Se Não Há Alegria Significa Que Não Há Fé

Dr. Michael LaitmanDo artigo do Rabash “A Questão da Amamentação e da Concepção”: Está escrito: “Serve ao Senhor com Alegria”, ou seja, que o homem alcança alegria ao servir ao Criador. No entanto, se ele está trabalhando sem alegria, isso é por causa da falta de fé na grandeza e importância do Rei. Caso contrário, deve haver alegria e um espírito exaltado, sem qualquer preparação para isso.

Ou seja, ele não deve ver que não tem alegria no trabalho. Pelo contrário, deve ver que vai se preparar para saber a quem ele serve e qual a Sua importância, e a alegria resultado disso. Isto é, se ele não tem alegria no trabalho, é uma indicação de que não tem ideia da importância do Criador, e, assim, deve corrigir a si mesmo em relação à questão da fé.

Há pessoas que não sentem qualquer conexão com as questões espirituais e apenas vivem uma vida terrena. Há pessoas que se iluminam com a espiritualidade e não conseguem deixá-la. E há aqueles que tendem para um lado e depois para o outro, oscilando entre os dois.

Depende do quanto a Luz ilumina a pessoa. Talvez, a Luz seja tão fraca que dá à pessoa apenas um sentido da existência terrena. Ela persegue prazeres, mas eles não se dirigem ao Criador, mas apenas a algo que ela vê diante de si.

Se a Luz se torna um pouco mais forte, a pessoa começa a perceber que tudo o que existe tem sua raiz interna e vem com um propósito particular, por uma razão. Assim, ela avança, às vezes mais, às vezes menos, sentindo a pergunta: “Para que serve essa vida?”.

No final, a Luz a leva para o lugar onde ela pode realizar seu desejo de espiritualidade. Mas mesmo lá, a Luz a puxa para um lado e para o outro, e devido a essas mudanças de estados a pessoa revela que não tem uma conexão com a fonte do seu destino, a fonte da vida, a força que a controla. Quanto mais ela sente a sua dependência em relação à força superior, mais ela deseja conhecê-la, para entendê-la e abordá-la.

Ele enfrenta vários estados em que tem que mudar a sua atitude em relação ao que está acontecendo. Afinal, por um lado, ela sente esses estados como agradáveis e desagradáveis, e por outro lado, tem que entender que todos eles vêm da mesma Luz que mostra à pessoa o dia ou a noite, a Luz ou a escuridão.

A Luz quer que a pessoa se relacione com esses estados acima deles; ou seja, não importa se a pessoa os sente como bons ou maus. O que importa é que através desses estados ela conhece a raiz de onde eles vieram. Isto significa que a pessoa trabalha na grandeza do Criador. Ela não se importa com o que recebe do Criador; ela usa tudo para o avanço.

Assim, ela recebe ainda mais tudo o que vem do Criador não porque desta forma ela avança, mas porque pode trazer alegria ao Criador. Assim, a pessoa se adere cada vez mais ao Criador e sente Sua grandeza. Ela se identifica menos com os estados que recebe do Criador e com os seus sentimentos, mas olha mais para Aquele de quem recebe tudo.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 17/05/13

Comente