as estrelas. “E as macieiras florescerão em Marte”, etc.

Apenas 20 a 30 anos se passaram; olhe o que está sendo feito com a Terra, com o espaço sideral e com tudo! Não há solução em lugar nenhum! Esta é uma terrível decepção de toda a humanidade em si mesma. Esta é uma mudança impressionante.

Mas isso é ótimo! Estamos finalmente começando a remover o véu de nossos olhos. Nosso egoísmo nos cegou: vou construí-lo para você; vou fazer isso por você! Venha, olhe! Vá para o mar, vá para o exterior! Olha quantas garotas lindas! Olha que música está tocando! Veja o que está sendo feito! Que vida! Isso é tudo.

Observação:  Então, quando ouvimos que não haverá vida, isso é o que nosso egoísmo nos diz. Pelo contrário, haverá vida, mas nosso egoísmo diz: não haverá vida.

Meu Comentário: Sim. Portanto, nós o acolhemos. O egoísmo nos move para frente.

Pergunta: Apesar do fato de que agora ele está pintando uma escuridão completa para nós. Você chama isso de avanço?

Resposta: Ele pinta isso corretamente para nós porque por dentro nós nos sentiremos assim.

Pergunta: Então, se estamos seguindo o caminho egoísta que temos seguido até agora, existe um abismo à frente?

Resposta: Sim, mas na natureza, afinal, isso é feito com antecedência para que tudo acabe bem de qualquer maneira. Não pode ser em nossa vida, em nosso mundo, nesta natureza de tal forma que tudo é tão estúpido com um beco sem saída além do qual não há nada. Ele renasce, assim como todos os estágios e tempos da natureza renascem.

O futuro degrau determina a escuridão porque não é escuridão. O que parece escuridão à nossa frente já é um futuro degrau que sentimos como escuridão hoje porque ainda não estamos determinados a ver este degrau.

Quando dermos uma boa olhada na escuridão, de repente veremos: isso não é escuridão, não são nem mesmo silhuetas, nem mesmo alguns estados semi-escuros. Na verdade, é uma luz enorme! Este é um novo mundo.

Pergunta: O degrau mais alto foi rebaixado até nós agora? Para nós, ele agora parece uma escuridão absoluta. Queremos viver como vivemos, mas não podemos mais viver como vivíamos. O que deve ser feito agora? Agarrar-se a ele?

Resposta: Devemos aceitá-lo como é e tentar nos adaptar a ele; o que está nele é o melhor. Dessa forma, vamos nos reeducar.

Pergunta: Qual é a próxima etapa?

Resposta: É um novo mundo no qual uma pessoa existirá nas forças do bem, conexão, doação e amor. Ele está se aproximando e, portanto, parece-nos escuridão. Mas tudo ficará bem. O vírus vai nos ajudar.

Pergunta: Esse empurrão por trás nos leva exatamente a este estágio? Ele definitivamente leva a este estágio?

Resposta: Sim. Na verdade, os vírus definem toda a nossa vida. Somos todos apenas vírus. Podemos dizer que somos feitos deles. Até os cientistas dizem isso. Portanto, devemos ver as mudanças corretas em nossa natureza nisso.

Pergunta: Se eu agora me direcionar mesmo um pouquinho até este degraus com bons pensamentos, tentarei estar neles?

Resposta: Então você se adaptará a ele de forma rápida e fácil e não sentirá que existe algum tipo de transição abrupta até a próxima etapa.

Pergunta: Então, o mundo futuro é bom e brilhante?

Resposta: Ele já está chegando; já está aqui. Vamos pegá-lo! Não vamos fazer nenhuma virologia. Todos nós trabalharemos juntos para nos adaptarmos uns aos outros. De repente, esse vírus estará entre nós como um elo. Começaremos a nos sentir mais perto de nossos corações. Tudo vai passar.

De KabTV, “Notícias com Michael Laitman”, 22/06/20

Transforme A Vida Em Um Jogo

275Pergunta: Nossa vida inteira é baseada em um jogo. O sociólogo russo Vladimir Ilyin escreveu: “O jogo é uma vida diferente, agindo como um oásis feito pelo homem dentro do caos da vida real”.

Se o jogo é a nossa vida inteira, como uma pessoa pode distinguir o que é a vida real e o que é um jogo?

Resposta: Não há necessidade de distinguir, você precisa transformar a vida em um jogo. Isso vai ser bom.

Pergunta: Como você pode não permanecer uma criança pequena?

