Egito E Unidade: Duas Coisas Incompatíveis

laitman_934O trabalho dos filhos de Israel no Egito é o trabalho de unificação na dezena. No entanto, essa unificação é impossível no Egito; portanto, eles fogem de lá. Afinal, eles queriam se unir no desejo de desfrutar. Todos os problemas no Egito são a percepção de que somos incapazes de nos unir, não importa o quanto tentemos.

Assim, sete anos de saciedade e sete anos de fome passam em nossas tentativas fracassadas. No entanto, cada vez ganhamos definições mais e mais sutis e sublimes e, finalmente, chegamos à necessidade de sair do Egito. Moisés entende que é necessário separar-se do Faraó; ele vai até o Faraó e exige que o povo seja solto.

Mas anteriormente não havia tal consciência e não estava claro que o desejo de desfrutar domina completamente a pessoa. Mesmo agora nos parece que basta fazer um esforço e nos uniremos. Então tentamos de novo e de novo e 400 anos se passam nessas tentativas, isto é, em todos os quatro estágios.

Não pode haver unificação no Egito; afinal, estamos em nosso egoísmo! E mesmo que alcancemos algum tipo de unidade, no próximo grau, descobrimos que ela era egoísta e não em prol da doação, como nos parecia.

Os anos de exílio são graus. Se estamos no 250º ano do exílio, significa que conseguimos nos unir no 250º grau. Mas, de repente, a linha esquerda é revelada mostrando-me que não há união e eu odeio todo mundo. Significa que agora, no nível 251, eu descobri um desejo muito maior de desfrutar do que antes. Então nós subimos os degraus, pisando com o pé esquerdo e depois com o direito.

Há unidade no Egito, mas ela é egoísta. Afinal, todo o Egito está disposto a entender que não teremos vida no egoísmo.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabala 09/03/18, Escritos do Rabash, Os Degraus da Escada, “Quais São Os Dois Discernimentos Antes De Lishma

Comente