A Saúde Das Redes Sociais

laitman_959Nas Notícias (Wired): “O Twitter lançou uma nova iniciativa na quinta-feira para descobrir exatamente o que significa ser uma rede social saudável em 2018. A empresa, que tem sido atormentada por uma série de intromissões eleitorais, assédio, robôs e escândalos relacionados a fraudes desde a eleição presidencial americana de 2016, anunciou que estava procurando parcerias com especialistas externos para ajudar a ‘identificar como medimos a saúde do Twitter’. A empresa disse que está procurando novas maneiras de combater o abuso e os spam, além de encorajar debates e conversas ‘saudáveis’.

Em uma série de tweets, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, reconheceu que sua empresa não ‘previu ou entendeu totalmente as consequências negativas do mundo real’ de como a plataforma foi projetada, como assédio, trolls, robôs e outras formas de abuso. ‘Não estamos orgulhosos de como as pessoas tiraram proveito de nosso serviço ou de nossa incapacidade de lidar com isso com rapidez suficiente’, escreveu ele”.

Pergunta: Isso levanta a questão: o que é uma rede social saudável?

Resposta: Suponho que, para dar uma resposta à pergunta, é necessário primeiro compreender o significado do nosso desenvolvimento. Então será possível avaliar plataformas científicas e sociais de acordo com o grau de benefício ou dano que elas causam, em relação ao alcance da meta da melhor maneira. Então o “diagnóstico” das redes sociais será severo: “doentes terminais”.

Eu entendo a decepção dos criadores da Internet com o que as pessoas fizeram com sua ideia. O problema aqui não é sobre a própria Internet, mas sobre o ego que nos controla. Devemos nos corrigir, não a Internet. Sem nos corrigir, nada ajudará. As pessoas vão ignorar tudo porque o ego é o que as motiva.

O Twitter em particular e a Internet em geral devem começar a se envolver com apenas uma coisa: reeducação. É necessário preencher o espaço virtual com o que é útil para o desenvolvimento de conexões mútuas positivas entre as pessoas.

Eu não sou um asceta e não defendo restrição. No entanto, as pessoas pararam de ler, pararam de consumir informações normais, esqueceram de pensar, analisar e simpatizar. Na verdade, elas são infelizes, enganadas.

Hoje, na rede em que a maioria está envolvida, a maioria se envolve com tudo, exceto com o que é mais importante – elas mesmas! Uma pessoa é cativada e hipnotizada pela tela piscante e não deseja nada superior, o próximo nível.

É hora de usar o mesmo sistema de forma diferente, para ascensão, para beneficiar todas as pessoas.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 13/03/18

Comente