Resposta: Deixe-me ser uma criança. Eu deveria me sentir como uma criança. O que significa que sou grande? Em que sou tão grande? Em lugar nenhum e em nada.

Pelo contrário, deixe-me sentir que sou pequeno em comparação com todo o universo, com todo o enorme cosmos, e há coisas para eu compreender, receber e ser preenchido para viver de olhos e boca aberta .

Pergunta: A primeira função do jogo é compensar a energia não utilizada na luta pela sobrevivência. A pessoa acumula energia, muitas vezes negativa, que deve de alguma forma jogar fora, perceber.

Como uma pessoa pode perceber essa energia negativa hoje, para que esta não leve a resultados fatais? Como uma pessoa pode usar a energia negativa que se acumula nela para causas construtivas?

Resposta: Você deve mostrar a uma pessoa o significado, que esse significado está diretamente conectado a ela e qual pode ser a recompensa por perceber esse significado.

Pergunta: O jogo garante a preservação das qualidades dadas pela natureza, mas não são exigidas na vida real de um indivíduo. Como uma pessoa pode revelar e reconhecer as qualidades ocultas, as oportunidades ocultas, que a natureza implantou nela?

Resposta: Apenas em um grupo. Em um determinado grupo de pessoas, quando todas estão empenhadas em descobrir suas oportunidades potenciais internas e não utilizadas, a fim de se elevar acima de si mesmas. Acima de si mesmas é apenas na sociedade.

Portanto, precisamos nos reunir em um grupo onde todos desejam se elevar acima de si mesmos para alcançar tal conexão entre si, quando se elevarão juntos em algo comum. Digamos que dez indivíduos se juntem e se tornem um. Este “um” consistirá em todos eles, mas juntos eles sentirão essa mudança qualitativa em si mesmos que todos se tornaram dez vezes mais inteligentes, dez vezes mais fortes, dez vezes mais perspicazes, e assim por diante.

Pergunta: Em um mundo imperfeito com uma vida agitada, o jogo cria uma perfeição temporária e limitada. É sempre uma espécie de ciclo curto. O jogo pode ser transformado em um jogo infinito para que não termine?

Resposta: Sim, isso é o que um jogo é. Um jogo real é aquele que pode ser transformado em um jogo sem fim, uma atividade sem fim. No entanto, apenas se houver muitos de nós.

Você não pode jogar o jogo sozinho. Quando somos muitos, criamos combinações completamente diferentes através do jogo, como em um caleidoscópio. Você já olhou através de um caleidoscópio? Quando você o vira, os pedaços de vidro quebrado dentro dele se movem para algum tipo de estrutura. Nós também.

Quando fazemos um caleidoscópio de nós mesmos dessa maneira, obtemos essas imagens! Começamos a nos descobrir como conjuntos, compatíveis de tal forma que no final recebemos um único todo, nos tornamos Adam (Homem), ou seja, um elemento combinado.

Pergunta: O que é um jogo real em que todos ganham?

Resposta: É quando uma pessoa revela o verdadeiro universo e começa a jogá-lo de verdade. Com seriedade!

Pergunta: O que significa jogar com seriedade?

Resposta: É quando a pessoa joga acima da vida e da morte, não pela vida e nem pela morte, mas acima delas para se conectar com os outros e construir a perfeição junto com eles. Só a perfeição pode preencher uma pessoa de significado.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 12/07/20

O Que Tornará As Pessoas Mais Amáveis?

546.01Pergunta: Algumas redes sociais ajudam as pessoas a se tornarem mais gentis. Neste tempo tenso, em que a pandemia se alastra, os políticos lutam por votos e os manifestantes exigem justiça racial, a comunicação humana se torna mais importante.

Pesquisadores da Carnegie Mellon University desenvolveram um método automatizado para tornar a comunicação mais educada. Os cientistas têm certeza de que educação e comunicação gentis nos farão bem. Agora eles desenvolveram um método automatizado para tornar a comunicação amável.

Esses algoritmos podem realmente ensinar a uma pessoa uma forma diferente de comunicação e uma linha de pensamento diferente?

Resposta: Em princípio, eles podem, em uma extensão muito pequena. Depende da seriedade com que nos relacionaremos com esse modelo de comunicação, o quanto sejamos capazes de seguir todas essas regras: desculpe, por favor, obrigado – e o tempo todo instilar emoções positivas um no outro, e assim por diante.

Isso pode suavizar a sociedade de alguma forma. Mas em uma extensão muito insignificante porque com isso nos desviamos do propósito da criação.

