“Para Onde A China Está Correndo, E Por Quê?” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Para Onde A China Está Correndo E Por Quê?

Ultimamente, parece que a China está correndo a toda velocidade em todas as direções simultaneamente. Só nas últimas semanas, ela pousou uma sonda na lua, fabricou e está pronta para enviar milhões de vacinas, derrotando a Pfizer e a Moderna, confrontou a Austrália pelo controle do Mar da China Meridional e informou que está construindo um enorme porta-aviões, o tipo que pode mudar o jogo na arena global. Além disso, está em conflito constante com os EUA sobre supostas tentativas de interceptar informações, e Steven Myers e Keith Bradsher, do The New York Times, relatam que “o líder da China, Xi Jinping, está buscando uma estratégia para tornar a economia do país mais autossuficiente, enquanto torna outros lugares mais dependentes dele do que nunca”.

Qual é a pressa? Por que de repente é tão importante para a China dominar o mundo? Bem, poderíamos oferecer várias razões políticas, sociais e econômicas pelas quais a China está se esforçando para deixar de ser uma potência regional e uma superpotência econômica para se tornar uma superpotência militar com influência em regiões muito além de sua região. No entanto, há um motivo mais simples e verdadeiro: é a hora da China.

Assim como todo bebê recém-nascido se transforma em criança e depois em adulto, o mesmo ocorre com os países. A China cresceu e, como todos os adultos, quer poder e riqueza. Após milênios de isolamento, a China emergiu no século anterior como um gigante adormecido que acaba de despertar. Agora está bem acordado e quer sua parte, seu respeito e sua palavra no mundo.

No entanto, ao contrário de outros países que acordaram, eu não vejo a China como um perigo imediato. Isso não significa que ela não poderia se desenvolver em um, mas não vejo uma ameaça imediata vindo da China.

Além disso, a humanidade está atualmente passando por uma crise sem precedentes de desintegração da sociedade humana e da civilização humana. Ela vem se desenvolvendo há anos, mas a Covid-19 exacerbou e acelerou a crise a tal ponto que os países não conseguem acompanhar a desilusão das pessoas com as autoridades, o capitalismo, consumismo, a competição sem fim, as taxas de depressão crescentes e a insatisfação geral com a vida que permeou todas as famílias. A recente eleição presidencial americana é apenas uma demonstração do que está por vir em muitos outros países ao redor do mundo em um futuro muito próximo.

Portanto, o problema mais urgente da humanidade não é a China, mas a desconexão das pessoas. A China absorveu as conquistas e doenças que a humanidade acumulou ao longo de eras em apenas algumas décadas. Se a humanidade agora restaurar as conexões humanas e reconstruir a sociedade quebrada em que o Ocidente se tornou, a China irá absorvê-la também, e naturalmente mudará o curso da construção de porta-aviões para algo muito menos ameaçador e mais abrangente.

A China tem um relacionamento muito bom com Israel e eu vejo isso como uma grande oportunidade. Visto que dar um exemplo de unidade é o objetivo principal de Israel e seu papel principal no mundo, se alcançarmos a unidade interna, nossas boas relações com o povo chinês o ajudarão a seguir o exemplo.

Assim como atualmente, vários países vêm a Israel para comprar novas tecnologias e implementá-las em seus países, incluindo recentemente até mesmo países árabes, se desenvolvermos a unidade, os países ficarão ainda mais felizes em implementá-la em seus países. Na atual trajetória do mundo, a unidade muito em breve se tornará a mercadoria mais necessária.

Por esta razão, eu vejo a surpreendente ascensão da China como mais um sinal de que nós, Israel, devemos nos apressar e nos unir, para que possamos ser um modelo da mercadoria mais necessária e para que todo o poder que agora é criado na República Popular da China não vá na direção errada.

Comente