União Concluída No Monte Sinai, Parte 4

laitman_232_06Na antiga Babilônia, Abraão descobriu que a força egoísta que eclodiu poderia ser equilibrada pela força do bem. Ele percebeu que não era um conflito local apenas relacionado com a Babilônia, mas aplicado a todo o universo, a todo o sistema superior, que inclui em si mesmo não só esse mundo, mas também os cinco mundos superiores.

Então Abraão começou a perguntar como era possível chegar a esse equilíbrio? Afinal de contas, o nosso egoísmo é muito superficial em comparação com os mundos superiores e as grandes forças do bem e do mal que agem neles. Que força do mal tremenda nós precisamos revelar a fim de atingir toda a força positiva da natureza? Como poderíamos ser capazes de resistir a tal egoísmo?

E o Criador consolou Abraão que ele não tinha nada com que se preocupar, porque seus descendentes iriam para o exílio, ou seja, que o grupo chamado Israel receberia uma força negativa tão grande que os obrigaria a revelar uma força positiva para equilibrá-la.

O equilíbrio dessas duas forças começa com o estado no Monte Sinai e a recepção da Torá. Nós sozinhos não podemos extrair a força positiva da natureza que equilibraria a tremenda força do nosso egoísmo.

Nós precisamos de todo um sistema para alcançar essa força positiva e o equilíbrio entre as duas forças. Esse sistema é chamado de Templo, um enorme vaso, um estado especial, onde as forças negativas e positivas estão em harmonia entre si.

Quando Abraão ouviu isso do Criador, percebeu que o sucesso estava garantido. A coisa mais importante era revelar uma força negativa poderosa chamada Egito. Toda essa força negativa é revelada como o Faraó, que governa sobre os filhos de Israel e os faz sentir que devem subir acima dela.

Um milagre acontece no Monte Sinai, onde eles recebem essa força positiva. Esse é um grande feriado, uma grande alegria de subir acima de nossa natureza, e novos horizontes se abrem diante da pessoa.

É impossível revelar a força positiva sem revelar a enorme força negativa dentro de nós, porque o egoísmo age como uma “ajuda contra ela” e nos empurra para a frente, forçando-nos a olhar para a força positiva. Nós sentimos que não podemos existir em escravidão ao nosso egoísmo por mais tempo. Todas as pragas e golpes do Egito ao nosso ego nos empurram para revelar a força do bem.

Pergunta: Que conclusões podemos tirar dos eventos no Monte Sinai para as nossas vidas hoje?

Resposta: A entrega da Torá acontece todos os dias e a pessoa precisa imaginar que está novamente no Monte Sinai. A cada momento nós precisamos renovar essa raiz sucessivamente, porque a força egoísta dentro de nós se renova o tempo todo e precisamos atrair a força positiva contra ela, a fim de equilibrá-las.

Nós vamos continuar a avançar dessa maneira até revelarmos toda a força negativa e toda a força positiva contra ela, cada vez atingindo o equilíbrio entre elas. Isso significa subir através dos 125 graus. No final, a força positiva chamada Criador irá equilibrar toda a força egoísta atribuída à criatura. E depois vamos nos sentir em harmonia entre essas duas forças e atingir a revelação da boa força superior.

E a força negativa não era ruim, ela realmente nos ajudou a revelar o Criador e unir-se com Ele.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/06/16

Comente