Será Que A Pessoa Age Ou É Ativada?

Laitman_712_03Pergunta: Por um lado, vemos que a pessoa é parte da natureza, e tudo o que acontece com ela a afeta. No entanto, por outro lado, nos colocamos no topo da pirâmide como a coroa da criação, algo superior que está acima de toda a natureza.

Nós somos diferentes das outras criaturas em inteligência, em nossa sabedoria, e na capacidade de planejar e desenvolver. Nós temos um acréscimo especial que não é o mesmo para qualquer outra parte da natureza. Qual é o lugar da pessoa no sistema da natureza?

Resposta: Sem dúvida, o homem é parte integrante da natureza. Nossos corpos pertencem ao nível animal; todos os seus sistemas são como os dos animais, e não há nada de especial neles. Nós produzimos filhos  exatamente da mesma maneira e cuidamos deles como qualquer animal.

Um ser humano começa onde seu pensamento, sua educação, e o poder do seu intelecto, sua inteligência, é despertado e desenvolvido de geração em geração, e junto com o intelecto, as emoções são desenvolvidas, a consciência de quem ele é e onde ele está. Estas perguntas são despertadas em cada geração, mas com uma nova qualidade.

Há um papel muito importante para a educação aqui. Além do desenvolvimento do lado da natureza, nós nos desenvolvemos com a ajuda de sistemas especiais dentro de nós, e passamos nosso conhecimento científico e experiência de geração em geração. Isto não é como a experiência de sobrevivência que os animais transmitem aos seus descendentes.

Os seres humanos transmitem a sabedoria, o conhecimento científico, e uma percepção do mundo para seus filhos. Portanto, nós somos mais fortes do que todos eles e estamos prontos para desenvolver meios que os animais não alcançam. O macaco não sabe como usar nada além de um pedaço de pau, e um ser humano inventa ferramentas mais sofisticadas.

Os animais são totalmente ativados pela natureza no nível dos instintos e não questionam de onde vêm as ordens que eles obedecem. No entanto, será que o ser humano pode questionar por que isto está acontecendo dessa maneira e será que é possível fazer isso de forma diferente? Ele procura saber como sair de situações desagradáveis ​​e alcançar o máximo conforto. É como se ele fosse guiado pelas mesmas motivações como os animais, mas os animais agem instintivamente, como uma máquina. E apesar de muitos instintos latentes e hábitos serem incorporados no homem e transmitidos de geração em geração, o que é único nele é que ele aprende constantemente.

Um ser humano aprende com um ambiente que o influencia muito fortemente, e ele muda de acordo com o ambiente. Latente nele está a aspiração de deixar o lugar onde ele está, se desenvolver, conquistar novas áreas, sentir que está no controle, entender e explorar tudo ao seu redor com suas próprias forças. Mas nós vemos que, se um ser humano age desta maneira, de acordo com seu desejo, ele deve escapar constantemente dos problemas que causa a si mesmo. Como resultado, ele se torna mais miserável, mesmo que esteja acima de toda a natureza.

Nós nos desenvolvemos sob a pressão do nosso egoísmo, o qual não existe entre os animais. Os animais agem apenas de acordo com os instintos, e os seres humanos têm liberdade de escolha: o que e como fazer algo. Assim, segue-se que em todas as situações na vida, eu tenho a possibilidade de fazer algo bom ou ruim em relação aos outros, e certamente faço uma escolha de acordo com o meu benefício pessoal. No entanto, eu devo verificar cuidadosamente o que exatamente é benéfico para mim. Afinal, uma pessoa é diferente dos animais por também ter o poder de destruição, e ser capaz de prejudicar a si mesma.

Este poder destrutivo é o controle do nosso ego, e os seres humanos devem cumprir os comandos desse poder mesmo que entendam que por causa disso, eles estão se condenando a uma vida muito difícil. Eles devem se submeter a essa aspiração interna. Eles vêem que estão no limiar da guerra, mas ainda não podem parar e estão prontos para a morte porque o seu ego é mais forte do que o seu instinto de sobrevivência.

Um animal nunca vai contra o instinto de sobrevivência. A fêmea está inclusive disposta a abandonar seus filhotes à mercê dos predadores para fugir destes. O instinto natural dita que uma parte maior e mais saudável é mais importante do que uma pequena e fraca, e, portanto, a fêmea deve ser salva primeiro. É assim que a natureza obriga os animais a agir, de acordo com o instinto de procriação. No entanto, uma pessoa pode agir de forma completamente diferente. A mãe está pronta para arriscar sua vida para salvar seus filhos, o que não é típico dos animais.

Um animal simplesmente luta por seu território, comida e continuação da geração. Mas no momento em que sente que é mais fraco do que o inimigo, se retira sem vergonha e remorso. Estes sentimentos simplesmente não existem nos animais. Eles têm um instinto normal, como se fosse uma força de trabalho, em vez de um organismo biológico. Eles simplesmente medem qual é a força mais forte, e o mais fraco se entrega. Mas o ser humano está pronto para lutar pela “verdade” e “justiça”, mas todas essas são expressões de seu orgulho, seu ego. O ser humano tem que provar que ele é justificado, e com isso manifesta seus sentimentos pessoais.

Nosso corpo não é diferente do corpo dos animais. O ser humano dentro de nós é o nosso orgulho, a inveja e a luxúria. É precisamente essas características que nos diferenciam do mundo animal. Assim, o lugar do homem na natureza não é como o lugar do inanimado, vegetal e animal, e nós instintivamente nos distinguimos deles. Além disso, nós podemos controlar outras partes da natureza: matar animais, colocá-los numa gaiola, domesticá-los e usá-los como alimento. Além disso, dominamos totalmente a natureza do vegetal e inanimado, por isso nos consideramos como estando acima de toda a natureza.

Mas se olharmos para o ser humano, vemos que o que se destaca é a sua inveja, sua aspiração por controle e respeito, características que são irrelevantes para os instintos animais, e assim eles elevam o ser humano acima de tudo. Ao mesmo tempo, mesmo os seres humanos são geridos pela natureza. Afinal de contas, se eu não sei o que vai acontecer comigo no momento seguinte, isso me leva ao nível do animal normal. Se eu não controlo o meu futuro, até mesmo no momento seguinte, já sou dominado pela natureza.

Portanto, eu devo esclarecer: quem sou eu realmente? Aquele que age ou aquele que é ativado? Parece como se eu ativasse os níveis que se encontram acima de mim. Mas eu não tenho controle sobre mim mesmo, nem sobre a sociedade humana. Pelo contrário, sou ativado de cima, isto é, recebo a oportunidade de controlar a natureza inanimada, vegetal e animal, mas não controlo a mim mesmo e o que está acima de mim, o meu destino e o meu futuro. Nesse, eu sou completamente controlado.

Essa é a tragédia do ser humano, que parece tão forte e bem sucedido em tudo o que faz. Ele possui emoção, inteligência, uma consciência desenvolvida e meios poderosos. Depois de termos nos desenvolvido neste nível, de repente descobrimos que não podemos sequer tocar o que é mais essencial.

De KabTV “Uma Nova Vida” 23/02/14

Comente