EUA: Razão Para Pessimismo

Dr. Michael LaitmanNas notícias (do Freelance Bureau of International Investigation): “O futuro de qualquer país não é apenas a riqueza nacional acumulada, o nível de desenvolvimento industrial ou as reservas minerais. Em primeiro lugar, as perspectivas do estado são definidas pelo nível de apoio que o Estado dá aos seus jovens cidadãos. Neste sentido, as perspectivas americanas parecem decepcionantes.

“Por que os jovens nos EUA estão tão frustrados nesses dias, pergunta o The Economic Collapse. Você está prestes a descobrir. A maioria dos adultos jovens começou ter fé no sistema. Eles trabalharam duro, tiveram boas notas, ficaram fora de problemas e muitos deles passaram na faculdade. Mas quando sua educação acabou, eles descobriram que os bons empregos que tinham sido prometidos não estavam esperando por eles no final do arco-íris. Mesmo em meio a essa chamada “recuperação econômica”, a taxa de emprego em tempo integral para os americanos com menos de 30 continua a cair. E a renda para esse grupo de idade continua a cair também. Ao mesmo tempo, os adultos jovens estão lidando com níveis recordes da dívida do crédito estudantil. Como resultado, mais jovens americanos que nunca estão adiando o casamento e a formação de famílias, e mais do que nunca estão se mudando de volta para seus pais”.

Meu Comentário: Os EUA foram construídos e desenvolvidos sob a iniciativa privada. O país cresceu como uma oportunidade para que todos pudessem competir e subir acima de todos os outros.

Não estando unidos por quaisquer laços, como as nações da Europa ou em qualquer outro país, assim que houve a crise do maior enriquecimento do sonho americano, o país tornou-se “despedaçado” em muitos níveis, partes, mergulhado no pessimismo. Não só foi um brinquedo tirado das crianças, mas também o seu futuro.

Se os americanos não virem a Luz, não perceberem para onde o seu desenvolvimento natural os leva, o qual não pode parar porque as leis da natureza são inflexíveis, então vamos logo testemunhar seu trágico colapso.

Comente