Nosso Romance Com O Criador

289Comentário: Lyuda escreve para você: “Decidi escrever para você depois de um ano e meio assistindo seus clipes. Todos me consideram uma pessoa boa, simpática e gentil, mas de repente descobri que não há um grama de amor em mim.

A pessoa mais próxima de mim está sofrendo e não sinto sua dor. Eu brinco de ser compassiva, mas não tenho isso em mim. Eu não quero ser assim, não me sinto bem em ser assim. Tenho medo de admitir isso para os outros, e estou escrevendo para você, assinando com um pseudônimo, Lyuda”.

Minha Resposta: Talvez ela simplesmente tenha crescido. Quando crescemos, então, como está escrito no Eclesiastes: “Quem aumenta o conhecimento aumenta a dor”.

Pergunta: Isso significa que seu conhecimento sobre quem é uma pessoa aumentou?

Resposta: Apenas o reconhecimento da vida como uma existência infeliz em um estado terrível e ruim chamado “egoísmo”. Ela está sofrendo com isso, e isso já é uma coisa boa.

Pergunta: Como ela pode não sofrer?

Resposta: Usar sentimentos negativos de maneira correta e produtiva em relação ao estado dela, a fim de passar desse estado a um superior.

Pergunta: Qual é o estado superior? Ela sente que não tem compaixão pela pessoa mais próxima a ela.

Resposta: Alcançar um estado superior significa ter mais compaixão, estar mais perto das pessoas. Para tentar desenvolver a atitude correta para com elas, ou seja, bondade, amor e assim por diante.

Pergunta: O fato de ela escrever “Não tenho um único grama de amor em mim” é um começo?

Resposta: Claro. Isso é muito bom.

Pergunta: Então, uma pessoa começa com isso. Então me diga, como uma pessoa pode vir a amar? Você diz: “Ela deveria ser mais gentil, deveria amar”.

Resposta: Não, não estou falando disso. Ela não pode fazer isso sozinha, não podemos impor a ela quaisquer outros estados. Podemos apenas aconselhá-la sobre algumas técnicas pelas quais ela será capaz de mudar esses estados dentro de si mesma. Não diretamente.

Uma pessoa não pode fazer isso, uma pessoa não é o Criador. Ela não consegue mudar alguns interruptores em si mesma e, de repente, sente compaixão e, de repente, amor. Isso não somos nós. Mas podemos atrair indiretamente sobre nós mesmos a luz superior, a energia superior, a influência superior, e ela nos corrigirá e nos mudará.

Pergunta: Isso significa que, ao perceber que “não há um grama de amor em mim”, de repente ela sentirá que há amor nela? Do estado em que ela não tem nenhuma compaixão por um ente querido, ela sentirá que a tem?

Resposta: Sim. Além disso, ela começará a explorar sua atitude em relação ao mundo, às pessoas, a tudo e, finalmente, ao Criador, que, em princípio, é a fonte de todas as suas concepções sobre o mundo. Isto é, tudo o que ela realmente vê no mundo, a natureza inanimada, vegetativa e animada e humana, finalmente se conectará dentro dela à imagem do Criador, isto é, a força superior que projeta para ela tal estado.

Pergunta: Você está dizendo que é o Criador que evoca esse sentimento nela?

Resposta: Sim! Está escrito sobre isso que não há outro além Dele.

Pergunta: Ele faz isso para que ela compreenda o que é a verdadeira compaixão e o que é o amor verdadeiro?

Resposta: Isso não é um objetivo, é apenas um meio de atingir o Criador, Seu propósito, por que Ele cria tais imagens em nós. Por que devemos ver a natureza inanimada, vegetativa, animada e humana ao nosso redor? Por que elas estão ao nosso redor dessa maneira, nos influenciando, nos forçando a interagir com elas? Para que?

Pergunta: Mas se tentarmos ficar mais perto da letra, então por que esses sentimentos, eu não amo, eu não tenho compaixão, são despertados em mim?

Resposta: Para que através de todas essas influências alcancemos sua raiz, o Criador. Todas essas influências têm uma única raiz, fonte e causa. Esta causa quer que você a alcance, se aproxime dela.

Pergunta: O que acontecerá então? É algum tipo de convite do Criador para alcançá-Lo?

Resposta: Ele a convida para um encontro com Ele. É fácil para Ele.

Pergunta: Se uma pessoa decide e vai a um encontro, o que ela ganha com isso?

Resposta: Vou ensiná-la. Estou aqui como um intermediário, um casamenteiro, pode-se dizer, entre esta mulher e o Criador.

Pergunta: Você está falando de você? Você pode ensiná-la como ir a esse encontro, como se comportar?

Resposta: Essa é minha profissão.

Pergunta: O que isso vai dar a ela?

Resposta: O que queremos quando queremos amar, conhecer outra pessoa? Queremos revelar nosso relacionamento. Ou seja, tanto quanto possível os sentimentos de um pelo outro, de nos explorarmos, por que somos assim, e de sentir o outro, por que ele é assim. Eu diria que um romance muito interessante aparece aqui entre uma pessoa e o Criador.

Pergunta: Como resultado, a pessoa atinge o que deseja?

Resposta: O amor surge! E é o maior, mais altruísta e mais importante. Aquele que revela absolutamente tudo. Acontece que tudo no mundo foi criado apenas para vocês dois. Para vocês dois! Essa é a única razão da existência de nosso mundo.

Acontece que existe apenas esta pessoa e o Criador. Ninguém mais.

Pergunta: Podemos dizer isso sobre oito bilhões de pessoas? Cada uma pode dizer “Existe eu e o Criador”? É assim que esse encontro com o Criador deve acontecer para todos? Todos deveriam atingir esse amor?

Resposta: Sim. De uma forma muito pessoal.

Comentário: Esse é um computador incrível! Todo mundo tem seu próprio programa!

Minha Resposta: O que há de complicado nisso? É assim que uma pessoa o revela. E tudo o mais no mundo é só para ela. Um número infinito de todos os tipos de variações, tudo o que existe, é especificamente dirigido a elae.

Comentário: Tudo o que ela vê, tudo o que acontece, tudo o que lê nos jornais, ou ouve …

Minha Resposta: tudo! É assim que eles escrevem um roteiro quando precisam trazer esse personagem para algum lugar, para algumas mudanças nele e em outros, e assim por diante. Exatamente da mesma maneira!

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 11/10/21

Comente