No Limiar De Uma Terceira Intifada – Parte 5 “Nenhum Inimigo Externo Permanecerá”

laitman_626Baal HaSulam escreveu no artigo, “Exílio e Redenção”: Portanto, tenho a honra de propor à Casa de Israel dizer aos nossos problemas, “Basta!” e no mínimo, fazer um cálculo humano em relação a essas aventuras que eles nos infligiram uma e outra vez, e aqui no nosso país, também. Queremos começar a nossa própria política, como não temos esperança de agarrar-nos no chão como uma nação, enquanto nós não aceitarmos nossa sagrada Torá sem atenuantes, à última condição do trabalho Lishma, e não para si mesmo, sem qualquer resíduo de egoísmo …. Enquanto nós não elevarmos a nossa meta acima da vida corpórea, não teremos renascimento corporal, porque o espiritual e o corporal em nós não podem habitar no mesmo cesto, pois somos os filhos da ideia.

O povo de Israel foi criado a partir de uma ideia, do desejo de imitar e alcançar a equivalência com a natureza, a adesão com a força superior. Por isso, devemos existir na unidade. Nisso reside o método de Abraão.

Por que ele é considerado nosso antepassado, se não mantermos seus princípios? Enquanto vivíamos separados, não nos encaixávamos na sua natureza, e isso não pode continuar por muito tempo.

Os Cabalistas escreveram que cerca de cem anos atrás nós recebemos permissão para voltar à terra de Israel apenas sob a condição de que iríamos realizar a lei do Arvut (garantia mútua), da unidade, aqui. Desta forma, criamos uma conexão entre a força interna da natureza, a unidade que está estabelecida na sua fundação, e de todas as nações do mundo, de toda a humanidade.

Estas não são apenas palavras bonitas ​​porque vemos como essas leis operam dentro da sociedade humana, convocando ataques e ódio sem nenhuma razão contra a Israel.

Não há nenhuma explicação lógica para a atitude negativa de todo o mundo em relação a Israel. Isso é uma coisa tão estranha que, obviamente, algum tipo de lei especial está operando aqui e o ódio não vai desaparecer por conta própria.

Quando eu tinha vinte anos, eu também tentei resolver este enigma: por que os antissemitas me odeiam tanto sem razão? Eu pensei que viria para Israel, para estar entre o meu povo, onde ninguém me odiaria e onde habitariam boas atitudes. Mas quando cheguei a Israel, descobri relações entre as pessoas que, por vezes, pareciam ainda piores do que no exterior.

Esse ódio é contra a natureza do nosso povo, e por isso não podemos existir enquanto não cumprirmos as condições do nosso pai Abraão e nos unirmos como um homem com um coração.

Pergunta: Será que as relações entre os Judeus em Israel determinam como os Árabes que vivem em Israel se relacionam conosco?

Resposta: No Livro do Zohar está escrito que se nos relacionarmos entre nós com amor, ninguém poderá nos machucar. Nenhum inimigo externo permanecerá.

Do Programa da Rádio Israelense 103FM, 11/10/15

Comente