The Times Of Israel: “A Verdadeira Força E O Presente De Israel Para O Mundo É A Unidade”

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “A Verdadeira Força e o Presente de Israel para o Mundo É a Unidade

A tensão na fronteira entre Israel e Gaza, que se materializou com a Pessach de 2018, é um claro lembrete de que os inimigos de Israel não mudaram seus planos. Isso vale tanto para seus inimigos vizinhos diretos quanto para seus inimigos em todo o mundo, que rapidamente aproveitaram a oportunidade para mais uma vez permear a mídia com suas críticas a Israel como “desumanas” e “opressivas”. Podemos esperar mais hostilidade a se organizar contra Israel se o povo de Israel continuar resistindo à unificação.

O Estado de Israel é um reflexo do seu povo judeu. O problema é que, atualmente, não há Estado de Israel no sentido de um povo judeu unificado (a palavra hebraica para “judeu” [Yehudi] vem da palavra “unido” [yihudi] [Yaarot Devash, Parte 2, Drush n º 2]). Existe apenas um aglomerado de grupos separados. Guerras e tensões com os países vizinhos unem momentaneamente os habitantes de Israel contra um inimigo externo comum, mas assim que um período de paz se instala, as facções de Israel entram em conflito constante entre si: esquerda versus direita, religiosos versus seculares, Ashkenazi versus Sefardita, para citar alguns.

Valores Judaicos São Sobre Amor e Conexão

Para construir um autêntico Estado de Israel, primeiro precisamos restabelecer os valores que originalmente nos uniam como povo judeu. Estes são valores inicialmente estabelecidos por Abraão e seu grupo há 3.800 anos, razão pela qual ele é considerado o pai da nação. Ele estabeleceu os alicerces da unidade e conexão, em que “ama o teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18) e “o amor cobre todos os crimes” (Provérbios 10:12) foram os principais princípios para os seus seguidores viverem harmoniosamente sob uma única tenda, em uma conexão.

Não precisamos alcançar este estado de amor e conexão imediatamente. Se pudermos simplesmente aceitar a disposição de começar a seguir uma direção transformacional, poderemos então começar a organizar como uma genuína sociedade judaica.

Quando Abraão uniu seu grupo na antiga Babilônia, eles não eram um grupo baseado na genética, mas um povo que se reuniu em torno de certa ideia, que sentia que o amor ao próximo era o principal valor que mereceria dedicar sua vida. Se a intenção é alcançar a unidade e a conexão com outras pessoas, a pessoa pode seguir o caminho percorrido por Abraão e entrar na tenda de paz e harmonia.

Chegou a Hora de Israel Mostrar suas Cores Verdadeiras

Se nos reunimos assim sob uma bandeira comum que nos une em direção a um objetivo comum de amor e conexão, podemos então nos preparar para lidar com todos os nossos problemas atuais e futuros, e nos engajar em uma construção mútua de edificação não apenas de um povo judeu genuíno, mas também de um Estado bem estabelecido.

O Estado de Israel será baseado em leis que servem para fortalecer os laços de amor entre seus habitantes, leis de conexão entre pessoas, grupos, facções, idades e gêneros, que visam unir todos, sem exceção, em uma única sociedade cooperativa. O Estado judeu é aquele que se preocupa com a unidade acima de tudo, enquanto também permite a expressão mais completa da singularidade de cada indivíduo.

Uma Nação Ligada ao Poder Superior de Amor e Conexão

Ao nos empenharmos neste empreendimento mútuo para construir uma sociedade nova e positiva baseada no amor e na conexão, poderemos dar passos gigantescos para realizar nosso destino que nossos antepassados ​​sonharam, para se tornar o Estado de Israel na essência máxima da palavra: “Israel”, das palavras “Yashar Kel” (“direto ao Criador”), uma nação ligada com o poder superior de amor e conexão. Ao concretizar essa visão, serviremos de modelo para uma sociedade perfeita de indivíduos felizes e bem-sucedidos que compartilham os valores mais importantes de amor e conexão da vida. Como resultado, o mundo absorverá a atmosfera que iremos espalhar e as críticas a Israel desaparecerão.

Aqueles que atualmente protestam contra, boicotam, caluniam e simplesmente odeiam Israel serão os primeiros a sentir a transformação positiva de Israel. Eles são o lembrete constante que enfatiza a divisão do povo de Israel. O ódio a Israel e ao povo judeu apenas aponta a falta de amor entre o próprio povo judeu.

A maioria das nações foi favorável ao estabelecimento do Estado de Israel no século passado. Isso representou uma oportunidade para que uma nova sociedade de amor e unidade emergisse. No entanto, a oportunidade dada ao povo judeu no Estado de Israel nos últimos 70 anos, para construir tal sociedade, está rapidamente atingindo seu prazo de validade. Como resultado, a visão do mundo sobre Israel e o povo judeu tomou um curso negativo. Quando deixamos de progredir em nossa missão, o mundo nos desacredita. Gradualmente, somos retirados de cena, dissolvendo-nos como qualquer poder mundial que tenha governado em certos períodos históricos. No entanto, como a felicidade e o bem-estar de outros povos dependem de Israel desempenhar seu papel, ao contrário das outras nações que surgiram e caíram, seja Alemanha, Rússia, Grécia Antiga e Roma, Israel será obrigado a cumpri-lo e unir-se.

Em uma Missão para Unir o Mundo

Esses breves momentos em que o mundo nos pressiona e nós nos unimos são exemplos de como devemos nos tratar todos os dias. No entanto, não há poder unificador duradouro em tal conexão, uma vez que é baseada em causas externas. Para criar uma sociedade unificada a partir de uma positiva, precisamos criar um incentivo para nos conectar a um objetivo elevado. Mesmo se permanecermos um punhado de judeus na Terra que serão forçados a fazer isso, o mundo não desistirá. Nossa missão é se unir e, ao fazê-lo, permitir que a disseminação dessa consciência unificada seja difundida para a humanidade como um todo. Se trabalharmos em nossa conexão, poderemos atrair a força positiva e unificadora que habita na natureza para entrar em nossas conexões, permitindo assim que essa força se espalhe, estabelecendo uma nova base para uma sociedade de doação, conexão e amor.

Gerações Anteriores Desistiram porque não Tinham Meios

Essa é também a sociedade que os pais fundadores do sionismo sonharam, incluindo David Ben-Gurion. No entanto, eles desistiram em certo ponto porque não tinham os meios para realizar sua visão de uma sociedade positivamente conectada. No entanto, hoje, esses meios estão disponíveis e se tornam ainda mais necessários para se elevar acima da intensificação da divisão social e realizar toda uma nova direção positiva e harmoniosa que a sociedade pode tomar.

Comente