Convenção Em São Petersburgo: Sentir Nossa Natureza Primária

Dr. Michael LaitmanUma das palestras programadas para a Convenção de São Petersburgo é chamada de “o ciclo do ego na natureza”. Há mais alguma coisa na natureza, além disso?

Cada um deve extrair todo o seu ego e nos dizer o quanto ama lidar com ele, como um besouro. Não devemos chorar ou bater em nosso peito, mas de forma natural e séria sentir o que o Criador disse: “Eu criei a inclinação ao mal; Eu criei a Torá como tempero”.

Nós temos que tirar tudo o que há em nós e compor uma canção sobre como somos feios internamente e quanto amamos nossa feiura. A nossa ganância, a mentira interior, e nossa incapacidade de ver a verdade, a nossa incapacidade de amar e de doar devem ser expressas nesta canção.

Nós temos que senti-la tão bem que vamos realmente ficar aborrecidos com nós mesmos, mas a coisa mais importante na revelação de nossos terríveis atributos primários é que eles não nos permitem unir.

Pergunta: Nós sempre tentamos terminar o dia de forma positiva. Mas, neste caso, é melhor se todo mundo fosse dormir no estado quebrado, sob a impressão do ego revelado?

Resposta: Não, eu creio que a revelação da nossa interioridade podre deve nos deleitar. Afinal de contas, nós finalmente entendemos qual é a nossa doença, como uma pessoa que descobre a razão de seu estado doente. No dia seguinte, ela vai vir e pegar o remédio, mas vai saber a razão exata, e vai ficar feliz com isso.

Da Convenção em Sochi 25/08/14, Lição 4

Comente