O propósito da criação é trazer a pessoa à consciência de sua natureza como má. Portanto, precisamos entender que não importa o quão bons, puros e fofos sejamos externamente, fora de nós mesmos, por dentro ainda permaneceremos nojentos, sujos, obscuros e maus. Portanto, isso não nos mudará por dentro, mas nos ajudará a entender rapidamente quem realmente somos por dentro. Assim como quando você acende a luz em uma sala, você pode ver melhor como ela está suja.

Pergunta: Será que todas as mensagens gentis, toda gentileza e polidez apenas ajudam a revelar a negatividade que se esconde por dentro?

Resposta: Claro.

Pergunta: O que acontece depois com uma pessoa?

Resposta: Começamos a sentir quem somos dentro de nós mesmos.

Pergunta: É necessário ter negatividade interna e bondade externa, polidez externa e uma atitude positiva um para com o outro? Ou deveria haver apenas bondade, graça, positividade e comunicação harmoniosa?

Resposta: Devemos lutar constantemente com nossa natureza egoísta gananciosa, e não apenas manifestar tudo isso externamente em uma bela forma em relação uns aos outros, como todos os métodos – aqueles de quem você está falando e outros.

Devemos entender que tudo não reside em belas embalagens externas, invólucros, bonbonnières, mas em mudarmos a nós mesmos, nossa natureza. Só então poderemos realmente alcançar um estado em que a humanidade se tornará diferente. Ela se tornará diferente de si mesma – generosa, amorosa e solidária.

Pergunta: Que ajuda traz este mal no homem? Por que ele é dado a nós?

Resposta: Este mal é necessário para revelar nossa natureza para nós. Essa é a nossa natureza, isso somos nós, não algo artificial, externo, estranho. É assim que nossa natureza é revelada.

Não é fácil revelar a uma pessoa o quão má ela é. Fale com as pessoas e você verá como elas reagem quando você lhes diz quem são. Elas vão odiar você; vão bater em você. Não vão concordar com você. Como você pode acusá-las do que é supostamente errado?!

Uma pessoa não gosta quando isso é apontado para ela. Precisamos revelá-lo – revelá-lo cada um a si mesmo e aos outros e ajudar todos juntos a chegar à conclusão de que somos bestas terríveis e não temos outra escolha a não ser nos corrigir o mais rápido possível; caso contrário, comeremos uns aos outros vivos.

Comentário: Você teve um tweet interessante que dizia que é o ódio que dá conhecimento de como preencher o desejo de outra pessoa. Portanto, a base da vida é o amor próprio e o egoísmo e o resto é seu tempero.

Meu Comentário: Sim. Então, está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal e fiz a Torá como seu tempero”.

Pergunta: Por que o ódio ajuda a preencher o desejo de outra pessoa?

Resposta: Porque se transforma em ódio à sua natureza e, portanto, inversamente, na direção oposta, em direção ao amor por outra pessoa. Acontece que, virando meu ódio do avesso, posso odiá-lo em mim mesmo e amar outra pessoa.

Pergunta: Podemos dizer que esse ódio, esse mal que existe na pessoa, deve ser tratado como um sparring que nos ajuda a melhorar?

Resposta: Sim. Isso é chamado de ajuda contra Ele.

Pergunta: O que você diria a todas as pessoas que realmente esperam atitudes gentis, cordialidade e harmonia na comunicação dos outros?

Resposta: Não esperem. Não esperem nada de bom de ninguém. Apenas entendam que tudo depende de cada um de vocês. Mudem a si mesmas – e o mundo mudará.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 01/07/20

“Este Mundo Está Indo Na Direção Certa?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Este Mundo Está Indo Na Direção Certa?

O mundo já passou por fases preliminares suficientes, incluindo regimes inclinados para a extrema esquerda e a extrema direita, e experimentou uma grande quantidade de turbulências, tumultos e erros.

Agora, a questão iminente é: que caminho seguiremos?

Ao longo da história da humanidade, estávamos constantemente tentando descobrir que caminho seguir: para a direita ou para a esquerda.

O que resta hoje?

Chegamos a um impasse em todos os campos do envolvimento humano, pessoalmente, socialmente, educacionalmente, economicamente, ecologicamente e globalmente.

Trabalhamos com todos os sistemas que podíamos conceber e verificamos que não existe um único sistema ou plano remanescente que possa nos conduzir com confiança a um futuro brilhante.

Entramos em um impasse sem nenhuma visão de futuro melhor que nos motive, e também nada que nos impulsione por trás.

