Chanucá É Uma Celebração Da Vitória Da Luz Sobre A Escuridão

600.01Comentário: O feriado de Chanucá é chamado de celebração da vitória da luz sobre a escuridão, da pureza sobre o conformismo, da espiritualidade sobre a corporeidade. E eu acho, claramente este não é apenas um feriado judaico. O mundo inteiro está agora no limiar da vitória ou derrota da luz sobre a escuridão.

Minha Resposta: Na verdade, não há feriados judaicos. Essa é a interação entre a qualidade de doação, amor e a qualidade de recepção, ódio, que sempre lutam entre si.

Pergunta: Houve um dia na história em que as forças da luz derrotaram a escuridão?

Resposta: Sim. As forças de conexão.

Pergunta: As forças de conexão, de amor, de repente derrotaram a escuridão neste nosso mundo escuro e egoísta. Existiu tal fragmento na história?

Você poderia revelar isso? Como podemos expandir esse fragmento agora e trazê-lo para o presente? Todos se interessam pelo tempo presente e poucos se interessam por história. Como podemos trazer luz, o feriado de Chanucá, a essa melancolia, a esse desânimo da humanidade?

Resposta:  Em geral, esta é uma oposição ecumênica constante entre Roma e Jerusalém. Roma é poder, é força, a conquista da Europa, a conquista de todas as tribos selvagens que viviam na Europa de então. Não é nenhum segredo que quase até o século X as pessoas viviam em árvores, no subsolo e assim por diante. Havia barbárie na Europa e eles devoravam um ao outro.

E Jerusalém queria trazer ao mundo uma lei completamente diferente: a lei não do poder, não da supremacia da autoridade, mas do espírito. Esse era o lema, a meta de Jerusalém. Claro, as pessoas não estavam prontas para isso.

Pergunta: Essa é a época em que o Templo foi construído no auge do amor ao próximo?

Resposta: Sim, por mil anos, do século X a.E. ao ano zero de nossa era, houve uma luta por qual iria superar. No final, a Judeia caiu. E no final, quando já estava esmagada, durante a queda, houve um grande levante. Ele foi liderado pelos Macabeus. Eram os Macabeus que carregavam essa luz. Esta última onda na luta por ideais marcou a Chanucá.

Pergunta: Este foi um fragmento da história. Como podemos transferi-lo para o nosso tempo? O que é a Chanucá para o mundo hoje?

Resposta: Chanucá é uma imagem de luz, doação, amor, conexão de tudo e todos, não importa em que nível. O principal é a boa atitude de todos para com todos, acima de todos os preconceitos, religiões, filosofias, acima de tudo.

Nesta época sombria, há uma oportunidade de dizer ao mundo como ele deveria ser. Isso ocorre porque a vantagem da luz é exatamente sobre a escuridão. E também porque o mundo de hoje, nestes 2.000 anos, já está completamente imbuído dessa ideologia de Romanos e Gregos.

Pergunta: Ou seja, com materialismo completo?

Resposta: Sim. Como o mundo percebeu para onde está indo, onde se encontra e também o seu fim, hoje já é possível contar, explicar e tentar fazer o mundo olhar de uma forma diferente, com outros olhos. Não vamos conquistar o mundo; só queremos explicar que ele está caindo e que isso é muito ameaçador.

Pergunta: Então, esse feriado é muito relevante e necessário?

Resposta: Claro.

Pergunta: Como uma pessoa pode agora acender este pequeno fogo em si mesma?

Resposta: É muito simples. Não temos mais nada a não ser nos virar do avesso, começar a negociar entre todos os nossos ódios, adversidades, desejos de destruir, humilhar e subjugar uns aos outros, e assim por diante. Devíamos parar de jogar esses jogos.

Hoje podemos dizer: “Vamos nos lembrar, vamos ver do que aqueles verdadeiros antigos macabeus, os judeus, estavam falando”. Eles falaram apenas sobre a restauração do reino da compreensão, ajuda mútua e amor entre todos os povos do mundo. Não em uma base egoísta porque é impossível – estaríamos construindo algo malsucedido novamente – mas com base na qual a sabedoria da Cabalá é fundada.

Existe uma força na natureza que pode se revelar e subjugar nosso egoísmo. Isso vai acontecer. Eu não apenas acredito, eu vejo isso se aproximando a cada dia.

É sobre as ruínas do velho mundo, e agora vemos como seu último bastião, construído sobre o capital, está se desmoronando, desmoronando e desmoronando, que um mundo diferente será construído: um mundo de respeito mútuo, amor, oposto ao do passado.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 07/12/20

Comente