Registro Do Programa Espiritual

526O Livro do Zohar, VaYetse, Item 13: O Rei Salomão estabeleceu seu livro nos sete Havalim [Hevel significa “vapor de respiração”, bem como “vaidade”, “futilidade”] sobre os quais o mundo se encontra. Esses são os pilares e saliências que formam a existência do mundo, e é por isso que são chamados de Havalim.

As sete Sefirot, as sete partes, os sete desejos da alma, passando de egoísta para altruísta, tornam-se os pilares sobre os quais o mundo espiritual se ergue.

Como o corpo não pode existir sem Hevel, o mundo existe apenas em Havalim [plural de Hevel]. Há sete deles, como está escrito: “Hevel Havalim [vaidade das vaidades] diz Kohelet; Hevel Havalim, tudo é Hevel [vaidade]”, portanto sete Havalim.

Comentário: Mas a palavra Hevel é repetida apenas cinco e não sete vezes.

Minha Resposta: Não. O fato é que a palavra “Havalim” está no plural. Cada uma delas é dois. Isso é o que O Livro do Zohar diz. Está escrito Hevel Havalim (vaidade das vaidades). “Havalim” significa dois.

Pergunta: É como um enigma matemático. Por que tudo está tão oculto?

Resposta: Não, não está oculto; só que há partes duplas que precisam ser tratadas dessa maneira. Afinal, tudo o que está originalmente escrito no Livro do Zohar ou na Torá é um registro puramente mecânico e muito preciso de todos os nossos estados consecutivos de causa e efeito, um movimento passo a passo que devemos percorrer um após o outro . Geralmente é assim que um programa é escrito.

Lembro-me de quando comecei a estudar cibernética, a primeira vez que fiquei muito surpreso com a forma como os programas eram escritos. Você grava um movimento após o outro como deveria acontecer em um computador.

Assim, este é um registro do trabalho de nossa alma, ou seja, nosso centro de computação interno, que entende apenas uma coisa: prazer ou sofrimento, mais ou menos, e a diferença entre eles em relação à sua completa saturação, o estado perfeito que está definido à frente.

A Torá, da palavra “Hora’ah” (instrução) é um programa segundo o qual trabalhamos em cada grau, linha por linha, letra por letra. Portanto, você não pode alterar as letras e palavras nele. Esse é um texto consistente porque nos diz como vamos de nosso mundo através de todos os 125 graus para nosso estado completo, final e perfeito.

Portanto, quando você começa a lê-lo, as palavras, seu significado, sua forma singular ou plural, sua forma masculina ou feminina, as combinações de letras e assim por diante tornam-se importantes para você.

Afinal, tudo isso tem um significado no programa. Existem todos os tipos de elementos na letra. A ordem das letras indica a transição que você deve fazer de seu estado atual. Cada letra é um símbolo, um bloco, uma matriz de seu estado particular.

Digamos que em um momento eu possa explicar minha condição com uma letra e no momento seguinte com outra. Se eu fizer uma palavra com essas letras, isso me diz que tipo de mudanças internas finais eu realizo por meio de um certo número de mudanças. Então eu passo para a próxima e assim por diante.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 12

Comente