“Chega De Tabus” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Chega De Tabus

Os últimos anos foram uma longa procissão de quebra de tabus. Desde bancos, a políticos, passando por agências de inteligência, e até a polícia, nenhuma instituição é mais sagrada e nada está acima do ridículo e do desprezo. Até o tabu da liberdade de expressão, articulada na Primeira Emenda, foi sequestrada e massacrada por, bem, combatentes pela liberdade de expressão.

Quando há tanta separação e alienação na sociedade, fica claro que a única solução é o contrário: a união.

Para onde essa desintegração nos leva? Não podemos acreditar em ninguém, e temos medo de dizer isso, pois não há liberdade de expressão. Pior ainda, a esperança de que as coisas melhorem está desaparecendo rapidamente.

Essa é uma situação muito perigosa. Ao mesmo tempo, é a única situação da qual é possível crescer. Quando há tanta separação e alienação na sociedade, fica claro que a única solução é o contrário: a união. Os Estados Unidos estão em uma situação de vida ou morte. Ou as pessoas se unem acima de tudo que as separa, ou as últimas cordas que ainda mantêm o país unido se romperão e uma segunda guerra civil entrará em erupção.

A boa notícia é que não é tarde demais. Enquanto houver comunicação, há esperança de que as pessoas ouçam a razão e entendam que não haverá justiça ou paz para ninguém se não houver cuidado para todos. Cuidado, ou pelo menos preocupação, é a base para a construção de uma sociedade justa.

Pense nos pais com seus filhos: quando os filhos brigam, os pais podem ficar do lado de um filho ou do outro, mas certamente agirão por amor a ambos e, portanto, com justiça, tentando acomodar as necessidades de todos os filhos.

O povo americano não tem pais; ninguém dirá à América quem está certo e quem está errado na luta que a nação angustiada está enfrentando. Como resultado, se o povo americano não reunir forças para colocar o bem comum acima do interesse próprio, ele mergulhará em derramamento de sangue e todos perderão.

Este ano de 2020 é um ano crítico. Três fatores convergiram este ano, cada um dos quais poderia desmantelar qualquer sociedade: COVID-19, os protestos de George Floyd e as eleições presidenciais. Juntos, os três formam uma tempestade perfeita que exigirá que uma nação verdadeiramente corajosa supere.

Mesmo onde a polícia não foi dissolvida, é difícil ver como eles sozinhos podem impedir as pessoas de uma erupção total da violência. A menos que as pessoas resolvam conter sua frustração, raiva e principalmente ódio pela outra parte ou cor, nenhuma polícia ou Guarda Nacional ajudará. É da escolha de cada indivíduo dar um exemplo de restrição, respeito e, finalmente, cuidar dos outros, simplesmente porque todos, cada indivíduo, são seres humanos. E como eu gostaria que outros me tratassem, também devo tratar os outros.

Uma vez alcançado esse nível de restrição, é possível falar em aproximar as pessoas. Uma vez que as pessoas respeitam o direito à dignidade mútua, é possível começar a ver como a beleza e a força da América vêm precisamente de sua diversidade. Os Estados Unidos abrigam todas as raças, todas as cores, todas as religiões e todas as visões políticas. Se não fosse por essa diversidade, a América não seria a América. Mas, para ver isso, os americanos devem colocar a nação antes da facção, o todo antes das partes. Então, e somente então, eles serão capazes de se unir e ser o modelo que podem e devem ser, o líder do mundo livre.

Comente