A Bênção E A Maldição

laitman_238_01Torá, Deuteronômio, 11:26-11:28: Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição. A bênção, quando cumprirdes os mandamentos do Senhor vosso Deus, que hoje vos mando. Porém a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do Senhor vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes.

Se uma pessoa se afasta do caminho que conduz à adesão com o Criador, a única força superior da natureza, então, é claro, ela comete um erro e vai para “outros deuses”, ou seja, se volta para outras forças da natureza.

“Para seguirdes outros deuses que não conhecestes”, isto é, antes você não os levava em conta como algo fundamental, definitivo e fundamental. E se você lhes der preferência agora e olhar para eles como gestores, minha maldição cairá sobre você.

O que significa uma maldição? A pessoa atrai fogo sobre si mesma ao abandonar a única força verdadeira e superior de controle, sob a qual estão todas as outras, seu produto. Ela se apresenta ao sistema no qual não há equilíbrio e sente seu desequilíbrio.

Essa é a maldição. Não há Deus que nos envia algo especial desde cima, nós apenas falamos sobre isso de uma forma metafórica. Através de nossas ações, causamos uma distorção do sistema comum e, assim, sentimos todas as consequências sobre nós mesmos.

Pergunta: Por que essa porção da Torá é chamada de Rehe (Veja)?

Resposta: Porque nós precisamos alcançar o sistema espiritual. Afinal de contas, a visão é o sentido mais forte do ser humano, a mais poderosa fonte de conhecimento e compreensão de onde estamos e o que somos. Portanto, nós precisamos perceber tudo através da nossa visão, a nossa maior cognição. Não acreditar ou simplesmente reconhecer, mas realmente compreender a sua essência. Mesmo em tribunal uma testemunha só pode ser alguém que viu, não alguém que só ouviu.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 22/06/16

Comente