Nossa era é, portanto, caracterizada pelo fim de nossas provações e tribulações egoístas. O ego humano graciosamente apoiou cada empreendimento humano e cada descoberta e progresso anterior, fornecendo o combustível suficiente para que ele se desenvolvesse e revelasse como falhou em fornecer satisfação e felicidade duradouras.

Enquanto absortos em nosso ego, podemos receber egoisticamente ou dar egoisticamente. Com uma intenção egoísta por trás de qualquer ato de receber ou dar, a destruição é a conclusão inevitável.

A Alemanha nazista foi um exemplo severo de regime baseado em receber egoisticamente levado ao extremo e, na outra extremidade do espectro, a Rússia comunista também foi um exemplo severo de regime baseado em dar egoisticamente levado ao extremo. Ambos causaram devastação.

Nós esprememos todos os sucos dessas formas egoístas.

Agora precisamos deixar nossos egos em paz, reconhecer que eles não nos levam a nenhum resultado positivo e construir um novo nível acima deles.

Este novo nível deve ser aquele de dar acima de receber e conectar-se positivamente acima do desapego e estranhamento um com o outro.

Para construir este novo nível, precisamos acessar um novo tipo de combustível e motivação, que não surge naturalmente em nossos desejos e pensamentos egoístas.

Esse acesso pode ser concedido por meio de um novo método de educação – um método de conexão – que nos mostra como podemos desenvolver conexões positivas acima de nossas diferenças e divisões egoístas.

Se alguma pessoa, organização ou movimento deseja puxar as pessoas para uma determinada direção, para a esquerda ou para a direita, então está fadado ao fracasso, e temos exemplos de tal fracasso na Alemanha nazista e na Rússia comunista.

Hoje, temos a vantagem adicional de tais experiências – que podemos ver como nossos egos planejam sistemas que, em última instância, separam uma pessoa da outra, e que tais sistemas estão configurados para o fracasso.

Reconhecendo o fracasso em trabalhar de acordo com nossos egos, seríamos sábios em aceitar um novo tipo de educação: aquela que nos orienta sobre como nos conectarmos harmoniosamente acima de nossos egos.

A conexão acima do ego é o único caminho que resta ao mundo.

Esse caminho significa que aceitamos o fato de que a humanidade é um todo único e que todos nós somos partes desse todo, como células e órgãos de um corpo humano. Se uma única célula tira de outras células mais do que o necessário para sobreviver, ela se torna cancerosa e espalha doenças por todo o corpo.

Hoje, experimentamos doenças como uma série de problemas e crises se espalhando por toda a humanidade. E todos eles compartilham a mesma raiz: cada pessoa trancada em seu estreito canto egoísta, agindo em um cabo de guerra com todos os outros.

Portanto, precisamos concluir que o ego humano, que fundamentou todo o nosso desenvolvimento até hoje, atingiu sua data de expiração.

Usar o ego inabalável – sem nenhuma inclinação para reconhecer como ele opera constantemente sobre nós e sem nenhum movimento para se elevar acima dele – nos traz todos os problemas que experimentamos.

Os dias de ir e vir entre a esquerda e a direita chegaram ao seu beco sem saída. Hoje, nossa sobrevivência, no mínimo, e além disso, nossa capacidade de obter motivação, felicidade, sucesso e confiança de uma nova fonte de vitalidade depende de nos elevarmos acima de nossa natureza egoísta, ponto final.

Nova Vida 1279 – O Código Para O Sucesso No Ano Novo

Nova Vida 1279 – O Código Para O Sucesso No Ano Novo
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Para terem um ano novo de sucesso, os israelenses precisam descobrir a conexão entre todos os seus diversos cidadãos, de modo a alcançar o Arvut ou a garantia mútua entre eles. O coronavírus foi enviado pelo Criador para nos organizar em laços de amor mútuo e conexão de acordo com um plano evolutivo. A humanidade não entendeu isso até agora e está ocupada se escondendo e tentando se proteger. Consequentemente, estamos congelados em termos de nossas relações internacionais e culturais.

É papel de Israel mostrar ao mundo como se conectar corretamente de acordo com o princípio “ame o seu próximo como a si mesmo” e, portanto, tornar-se uma luz para as nações. Não é suficiente ser irmãos em tempos de guerra, mas os israelenses devem entender que estão presos a um sistema integral e que devem mudar a fim de desenvolver uma proximidade interior entre eles.

De KabTV,“Nova Vida 1279 – O Código Para O Sucesso No Ano Novo”, 31/08/20