Arrastões Espalhados No Mar

Dr. Michael LaitmanCartas do Rav Kook: Mesmo a pessoa mais baixa, quando for oferecido fazer bondade ao mundo inteiro, o que inclui tudo infinitamente, se regozijará poderosamente de fazer o bem.

Toda a preguiça e a fraqueza são apenas resultado da falta de fé na grandeza do bem que pode ser feito para todo o universo ao engajar-se em Torá e Mitzvot, no trabalho e a pureza de nossas medidas. Isso é retratado através da compreensão da unidade espiritual, o que significa saber que a luz da alma de cada indivíduo está ligada à alma geral de toda a existência.

Cada pessoa deve dizer que o mundo foi criado para ela. Quando uma pessoa faz o seu trabalho, gera uma mudança em todas as outras almas. É porque todos nós pertencemos e estamos incluídos em um mecanismo, e quando uma pessoa corrige sua conexão com o mundo inteiro, traz as partes de sua alma de volta para si e, portanto, ajuda os outros a se conectar.

É como um arrastão (rede de pesca) que foi atirado ao mar durante a quebra. Como resultado da quebra, eu fiquei com apenas um ponto no coração, e minhas outras partes se dispersaram na água e permanecem externas para mim. Eu nasci assim; é um fato. Agora eu preciso puxar o arrastão e reunir minhas partes perdidas e conectá-las de volta para mim.

Trabalhando com o público, eu conecto minhas partes de volta para mim, por um lado, e por outro lado, dou a todos a força espiritual para começar a trabalhar com a sua própria rede. Parece que falo com estranhos, mas realmente sou eu em diferentes formas.

Quando eu atraio pessoas a esta ideia, acontece que trago as partes da minha alma para mais perto de mim. Toda a humanidade são partes da minha alma. Mas, exceto por isso, a minha parte, cada um tem sua própria personalidade. Atraindo as minhas partes, eu transmito a força espiritual a elas para que elas possam trabalhar em seu próprio círculo, com seu próprio mundo.

Acontece que quando eu puxo essa rede para fora da água, eu desperto todas as partes da minha alma que estavam conectadas a esta rede e cada um puxa para fora sua própria rede e esclarece o seu conteúdo, porque todo mundo tem seu próprio mundo. Assim, nós entendemos que trabalhar com o público nos permite conectar as partes da minha alma; a quantidade se torna qualidade e cada um avança para implementar a criação das dez Sefirot da sua própria alma.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 30/05/14

Comente