Terra: Os Últimos Anos De Vida

laitman_746.01Observação: Cientistas americanos e britânicos enviaram um relatório oficial à Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos de que a Terra se tornará imprópria para a vida até 2200-2400, independentemente do declínio estimado no crescimento populacional por volta de 2100.

Especialistas apontam para o perigo da mudança climática, inevitável devido ao aumento do consumo de energia, que continuará mesmo com a redução das emissões de gases de efeito estufa na atmosfera. Além disso, existem outros riscos globais. (Kathmandu Tribune)

Seguindo na mesma direção, Stephen Hawking sugeriu recentemente encontrar um novo lar para a humanidade no espaço. (NBC News)

Meu Comentário: O problema é que tais projetos não são realistas. As pessoas estão inextricavelmente ligadas a este planeta por um “cordão umbilical” invisível. Somos um só todo, estamos entrelaçados com um número infinito de fios e não podemos funcionar sem ele.

Mas digamos, por exemplo, que nos mudemos para Marte. O que acontece depois? Vamos poluir ou espremer todos os seus recursos, assim como fizemos com a Terra. Além disso, enfrentaremos problemas pessoais e sociais porque, tendo mudado o local de residência, não teríamos mudado nossa natureza. Então o que vamos fazer? Vamos vagar de planeta em planeta fugindo de nós mesmos? Não vai ajudar.

Nós trazemos a morte ao nosso redor porque essa é a nossa natureza. “Morte” é o egoísmo que quer devorar tudo. Ele desfruta que destrói tudo ao redor. Nós não vamos sobreviver em nenhum planeta. Afinal, não sabemos como levar em conta a natureza global e suas leis básicas.

Nós levamos em conta apenas o que é benéfico e conveniente para nós. Essa mesma atitude já é destrutiva para a Terra porque envenena o sistema planetário comum.

A carga negativa do egoísmo é o que realmente sacode a noosfera. Desequilíbrios crescentes na sociedade, entre pessoas, minam o equilíbrio em tudo. O que o futuro está preparando para nós? Na pior das hipóteses, depois de passar pelo sofrimento mais difícil – até o inverno nuclear e outras “delícias” antiutópicas -, finalmente perceberemos a necessidade de nos livrarmos do egoísmo.

Então as pessoas finalmente se elevarão acima de sua natureza egoísta e corrigirão esta Terra, deixando de poluí-la e arruiná-la de todas as maneiras. Afinal, a Terra tem um grande potencial regenerativo. Ela pode se recuperar se as pessoas pararem de prejudicá-la e aceitarem as leis da natureza que estabelecem interação, harmonia e homeostase.

Em outras palavras, tendo subido acima do egoísmo, estaremos como se estivéssemos em outro planeta, que cura as feridas e se relaciona conosco benevolentemente. Então não teremos que ir a lugar nenhum. Descobriremos que, se desistirmos do amor próprio, tudo irá servir à nossa prosperidade. E só resta uma pergunta: por que não fazer isso agora?

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 23/01/18

Comente