Ao Nos Elevarmos, Elevamos O Mundo

934Após a lição, nós saímos para o mundo, e o mundo inteiro, toda a humanidade, todo o Kli de Adam HaRishon, entra entre nós, os dez amigos. O mundo começa a fluir dentro da dezena, entre os amigos com os quais me conectei, e traz seus pensamentos e desejos para nós.

Devemos sentir os desejos do mundo; caso contrário, não seremos capazes de obter uma correção geral. Devemos entender que isso não é política, não é economia, mas que o enorme desejo da alma comum de Adam HaRishon entra entre nós e nos influencia para que retornemos à unidade acima desses obstáculos. Apesar do egoísmo adicionado, nos conectamos novamente com uma força ainda maior.

As impressões do grande mundo não devem nos separar. Nós absorvemos do mundo apenas as impressões com as quais podemos trabalhar para se corrigir.

Se não rompermos a conexão uns com os outros, todo o grande mundo, que nos influencia durante o dia, se conectará adequadamente a nós e seremos capazes de corrigi-lo. E ao corrigir o mundo dentro de nós mesmos, causamos suas mudanças externas porque uma conexão já surgiu entre o interno e o externo.

Se o mundo não pode nos dividir e nos separar uns dos outros na dezena durante o dia, nós transmitimos nossa união a ele e, assim, corrigimos o mundo. Gradualmente, ele se torna uma parte de nosso Partzuf espiritual, seu final (Sof). Ainda não podemos trabalhar ativamente com ele, mas ele já está se tornando uma parte útil do Partzuf.

Assim, dia a dia, nós absorvemos novos desejos do mundo e transmitimos o poder da unidade a ele. Toda a humanidade pertence a um Kli, uma alma. Ao tentar nos unirmos na dezena, nós construímos assim a parte interna do vaso espiritual e a cabeça (Toch e Rosh). E todas as outras pessoas que ainda não chegaram à unidade são o fim do Partzuf (Sof). Portanto, devemos unir esses desejos.

Nós vivemos em uma época de correção geral e devemos pensar no mundo inteiro. Portanto, nós estamos entre as pessoas, em contraste com os Cabalistas do passado que viviam em uma caverna como eremitas, em pequenos povoados. Os Cabalistas sempre se esforçaram pela solidão porque ainda não havia nenhum requisito para trabalhar para corrigir o mundo.

Mas nós vivemos em uma época diferente e, gostemos ou não, recebemos impressões de todo o mundo. Durante o dia, absorvemos seus desejos e devemos processá-los. E quando então nos unimos na dezena, devemos levar em conta que nossa unificação também inclui os desejos recebidos do mundo. E quando voltamos ao mundo amplo, nós o influenciamos com desejos corrigidos, e o mundo muda e se move em direção à realização da correção e unificação.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 01/12/20, “Trabalho com Fé Acima da Razão”

Comente