Medium: “10 Anos Da Crise Financeira: E Agora?”

O Medium publicou meu novo artigo: “10 Anos Da Crise Financeira: E Agora?

Uma década depois da crise financeira global, uma nova pesquisa expõe como uma pequena elite impediu uma catástrofe mundial. Mas qual é o custo de manter nossos sistemas cada vez mais desequilibrados e orientados pelo lucro? Quais são as maiores forças de equilíbrio da natureza que enfrentamos?

Uma década atrás, o mundo estava à beira do colapso. Uma bolha financeira no mercado de hipotecas dos EUA quase explodiu o sistema econômico global. Um Armagedom financeiro foi impedido apenas por medidas sem precedentes tomadas pela administração dos EUA, e particularmente pelo Federal Reserve.

Em seu novo livro, “Crashed”, o historiador prof. Adam Tooze lança luz sobre os cantos ocultos da crise financeira de 2008. Tooze descobre a intricada rede financeira que se encontrava no centro da tempestade e como uma pequena elite decidiu injetar trilhões de dólares no sistema bancário americano e no resto do mundo. o mundo, sabendo muito bem que, de outra forma, a humanidade iria em uma espiral descendente para uma crise pior do que a Grande Depressão de 1929.

Desde a crise de 2008, os laços na rede da elite financeira só aumentaram em todo o mundo, e hoje esse grupo emprega continuamente malabarismos financeiros para governar a economia global. Como peões em um tabuleiro de xadrez, eles deliberadamente manipulam mercados, consumidores, taxas de juros, instituições financeiras e mídia, a fim de perpetuar o atual paradigma econômico e impedir que uma crise ao estilo de 2008 aconteça novamente.

Então, o que mudou na última década? O sistema econômico se sente mais seguro do que antes. Não porque o sistema se tornou mais estável ou igual, mas porque é mais controlado.

A Pirâmide Que Governa O Mundo

Análises como as de Tooze provam como a pirâmide que governa o mundo se tornou mais pontiaguda do que nunca. É uma pirâmide baseada unicamente em poder e dinheiro, de cima para baixo. Se a pirâmide do século anterior ainda tinha alguns lugares reservados para intelectuais, filósofos, cientistas e pluralismo ideológico, hoje eles são todos escravizados pelo poder do dinheiro e seus donos.

Os cientistas dependem do financiamento que orienta os objetivos de suas pesquisas; artistas e figuras culturais desfrutam dos holofotes tanto quanto seu show atende aos interesses dos magnatas que possuem os canais de mídia. Simplificando, o dinheiro corre o mundo e o capitalismo tornou-se um canibalismo, com uma elite limitada que fortaleceu o seu domínio no topo da cadeia alimentar.

A Mecânica da Crise Global

Mas o que está acontecendo abaixo da superfície é a inevitável intensificação do egoísmo humano. O ego humano é a energia natural que alimenta a fusão de riqueza e poder em uma força desenfreada. No entanto, isso é apenas um dos lados do processo.

O desenvolvimento da humanidade acontece em duas tendências paralelas e opostas. Juntamente com o ego em constante crescimento, existe um eixo muito menos perceptível de interdependência global que está gradualmente unindo todas as pessoas e os sistemas criados pelo homem na Terra.

Nós, seres humanos, estamos presos no eixo egoísta e sofremos de miopia global.

A natureza do desenvolvimento humano nos obriga a andar com duas pernas: uma perna progride ao longo do eixo egoísta necessário para nosso crescimento, e a outra perna progride em direção ao senso de conexão mútua entre todos nós. Assim como caminhamos em ambas as pernas, temos que combinar e equilibrar adequadamente o ego para canalizá-lo para um desenvolvimento saudável e positivo para todos.

Hoje estamos atrasados ​​em relação ao senso de conexão entre nós. O mundo está se tornando cada vez mais integral – e o humano não é. Como nos alcançamos? Aumentando a conscientização para a nossa situação, reconhecendo o sistema global interdependente em que vivemos e as leis da natureza que se aplicam a ele.

Lei de Equilíbrio da Natureza

A natureza – como um sistema integral que exige que todas as suas partes estejam em equilíbrio e conexão mútua – exigirá que mudemos. A economia global não é mais que um reflexo das relações entre todas as pessoas. Portanto, devemos primeiro equilibrar nossos relacionamentos, como partes de um único sistema que compartilham um destino comum. Quando começarmos a fazer isso, reorganizaremos todos os nossos sistemas feitos pelo homem, incluindo os econômicos e financeiros.

Se não aumentarmos nossa consciência e fizermos isso por livre escolha, as forças de equilíbrio da natureza nos forçarão a fazer isso de maneiras diferentes. Choques no ecossistema, desastres naturais ou esgotamento de energia barata são exemplos de cenários que exigirão uma mudança dolorosa na ordem socioeconômica.

Curiosamente, uma pesquisa anual do Gallup que entrevistou mais de 154.000 pessoas em 146 países mostra que “o clima global está mais sombrio desde a primeira pesquisa deste tipo em 2006”. No final, o século XXI nos encherá de frustração e desamparo que nos levará a questionar o significado da existência humana. Então, do fundo do nosso coração, surgirá uma demanda por um novo mundo.

Comente