Copa Do Mundo FIFA

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 14/06/18

A Copa do Mundo FIFA 2018 começa hoje com um jogo entre a Rússia e a Arábia Saudita, começando um mês de vitórias e derrotas, terminando com uma única equipe de um único país declarada campeã mundial de futebol.

Sem dúvida, é um mês de pura alegria e emoção para muitos milhões em todo o mundo, sentados em frente a suas TVs de plasma com uma cerveja na mão. Eu me lembro quando passeava perto do estádio de futebol em Ramat Gan com meu professor, o Rabash; ele costumava dizer que é um lugar respeitável, já que dá às pessoas uma sensação de alegria e gratidão na vida.

Assim, durante um mês, a copa do mundo acrescenta uma atmosfera globalmente consciente à humanidade, ajudando todas as pessoas em todo o mundo a sentirem-se um pouco conectadas, enquanto todas estão coladas às suas telas como uma só.

Mas fora do estádio e mais longe das câmeras, o lado obscuro deste evento é desenfreado. Drogas, jogos de azar e máfia, todos desempenham um papel nos bastidores. Hostilidade, racismo e extrema violência entre hooligans também estão acontecendo. E não se esqueça dos bilhões de dólares envolvidos, junto com anunciantes, agentes, políticos e muita corrupção.

Portanto, assim como a copa do mundo une a humanidade, ela também reflete todas as maldições da humanidade.

Se realmente quisermos que esse evento faça o bem para a humanidade, a primeira coisa a fazer é tirar o lucro dele. Por exemplo, direcionando o produto para causas sociais, como ajudar os necessitados, a medicina ou a educação.

Mas também há hostilidade embutida na competição em si. Eles dizem que começou na Grécia antiga com o objetivo de conexão entre países, mas não vejo que esse seja o objetivo que serve hoje.

Idealmente, nossos esportes devem empregar uma competição positiva para promover um maior senso de unidade tanto nos jogadores quanto nos espectadores, demonstrando conexão e praticando a colaboração. Deve ser uma experiência altamente educacional.

Por exemplo, e se as equipes recebessem uma bola e seu objetivo fosse mantê-la no ar, passando-a dinamicamente entre todos os jogadores? E se a multidão estivesse torcendo por um sucesso coletivo global, em vez do triunfo de sua nação sobre as outras?

Se seguíssemos e desenvolvêssemos esse novo tipo de esporte, também marcaríamos alguns pontos importantes para a unidade global.

Comente